Frango

24 ago11:40

Coq au vin, acompanhado de arroz e batata na manteiga

Sâmia Frantz | samia.frantz@horasc.com.br

O frango é a cara do Oeste. O vinho que é a cara do inverno. Nas mãos do chef Felipe Oliveira Carioni, os dois se misturam em uma receita adaptada da típica cozinha francesa, o Coq au vin (galo ao vinho, em francês). O prato, diferenciado na região turística chamada de Grande Oeste, já se consagrou no cardápio do mais novo restaurante de Chapecó, o Du Sel _ inaugurado no início de julho e em funcionamento nas dependências do Almasty Hotel.

A receita de fora foi adaptada com ingredientes locais, como os legumes e alguns temperos. Segundo o chef Felipe, o segredo é por a carne e o vinho para marinarem junto com os legumes e os temperos por dois dias _ período que garante a mistura e a integração de sabores e aromas.


Coq au vin _ galo ao vinho tinto, acompanhado de arroz e batata na manteiga


Ingredientes

1 galo de aproximadamente 2,5 kg

4 cebolas cortadas em cubos

4 cenouras cortadas em cubos

3 litros de vinho tinto seco

1 talo de salsão cortado em cubos

1 bouquet garni amarrado com um barbante, contendo 1 folha de salsão, 1 dente de alho, 2 folhas de louro, 2 ramos de tomilho e 2 ramos de salsa crespa

1/2 xícara de chá de óleo vegetal de girassol

1/2 xícara de chá de conhaque

60g de farinha de trigo

1 litro de fundo de carne (ou caldo em cubos) diluído em água

200g de bacon magro

500g de champignon

30g de manteiga

30g de açúcar

Sal e pimenta do reino a gosto

1 kg de batatas


Modo de preparo

Corte o galo em pedaços pequenos e deixe-o marinar com as cenouras, o salsão, o vinho, o bouquet garni e o caldo de carne por 48h.

No dia do preparo, separe a carne e coe o caldo.

Tempere os pedaços do galo com sal e pimenta.

Em uma caçarola, aqueça parte do óleo vegetal e refogue a cenoura, a cebola e o salsão da marinada em fogo baixo.

Enquanto isso, disponha em uma frigideira o restante do óleo vegetal e doure os pedaços de galo de ambos os lados. Depois, polvilhe-os com um pouco da farinha.

Em seguida, acrescente o conhaque e flambe. Na caçarola, junto aos legumes, coloque a carne e o bouquet garni.

Cubra com o vinho e o caldo (ou fundo da carne) e cozinhe lentamente por aproximadamente uma hora e meia, ou até que a carne fique macia, e o molho, bem encorpado.

Enquanto isso, doure e bacon e reserve.

Em uma pequena frigideira, derreta o açúcar com a manteiga e caramelize as cebolas.

Junte-os com o bacon e reserve.

Em outra frigideira, doure os champignons com um pouco de manteiga e uma pitada de sal e também reserve.

Quando a carne estiver pronta, coe o molho para finalizar e retire o bouquet garni.

Coloque os pedaços de galo no centro de uma travessa e cubra com o molho e os champignons. Ao lado, ficam as cebolas caramelizadas.

Cozinhe batatas na água e sal e sirva junto ao prato.


Indicação do chef

Para harmonizar com o prato, o chef Felipe Oliveira Carioni indica dois vinhos, ambos do tipo tinto seco: o francês Château Parcand, da safra 2008, e o italiano Borgonero, da safra 2009. Fortes e refinados, ambos intensificam o sabor da carne, marcada pela suavidade.



Comente aqui
19 ago19:15

Avicultor solta os frangos por falta de ração

Darci Debona/darci.debona@diario.com.br

Os cerca de 250 integrados da Diplomata na região Oeste, ligados à unidade de Xaxim, que abate 220 mil aves por dia, estão convivendo nos últimos meses com constantes atrasos no pagamento e na entrega de ração.


Sirli Freitas/Agencia RBS


Um destes integrados, Érico Gustavo Didong, de Chapecó, resolveu abrir as portas do aviário e soltar os frangos para que estes buscassem algo para matar a fome. –Eles comem até pedrinhas- informou.

