Energia elétrica

17 ago12:34

Consumidor poderá comprar geladeira e condicionador de ar por até metade do preço em SC

Danilo Duarte | danilo.duarte@diario.com.br

Um dever da Celesc e cobrado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) começa a ser aplicado a partir de agora. Foi lançado nesta sexta-feira o programa Bônus Eficiente, que, na prática, será uma forma da empresa contribuir com a troca de eletrodomésticos que consomem muita energia. As metas são altas: a expectativa é que sejam substituídos 22 mil refrigeradores (geladeiras e freezers) e 13mil condicionadores de ar até dezembro, com desconto de 50% no preço de mercado.

Para que isso ocorra, a metade do preço subsidiada pela Celesc será paga diretamente à uma rede varejista – uma licitação foi aberta também nesta sexta para a escolha da fornecedora.

Os 50% restantes deverão ser negociados pelo consumidor no momento da compra. O objetivo é aumentar a eficiência energética, isto é, a relação entre consumo de energia e eficiência no resfriamento dos eletrodomésticos nas casas catarinenses.

O presidente da Celesc, Antônio Gavazzoni, explicou como será o programa durante a reunião da diretoria da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), quando foi lançado um programa similar voltado ao setor.

— Serão 35 mil consumidores beneficiados, principalmente das classes C e D, e que estejam com média de consumo de energia fora dos padrões, com mais de cinco anos de uso e não possuir o selo Procel – que avalia a eficiência energética. E a rede de varejo que comercializar, deverá recolher o eletrodoméstico e fazer o descarte do produto antigo — detalha.

Quem for beneficiado com o desconto de 50% deve fazer uma doação à uma entidade social escolhida pelo Governo do Estado. Neste primeiro ano, a Federação das APAEs de SC foi a instituição indicada, que deve receber aproxidamente R$ 1 milhão.

A geladeira ou condicionador de ar que está na casa do consumidor passa por uma avaliação de mercado. Se ficar abaixo de R$ 1 mil, o consumidor deve repassar R$ 30; caso fique acima de R$ 1 mil, a doação sobe para R$ 50. Este valor será acrescido no pagamento à credenciada. O consumidor ainda terá que apresentar cinco lâmpadas comuns – do tipo incandescente – para trocar gratuitamente por florescentes.

A previsão de Gavazzoni é que a rede de varejo está definida em até 30 dias e que o programa entre na fase de aquisição dos produtos a partir de outubro e até dezembro. O presidente reconhece que este é uma fase de testes, já que é novidade. No próximo ano, o calendário deve ser divulgado com mais antecendência e incluir um período maior para a compra.


Entenda como funcionará

: ::: O consumidor que se enquadrar nos requisitos do programa, vai até a loja que comercializar o eletroméstico e escolhe o bem que deseja

::: O produto que ele possui em casa passa por uma avaliação conforme uma tabela que analisa itens como consumo, tempo de uso e valor de mercado. Se for avaliado em até R$ 1 mil, deve doar R$ 30; se ficar acima de R$ 1mil a doação passa para R$ 50

::: Os valores doados serão repassados pela rede varejista à entidade

::: Descontado o bônus de 50%, o valor restante deve ser pago à loja, conforme negociação


DIÁRIO CATARINENSE


Comente aqui
21 dez12:16

Melhorias na iluminação pública

A ordem de serviço para o início das obras de extensão da rede de energia elétrica e rede de iluminação pública nas Ruas Prefeito Theodoro Barbieri, Comércio e Avenida Paludo foi assinada nesta semana em Seara. O investimento total será de R$170.306,53, e a empresa vencedora do processo licitatório terá 60 dias de prazo para conclusão dos serviços.

O Secretário Municipal da Administração Ademir Verza, destaca que a extenção vai trazer muitos benefícios para a população searaense. – Com a instalação da iluminação nestes locais, teremos mais segurança, além de facilitar o tráfego de veículos e pedestres e proporcionar embelezamento da cidade e mais segurança aos moradores e aos usuários destes locais – disse.

Nas Ruas Prefeito Theodoro Barbieri e Comércio serão ampliados a rede, já na Avenida Paludo será trocada a iluminação.


Comente aqui
02 ago14:46

Tarifas de energia elétrica da Celesc serão reajustadas em 7,97%

Na prática, consumidor sentirá aumento médio de 1,19% na conta de luz

Foi homologado nesta terça-feira o reajuste de 7,97% nas contas de energia elétrica da Celesc. Na prática, os 2,3 milhões de clientes da concessionária em Santa Catarina terão um aumento de 1,19% na tarifa.

O reajuste ficou abaixo do concedido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 2010, quando o percentual foi de 9,85%. O aumento em 2011, segundo a própria Celesc, foi o menor dos últimos três anos.

De acordo com o presidente da Celesc, Antonio Gavazzoni, o reajuste deste ano foi influenciado pela redução dos custos de compra da energia elétrica, incluindo aí a queda da cotação do dólar, moeda em que é tarifada a energia comprada da usina de Itaipu. “O reajuste poderia ser ainda menor se houvesse maior redução de valores não gerenciáveis pela Celesc”, diz Gavazzoni em nota divulgada pela empresa.

Outro fator que pode ter influenciado nas cifras do reajuste foram as chuvas que atingiram o Estado no começo do ano. Com os reservatórios cheios em Santa Catarina, diminui a necessidade de energia proveniente de termelétricas, mais cara do que a das hidrelétricas.

Os custos com energia elétrica são calculados de acordo com dois itens. O primeiro, ou parcela A, compõe 80% do valor da fatura e é consituído dos custos não gerenciáveis pela Celesc, ou seja, compra e transporte de energia elétrica, encargos setoriais e impostos. O segundo, ou parcela B, contabiliza os custos gerenciáveis, como pessoal, materiais e serviços, remuneração dos investimentos e cota de reintegração regulatória, com margem de comercialização previamente estabelecida e vinculada à eficiência operacional e à prudência dos investimentos.

Todos os anos, a Celesc reavalia suas tarifas no mês de agosto. Em 2011, o reajuste para o consumidor ficará abaixo das variações de IGP-M e IPCA.

DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui