Greve

27 set11:22

Bancários do Oeste voltam ao trabalho nesta quinta-feira

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Depois de nove dias de paralisação bancários do Oeste aceitaram a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Febraban). Mais de 2 mil bancários de 100 agências privadas e públicas devem voltar ao trabalho a partir desta quinta-feira.

A categoria aceitou a proposta que eleva para 7,5% o índice de reajuste dos trabalhadores (aumento real de 2.02%); para 8,5% o aumento do piso salarial e dos auxílios-refeição e alimentação (ganho real de 2,95%); e para 10% no valor fixo da regra básica e no limite da parcela adicional da Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

O presidente do Sindicato dos Bancários de Concórdia e Região, Luiz Júnior Gubert, disse que a negociação ficou dentro das expectativas.

- Iremos receber 2.02% de ganho real, isso é resultado da forte mobilização da categoria em todo o país – afirmou Gubert. Ele disse ainda que no ano passado, foram necessários 21 dias de greve para conseguir 1,5% de aumento real.


Em Chapecó e Concórdia algumas agências seguem fechadas

Em Chapecó, seguem em greve funcionários da Caixa Econômica Federal e do Banrisul. De acordo com o Sindicato dos Bancários de Chapecó, Xanxerê e Região, a categoria rejeitou as propostas específicas, durante assembleia na manhã desta quinta, por entender que não continham avanços significativos.

As agências do Banco do Brasil de Concórdia também seguem com as portas fechadas. Os bancários vão se reunir na manhã desta sexta-feira para decidir se vão acatar a proposta e retomar o trabalho.


Comente aqui
26 set08:55

Bancários de SC avaliam proposta da Fenaban e podem encerrar greve

Danilo Duarte | danilo.duarte@diario.com.br

Os bancários de Santa Catarina se reúnem em assembleias regionais ao longo desta quarta-feira para avaliar a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), apresentada nesta terça, em São Paulo. De acordo com as duas entidades que representam os trabalhadores desta categoria no Estado, 293 permanecem fechadas no oitavo dia de greve.

::: Confira como contornar a greve e resolver os seus assuntos bancários

A proposta da Fenaban elevou o reajuste do piso salarial, que era de 7,5%, para 8,5%, além de elevar os demais benefícios e aumentar para 10% a participação nos lucros e rendimentos (PLR).

Com esta nova proposta, o aumento real seria de 2% para os salários. A greve dos bancários foi deflagrada no último dia 18, depois que os trabalhadores rejeitaram a proposta de reajuste oferecida pela Fenaban, que era de 6%.

Em Santa Catarina a adesão cresceu ao longo da semana e acompanhou os números nacionais. No Estado eram 220 agências fechadas no primeiro dia da greve, e a paralisação chegou a 5.132 agências no Brasil.

Segundo a Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de SC (Feeb) e a Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Estado (Fetec), pelo menos 293 agências e postos de atendimento bancários estavam fechados na terça-feira.

DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
25 set14:34

Fenaban chama bancários para negociar nesta terça-feira

Na noite de segunda-feira, final do sétimo dia de greve dos bancários, a Federação Nacional de Bancos (Fenaban) decidiu chamar o Comando Nacional dos Bancários para uma nova negociação. Uma nova reunião acontece nesta tarde, às 16h, no Hotel Maksoud, em São Paulo. Se a negociação entre trabalhadores e representantes do setor patronal avançar, a greve da categoria pode acabar ainda nesta semana.

>> Panorama da greve dos bancários no Oeste

No final de agosto, a Fenaban apresentou proposta de reajuste linear para salários, pisos e benefícios de 6%. A proposta passa longe da reivindicação dos trabalhadores que pedem 10,25% de reajuste, sendo 5% de aumento real.

Até segunda-feira, de acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), 9.386 agências estavam fechadas. O número representa cerca de 43% do total de 21.714 unidades no país.

Depois da reunião com a Fenaban, os bancários realizarão negociações com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal sobre pautas específicas dos trabalhadores, de acordo com a Contraf-CUT.


AGÊNCIA ESTADO

Comente aqui
23 set19:10

Panorama da greve dos bancários no Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Bancários de doze cidades do Oeste estão em greve. Segundo o presidente em exercício do Sindicato dos Bancários de Concórdia e Região, Luiz Junior Gubert, a categoria reivindica 10,25% de aumento e melhores condições de trabalho, saúde e atendimento.

A paralisação iniciada na terça-feira, dia 17, não tem prazo para terminar.

>> Confira alternativas para pagar contas durante a greve dos bancários


Panorama da greve no Oeste


Abelardo Luz

1 agência da Caixa Econômica


Chapecó

5 agências do Banco do Brasil

6 agências da Caixa Econômica Federal

2 agências do Santander

3 agências do Itaú

1 agência do HSBC

1 Banrisul


Concórdia

1 agência do Banco do Brasil

1 agência da Caixa Econômica

1 agência do Santander


Iporã do Oeste

1 agência do Banco do Brasil


Maravilha

1 agência do Banco do Brasil


Pinhalzinho

1 agência do Banco do Brasil

1 agência da Caixa Econômica Federal


Quilombo

1 agência do Banco do Brasil


São Carlos

1 agência do Banco do Brasil


São Miguel do Oeste

1 agência do Banco do Brasil/Besc

1 agência da Caixa Econômica Federal


Seara

1 agência do Banco do Brasil


Xavantina

1 agência do Banco do Brasil


Xanxerê

1 agência da Caixa Econômica



Comente aqui
20 set12:14

Confira alternativas para pagar contas durante a greve dos bancários

Em todo o país, bancários deflagraram greve, por tempo indeterminado, desde a terça-feira, dia 18. Desde a primeira semana do mês, quando a Federação Nacional de Bancos (Fenaban) apresentou proposta de reajuste salarial muito distinta da reivindicação dos bancários, os trabalhadores ameaçam cruzar os braços.

Ao todo, a categoria reúne cerca de 500 mil funcionários no país.


Correspondentes

Estão espalhados em todo o país em pontos como supermercados, casas lotéricas e postos dos Correios. As casas lotéricas, por exemplo, funcionam durante o horário comercial.


Operações

— Pagamento de contas de água, luz, telefone (com ou sem fatura), tributos municipais e estaduais, boletos de bancos. carnês, INSS/GPS, FGTS-GRF/GRRF/GRDE (com código de barras) e contribuição sindical (em dinheiro).

— Saque de dinheiro e benefícios como bolsa família, INSS, FGTS, seguro desemprego e PIS. O saque com com cartão magnético é limitado a R$ 1 mil ou três transações diárias.

— Depósito em conta corrente ou em conta poupança. A operação limitada a R$ 1 mil ou até três transações por dia.

— Consulta de saldos e extratos de contas correntes e poupanças, entrega de propostas de cartão de crédito, conta corrente, cheque especial e empréstimo por consignação para aposentados, pensionistas do INSS, empregados de empresas conveniadas e recarga de celular pré-pago.


Internet Banking

Operações

— Consultas de saldo, extrato, lançamentos futuros, extrato de compras com cartões de débito, informe de rendimentos, investimento, poupança, aplicações e transações agendadas.

— Pagamentos de Débito Direto Autorizado (DDA), agendamento de pagamento de conta (água, luz, telefone e gás), boleto de cobrança DARF/DARF Simples, Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), GFIP-FGTS, GPS-INSS, IPVA, DPVAT, IPTU/, GRCS, ISS, licenciamento de veículos e recarga de celular.

— Transferências entre outros bancos, TED e DOC eletrônico

— Solicitação e desbloqueio de talão de cheques, solicitação, consulta e cancelamento de débito automático e empréstimos.


Mobile banking

Para ter acesso a este serviço, o cliente deve baixar o aplicativo (app) da instituição diretamente no celular, a partir do site do banco e das lojas virtuais de aplicativos.


Operações

— Por este canal, geralmente é possível consultar saldos, verificar extratos, contas de investimentos, home broker (compra e venda de ações) e pagar títulos via Débito Direto Autorizado (DDA). O serviço, no entanto, varia conforme a instituição e o relacionamento com o cliente.


Telefone

Todos os bancos oferecem um serviço telefônico por meio do qual o cliente pode tirar dúvidas sobre serviços e realizar transações financeiras.


Operações

—Pagamento de boleto a vencer da mesma instituição e de outras, de contas (água, luz, telefone, gás) e de imposto e taxas.


DIÁRIO CATARINENSE




Comente aqui
18 set10:41

Bancários do Oeste aderem à greve nacional

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A greve dos bancários pegou clientes de surpresa no início da manhã desta terça-feira em oito cidades do Oeste. Bancários de Chapecó, Concórdia, Quilombo, Seara, São Miguel do Oeste, Iporã do Oeste, Maravilha e Pinhalzinho, pertencentes à três sindicatos da categoria, aderiram ao movimento nacional. Em Santa Catarina a projeção é de que pelo menos 10 regiões devem aderir à greve deflagrada por tempo indeterminado.

Os bancários esperavam uma contraproposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). A proposta de 6% de reajuste apresentada pelos banqueiros em agosto foi rejeitada pela categoria.

De acordo com o presidente em exercício do Sindicato dos Bancários de Concórdia e Região, Luiz Junior Gubert, a categoria reivindica 10,25% de aumento e melhores condições de trabalho, saúde e atendimento.

- A greve é sempre o último passo, buscamos o diálogo e esperamos que as negociações sejam retormadas – disse Gubert.

