Empresas

19 out11:08

Opotunidades para micro e pequenas empresas

Estevan Baldissera Marques é um dos três proprietários da Agência de Design Triocom, fundada há um ano em Chapecó. A empresa, com foco na gestão de marcas está estruturada, mas o empresário investirá em um novo desafio, o que motivou a participação dele do futuro sócio no 10o Seminário Regional de Crédito, promovido pelo Sebrae/SC, nesta semana, no Hotel Bertaso em Chapecó.  

“Desenvolvemos o Plano de Negócios com auxílio do Sebrae e participamos do evento para conhecer as linhas de crédito, as taxas de juro e os critérios para obtenção de financiamentos”, destacou o empresário. O novo empreendimento será do setor de comércio. “Trata-se de um ramo que oferece produtos nacionais e importados, difundido nas grandes cidades, mas que será pioneiro em Chapecó”, explicou Marques.

Durante o seminário, mais de 150 pessoas conheceram as linhas de crédito e os financiamento mais estão adequadas às demandas das micro e pequenas empresas. O evento, coordenado por Carlos Armando Carreirão do Sebrae/SC, reuniu oito instituições financeiras para apresentação de seus produtos: BNDES, Banco do Brasil, Badesc, BRDE, Caixa Econômica Federal, Sicoob e Sicredi.

Segundo Carreirão, hoje, as instituições financeiras possuem produtos e condições atrativas em termos de juros e facilidades de acesso para o universo das MPEs. “O diferencial do ambiente que criamos foi colocar diversas instituições financeiras falando para o mesmo público. Muitos dos empresários que participaram do evento não precisam de crédito no momento, mas aproveitaram a oportunidade para iniciar um relacionamento e conhecer as linhas de crédito e financiamento existentes”, assinalou.

O coordenador do evento destacou, ainda, que o crédito é visto como uma oportunidade para a empresa investir em novos negócios e não para cobrir deficiências. A programação do seminário também incluiu a Rodada de Negócios, no qual os empresários tiveram a oportunidade de conversar diretamente com os gerentes, em particular, analisar sua situação especificamente, e até conseguir melhores condições para o empréstimo. “Esse é um diferencial, porque o gestor não tem tempo, em seu dia a dia, para visitar tantos bancos, nem o gerente costuma dar esse atendimento exclusivo”, ressaltou Carreirão.

Para o ano de 2012, estão previstos 18 seminários de crédito em Santa Catarina.

OPORTUNIDADE PARA O FUTURO

O proprietário da ML Móveis de Chapecó, Odirlei Longo, também aproveitou o seminário e as rodadas de negócios para conhecer as opções de crédito adequadas para investimentos futuros. Com foco em móveis sob medida (cozinhas, banheiros, quartos adulto e infantil e salas de estar), a empresa atua há cerca de três anos com vendas diretas ao consumidor. “Nossos produtos são personalizados de acordo com o gosto dos clientes”, destacou.

Rodrigo Frizon é proprietário da Móveis Matté de União do Oeste. A empresa conta com 25 funcionários e produz cerca de 2.500 cadeiras e aproximadamente 150 mesas por mês. “Participei do evento para conhecer as linhas de crédito e avaliar o que se adapta para investimentos na realidade”, realçou.

O seminário contou com o apoio da Associação Comercial e Industrial (ACIC). 

Comente aqui
17 set11:25

Micro e pequenas empresas de SC estão entre as que mais crescem no Brasil

Danilo Duarte | danilo.duarte@diario.com.br

Ser uma pequena ou microempresa em Santa Catarina está se tornando sinônimo de referência de empreendimento com os melhores índices de crescimento no Brasil. A comprovação está no ranking elaborado a partir do estudo “As PMEs que mais crescem no Brasil”, divulgado nesta quinta-feira e que coloca uma empresa do Estado no segundo lugar nacional. SC também tem três das cinco primeiras colocações na Região Sul do país.

As cidades de Timbó, São José e Florianópolis são os endereços de três empreendimentos que colocaram em prática o plano de negócios elaborado e multiplicar sua receita nos últimos três anos entre 371,1% e 11.900%.

De constituição familiar, a construtora Reuter, de Timbó, foi a empresa do Estado a conquistar a melhor colocação, com o segundo lugar nacional. O diretor geral, Edmilson Silva, 55, conta que optar pela construção de imóveis em cidades ao redor de municípios polo foi a estratégia adotada.

O feito foi sair do faturamento de R$ 3,8 milhões, em 2010, para R$ 11 milhões no ano passado. A projeção é fechar 2012 com pelo menos R$ 22 milhões faturados. Seus apartamentos variam entre 70m2 e 300m2 e são oferecidos ao mercado por até R$ 400 mil.

— Focamos no déficit habitacional das cidades da região, que estão crescendo e começando a se verticalizar. O efeito desta expansão é que os terrenos estão ficando mais caros e, junto com eles, o preço para o consumidor construir sozinho seu empreendimento. Oferecemos a opção de entregar tudo pronto e com o máximo de qualidade possível — orgulha-se o empresário, que diz estar surfando na onda do crescimento da construção no Médio Vale do Estado.

Segundo Heloisa Montes, sócia responsável por estratégia para empresas emergentes da Deloitte, a média de crescimento anual das empresas catarinenses é de 30%, semelhante aos 33% da média nacional.

Os setores de construção civil, tecnologia da informação e prestação de serviços, que aqui despontam, também são reflexo da realidade nacional. Quatro das 15 empresas de SC atuam na área de Construção Civil, setor que é o quinto mais presente entre as empresas participantes da pesquisa, com 7,8%, atrás da Tecnologia da Informação (24,3%), comércio varejista e atacadista (1,1%), prestação de serviços (10,5%), e máquinas e equipamentos (9%).


Plano de negócios é fundamental

Desenvolver produtos tecnológicos para melhorar a produtividade no campo, como um GPS que conduz tratores em meio a plantações e controladores que economizam até 20% de adubo ou herbicidas , é o foco da Arvus, empresa fundada por Gustavo Raposo, 30, Bernardo de Castro, 33, e Adriano Correa, 33, há oito anos e que ficou em 5º lugar regional e 18º nacional no ranking. Os três são engenheiros de produção que se conheceram nos corredores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e nos jogos de polo aquático.

Sediada em Florianópolis, em 2008 saíram da incubadora mantida pela Associação Catarinense de Tecnologia (Acate). No mesmo ano traçaram o planejamento financeiro para projetar o crescimento da empresa.

No ano passado o faturamento foi de R$ 5 milhões e a perspectiva é chegar a R$ 12 milhões neste ano e ultrapassar os R$ 20 milhões em 2013. Hoje a empresa possui sete filiais no Brasil e atende clientes nacionais e dos países vizinhos.

— Como expandir o tamanho das fazendas está ficando problemático porque o valor cobrado pela terra está crescendo, o caminho é melhorar a produtividade e é nesta linha de agricultura de precisão que trabalhamos. Queremos crescer e dobrar o tamanho da empresa em 2013 — prospecta Gustavo.

Ter um plano de negócios e definir os rumos da empresa também foi o caminho escolhido pela EQS Engenharia, de São José, e atende a clientes corporativos do Sudeste e Centro-Oeste do país e tem 70% de sua atuação no Sul.

Fernanda Aragão Lopes, 27, é diretora administrativa e financeira da empresa que atua na gestão de infraestrutura e manutenção para clientes corporativos como empresas de telefonia e instituições bancárias.

Ela revela que os rumos atuais começaram a ser traçadas em 2008, com o planejamento das ações, culminou na conquista da ISO 9001, em janeiro deste ano, que certifica a gestão e a qualidade dos serviços prestados. O faturamento, que era de R$ 47 milhões em 2011, deve chegar a R$ 60 milhões neste ano, projeta a empresária.

— Traçar as metas e definir o planejamento da pequena e microempresa é fundamental, pois permite evitar surpresas e dar capacidade para reagir às mudanças do mercado. É o básico, mas que precisa ser bem feito para garantir que a vida da empresa seja longa — avalia Heloísa.


Confira a lista das empresas catarinenses no ranking nacional

Posição  |  Empresa   | Cidade

2º Reuter  -  Timbó

9º EQS Engenharia -  São José

18º Arvus  -  Florianópolis

57º Ogochi  – São Carlos

75º Cianet – Florianópolis

136º Ekotex – Pomerode

142º Copa&Cia -  Blumenau

144º Domínio Sistemas  -  Criciúma

153º Pioneira da Costa -  Florianópolis

156º Vitsolo – Balneário Camboriú

190º Reivax  – Florianópolis

204º Tecnoblu Your Id  – Blumenau

205º Selbetti  – Joinville

224º Teclan  – Florianópolis

231º Farben – Içara


Fonte: Deloitte e Exame PME


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
20 ago16:08

Mercomóveis 2012: pequenas empresas estarão presentes com apoio do Sebrae/SC

Fomentar a inovação, competitividade e o fortalecimento das micro e pequenas empresas são os principais objetivos do Sebrae/SC, que tem presença confirmada na Mercomóveis 2012, a maior feira do setor moveleiro de Santa Catarina, que acontecerá entre os dias 27 e 31 deste mês de agosto, no Parque de Exposições Tancredo Neves, em Chapecó.

A parceria entre o Sebrae/SC e a Mercomóveis oportunizará que 14 micro e pequenos empreendimentos da região apresentem produtos em um espaço de 450 metros quadrados de exposição.

- São pequenas empresas participantes do Projeto de Fortalecimento de Polos Industriais, que terão a oportunidade de expor gratuitamente itens como puffs, camas, portas, aparadores, jogos de sala e materiais de escritório -explica o coordenador do Núcleo da Indústria do Sebrae/SC, Roberto Tavares de Albuquerque.

O programa Nova Economia@SC é uma iniciativa do Governo do Estado e Sebrae, formado por cinco projetos: juro zero (com empréstimos sem juros e acompanhamento especializado para microempreendedores individuais), polos industriais (para o fortalecimento das micro e pequenas empresas em polos setoriais), polos de economia verde (para o uso de resíduos industriais na criação de novas empresas), desenvolvimento territorial (para estímulo ao surgimento de empreendimentos sustentáveis em áreas de menor desenvolvimento humano) e ilumina (para levar internet banda larga a comunidades com menor desenvolvimento humano). De acordo com o coordenador regional do oeste, Enio Alberto Parmeggiani, os investimentos chegam a R$ 70 milhões – R$ 50 milhões do Estado e R$ 20 milhões do Sebrae/SC.

O presidente da Mercomóveis 2012 Nivaldo Lazaron Junior e o presidente das entidades promotoras da feira – Associação e do Sindicato da Indústria Madeireira e Moveleira do Vale do Uruguai (Amoesc/Simovale) – Osni Verona, destacam a importância da parceria para oportunizar às micro e pequenas empresas da região a participação em um dos maiores eventos do setor no País.

- Muitas dessas empresas não teriam condições de expor por conta própria. Na Mercomóveis, poderão apresentar os trabalhos a lojistas de todo Brasil e a mais de 15 países com presenças confirmadas na feira – disse Osni.

Os dirigentes enfatizam que os programas do Sebrae contribuem para fortalecer os setores madeireiro e moveleiro do oeste catarinense, polo que hoje tornou-se referência nacional.

- O setor madeireiro/moveleiro é um dos que mais cresce, gera emprego e movimenta a economia no Estado. Muitas empresas nasceram pequenas e hoje são referências onde atuam. Por isso, o Sebrae investe para que as novas empresas tenham condições de crescer e as que já existem consigam manter-se competitivas e inovadoras – finalizou Parmeggiani.


Sobre a feira

A Mercomóveis 2012 abrirá oficialmente no próximo dia 27 de agosto, segunda-feira, às 14 horas. Com o tema “De olho no novo consumidor”, a 8a edição surpreenderá pelas inovações e será a NOVA melhor da série, considerando a superação de cada edição, quer seja em volume de negócios, número de expositores e de visitantes.

As expectativas apontam para mais de 20 mil visitantes, com volume de negócios estimado em R$ 200 milhões. Cerca de 150 expositores de grande, médio e pequeno porte do setor mostrarão novos conceitos em móveis, arquitetura, design e decoração para os mais variados estilos.


Comente aqui
16 jul16:42

Copérdia está entre as melhores empresas do Brasil

A Revista Exame publicou o ranking das 1000 melhores e maiores empresas do Brasil em 2011 e a Copérdia é destaque em duas categorias. Na categoria “1000 Maiores em Vendas”, a Copérdia está na 871ª posição e na categoria “400 Maiores do Agronegócio”, a Copérdia está na posição 215ª.

Para o presidente da Copérdia, Valdemar Bordignon, o reconhecimento é fruto de um trabalho sério e competente, realizado pelo quadro de colaboradores, Conselhos e associados.

Este ano, no dia 5 de setembro, a Copérdia completa 45 anos. Uma história de conquistas, realizações e transformações foi construída ao longo dessas quatro décadas. – Novos projetos, negócios, expansão e diversificação em atividades, e, a busca constante pelo sucesso fizeram da Copérdia a cooperativa que é hoje – disse Valdemar.


Comente aqui
10 jul18:05

Empresas aéreas iniciam a venda de passagens em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Das cinco empresas que vão operar com voos comerciais no Aeroporto Municipal Serafim Enoss Bertaso em Chapecó, duas já iniciaram a venda de passagens aéreas.

A empresa Avianca abriu a venda de passagens no site da companhia na tarde desta terça-feira, dia 10 de julho. O primeiro voo comercial está marcado para as 6h15, da segunda-feira, dia 16, com saída de Chapecó, escala no aeroporto Internacional Hercílio Luz em Florianópolis e destino ao Aeroporto de Congonhas em São Paulo. Durante o fechamento do aeroporto um dos voos da empresa foi remanejado para a cidade gaúcha de Passo Fundo.

A NHT Linha Aéreas também está vendendo passagens no site para o voo com destino à Curitiba/PR. A aeronave da empresa deve pousar às 13 horas da segunda-feira dia 16 de julho em Chapecó e decolar às 13h37 com destino a capital paranaense.

Já a Gol Linhas Aéreas deve iniciar os voos a partir do dia 23 de julho. A venda das passagens ainda não foi definida no site a compra ainda está indisponível.

Em nota a Trip Linhas Aéreas disse que há intenção de voltar a operar em Chapecó, mas ainda não tem uma data definida para o início da venda de passagens e de voos.

A Azul Linhas Aéreas informou que já enviou o pedido de Horário de Transporte (Hotran) à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e, se aprovado, até o início de agosto de 2012, a empresa vai operar dois voos diários entre a cidade catarinense e o Aeroporto de Viracopos, em Campinas.

Com a publicação oficial do Notam, oficializando PCN-45 (indicador de resistência do piso da pista) pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo, na tarde da terça-feira, a pista do aeroporto pode receber aviões com até 200 passageiros.

O Aeroporto ficou fechado por 75 dias para a reforma completa da pista e foi liberado pela Anac na sexta-feira, dia 6 de julho.


2 comentários
08 mai09:35

Governo reage à unificação do ICMS, mas SC já perde primeiras empresas

Felipe Pereira | felipe.pereira@diario.com.br

As estratégias que o governo do Estado pretende adotar para amenizar as perdas de arrecadação com a unificação da alíquota de ICMS para importados não impedem que as primeiras empresas do setor comecem a deixar Santa Catarina.

Segundo Rogério Marin, presidente da Sinditrade, que reúne as companhias que atuam no comércio exterior, um importador de polímeros e uma de grife de roupas já confirmaram que abandonarão o Estado. E outros podem fazer parte da lista. Mas ele ainda acredita que os esforços do governo estadual podem criar condições de manter os negócios.

A unificação do ICMS em 4%, o que acaba com a guerra fiscal entre os portos, começa a valer em janeiro de 2013. Mas o governo catarinense tem anunciado uma série de medidas para segurar as empresas de comércio exterior no Estado.

Estimativas do Sinditrade apontam que desde 2007, ano de criação do programa de incentivos Pró-Emprego, houve a instalação de 300 empresas de comércio exterior. A transferência delas para outros estados causaria demissão de 18 mil trabalhadores. O problema seria grande em cidade portuárias. São Francisco do Sul, por exemplo, tem 70% de sua atividade econômica ligada ao porto.

Nesta segunda, o governador Raimundo Colombo confirmou que a reação passa por melhorias nos portos e na infraestrutura de acesso para uma movimentação mais rápida e barata das cargas. Segundo ele, as cinco cidades portuárias de SC também se comprometeram em reduzir a alíquota de ISS de 3% para 2%. Até agora, apenas Itajaí confirmou o corte a partir de 2013.

As medidas previstas serão acompanhadas por um grupo de trabalho, criado nesta segunda durante reunião com o governador, secretários, empresários, prefeitos, parlamentares e administradores de portos. Colombo lembra que amanhã se encontra com o presidente do BNDES para tratar do empréstimo de R$ 3 bi, que faz parte da compensação prometida pelo governo federal por causa da queda de arrecadação com a unificação do ICMS. O dinheiro será usado para garantir aporte financeiro das empresas que apostarem em SC.

Coordenadora do grupo de trabalho que vai tentar um acordo para manter as empresas em Santa Catarina, a Secretaria da Fazenda trabalha em diferentes frentes. Estão previstas novas regras tributárias para que o Estado esteja adequado as mudanças determinadas pelo Senado ao aprovar a Resolução 72, que unifica o ICMS dos importados.

— A tendência, no momento, é de as empresas saírem de SC, e estamos trabalhando para abortar este movimento — diz o secretário Nelson Serpa.

Uma mudança é orientar os investimentos para transformar os produtos intermediários dentro de SC.

Além das questões tributárias, a Secretaria da Fazenda segue as palavras de ordem do governo estadual e promete melhorias na infraestrutura, queda no custo de logística e aumento de eficiência nos portos. Também haverá uma linha de crédito bancada por BRDE, Badesc e Banco do Brasil.

Questionado por que estas medidas não foram tomadas antes, Serpa justifica que as propostas estavam sendo encaminhadas, mas concorda que não foram concretizadas na velocidade adequada.



COMPROMISSOS — O que cada envolvido pretende fazer para manter o Estado competitivo


Governo estadual

Melhorias na infraestrutura e no setor portuário. O dinheiro para os investimentos virá de empréstimos que estão sendo acertados com o BNDES.


Itajaí, Navegantes, Imbituba, Itapoá e São Francisco do Sul

Segundo o governo estadual, as prefeituras das cinco cidades portuárias de SC se comprometeram em reduzir o ISS de 3% para 2%.


Terminais portuários

As empresas prometem investir em medidas para se tornarem mais ágeis e em discutir propostas para a flexibilização das tarifas.


Senadores

Os representantes de SC no Senado ficaram de pressionar o Planalto para liberar os empréstimos do BNDES que servem de compensação.


Deputados federais

Prometem cobrar por obras de infraestrutura e, assim como os senadores, pelas compensações anunciadas pelo governo federal.


Grupo de trabalho criado nesta segunda

Vai trabalhar para impedir que as empresas instaladas no Estado e que dependem de importações deixem SC. O encontro de ontem serviu para alinhar as propostas e a ideia é que todos os envolvidos cedam um pouco. A comissão é presidida pela Secretaria da Fazenda e conta com as secretarias de Desenvolvimento, Infraestrutura, representantes dos portos, das cidades portuárias, Fiesc, Fecomércio, sindicato das trades e Associação Brasileira de Comércio Exterior.


Comente aqui
10 abr11:07

Dia Mundial da Saúde

Visando melhoria na qualidade de vida e na saúde dos funcionários empresas realizam atividades de Ginástica na Empresa. Confira alguns exemplos de Chapecó e região que participam.

Se a sua empresa também tem aulas de Ginástica encaminhe uma foto para o email participe@clicrbschapeco.com.br. Não esqueça de colocar o nome da empresa, desde quando praticam e qual a periodicidade das atividades.

>> Acompanhe a programação completa do Evento.

Comente aqui
08 mar10:20

Dois assaltos foram registrados em menos de 24 horas em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Militar de Chapecó registrou dois assaltos em menos de 24 horas em Chapecó. O primeiro foi por volta das 11h da quarta-feira em uma distribuidora de água gaseificada, no bairro Saic. Dois homens armados renderam e amarraram um funcionário. Eles arrombaram o cofre e levaram cerca de R$ 12 mil em dinheiro e R$ 3 mil em cheques.

O segundo assalto foi por volta das 3h da manhã em uma retífica no bairro Passo dos Fortes. Segundo informações quatro homens chegaram ao local armados e arrombaram a empresa. Eles levaram o cofre. Dentro dele estavam cerca de R$ 20 mil em cheques, R$ 3 mil em dinheiro e documentos da empresa.

A polícia continua as buscas pelos assaltantes. Até o final da manhã ninguém havia sido preso.


Comente aqui
13 dez09:17

Revitalização em São Lourenço do Oeste

O Governo Municipal de São Lourenço do Oeste iniciou um projeto de revitalização do espaço público em torno da prefeitura e também do prédio. Inaugurada em dezembro de 1982 desde 2005, o local vem recebendo reformas internas e agora, vai receber uma nova pintura.

-  O prédio todo em concreto aparente foi ao longo dos anos sofrendo os desgastes naturais do tempo necessitando urgente de reparos – disse o prefeito Tomé Francisco Etges.

A antiga calçada está sendo trocada pelo novo modelo adotada em toda a cidade, sendo construída, dentro dos padrões de acessibilidade.

O estacionamento também irá receber nova pavimentação asfáltica, com novo ajardinamento e nova iluminação deixando o local mais seguro e organizado.

A previsão é de que as obras estejam concluídas até o final deste ano.


1 comentário
15 nov16:33

Workshop discute logística das empresas

A Unoesc Chapecó reúne nesta quarta-feira, 16, estudantes, profissionais e empresários para discutir a importância da logística para as empresas. O 3º Workshop de Logística acontece às 19 horas, no Auditório da instituição.

Para palestrar no evento, foram convidados o presidente da Associação dos Moveleiros do Oeste de Santa Catarina (Amoesc) e do Sindicato das Indústrias Madeireiras, Moveleiras e Similares do Vale do Uruguai (Simovale) e diretor da Fiesc, Osni Verona, e o empresário Washington Ramos de Luccas, sócio-administrador da Rotoline Máquinas para Moldagem.

A coordenadora do curso de Tecnologia em Logística da Unoesc Chapecó, professora Inocencia Boita Dalbosco, destaca que o evento permite enriquecer e fomentar conhecimento sobre o tema, além de proporcionar troca de experiência e contatos entre os estudantes, profissionais da área e empresários.

- As empresas não crescem se não tiverem um bom plano logístico, e os nossos acadêmicos podem contribuir de forma significativa no mercado com uma formação de qualidade – disse.

O evento é gratuito e aberto à comunidade externa. Outras informações através do site www.unoesc.edu.br ou pelo telefone 49 3319-2600.


Comente aqui