Falso

30 jul16:39

Verdadeiro ou falso: descubra os mitos sobre a alimentação

Existem muitas crenças em torno dos alimentos, mas nem todas são verdadeiras.

Embora algumas acabem até sendo úteis – como a do refrigerante que dá mais celulite do que qualquer outra coisa, sendo o açúcar do refrigerante que dá celulite e não o gás – é preciso que estejamos sempre bem informados sobre o que colocar no prato e quais as opções mais saudáveis.


Confira alguns mitos derrubados com a ajuda do Centro de Recuperação e Estudo da Obesidade.


Mito 1

Manteiga engorda mais que azeite de oliva

O azeite pode ser até mais saudável, pois trata-se de gordura vegetal, e possui diversos componentes que fazem bem para a saúde. Mas o número de calorias é o mesmo, cerca de 40kcal em uma colher de chá. Achou muito? Então, se você está de dieta, é preciso ter cuidado não só com a manteiga, mas também com a quantidade de azeite.


Mito 2

Vitaminas são energéticas

A função das vitaminas é a de oferecer ao corpo substâncias que ajudam em suas defesas. O que dá energia ao organismo são as calorias presentes nas gorduras, nas proteínas e nos carboidratos. Não adianta, portanto, tomar suplementos vitamínicos com esse objetivo.


O mito de que as vitaminas são energéticas provém da ação das vitaminas do complexo B, que desempenham um papel importante nas reações químicas e fazem com que os alimentos liberem energia.


Mito 3

O jejum elimina impurezas e toxinas

Não existe evidência que justifique esta ideia. O corpo humano está desenhado para processar os alimentos, e isto inclui a remoção de toxinas naturais, através dos rins, como a amônia, que é gerada a partir da ruptura das proteínas.

Para a maioria das pessoas, um dia de jejum não é perigoso, mas também não representa um hábito saudável. Mas jejuns prolongados são muito perigosos: produzem desidratação, diminuição da pressão arterial, desintegração dos músculos e órgãos, irregularidade nos batimentos cardíacos. Aliás, pessoas com doenças cardíacas, diabéticas ou com problemas renais jamais devem fazer jejum.


Mito 4

Só se emagrece comendo menos

O emagrecimento é um balanço energético negativo, ou seja, comer menos calorias do que se gasta no dia. Mas não necessariamente comer menos quantidade de comida ou passar fome. Muitas vezes, uma grande restrição, sem orientação, acaba fazendo o efeito contrário.


Mito 5

Algumas pessoas nasceram para ser gordas

É verdade que a herança genética influencia o tamanho e a forma do nosso corpo. Mas isto não significa que a pessoa que herda o gene da obesidade deva ser, necessariamente, gorda. A obesidade não é definitiva como a cor dos olhos ou da pele.


HORA DE SANTA CATARINA



Comente aqui
30 mar16:39

Falso enfermeiro pagou fiança e foi solto em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O falso enfermeiro, preso na noite desta quinta-feira em Chapecó pelo crime de falsificação de documentos, foi solto. Ele pagou fiança no valor de R$ 1.866,00  e foi liberado no meio da tarde desta sexta-feira do Presídio Regional de Chapecó. Agora ele vai responder pelos dois processos em liberdade.

Segundo o delegado da Polícia Federal Oscar Biffi, o inquérito deve ser concluído em até 30 dias e será encaminhado para a Justiça.

A prisão do falso enfermeiro aconteceu após denúncia encaminhada para o Regional de Enfermagem em Santa Catarina – Coren/SC, de que ele atuava com documentação falsa. As investigações iniciaram em dezembro de 2011.

Ele apresentou histórico escolar e diploma de graduação acadêmica de Bacharel em Enfermagem falsos ao Coren/SC, onde solicitou a sua inscrição definitiva como enfermeiro. – Ele usou de forma fraudulenta para conseguir a Carteira de Identidade Funcional de Enfermeiro, expedida pelo Conselho Federal de Enfermagem – disse a presidente do Coren/SC, Felipa Amadigi.

Felipa disse ainda que o falso enfermeiro estava sendo investigado desde dezembro de 2011, após denúncia, pelos crimes de falsificação de documento público e uso de documento falso. Os autos do IPL 031/2012-DPF/XAP/SC, foram instaurados em 13 de fevereiro de 2012.

Na hora da prisão ele estava no Hospital Regional de Chapecó – HRO supervisionando alunos de um curso técnico de Enfermagem. O HRO encaminhou nota dizendo que o falso enfermeiro não possui nenhum vinculo com a unidade de saúde. O hospital mantém convênios com escolas e universidades para estágio das conveniadas. A supervisão é feita por professores das respectivas instituições de ensino.



Comente aqui
30 mar11:43

Falso enfermeiro é preso em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Federal de Chapecó prendeu em flagrante na noite desta quinta-feira, dia 29, um enfermeiro que atuava como documentação falsa. Na hora da prisão ele estava no Hospital Regional de Chapecó supervisionando alunos de um curso técnico de Enfermagem. Uma enfermeira fiscal do Conselho Regional de Enfermagem em Santa Catarina – Coren/SC acompanhou os policiais.

Ao ser questionado, o homem afirmou que era enfermeiro. Ele apresentou a Carteira de Identidade Funcional e confirmou que estava supervisionando alunos de uma escola particular de Chapecó. Ao assumir o fato os policiais deram voz de prisão em flagrante ao homem pelo crime de uso de documento falso. Ele foi conduzido para a Delegacia de Polícia Federal em Chapecó.

Ele apresentou histórico escolar e diploma de graduação acadêmica de Bacharel em Enfermagem falsos ao Coren/SC, onde solicitou a sua inscrição definitiva como enfermeiro. – Ele usou de forma fraudulenta para conseguir a Carteira de Identidade Funcional de Enfermeiro, expedida pelo Conselho Federal de Enfermagem – disse a presidente do Coren/SC Felipa Amadigi.

Felipa disse ainda que o falso enfermeiro estava sendo investigado desde dezembro de 2011, após denúncia, pelos crimes de falsificação de documento público e uso de documento falso. Os autos do IPL 031/2012-DPF/XAP/SC, foram instaurados em 13 de fevereiro de 2012.

Segundo o delegado da Polícia Federal Paulo Palma, as penas pelos crimes variam de dois a seis anos de reclusão, além de multa.

O preso foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó.


Comente aqui