Ele está fazendo isso há cerca de três semanas, quase que diariamente. No sábado ele recebeu cinco mil quilos de ração. Desde quarta-feira os frangos não se alimentavam. Como o volume era suficiente para apenas um dia e meio, ele serviu os animais apenas pela manhã. Mesmo assim a ração termina na manhã de hoje.

Os frangos, que deveriam esta pesando cerca de 3,5 quilos, pois já estão com 58 dias, pesam em torno de 2,5 quilos.

Além disso o agricultor recebeu o último pagamento há cerca de sete meses. Os dois últimos lotes de 14 mil frangos, estão pendentes. –Tenho cerca de R$ 7 mil para receber- calcula. E agora deve entregar o terceiro lote. Para se manter, o agricultor conta com uma aposentadoria.

Na semana passada alguns funcionários chegaram a paralisar parcialmente a unidade de Xaxim, por atraso no pagamento, que depois foi normalizado.

A assessoria de imprensa da Diplomata confirmou que a empresa está com dificuldades financeiras e até encaminhou ao Fórum de Cascavel um pedido de Recuperação Judicial, para renegociar com os credores.

Comente aqui
01 mai13:15

Arroz de forno com frango e banana

Ingredientes:


Para o arroz:

- 1 colher (sopa) de óleo de milho (10 ml)

- 1 dente de alho picado

-2 xícaras (chá) de arroz (340 g )

- sal a gosto

- 3 ovos cozidos picados

- 5 ramos de salsa picados

- 5 talos de cebolinha fatiados


Para o frango:

- 2 colheres (sopa) de óleo de milho

- 1 kg de sobrecoxas de frango

- sal a gosto

- pimenta-do-reino moída na hora

- 2 dentes de alho picados

- 1 cebola grande (180g)

- 3 tomates picados (350g)

- 1/2 pimentão vermelho cortado em cubos

-1 folha de louro

- 2 ramos de tomilho fresco

-1 ramo de alecrim fresco

- 1 lata de ervilha (225g)


Para as bananas e montagem:

- 2 colheres (sopa) de manteiga (28 g)

- 6 bananas dágua (banana da terra)

- 300g de queijo meia cura ralado


Modo de Preparo:

Aqueça o óleo em uma panela e doure o alho, acrescente o arroz e refogue rapidamente,adicione 4 xícaras (chá) de água, (800 ml) o sal e cozinhe o arroz em fogo baixo com a panela semi tampada. Depois de 10 minutos, solte os grãos com auxílio de um garfo,junte os ovos, salsa e a cebolinha.Reserve.

Em uma panela grande, aqueça o óleo e doure as sebrecoxas previamente temperadas com sal e pimenta, junte o alho e doure também, faça o mesmo com a cebola, o tomate e o pimentão; acrescente o louro, o tomilho e o alecrim, junte cerca de 1 litro de água e cozinhe em fogo baixo por 40 minutos, deixando restar 1/3 do caldo do cozimento. Reseve. Quando estiver frio, despreze as peles e desfie o frango. Coe o caldo restante e junte ao frango desfiado

Para as bananas: corte-as em fatias no sentido do comprimento (cerca de 4 fatias) e frite-as na manteiga. Reserve.


Montagem:

Em um refratario fundo (26cm x 22cm), disponha camadas com metade do arroz, sobre ele metade do frango com o molho, metade do queijo e metade das bananas grelhadas; repita o processo finalizando com o queijo. leve ao forno médio previmente aquecido por cerca de 25 minutos. Sirva em seguida.


* O Diário Catarinense não testou essa receita

Comente aqui
12 fev14:11

Exportações catarinenses feitas em janeiro registram alta de 15,6%

Alessandra Ogeda  | alessandra.ogeda@diario.com.br

Décimo estado em exportações no país, Santa Catarina começou o ano aumentando o volume de mercadorias vendidas no exterior. As exportações catarinenses em janeiro somaram US$ 610 milhões, um crescimento de 15,6% em relação ao primeiro mês de 2010.

O aumento no volume de exportações de SC foi maior do que o resultado registrado pelo Brasil, que elevou em 6% as vendas de mercadorias e matérias-primas para o exterior.

Mas de acordo com a Federação das Indústrias de SC (Fiesc), que divulgou os dados sexta-feira, mesmo com o resultado positivo, a balança comercial do Estado continua negativa. As importações em janeiro somaram US$ 1,23 bilhão, uma alta de 18,2% em relação a 2010, o que deixa a balança desfavorável em US$ 623,8 milhões.

As exportações de carne de frango continuam liderando a pauta do Estado, com embarques que somaram US$ 184,4 milhões em janeiro _ 30,2% do total. Em seguida, aparecem as vendas para o exterior de fumo, com US$ 48,3 milhões; motocompressores herméticos, com US$ 38,6 milhões; blocos fundidos, com US$ 37,6 milhões; e carne suína, com US$ 35,4 milhões e um aumento de 37,8% nas vendas se comparado com janeiro de 2010.

Os principais destinos das exportações catarinenses foram os Estados Unidos, Argentina, Países Baixos, China e Japão.

O produto que mais entrou no Estado em janeiro foi o catodo de cobre refinado e seus elementos, que somaram US$ 118 milhões. Em seguida, aparecem as importações de laminados de ferro e aço, com US$ 36,8 milhões; polietilenos, com US$ 35,2 milhões; e fios de fibra e poliésteres, com US$ 31,5 milhões. SC importou mais da China, seguida de Chile, Argentina e Estados Unidos.


Comente aqui
11 fev08:00

Estiagem deve provocar aumento de 8% na carne de frango

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A estiagem que desde novembro atinge o Oeste de Santa Catarina deve provocar um acréscimo de 8% no preço da carne de frango. O cálculo é do presidente da Associação Catarinense de Avicultura, Cléver Pirola Ávila. –Fizemos uma estimativa de aumento de custos e chegamos a esse valor- disse o diretor.

O motivo é o aumento do déficit de milho no Estado. Normalmente Santa Catarina já importa cerca de dois milhões de toneladas do cereal. Neste ano deve aumentar em pelo menos 500 mil esse déficit. O produto terá que vir de outras regiões e até de outros países, como o Paraguai.

– Esse custo de transporte será repassado para o produto final – afirmou Ávila.

Para o presidente da Companhia Integrada para o Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Enori Barbieri, a falta de milho é agravada pela seca no Rio Grande do Sul, que também terá que buscar a matéria-prima em outras regiões do país. Com isso o patamar da saca de 60 quilos, que deveria estar entre R$ 22 a R$ 24, está em torno de R$ 30.

-Esse custo é incompatível com a atividade- disse Barbieri.

Ele informou que o Governo Federal acenou com a possibilidade de disponibilizar milho com preços mais acessíveis ao produtor. Mas espera que isso se confirme. Para o presidente da Cidasc, os governos do Estado de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul precisam desenvolver programas de incentivo à produção de milho para não perderem competitividade de suas agroindústrias.

-Aqui nós podemos substituir áreas de soja por milho- disse Barbieri. Atualmente Santa Catarina tem um programa denominado Troca-Troca, em que o agricultor pega sementes e calcário e paga no ano seguinte, convertendo a dívidas em sacas do produto. Só que isso já não tem sido suficiente para estimular o produtor.

Na avaliação do presidente da Aurora Alimentos, Mário Lanznaster, o preço da carne de frango já recuperou os patamares de final de ano, quando aumenta o consumo para o período de festas. Ele concorda que o aumento no preço do milho está pressionando os custos das agroindústrias.

– O milho está muito caro- disse. O presidente da Aurora disse que já houve um aumento do frango vivo e deve ocorrer um acréscimo também ao consumidor, mas não muito elevado.

Ele acredita que, com a entrada da safrinha (segunda safra) dos estados do Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em julho ou julho, o frango voltará a um preço normal. Num supermercado de Chapecó, cortes de frango em bandeja oscilam de R$ 6 a R$ 11. O consumidor Jair Girardi disse que gosta dos cortes de peito e coxa. E já prevê que vai gastar mais para manter o consumo. –Vai sobrar pra nós também- afirmou, sobre os efeitos da estiagem.


DADOS DA AVICULTURA

- Santa Catarina disputa com o Paraná a liderança na produção de aves

-O Estado é o maior exportador de aves com faturamento superior a US$ 1 bilhão

- O abate anual é de 700 milhões de aves

-Cerca de 30% da produção é exportada

-São 13 mil avicultores catarinenses, sendo 10 mil integrados às agroindústrias

-A cadeia avícola gera 40 mil empregos diretos e 80 mil indiretos em SC.




Comente aqui