Ensino Médio

17 ago09:39

Novo currículo do Ensino Médio poderá ser inspirado no Enem

Após a divulgação dos resultados insuficientes das escolas de Ensino Médio na última edição do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o Ministério da Educação (MEC) planeja uma modernização do currículo, propondo a integração das diversas disciplinas em grandes áreas.

A inspiração deverá vir do próprio Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que organiza as matrizes curriculares em quatro grandes grupos: linguagens, matemática, ciências humanas e da natureza. Essa é a divisão que segue a prova, ao contrário do modelo tradicional por disciplinas como química, português, matemática e biologia.

O debate não é novo: no ano passado, o Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou as novas diretrizes curriculares do Ensino Médio que propõem uma flexibilização do formato atual. O diagnóstico é que o currículo do Ensino Médio é muito inchado — em média são 13 disciplinas — o que, na avaliação do secretário de Educação Básica do MEC, César Callegari, prejudica a aprendizagem.

— O Enem é uma referência importante, mas não é o currículo, ele avalia o currículo. Mas ele traz novidades que têm sido bem assimiladas pelas escolas — diz o secretário.

De acordo com Callegari, a ideia é propor uma complementação às diretrizes aprovadas pelo CNE, organizando as diferentes disciplinas em grandes áreas.

— O que tem que ficar claro é que não estamos propondo a eliminação de disciplinas, mas a integração articulada dos componentes curriculares do Ensino Médio nas quatro áreas do conhecimento em vez do fracionamento que ocorre hoje — explica.

Na próxima semana, o ministro Aloizio Mercadante se reúne com os secretários de Educação com o objetivo de discutir os caminhos para articular a mudança. Uma providência já foi tomada para induzir essa modernização dos currículos. Segundo Callegari, a próxima compra de livros didáticos para o Ensino Médio dará prioridade a obras que estejam organizadas nesse formato. O edital já está sendo preparado.

O MEC tem um programa que distribui os livros para todas as escolas e a próxima remessa será para o ano letivo de 2015 — as obras são renovadas a cada três anos.

Para o secretário de Educação do Espírito Santo, Klinger Barbosa Alves, uma das explicações para os maus resultados da etapa em diferentes indicadores, além do Ideb, está na própria estrutura organizacional do Ensino Médio que se baseia na preparação para o vestibular e tem pouca atratividade para o projeto de vida do adolescente.

— A visão de que o Ensino Médio serve para formar pessoas para ingressar na universidade não se aplica à realidade de muitos. Os jovens têm necessidades econômicas e sociais diferentes. Existe uma pressão para que parte dos jovens ingresse no mercado de trabalho e aí o curso superior entra como uma segunda possibilidade — explica Alves, que é vice-presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed).

O secretário do Espírito Santo, um dos Estados em que a nota do Ideb caiu de 2009 para 2011, defende um modelo de Ensino Médio que dialogue com as diferentes necessidades dos estudantes e inclua também a preparação para o mundo do trabalho, já que para muitos o ingresso na universidade pode não estar na lista de prioridades.

Para que a escola possa abranger essa formação diversificada — que inclua a aprendizagem dos componentes curriculares, a articulação com o mundo do trabalho e a formação cidadã —, Callegari defende que é indispensável a ampliação do número de horas que o estudante permanece na escola, caminhando para o modelo de tempo integral.

— Temos consciência de que os conteúdos e habilidades que os estudantes precisam desenvolver não cabem mais em um formato estreito de três ou quatro horas de aula por dia. É assim (com ensino em tempo integral) que os países com um bom nível de qualidade do ensino fazem — diz.

AGÊNCIA BRASIL



Comente aqui
20 jun09:45

Prazo para pagamento de taxa de inscrição no Enem se encerra nesta quarta-feira

Termina nesta quarta-feira o prazo para que os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012 paguem a taxa de inscrição de R$ 35. Quem não fizer o pagamento até a data limite não tem a inscrição confirmada. Os candidatos devem imprimir o boleto para o pagamento da taxa no próprio site do Enem e pagá-lo em qualquer agência do Banco do Brasil.

No ano passado, cerca de seis milhões de estudantes se inscreveram no Enem, mas pouco mais de cinco milhões pagaram a taxa e se habilitaram para fazer a prova. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), quase quatro milhões dos 6,4 milhões de inscritos estão isentos do pagamento.

Fazem parte desse grupo os alunos que cursam o último ano do ensino médio em escola pública e os candidatos de baixa renda que tiveram a solicitação de carência aprovada. O Enem será aplicado nos dias 3 e 4 de novembro. A divulgação do gabarito está prevista para 7 de novembro, e o resultado final deve ser divulgado em 28 de dezembro.

A participação no exame também é pré-requisito para quem quer participar de programas de financiamento e de acesso ao ensino superior, como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Ciência sem Fronteiras.


AGÊNCIA BRASIL




Comente aqui
11 jun19:20

Vagas do Sisu já podem ser consultadas

Estudantes que realizaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já podem consultar as 30.548 vagas em universidades públicas que estarão disponíveis por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o segundo semestre de 2012. As inscrições começam no próximo dia 18 e seguem até 22 de junho.

Ao acessar o sistema, o candidato pode escolher duas opções de curso, indicando a sua prioridade. Ao longo do período de inscrições, o aluno pode visualizar a nota de corte preliminar de cada curso e a sua classificação parcial. O participante pode alterar as opções de curso escolhidas previamente se achar que tem mais chances de ser aprovado em outra graduação ou instituição. Cada alteração invalida a inscrição feita anteriormente.

O resultado final será divulgado no dia 25 de junho e os alunos selecionados deverão fazer a matrículas nas instituições de ensino entre 29 de junho e 2 de julho. Está prevista uma segunda chamada para o dia 6 de julho. Quem não for convocado em nenhuma das duas chamadas poderá participar de uma lista de espera que será usada pelas universidades para selecionar os alunos em caso de sobra de vagas.

Ao todo, 56 instituições de ensino superior participam desta edição. O sistema foi criado pelo Ministério da Educação (MEC) para unificar a oferta de vagas em universidades públicas, que são disputadas a partir do Enem. O cronograma completo e a consulta das vagas disponíveis podem ser conferidos no site do Sisu.


AGÊNCIA BRASIL


Comente aqui
28 mai09:02

Inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio começam hoje

Às 10h de hoje começam as inscrições para a edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os candidatos poderão se inscrever apenas pela internet, pelo site www.inep.gov.br, até o dia 15 de junho. O valor da inscrição é R$ 35, que deve ser pago até 20 de junho.

Marcado para os dias 3 e 4 de novembro, o exame deste ano promete novidades. As principais mudanças, anunciadas na semana passada, dizem respeito à correção das provas de redação, que serão reavaliadas em caso de discrepância de notas.

A partir desta edição, o texto que apresentar uma diferença de 200 pontos entre as notas dadas por dois corretores seguirá automaticamente para uma terceira análise. Hoje, para obter essa terceira avaliação, é necessária uma diferença de 300 pontos.

O texto também pode seguir para o terceiro corretor, caso haja diferença de 80 pontos na análise de um ou mais quesitos considerados na definição da nota. A nota final da redação, cujo valor máximo é de mil pontos, é baseada em cinco itens, como domínio da língua escrita e aplicação de conceitos de várias áreas de conhecimento.

Além dessas alterações, o MEC anunciou que os candidatos do Enem terão à disposição um guia de redação, com regras de correção e exemplos de textos considerados modelo. Esse material deverá ser publicado na página do Inep em PDF e em guias impressos para escolas públicas.

Em 2011, mais de 6 milhões de estudantes se inscreveram para participar da prova. Desde 2009, o exame ganhou importância porque passou a ser usado por instituições públicas de ensino superior como critério de seleção em substituição aos vestibulares tradicionais. O Enem também é pré-requisito para quem quer participar de programas de acesso ao ensino superior e de financiamento público, como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e as bolsas de estudo no exterior do Ciência sem Fronteiras.


Serviço

Inscrições: pelo site www.inep.gov.br das 10h de hoje até as 23h59min de 15 de junho, no horário oficial de Brasília

Prova: dias 3 e 4 de novembro de 2012

Prazo do pagamento: 20 de junho

Quanto: R$ 35


Saiba mais

— No primeiro dia, sábado, serão realizadas as provas de ciências humanas e suas tecnologias e ciências da natureza e suas tecnologias, com duração de quatro horas e meia.

— No domingo, os estudantes terão cinco horas e meia para fazer as provas de matemática e suas tecnologias; linguagens, códigos e suas tecnologias e redação.

— O gabarito está previsto para o dia 7 de novembro.

— O resultado final do exame estará disponível para os estudantes no dia 28 de dezembro.

— São isentos da taxa de inscrição alunos de escolas públicas que estejam concluindo o ensino médio em 2012 e aqueles que declararem carência socioeconômica (membros de família de baixa renda) ou estiverem em situação de vulnerabilidade socioeconômica.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui