Figueirense

27 mar09:06

José Acácio da Rocha entende que lance da fratura de Héber foi uma fatalidade

Jean Balbinotti | jean.balbinotti@diario.com.br

O arbitro de três finais do Campeonato Catarinense, José Acácio da Rocha conversou, com a reportagem do Diário Catarinense e disse estar muito tranquilo, sem receio de sofrer qualquer tipo de punição depois da conturbada partida entre Figueirense e Chapecoense, no último domingo, em que apitou.

Em um lance aos 5 minutos de partida, o zagueiro Souza, do time visitante, deu um carrinho que acabou, na sequência da jogada, originando na fratura da perna esquerda do atacante Héber, do Figueirense. José Acácio da Rocha não marcou falta e tão pouco aplicou algum cartão para o defensor.


Diário Catarinense —Por que o senhor não deu falta no lance nem puniu o zagueiro Souza no lance que causou a fratura na perna do atacante Héber?

José Acácio da Rocha — Eu não marquei nada porque não vi nenhuma irregularidade. O que eu vi foi o zagueiro da Chapecoense atingindo a bola e depois pegando a perna do jogador do Figueirense. Foi uma fatalidade. Se ele (Héber) não tivesse quebrado a perna, o lance seria considerado normal.


DC — Na posição que o senhor estava no campo não foi possível ver a gravidade do lance?

José Acácio — Eu estava a uns 15 metros de distância deles e, repito, o que vi foi o zagueiro Souza acertando a bola primeiro. Depois, analisando o lance com mais calma pela televisão, em casa, entendi que ele (Souza) usou força excessiva e poderia ter levado o cartão amarelo. Mas, no momento em que tudo aconteceu, não tive muito tempo para tomar a decisão.


DC — Por causa disso, o senhor acha que a partida acabou ficando violenta?

José Acácio — Sem dúvida, a partida ficou mais difícil para apitar. Os jogadores passaram a entrar de forma mais dura nas jogadas e precisei distribuir cartões para os dois lados.

DC — O técnico da Chapecoense, Itamar Schulle, disse que na última quarta-feira, um dia antes do sorteio na FCF, o senhor já sabia que seria o árbitro da partida. Isso é verdade?

José Acácio — Não é verdade. Não sei de onde saiu isso. Não dei entrevista pra ninguém e os sorteios são feitos ao vivo, pela internet. Se tivesse alguma armação, todo mundo estaria vendo. Isso não tem fundamento.


DC _ Por causa das confusões, o senhor teme algum tipo de punição e ser afastado do restante do campeonato?

José Acácio _ Estou tranquilo. Já conversei com a Comissão de Arbitragem da FCF e eles me deram total apoio. Acho que estão falando muitas coisas por causa da lesão do jogador. Não acho que serei punido.


DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
26 mar09:14

Chapecoense perde fora de casa

O Figueirense venceu a Chapecoense pelo placar de 3 a 0, dentro de casa. Com jogo equilibrado, equipe alvinegra levou a melhor.

Chapecoense pressiona

Um jogo extremamente disputado. Esse foi o retrato da primeira etapa da partida entre o Figueirense e a Chapecoense no Orlando Scarpelli,neste domingo, 25, pela 5ª rodada do Campeonato Catarinense. Tanto a equipe alvinegra, quanto a equipe do Oeste, marcaram muito a saída de bola, deixando o jogo com pouca fluidez.

Aos 7 minutos de jogo, o primeiro de muitos lances polêmicos com os quais o árbitro José Acácio da Rocha teve de lidar. O zagueiro Souza, da Chapecoense entra de maneira perigosa no atacante Héber, lesionando o atleta e tirando Héber da partida. José Acácio da Rocha não dá cartão.

Alguns lances depois, aos doze minutos, Júlio César cai na zaga do Verdão, e aí José Acácio da Rocha marca pênalti. O próprio atacante cobra e abre o placar para a equipe da casa. O placar de 1 a 0 para a equipe alvinegra foi mantido até o fim da etapa.

Mesmo tendo levado um gol, a Chapecoense não aliviou. A equipe continuou marcando a saída de bola e tentando criar oportunidades de gol com a mesma vontade. O time do Figueirense, por sua vez, não deixou por menos. Com bastante toque de bola, a equipe alvinegra também tenta criar oportunidades.

Foi este jogo equilibrado que o árbitro José Acácio teve que gerenciar. E foi uma chuva de cartões. Só no lado do alvinegro, Roni, Túlio, Pablo e o goleiro Wilson receberam amarelo. Do lado do Verdão, Diogo Roque recebe um amarelo e Wanderson recebe um cartão vermelho, desfalcando a equipe da Chapecoense.

Mesmo com um a menos, a equipe da Chapecoense não enfraquece no resto da primeira etapa. Duas jogadas perigosas ganham destaque nesta primeira etapa. A primeira, uma cobrança de falta de Doriva, perigosa para Nivaldo, que espalma para escanteio. A segunda, da Chapecoense: Eliomar recebe de Athos e chuta forte a gol, com uma bela defesa de Wilson. E o jogo finalizou equilibrado, ainda que a equipe alvinegra tenha terminado a etapa com um gol de vantagem.


Figueirense reestabelece

Na segunda etapa, com o jogo relativamente mais calmo, a equipe do Figueirense se reestabelece no jogo, em relação à ofensiva Chapecoense. O time do Oeste continua marcando e atacando bastante, deixando poucas brechas para o Figueirense, que buscou jogadas pelo meio-campo.

Logo aos 12 minutos, Botti derruba o meia Athos. O juiz José Acácio da Rocha não deu cartão para o jogador Alvinegro – o árbitro foi mais cuidadoso ao longo da segunda etapa.

Com o desenrolar da partida, a Chapecoense aposta em uma substituição. Sai o meia Athos, entra Leandrinho em seu lugar. Logo depois, no lado Alvinegro, sai o meia Botti e entra em seu lugar Luiz Fernando. Lances depois de entrar, o jogador marca para o Figueirense e amplia o placar no Scarpelli para 2 a 0 para a equipe do Figueirense. Com o placar ampliado, o Figueirense passa a dominar mais a bola e criar mais oportunidades no meio-campo. A Chapecoense por sua vez, não aliviou e continuou marcando forte.

Entretanto, mesmo com uma Chapecoense atuante, o Figueirense começa a aparecer mais na segunda etapa do jogo. No lado do Verdão, sai Diogo Roque e entra Gustavo. Do lado do Figueirense, sai Willian Potkker, que havia entrado para substituir Héber, e entra Jean Deretti.

Pressionando a Chapecoense, que jogava com um a menos, o Figueirense consegue liquidar a partida aos 40 minutos, com um gol do lateral Guilherme Santos, que marcou após um bate-rebate na zaga do Verdão. Foi com este resultado, de 3 a 0, que o Figueirense somou mais três pontos, chegando a 13 no returno, assumindo a liderança do campeonato Catarinense e mantendo o melhor ataque da competição, com média de três gols por partida.


Ficha técnica

Figueirense (3)

Escalação: Wilson; Pablo, Canuto, João Paulo Goiano, Guilherme Santos; Túlio, Doriva, Botti (Luiz Fernando), Roni; Héber (Willian Potkker) (Jean Deretti) e Júlio Cesar.

Técnico: Branco


Chapecoense (0)

Nivaldo; Diogo Roque (Gustavo), Leonardo, Souza e Esquerdinha; Diego Teles, Wanderson, Athos (Leandrinho) e Neném; Eliomar e João Paulo (Jean Carlos).

Técnico: Itamar Schulle


Arbitragem: José Acácio da Rocha, auxiliado por Rosnei Hoffmann Scherer e Eder Alexandre

Gols: Júlio César, aos 12 minutos do primeiro tempo; Luiz Fernando aos 26 minutos do segundo tempo e Guillherme Santos, aos 41 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos: Wilson (Fig), Roni (Fig), Túlio (Fig), Botti (Fig), Pablo (Fig), Diogo Roque (Cha), Leonardo (Cha)

Expulsão: Wanderson (Cha)

Renda: R$ 94,210

Público: 8.772



CAUÊ MARQUES

Comente aqui
24 mar16:00

Figueirense x Chapecoense

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Para enfrentar o melhor ataque da competição neste domingo, fora de casa, a Chapecoense conta com a melhor defesa, ao lado do Avaí, com 14 gols sofridos. Mesmo com os desfalques de Fabiano, suspenso, e Dema, poupado, o time do Oeste conta com o “xerifão” Souza.

O jogador de 30 anos é o capitão do time devido à sua liderança no grupo. Ele apoiou o atacante João Paulo quando perdeu um gol. Também tem sido seguro na defesa. E não é só isso. O jogador é o vice-artilheiro do time na temporada, com quatro gols.

Na quarta-feira, ele foi decisivo na classificação da Chapecoense para a segunda fase da Copa do Brasil, ao marcar dois gols na vitória por 3 a 1 diante do São Mateus. Ele também havia marcado um na vitória por 2 a 1 diante do Marcílio Dias, em Itajaí. E outro no empate por 2 a 2 contra o Atlético, em Ibirama.

Souza disse que nunca tinha marcado tantos gols. –A bola tem se preparado para mim- brincou o zagueiro. Ele também atribui a boa fase do setor defensivo ao empenho de todo o time na marcação, desde o ataque e o meio. –O Neném tem sido espetacular taticamente- revelou.