Com a paralisação ficam fechados os caixas para saques, pagamentos e todas as movimentações bancárias. O acesso ao autoatendimento deve estar disponível em algumas das agências bancárias de cada região, segundo o sindicato.

Até a noite de segunda-feira ao menos 11 sindicatos confirmaram que os trabalhadores irão cruzam os braços a partir desta terça-feira nas cidades de Araranguá, Balneário Camboriú, Chapecó, Concórdia, Xanxerê, Blumenau, Criciúma, Florianópolis, Joaçaba, São Miguel do Oeste e Tubarão. Em Videira a greve começará na próxima sexta-feira, 21.


Panorama da greve no Oeste

Banco do Brasil

5 agências em Chapecó

1 agência em Quilombo

1 agência em Concórdia

1 agência em Seara

1 agência em São Miguel do Oeste

1 agência em Iporã do Oeste

1 agência em Maravilha



Caixa Econômica Federal

8 agências em Chapecó

1 agência em Pinhalzinho


HSBC

1 agência em Concórdia


Santander

1 agência em Concórdia


Paralisação é nacional

Em todo o país, bancários deflagraram greve, por tempo indeterminado, a partir de terça-feira. Desde a primeira semana do mês, quando a Federação Nacional de Bancos (Fenaban) apresentou proposta de reajuste salarial muito distinta da reivindicação dos bancários, os trabalhadores ameaçam cruzar os braços.

Ao todo, a categoria reúne cerca de 500 mil funcionários no país.


Alternativas à greve

Correspondentes

Estão espalhados em todo o país em pontos como supermercados, casas lotéricas e postos dos Correios. As casas lotéricas, por exemplo, funcionam durante o horário comercial.


Operações

— Pagamento de contas de água, luz, telefone (com ou sem fatura), tributos municipais e estaduais, boletos de bancos. carnês, INSS/GPS, FGTS-GRF/GRRF/GRDE (com código de barras) e contribuição sindical (em dinheiro).

— Saque de dinheiro e benefícios como bolsa família, INSS, FGTS, seguro desemprego e PIS. O saque com com cartão magnético é limitado a R$ 1 mil ou três transações diárias.

— Depósito em conta corrente ou em conta poupança. A operação limitada a R$ 1 mil ou até três transações por dia.

— Consulta de saldos e extratos de contas correntes e poupanças, entrega de propostas de cartão de crédito, conta corrente, cheque especial e empréstimo por consignação para aposentados, pensionistas do INSS, empregados de empresas conveniadas e recarga de celular pré-pago.


Internet Banking

Operações

— Consultas de saldo, extrato, lançamentos futuros, extrato de compras com cartões de débito, informe de rendimentos, investimento, poupança, aplicações e transações agendadas.

— Pagamentos de Débito Direto Autorizado (DDA), agendamento de pagamento de conta (água, luz, telefone e gás), boleto de cobrança DARF/DARF Simples, Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), GFIP-FGTS, GPS-INSS, IPVA, DPVAT, IPTU/, GRCS, ISS, licenciamento de veículos e recarga de celular.

— Transferências entre outros bancos, TED e DOC eletrônico

— Solicitação e desbloqueio de talão de cheques, solicitação, consulta e cancelamento de débito automático e empréstimos.


Mobile banking

Para ter acesso a este serviço, o cliente deve baixar o aplicativo (app) da instituição diretamente no celular, a partir do site do banco e das lojas virtuais de aplicativos.


Operações

— Por este canal, geralmente é possível consultar saldos, verificar extratos, contas de investimentos, home broker (compra e venda de ações) e pagar títulos via Débito Direto Autorizado (DDA). O serviço, no entanto, varia conforme a instituição e o relacionamento com o cliente.


Telefone

Todos os bancos oferecem um serviço telefônico por meio do qual o cliente pode tirar dúvidas sobre serviços e realizar transações financeiras.


Operações

—Pagamento de boleto a vencer da mesma instituição e de outras, de contas (água, luz, telefone, gás) e de imposto e taxas.




1 comentário
05 set16:26

Aulas na Universidade Federal da Fronteira Sul serão retomadas

Representantes do comando de greve dos docentes, procuradoria e representantes do corpo discente e docente da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) decidiram após reunião na terça-feira, dia 4, retomar as aulas nos campi da Instituição.

Para os campi de Realeza/PR, Chapecó, Cerro Largo/RS e Erechim/RS, a reposição das aulas referentes ao primeiro semestre letivo de 2012 inicia no dia 10 de setembro.

A Reitoria orienta para que os alunos matriculados em cursos de graduação ofertados nesses campi retornem para a Universidade na segunda-feira.

Outra decisão tomada na reunião é que os docentes não deverão realizar avaliações e trabalhos que ficaram pendentes nesta primeira semana. Esses deverão ser realizados a partir do dia 17 de setembro.

No Campus Laranjeiras do Sul o segundo semestre letivo de 2012 poderá ser iniciado no dia 12 de setembro.


Comente aqui
28 ago15:57

Servidores de 17 categorias aceitam proposta do governo e decidem encerrar greve

Servidores ligados à Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) decidiram há pouco encerrar a greve que já durava cerca de dois meses.

A decisão, tomada em plenária nacional realizada em Brasília, vale para 17 categorias ligadas à entidade e que negociaram de forma unificada, segundo o secretário-geral Josemilton da Costa.

A assinatura do acordo aceitando a proposta do governo federal, segundo a direção da confederação, será feita no final desta tarde. Os trabalhadores ainda estão decidindo quando vão retomar as atividades.

Devem retornar ao trabalho cerca de 250 mil servidores, principalmente de carreiras administrativas, segundo informação da assessoria de imprensa da entidade.

Entre as categorias que decidiram voltar ao trabalho estão servidores dos ministérios da Saúde, Cultura, Fazenda e do Planejamento, além de autarquias e fundações públicas, como a Fundação Nacional do Índio (Funai).

Os associados da confederação somam cerca de 510 mil, entre trabalhadores ativos, pensionistas e aposentados. Ao todo, a Condsef representa 80% dos servidores ativos do Executivo, mas algumas categorias estão negociando separadamente, a exemplo da formada por servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Durante a plenária, diversos delegados avaliaram o movimento como vitorioso, não pelas conquistas financeiras, com o reajuste de 15,8% proposto pelo governo, mas pela dimensão da mobilização e pelo fortalecimento da integração das categorias, que reivindicaram de forma unificada as melhorias salariais.


Rodada de hoje

O presidente da Associação Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindica), Wilson Roberto de Sá, reúne-se à tarde com o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, para dar prosseguimento à negociação salarial da categoria.

Em assembleia geral realizada na segunda-feira, os fiscais agropecuários recusaram a proposta do governo, que ofereceu “subsídio” (incorporação de gratificações e vantagens), acrescido de 5% de reajuste em janeiro de 2014 e 5% em janeiro de 2015, totalizando 10,2%.


AGÊNCIA BRASIL E AGÊNCIA ESTADO



Comente aqui
20 ago15:31

Começa a greve da Polícia Rodoviária Federal nas BRs em Santa Catarina

Danilo Duarte | danilo.duarte@diario.com.br

Uma manifestação no Km 204 da BR-101, em São José, iniciada na tarde desta segunda-feira, marca o início da greve dos policiais rodoviários federais em Santa Catarina. De acordo com o sindicato da categoria, a adesão deve chegar a 400 policiais, o que corresponde a 90% no Estado.

Para Hamilton Rodrigues, presidente do Sindicato dos policiais rodoviários federais no Estado, a greve deve comprometer alguns serviços, inclusive a fiscalização nos 23 postos em SC. Os casos de solicitação para batedores para cargas especiais, cópia de boletins de ocorrência e de recurso de multa também devem ser adiados.

A ação dos policiais deve ocorrer apenas no caso de bloqueio das rodovias e atendimento a acidentes com vítimas, segundo ele. O motorista que precisar destes documentos deverá se dirigir à superintendência mais próxima.

A decisão de greve foi tomada em assembleia no último dia 13 e comunicada à Superintendência Estadual dias depois. Nos postos, as viaturas ficarão estacionadas de ré em sinal de adesão. O efetivo mínimo de 30% deve ser mantido, conforme o sindicato.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
13 ago19:58

Justiça garante abates ameaçados por greve

DARCI DEBONA – darci.debona@diario.com.br


Os frigoríficos de Santa Catarina não suspenderam os abates no início desta semana graças a uma liminar do Superior Tribunal de Justiça, que determinou aos fiscais federais agropecuários em greve a manutenção de 70 a 100% das atividades. O percentual depende da necessidade para que o trabalho seja realizado.

A categoria entrou em greve na segunda-feira passada e as agroindústrias estavam prestes a paralisar algumas linhas de produção em virtude da falta de estoques, causada pela não liberação das cargas.

De acordo com o diretor executivo da Associação Catarinense de Avicultura (Acav) e do Sindicato das Indústrias de Carnes e Derivados (Sindicarnes), Ricardo Gouvêa, os estoques já estavam altos em virtude da paralisação dos motoristas, ocorrida há duas semanas.

Ele afirmou que a decisão judicial foi decisiva para evitar as paralisações. Em alguns portos a movimentação já foi retomada embora ainda não esteja normalizada. Gouvêa disse que a partir desta terça-feira haverá uma avaliação melhor da situação.

Ele afirmou que o atraso nos embarques pode gerar multas contratuais e prejuízos para as agroindústrias do estado.

Comente aqui