Escolar

19 jul11:02

Projeto Horta Escolar é realizado em Concórdia

O Projeto Horta Escolar é realizado na Escola Básica Municipal Santa Rita, em Concórdia, desde 2003. Segundo o professor de Educação Física e técnico agrícola, Juliano Pravatto, e responsável pela implantação, o projeto tem ajudado a mudar os hábitos dos alunos e ajudado na disciplina. Os ensinamentos estão sendo aplicados com a criação de hortas nas residências dos estudantes. Estão envolvidos no Projeto alunos dos 3º, 4º e 5º anos.

- A maior motivação de vemos nos alunos é o fato de levarem para ser aplicado em casa os ensinamentos aprendidos no trabalha na horta – disse a diretora da Escola, Marinês Soligo. Ela recomenda que outras escolas, que têm espaço, também deveriam implantar as hortas.

- O dinheiro obtido com a venda é utilizado na compra de ferramentas, adubo, tintas e para aquisição de mudas para o jardim – completou o professor.


Comente aqui
17 mai09:44

Santa Catarina está entre os três estados que menos reprovam

Júlia Antunes Lorenço | julia.antunes@diario.com.br

Santa Catarina é o terceiro Estado com a menor taxa de repetência, no ensino médio — um avanço de sete posições em relação a 2010 quando ocupava o 10º lugar entre os que menos reprovavam nesta etapa de ensino. Os dados foram revelados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) com base no Censo Escolar 2011.

Enquanto em 2010, o índice de reprovação no nível médio era de 10,4%, em 2011 caiu para 7,5%, o que representa 15,7 mil estudantes matriculados. Esta foi a menor taxa alcançada pelo Estado, desde 2007. Os outros estados com as menores taxas de repetição são Amazonas (6%), Ceará (6,7%), Paraíba (7,7%) e Rio Grande do Norte (8%).

No ensino fundamental também houve queda no percentual de repetência. SC passou de 6,1%, para 4,4% — cerca de 33,7 mil crianças. Foi também o menor índice registrado em cinco anos. Na frente do Estado catarinense está Mato Grosso, com 3,6%. Depois aparecem São Paulo (4,9%), Minas Gerais (7,3%) e Goiás (7,6%).

O bom desempenho do Estado não reflete a realidade do país. A média nacional foi de 13,1% de reprovação no ensino médio — pior índice registrado desde 1999. O número de estudantes repetentes, que desde 2007 oscilava em cerca de 12%, acabou sofrendo um leve salto depois de cinco anos.

Os estados com maior índice total de reprovação no ensino médio são Rio Grande do Sul (20,7%), Rio de Janeiro (18,5%) e Distrito Federal (18,5%), Espírito Santo (18,4%) e Mato Grosso (18,2%).

Em 2011, o ensino fundamental teve taxa de reprovação de 9,6%. Os estados com maior índice total de reprovação neste ciclo do ensino básico são Sergipe (19,5%), Bahia e Alagoas (15,2%), Rio Grande do Norte (14,9%) e Rondônia (14,2%).


Mercadante defende estudo mais aprofundado

Nesta quarta-feira, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse, no Rio de Janeiro, que “precisa um estudo mais aprofundado para analisar” o aumento da taxa de reprovação no ensino médio em 2011 em relação aos anos anteriores. O índice, no entanto, é calculado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do próprio Ministério da Educação.

— Oscilações de um ano para outro sempre acontecem. Para avaliar o ensino, a taxa de reprovação é um dos indicadores de fluxo. O outro é a qualidade do aprendizado. Como o ensino médio é predominantemente estadual e nós tivemos mudanças de governo em muitos Estados no ano passado, novos secretários de educação, novas atitudes, novos procedimentos, talvez tenha aí alguma explicação. Mas eu não quero me adiantar antes de um estudo mais aprofundado — disse Mercadante, após participar do 24º Fórum Nacional na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O ministro adiantou alguns pontos do programa Alfabetização na Idade Certa, que deverá ser lançado em junho pelo governo. Será criado um exame nacional para estudantes de sete e oito anos, de todas as escolas públicas do país, para avaliar o seu desempenho em leitura e redação e matemática. A avaliação será nos moldes da Provinha Brasil, atualmente aplicada para crianças no segundo ano de escolarização da rede pública.

— Teremos uma avaliação diagnóstica, para orientação pedagógica, de leitura e redação e primeiras contas, com sete anos. E depois com 8 anos, para sabermos como foi a evolução do programa. E por que sete e oito anos? Porque o primeiro ciclo de formação continuada é entre sete e oito anos para o letramento. Então, as crianças que não estiverem prontas aos sete anos, ainda podem ser trabalhadas para que se viabilizem nesse processo com oito anos de idade. Estamos trabalhando para ter a adesão de todos os municípios e Estados. Vamos respeitar os projetos que já estão em andamento, fortalecer o que já está sendo feito e apoiar o que precisa ser apoiado.


DIÁRIO CATARINENSE



1 comentário
14 mai12:35

Curso incentiva inovações na alimentação escolar de Formosa do Sul

No mês de abril Formosa do Sul sediou um curso para serventes e merendeiras dos seis municípios da SDR: Formosa do Sul, Irati, Quilombo, Jardinópolis, União do Oeste e Santiago do Sul.

As participantes tiveram, além de aulas teóricas e práticas sobre culinária, uma palestra com um fisioterapeuta. No encontro elas aprenderam alguns cuidados com a saúde durante o trabalho e como evitar problemas ocasionados pela má postura ou por movimentos repetitivos.

No curso prático, as participantes aprenderam a aproveitar ao máximo os alimentos típicos da nossa região em pratos saudáveis para a alimentação das crianças.

O curso faz parte do programa da Amosc, o qual procura aperfeiçoar a alimentação escolar nos municípios da região.


Comente aqui
08 mar10:42

Crianças recebem Kit Escolar em Passos Maia

Preocupada com as dificuldades financeiras de algumas famílias, em adquirir os materiais necessários para o estudo dos filhos, e buscando incentivá-los ao aprendizado, a Prefeitura de Passos Maia realizou a entrega de um kit escolar para os alunos que frequentam o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI.

O kit contém: caderno de capa dura, lápis, borracha, apontador, régua, tesoura, cola, lápis de cor, canetinha, destaca texto, fita durex, pacote de papel ofício, pasta para guardar seus trabalhos e plástico para encapar caderno. Os materiais serão utilizados pelos alunos no PETI nas atividades escolares em sala de aula.

- Foi maravilhoso ver o brilho nos olhos de nossas crianças ao ganharem os materiais, pois muitas delas necessitam realmente de nossa ajuda, pois elas precisam desde agora construir seu futuro – disse a secretária de Desenvolvimento Social Vânia Testa Tozzo.


Comente aqui
27 fev15:08

Escolinha nota 10 em Chapecó

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Cadernos, lápis, caneta e borracha num ginásio de esportes ao lado de bolas de futsal. Junto com a volta às aulas iniciaram as atividades da Escolinha Fibraleão, projeto social desenvolvido há 19 anos em Chapecó.

Cada uma das 120 crianças matriculadas recebeu uma sacola com o material escolar para garantir um bom desempenho também na sala de aula. Boas notas na escola é um dos pré-requisitos para conseguir uma vaga no time do professor Ivanir Alba.

–Todos os bimestres é cobrado boletim- disse Alba, que é professor de Educação Física aposentado.

Ele explicou que o objetivo principal do projeto é dar oportunidade à crianças de famílias com renda mais baixa de frequentarem uma escolinha, com foco na formação de cidadãos. –Não importa se a crianças não tem habilidade para o esporte- argumentou.

Com o professore Alba as crianças a partir de seis anos recebem as instruções de fundamentos de passe, chute a gol e deslocamento. Tudo com muita disciplina.

– O professor é exigente e é muito bom o que ele ensina- disse Marli Lemes Cardoso. Seu filho, Edesron Oliveira Cardoso, de 11 anos, e o neto Paulo Souza Bueno, de sete nos, são frequentadores dos treinos, que acontecem duas vezes por semana, no ginásio do 2 Baltalhão de Polícia Militar de Santa Catarina. Desde 2005 o Batalhão oferece a infraestrutura.

Marli disse que o material recebido é uma despesa a menos no orçamento de casa e, se tivesse que pagar mensalidade, não teria condições de manter o filho no futsal. Ela comemora que o filho melhorou o rendimento na escola depois que passou a treinar com o professor Alba, há dois anos. –É legal porque a gente aprende a jogar bola e faz amigos- disse Ederson. Seu amigo Marcos Poerari, de 12 anos, disse que aprendeu “muita coisa” no projeto. E sua meta é ser jogador profissional.

Mesmo não sendo o objetivo principal, a escolinha já revelou jogadores de sucesso, como Carlinhos Moro, que foi campeão Mundial de Futsal em 2008, pela seleção Brasileira. Moro inclusive virou colaborador da escolhinha, com doações de uniformes. Alba disse que o projeto se mantém com o patrocínio de empresas e padrinhos. Ela surgiu em 2009 por iniciativa dos empresários Érico Tormen e Lauro Tormen, que até hoje bancam a maior parte das despesas.

Mas não é só quem se dá bem no esporte que orgulha o professor Alba. Ele cita também alunos que vieram de famílias humildes e conseguiram emprego, casa, carro e família. Quando completam a idade limite da escolinha, 15 anos, os melhores alunos são indicados para as empresas, via Senai e Senac, e são contratados como “Menor Aprendiz”. Cada aluno bem encaminhado é um golaço que causa emoção no professor Alba. Ele ensina as jogadas para as crianças driblarem as dificuldades e assim conquistarem o título de bons cidadãos.


Comente aqui
23 fev14:24

Justiça anula edital da merenda

O edital de concorrência lançado em 2008, que terceirizou a merenda escolar em Santa Catarina, foi anulado ontem pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região. O contrato de R$ 120 milhões foi feito quando o agora senador Paulo Bauer era secretário de Estado da Educação no governo do hoje também senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB). Ainda cabe recurso da anulação no Supremo Tribunal Federal.

Para o relator da ação, o juiz federal João Pedro Gebran Neto, a Secretaria Estadual de Educação violou os “princípios da moralidade e da probidade administrativa”. A decisão foi unânime.

A ação popular foi proposta pelo deputado federal Pedro Uczai (PT). Ele questionava o uso de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar na terceirização da merenda escolar. “A decisão do tribunal, anulando o processo de terceirização da merenda em Santa Catarina, confirma as irregularidades que denunciamos em 2008”, ressaltou.

O senador Paulo Bauer (PSDB) foi procurado ontem para comentar o assunto, mas não foi encontrado. O atual secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, preferiu não comentar a decisão porque, afirmou, não tinha tomado conhecimento dela.

Na época, o Estado previa reduzir o gasto anual com os serviços relacionados à merenda escolar – inclusive os salários das merendeiras – estimado em R$ 80 milhões. A mudança foi gradual: passou a atingir as 1,3 mil escolas estaduais (43 em Joinville) em 2010.

Faz parte dos planos do atual governo acabar com a terceirização da merenda, que começou em 2010. Um grupo de trabalho, com representantes do Estado, Assembleia Legislativa e entidades ligadas à alimentação em SC, foi formado para apresentar propostas.

A ideia é voltar à autogestão, com merendeiras e produtos tradicionais de cada região. Além de reduzir os gastos com a alimentação, essa seria uma maneira de incentivar a agricultura familiar.

A Procuradoria-geral do Estado informou, ontem à noite, que, depois de ter acesso à íntegra do texto, avaliará se cabe recurso ao Supremo Tribunal Federal.


Prefeito processado

O ex-prefeito de Jaraguá do Sul Moacir Bertoldi responde a processo movido pelo Ministério Público Federal por terceirizar a merenda das escolas muncipais em 2005. O contrato está suspenso pela Justiça há três anos.

Comente aqui
09 fev11:54

Nova unidade escolar em São Lourenço do Oeste

A Rede Municipal de Ensino de São Lourenço do Oeste iniciou o ano letivo com uma nova unidade escolar. A Escola de Educação Infantil Monteiro Lobato, construída no Bairro Cruzeiro, abriu suas portas na segunda feira, dia 6. São 130 alunos de dois a cinco anos de idade que frequentam o local.

Construída dentro dos padrões exigidos para atendimento de crianças até cinco anos de idade a obra de 1.118,48 m² foi edificada em local estratégico no bairro com capacidade para atender a atual e futura demanda.

São seis salas de aula, salas de leituras, sala de múltiplo uso, laboratório de informática, refeitório, sala de serviços, sanitários, anfiteatro, playground, secretaria, e demais salas de administração. Foram investidos R$ 1.093.505,62 sendo R$ 941.200,92 oriundos de convênio com Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE e R$ 152.304,70 de recursos próprios.

De acordo com a Secretária Municipal de Educação, Loreci Smaniotto de Oliveira, a nova escola, já deveria ter sido entregue para a comunidade em dezembro de 2010, mas problemas ocorridos com os repasses de recursos do FNDE impediram que ela fosse concluída dentro do prazo previsto.


Comente aqui
18 jan11:50

Comércio de Concórdia começa a sentir os reflexos da Volta às Aulas

O início do Ano Letivo é sempre motivo de expectativa para pais, alunos e comerciantes. Com a volta às aulas, o movimento no comércio aumenta de forma significativa. A procura maior gira em torno dos itens do Material Escolar. Em Concórdia, o comércio começa a sentir os reflexos deste período.

No último final de semana, a maratona de vendas foi aberta na cidade. Mesmo com a chuva que não deu trégua no segundo Sábado D do ano, consumidores foram às lojas para pesquisar preços e efetuar compras. – Nossa intenção é sempre economizar, por isso, estamos aproveitando o horário estendido do comércio para analisarmos os melhores preços e formas de pagamento – comenta a mãe de uma aluna de nove anos, Kelly Sales.

A pequena Júlia Martello está indo para a 4ª Série, antes sair para as compras com a mãe, as duas fizeram um levantamento de todo o material que sobrou no ano anterior, separando o que poderia ser aproveitado ou não. – Compramos caderno, régua e alguns lápis. Andamos bastante antes de efetuarmos as compras – completa a mãe Maiara Martello.

A antecipação na compra dos materiais escolares oferece vantagens aos consumidores. A oferta de produtos é maior. – Os pais preferem comprar antes para garantir aos filhos os artigos mais procurados com estampas de personagens – disse o proprietário de uma livraria da cidade, Gelso Ramos.

A expectativa da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL é de que as vendas se intensifiquem ainda nesta semana, quando a maioria dos concordienses volta das férias. – Comparar os preços sempre foi à melhor estratégia para economizar. Neste caso os lojistas devem atrair não só os pais pelo bolso, mas também os filhos pela diversidade e qualidade nos produtos oferecidos – destaca o presidente da CDL, Leocergio Sarturi.

Mas, esse período que antecede o ano letivo também gera novos empregos. Uma livraria de Concórdia, por exemplo, deve contratar nos próximos dias mais duas funcionárias. Tudo para poder atender a demanda com competência e agilidade.


Comente aqui
17 jan16:22

Material escolar incrementa vendas no comércio de Chapecó

A movimentação de pais com listas de material escolar em estabelecimentos comerciais de Chapecó tem aumentado na última semana. Com menos de 30 dias para o início de mais um ano letivo, as livrarias, papelarias, bazares e supermercados investem na exposição das principais novidades para este ano na linha de material escolar.

Cadernos, canetas, lapiseiras, lápis de cor, estojos, borrachas, apontadores, réguas, fichários, papéis coloridos e mochilas são os itens mais procurados da linha de material escolar. De acordo com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL), Gilberto João Badalotti, a expectativa é de aumento de 9% na comercialização de materiais escolares e 12% na venda de livros.

Os preços variam de acordo com a marca e o diferencial de cada produto como adesivos ou personagens famosos. Conforme levantamento da CDL Chapecó o valor médio das compras com o material escolar pode ser dividido em duas categorias: incluindo a mochila R$ 150 e sem por R$ 60. Além disso, o kit básico sugerido pelo Procon custa R$ 33,60. A lista com maior variedade de produtos refere-se a alunos de pré-escola e educação infantil. Para as séries mais avançadas aumenta a variedade de livros didáticos.

Para este ano as principais novidades são as capas de cadernos com celebridades do futebol como o Neymar. Porém, os personagens tradicionais como “Moranguinho” e “Hot Wheels” ainda são os mais procurados. Entre os adolescentes a marca “Capricho” continua na preferência. “A aquisição de material escolar, independente de marca, trata-se de um investimento para o futuro. Nossa orientação é que o consumidor procure fazer as compras com antecedência para evitar tumultos de última hora”, observa o dirigente.

Badalotti ressalta também a importância de pesquisar antes de comprar o material didático, uniformes e calçados. “O consumidor precisa estar atendo para a variação dos valores. Quem pesquisa garante o menor preço, qualidade do produto e as melhores condições de pagamento”, garante o presidente da CDL Chapecó.


Cenário Econômico

Os empresários do setor de papelaria e livraria estão otimistas para 2012. Entre os fatores que favorecem o cenário econômico estão: a consolidação da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), a vinda de outras instituições de ensino para Chapecó e abertura de novos cursos e vagas nas escolas e instituições existentes no município.

Conforme o dirigente lojista, a maior preocupação e consequente investimento em educação por parte da população favorece o aquecimento do comércio. Os lojistas também apostam na maior diversidade e variedade de opções, produtos que têm como atrativos adesivos, aromas e outros itens que despertam o interesse do consumidor.


Comente aqui
10 jan16:16

Obra de reforma em Unidade Escolar é fiscalizada em Xavantina

O secretário Regional de Seara, Edemilson Canale, acompanhado pelo diretor-geral da SDR, Ademar Petry e o gerente de Infraestrutura, Elias Tumelero, visitaram na tarde desta segunda-feira, dia 09, as obras de reforma e ampliação da Escola de Educação Básica Professor Luiz Sanches Bezerra da Trindade, localizada em Xavantina.

De acordo com o engenheiro e gerente da pasta, Elias Tumelero, tudo transcorre dentro da normalidade. – A um cronograma a ser seguido. A parte da reforma está praticamente concluída e agora inicia-se a parte de ampliação – explica.

O valor total da obra é de R$ 127.434,19. O prazo para execução dos serviços é de 60 dias.


Comente aqui