Natural de Alagoas, Souza foi vice-campeão Catarinense em 2003 e, em 2010, ajudou o Figueirense a conquistar a vaga para a Série “C” do Campeonato Brasileiro. –Naquele ano tivemos a melhor defesa do campeonato- lembrou.

Souza disse que o segredo para ir bem em Florianópolis é respeitar o time do Figueirense, por ser um time de Série “A”. Aliás, a Chapecoense é o único time que derrotou o alvinegro no campeonato, aplicando 3 a 1 no primeiro turno, no Índio Condá.

O time do Oeste deve ter uma novidade para o confronto. O meia Athos, que estava no Juventude, deve fazer sua estreia. –Estou à disposição- afirmou o jogador, que foi campeão catarinense em 2005, pelo Criciúma. O técnico Itamar Schulle reconhece que o adversário é difícil mas pretende manter a boa marcação da equipe e buscar a vitória. Para isso conta com a boa fase de Souza.


Duelo com gostinho de revanche

Apesar de o técnico Branco descartar o clima de revanche na partida deste domingo, contra a Chapecoense, às 18h30, no Orlando Scarpelli, para o torcedor, o duelo tem, sim, um jeito de revanche. Foi para a equipe do Oeste, na quinta rodada, que a equipe de Branco perdeu a invencibilidade e quase ficou fora da disputa pelo título. A partir daquele jogo, tudo mudou. O time engatou quatro vitórias seguidas e sagrou-se campeão do turno.

- A Chapecoense é uma equipe forte, sempre foi. Está passando por uma boa fase, vem com moral por causa da classificação para a segunda fase da Copa do Brasil, então, não podemos relaxar. Não existe revanche pela partida do turno, só precisamos nos concentrar -afirmou o treinador, que pode poupar o atacante Aloisio neste confronto.

No time do Oeste, o técnico Itamar Schulle aposta na melhor defesa do campeonato, ao lado do Avaí, com 14 gols sofridos, para segurar o melhor ataque, o do Figueirense, que já fez 41 gols. Mesmo com os desfalques dos zagueiros Fabiano, suspenso, e Dema, poupado, o time do Oeste conta com o “xerifão” Souza, que ajudou a Chapecoense a conquistar a vaga para a Série C do Brasileiro, em 2010.



MINUTO A MINUTO



FICHA TÉCNICA

FIGUEIRENSE

Wilson; Pablo, Canuto, João Paulo Goiano, Guilherme Santos; Túlio, Doriva, Botti, Roni; Aloisio e Julio Cesar.

Técnico: Branco


CHAPECOENSE

Nivaldo; Diogo Roque, Leonardo, Souza, Esquerdinha; Diego Teles, Wanderson, Eliomar, Neném; Leandrinho e João Paulo.

Técnico: Itamar Schulle


Arbitragem: José Acácio da Rocha, auxiliado por Rosnei Hoffmann Scherer e Eder Alexandre

Horário: 18h30

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Comente aqui
24 mar08:06

Chapecoense enfrenta o Figueirense neste domingo

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Ontem pela manhã o técnico Itamar Schulle fez um coletivo onde encaminhou o time que enfrenta amanhã o Figueirense, no Orlando Scarpelli.

O time deve ter quatro mudanças em relação ao que venceu o São Mateus. O zagueiro Fabiano e o lateral esquerdo William estão suspensos. O zagueiro Dema, com um desconforto muscular na coxa direita, foi poupado. A quarta mudança é a saída do lateral Grillo, para a entrada de Diogo Roque.

Nesta sexta-feira foi apresentado o lateral direito Rafael Mineiro.

Comente aqui
22 mar12:30

Chapecoense treina às 15h na Arena Condá

Depois da manhã de folga os jogadores do Verdão, que garantiram a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil, treinam durante a tarde. Os trabalhos estão marcados para às 15h na Arena Condá.

Itamar Schulle prepara a equipe para o jogo de domingo, dia 25, contra o Figueirense pelo Campeonato Catarinense.

Athos, que será apresentado nesta tarde, pode ser mais uma opção para o técnico.

A equipe viaja na tarde desta sexta-feira de ônibus para Florianópolis.

Comente aqui
19 mar15:53

Figueirense x Chapecoense será no domingo dia 25

O próximo compromisso da Chapecoense no Campeonato Catarinense é no domingo, dia 25. O Verdão enfrenta o Figueirense, às 18h30 no Orlando Scarpelli.

A alteração do horário foi confirmada na tarde desta segunda-feira no site da Federação Catarinense de Futebol.

Comente aqui
06 fev09:18

Chapecoense vence Figueira e segue os 100%

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Quem vai segurar a Chapecoense em 2012? Não apareceu um candidato à altura ainda. O time do Oeste bateu o Figueirense por 3 a 1, chegou a 15 pontos em cinco jogos e manteve os 100% de aproveitamento no Campeonato Catarinense neste domingo. Com esse desempenho a equipe de Gilberto Pereira mantém a liderança, três pontos á frente do Avaí.

E a vitória praticamente foi definida nos 16 minutos iniciais, pela atuação de um jogador que vinha sendo contestado e até teve um atrito com um radialista na saída do jogo do Marcílio Dias, empurrando o microfone. O atacante João Paulo tinha passado em branco nos quatro jogos anteriores. Na sexta-feira ele pediu desculpas pelo ato. E ele fez as pazes com a torcida.

Aos 13 minutos a defesa do Figueirense saiu jogando errado. João Paulo recebeu dentro da área e tocou na saída de Wilson. Depois disso ele fez uma dancinha e recebeu o cumprimento dos companheiros.

Três minutos depois ele justificou a falta de modéstia. Na cobrança de falta, a zaga afastou mal. João Paulo tocou de cabeça para Tiago Cavalcanti completar para o gol e assinalar os 2 a 0.

A partir daí o Figueirense tentou descontar mas a pontaria dos jogadores alvinegros não era das melhores. Hélder e Luiz Fernando arriscaram de longe e a bola foi mais longe ainda. O goleador Aloísio até que tentou, mas era parado ora por Fabiano, ora por Souza, ora por Leonardo.

No início do segundo tempo, o técnico do Figueirense, Branco, colocou Roni e Franco Niell, tornando o time mais ofensivo. E em 11 minutos, Roni justificou a entrada, fazendo seu gol logo na estreia. Além de sofrer o gol a Chapecoense perdeu João Paulo, que sentiu cansaço. A Chapecoense se encolheu e o jogo foi dominado pelo Figueirense, que rondava a área mas não conseguia concluir.

Aloísio teve a chance de empatar aos 42 minutos do segundo tempo, mas cabeceou por cima. E a torcida da Chapecoense que gritou “Uh, é Aloísio” no início da partida em agradecimento aos gols do ano passado, repetiu o coro desta vez pelo gol que ele não fez.

Num contra-ataque, já nos descontos, Esquerdinha ampliou para 3 a 1. João Paulo, que não deu entrevistas no intervalo.

— Hoje estou feliz — disse o jogador, que justificou que nas partidas anteriores não fez gol mas teve participação tática importante.

O gol foi para o filho João Lucas, que nasceu no dia 2 de dezembro. Foi o primeiro que a torcida viu. Mas certamente não será o último que João Lucas vai presenciar.


Ficha técnica

CHAPECOENSE ( 3 )

Nivaldo; Fabiano, Leonardo, Souza; Gilberto Matuto, Diogo Roque (Marcos Alexandre), Diego Teles, Neném, Esquerdinha; João Paulo (Nicolas) e Tiago Cavalcanti (Marcelinho)

Técnico: Gilberto Pereira


FIGUEIRENSE ( 1 )

Wilson; Pablo (Franco Niell), João Paulo, Fred, Hélder; Ygor, Túlio (Leo), Doriva, Luiz Fernando (Roni); Aloísio e Júlio César.

Técnico: Branco


Gols: João Paulo (C), aos 13 minutos do primeiro tempo e Tiago Cavalcanti (C), aos 16 minutos do primeiro tempo. Roni (F), aos 11 minutos do segundo tempo e Esquerdinha (C), aos 47 do segundo tempo.

Arbitragem: Rodrigo D’Alonso Ferreira, auxiliado por Kleber Lucio Gil e Rosinei Hoffmann Scherer.

Cartões amarelos: Túlio e Doriva (F), Souza e Gilberto Matuto (C)

Local: Estádio Índio Condá.


Comente aqui
02 fev19:45

Ingressos para Chapecoense x Figueirense estão à venda

Estão à venda os ingressos para Chapecoense x Figueirense. O jogo será às 17h, do domingo, dia 05, na Arena Condá em Chapecó.


Valores

R$ 15 – estudantes, Aposentados e Crianças de 8 a 12 anos

R$ 30 – geral

R$ 40 – social

R$ 60 – cadeiras


Pontos de Venda

Palácio dos Esportes, Maidana Esportes e Posto de Marco.

No sábado, dia 4, será montada uma barraca em frente à Cansian, na Avenida Getúlio Vargas, para a comercialização dos ingressos. Ficará aberta das 8h30 às 17h.


Comente aqui
03 nov12:00

Definição sobre Neílson

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A situação do atacante Neílson ainda não foi definida. O atleta que brilhou na competição em 2011 na Chapecoense recebeu propostas de outros times do estado, um deles o Figueirense.

- Meu empresário teve sim conversas com dirigentes do Figueirense, mas nada foi acertado. Tudo vai depender ser for realmente interessante – disse Neílson.

Os diretores de futebol da Chapecoense já demonstraram interesse na permanência do atacante para a temporada 2012. Porém, nada foi definido com o alteta.

Comente aqui