Escritor

09 dez16:14

Social: Livro ‘Ser um Guerreiro’ do escritor chapecoense Volmir Parizotto é lançado

O escritor chapecoense, Volmir Parizotto, lançou no início do mês de dezembro o livro Ser um Guerreiro. A palestra de lançamento foi na Cantina do Centro Empresarial da ACIC e contou com a presença de cerca de 200 pessoas.

O livro é uma aventura pelo Império Inca, revelando os sete princípios de um guerreiro. A obra procura resgatar os poderes e o potencial latente no interior de cada ser humano.

Na palestra Volmir falou dos sete princípios de um guerreiro: Força de Vontade, Humildade, Foco, Determinação, Ousadia, Comprometimento e Convicção Inabalável, virtudes necessárias para quem quer realizar suas obras e ser um vencedor. Parizotto chamou atenção para a falta de vontade por parte das novas gerações e disse que é preciso despertar no jovem a capacidade de sonhar e batalhar pela concretização de seus projetos de vida.


Comente aqui
18 jun11:05

Social: Abertura Exposição Retratos Literários em Chapecó

Foi aberta na noite deste domingo, dia 17 de junho, na Galeria de Chapecó, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, a 7ª edição dos Retratos Literários, que une literatura com artes visuais. A exposição integra a semana do IX Escritor Chapecoense. A exposição pode ser visitada das 13h às 19h, até o dia 30 de junho. A entrada é gratuita.

Participam da mostra:
Escritor: Leonardo Roani e Artista: Juliano Zanotelli, Escritora: Anair Weirich e Artista: Anelise Sabino, Escritor: Fabio Ramos e Artista: Neli S. Ledra, Escritora: Ingrid Fátima W. Antunes e Artista: Ivandra Matiassi, Escritora: Ladir Vigikoski e Artista: Mari Baldissera, Escritora: Eliane Huning Corona e Artista: Tania Taffarel, Escritor: Evandro Luiz Santin e Artista: Adriana Rodrigues Rosa, Escritor: Dinara Tessari e Artista: Marlowa Pompermayer Marin, Escritor: Inês Roani e Artista: Juçara Valente e Janaína Schvambach.

1 comentário
17 jun15:19

IX Semana do Escritor Chapecoense abre neste domingo

Será aberta neste domingo, dia 17 junho, a partir das 19h30, na Galeria de Chapecó, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, a IX Semana do Escritor Chapecoense e a 7ª Exposição Retratos Literários. A organização é da Fundação Cultural Chapecó, Associação Chapecoense de Escritores (ACHE) e Escritores Independentes.

A IX Semana do Escritor Chapecoense se constitui em um evento alusivo ao dia 17, “Dia do Escritor Chapecoense”. Visa fomentar a área de Literatura, através de estímulo à leitura, intercâmbio cultural e valorização dos escritores locais.

Foi elaborada uma programação variada, contemplando: lançamentos de livros, debates, oficinas, exposições, momentos musicais e literários, para aproximar os leitores e os escritores, ampliando assim o diálogo cultural.

No ato será realizada também a abertura da Exposição Retratos Literários, que chega na 7ª edição.


Programação IX Semana do Escritor Chapecoense


17/06 (DOMINGO) – ABERTURA – MOSTRA LITERÁRIA DA ESCRITA

VII Retratos Literários

Curadora: Janaina Schvambach

Retrospectiva Semana dos Escritores

Horário: 19h30

Local: Galeria de Chapecó – Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes/Chapecó/SC



18/06 (SEGUNDA-FEIRA) – MOSTRA LITERÁRIA DA ESCRITA

Filme: Só dez por cento é mentira – biografia de Manoel de Barros

Horário: 19h

Palestra com Marcelo Marinho e Valdir Prigol – Cinema e Literatura

Hora: 20h30

Local: Sala de Eventos “A” Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes/Chapecó/SC




19/06 (TERÇA-FEIRA) – MOSTRA LITERÁRIA DA ESCRITA

Bate-papo com Escritores

Horário: 10h

Local: Sala “A” Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes/Chapecó/SC



Contação de história – Josiane Geroldi – Conto: “Esticando as canelas”.

Horário: 19h30

Lançamento do livro Guerra, Paixão e Morte, de Afonso Martini.

Horário: 20h

Local: Sala de Eventos “A” Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes/Chapecó/SC




20/06 (QUARTA- FEIRA) – MOSTRA LITERÁRIA DA ESCRITA

Contação de história – Marcelo Wandevaldi – Conto: “Aos pés da cova”.

Horário: 19h30

Lançamento do livro A Formiguinha Contadora de História, de Ladir F. Wigikoski “Branca”

Horário: 20h

Local: Sala de Eventos “A” Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes/Chapecó/SC




21/06 (QUINTA – FEIRA) – MOSTRA LITERÁRIA DA ESCRITA

Oficina de Escrita Literária: A palavra e sua infância

Ministrante: Rubens da Cunha

Duração: 4h

Horário: Das 14h às 18h


Palestra com o escritor Osvaldo Junior Pansera Waczuk – Quais são os passos para ser um autor independente

Lançamento do livro A luz do Sul Poemas e Pensamentos de Amor, de Osvaldo Junior Pansera Waczuk

Horário: 18h30

Local: Sala de Eventos “A” Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes/Chapecó/SC



Lançamento Antologias do poeta Fábio Ramos

Horário: 20h

Local: Sala de Eventos “A” Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes/Chapecó/SC




22/06 (SEXTA- FEIRA) – MOSTRA LITERÁRIA DA ESCRITA

Momento Musical com Maira Francini Fortes e Samair Vargas.

Lançamento do livro Portal do Sol Nascente/Portal do Sol Poente, de Anair Weirich.

Horário:19h30min

Local: Sala de Eventos “A” Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes/Chapecó/SC




23/06 (SÁBADO) – ENCERRAMENTO – ESPAÇO LITERÁRIO COM ESCRITORES LOCAIS E REGIONAIS

Varal Literário – ACHE e escritores independentes

Poesia aos Quatro Ventos – ACHE

Palhaça Barrica e seus Clowns.

Horário: 9h

Local: Calçadão em frente à Biblioteca Neiva Maria Andreatta Costella


Comente aqui
08 set15:15

Escritor de Chapecó na Bienal do Livro

Marco Aurélio Nedel lança a segunda edição da obra: Seringal – O Mundo dos Bravos, na XV Bienal Internacional do Livro no Rio de Janeiro, no sábado, dia 10.

Segundo o autor, que mora em Chapecó há 18 anos, a obra trata de fatos ocorridos no Brasil central, notadamente no norte de Mato Grosso e leste de Rondônia, a partir de 1943.


Sinopse da obra:

Segunda Guerra Mundial. Ano de 1943. O Japão invade o Ceilão e a Malásia, os maiores fornecedores de borracha para os países aliados. Os EEUU necessitam dramaticamente desta matéria-prima. Getúlio Vargas e Roosevelt assinam o acordo de Washington. A produção brasileira que era de 17 toneladas/ano deveria passar, já no ano seguinte, para 45 toneladas. Um contingente adicional de 65.000 homens deveria ser enviado para a Amazônia. A seca do nordeste forneceu o contingente humano necessário. Mas, não só pela Foz do Rio Amazonas teve início a penetração seringueira. Onze empreendedores de Mato Grosso decidem iniciar a ocupação do norte do estado (até então inexplorado). Dentre eles um jovem paulista de 21 anos de idade. Estradas seriam abertas a golpe de machado. Tribos indígenas desconhecidas (duas das quais antropófagas) seriam contatadas pela primeira vez. O inevitável entrechoque cultural. A luta feroz pela ocupação do espaço geográfico. Seringueiros tomando as belas caiabis como esposas. Era o último reduto das três Américas a ser ocupada pelo homem dito civilizado. Segundo alguns, ali foi escrito o último capítulo da história do descobrimento do Brasil. Homens e mulheres partiam de Cuiabá e Diamantino rumo ao norte completamente desconhecido. O sentimento do amor que moveu a humanidade ao longo da sua trajetória também se fez presente nesta grandiosa epopéia. Seringal – O Mundo dos Bravos nos ajuda a conhecer parte deste importante capítulo da nossa história.


Comente aqui