H1N1

27 jun09:13

Sobe para 35 o número de mortes por Gripe A em SC

Mais duas pessoas morreram em Santa Catarina por causa da Gripe A. A divulgação foi feita no fim da tarde da última terça-feira pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde. A novas vítimas são uma menina de nove anos, de Videira, e um homem de 52 anos, que residia em Blumenau.

Agora são 35 as mortes em Santa Catarina desde o começo do ano. Pelas investigações da Vigilância Epidemiológica, a menina não fazia parte do grupo com maior possibilidade de contrair a doença. A morte ocorreu dia 20 deste mês.

O homem morreu dia 21 e era fumante. Ontem, a equipe da Secretaria de Saúde e do Ministério de Saúde viajou para cidades do Sul do Estado. Mas o foco principal continua sendo Blumenau, onde, neste ano, morreram sete pessoas por causa da gripe A.

O Estado recebeu nesta semana as cerca de 250 mil doses do medicamento oseltamivir, mais conhecido pelo nome comercial de Tamiflu, prometidas pelo Ministério da Saúde ao prefeito João Paulo Kleinübing, de Blumenau, em uma reunião na última sexta-feira.

O remédio está armazenado na Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) e será enviado para cada gerência de saúde de acordo com a demanda, explica a secretária de Saúde, Juliana Rigo. Atualmente, Blumenau possui cerca de 30 mil doses de Tamiflu, que estão sendo distribuídas aos pacientes com sintomas de gripe.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica alerta que nem toda gripe pode ser entendida como a doença, mas lembra que as pessoas devem permanecer atentas com os sintomas de febre alta (superior a 38°C) e falta de ar.

Nestes casos, devem procurar um médico nas primeiras 48 horas. Outra recomendação é com relação aos ambientes, que devem ficar arejados. Para quem estiver gripado, uma dica é evitar aglomerações.


Revisão dos números

A Vigilância Epidemiológica de SC está revisando todos os prontuários médicos dos pacientes que morreram infectados pela gripe A no Estado. Os documentos estão incompletos o que dificulta o monitoramento da doença.

Em meados de junho, representantes do Ministério da Saúde chegaram ao Estado e identificaram o problema. Não se sabe, por exemplo, quantas vítimas da gripe A já tinham uma doença crônica antes de serem infectadas pelo vírus.

— Pelos dados que existem hoje, apenas 20% das pessoas que morreram tinham uma doença crônica ao serem infectadas. Mas, acreditamos que essa porcentagem pode chegar a 80% depois que os documentos forem preenchidos corretamente — explica o diretor da Vigilância Epidemiológica, Fabio Gaudenzi de Faria.

O trabalho de revisão dos prontuários deve ser finalizado até a semana que vem, entre os dias 4 e 5 de julho. Com os dados completos será possível traçar um perfil dos casos de gripe A em Santa Catarina, além de monitorar a infecção pelo Estado.

Comente aqui
25 jun20:28

Primeiro caso de meningite causada por vírus H1N1 é confirmado em Santa Catarina

Daisy Trombetta | daisy.trombetta@diario.com.br

Um caso de meningite causada por vírus H1N1 foi confirmado em Joaçaba, no Meio-Oeste catarinense, nesta segunda-feira. Conforme a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), não há outras notificações do tipo no Estado.

O diagnóstico chama a atenção porque a Gripe A geralmente evolui para outras doenças, principalmente para a pneumonia. Só que, neste caso, pode ter ocorrido alguma mutação no vírus H1N1, que levou à meningite.

O médico neurologista que cuida do caso, Jean Ragnini, explica que na maioria dos casos é difícil identificar o vírus que leva à meningite, porque existem mais de 100 tipos. Mas, afirma que todos têm cura se o diagnóstico for precoce.

— O H1N1 não dá só gripe. Pode evoluir para outras doenças, mas ainda não tínhamos registros de casos de meningite causados por esse vírus — diz o médico. O paciente infectado tem 19 anos e o estado de saúde é considerado estável. A previsão é de que o jovem, que está internado há sete dias no Hospital São Miguel, tenha alta em uma semana. Ele recebe medicações tratar a meningite e também a Gripe A.

A suspeita do médico é de que o paciente possa ter contraído o H1N1 durante uma prova de vestibular que realizou na semana passada, quando teve contato com pessoas de várias cidades.

Conforme Maria Inês Sant’Anna Rodrigues, infectologista da Dive, não há registro de outros casos de meningite causada por H1N1 no Estado. Ela explica que como a Gripe A é considerada uma doença nova, podem existir outras evoluções de casos que ainda não foram notificadas, já que nem sempre é possível identificar o vírus causador da meningite.

— Qualquer vírus que entrar no sistema nervoso pode causar a meningite. Então o da H1N1 também pode, embora não existam outros casos notificados no Estado — explica.

A infectologista explica que o tratamento adotado para combater esta doença é o mesmo da convencional, já que o tipo viral – independente do causador – é o mais comum entre os infectados.

Comente aqui
21 jun08:47

Chapecó realiza distribuição de panfletos sobre a Gripe A

Em Chapecó o clima é de tranquilidade em relação à Gripe A. Mesmo assim foi reativado do  Comitê de Controle da Influenza, composto por 14 órgãos de saúde.

De acordo com a presidente do comitê, Paula Senna da Silva, o trabalho é preventivo com distribuição de panfletos nas escolas. A cidade tem 36 casos suspeitos e quatro confirmados de H1N1, vírus da Gripe A. O comitê faz o monitoramento e, caso o número de casos comece a aumentar, tomará outras medidas.



Comente aqui
05 mai07:58

Mutirão de vacinação contra a gripe começa neste sábado em SC

Idosos com mais de 60 anos, crianças de seis meses a menores de dois anos, grávidas em qualquer período da gestação, indígenas e profissionais de saúde podem procurar os postos de saúde a partir deste sábado para vacinar-se contra a gripe. Em Santa Catarina, a meta é imunizar pelo menos 744 mil da população-alvo nos 293 municípios.

Neste sábado, o dia D da Campanha Nacional de Vacinação, as unidades de saúde funcionarão das 8h às 17h. A vacina trivalente é injetável e protege contra os vírus: A (H3N2), B ( gripe sazonal) e A (H1N1), que ficou conhecido em 2009 como da gripe suína. Em 2009, auge da pandemia da H1N1, 2.080 pessoas morreram no Brasil vítimas do vírus. Em 2010, o número de mortes caiu para 148 e, em 2011, para 53.

Conforme a gerente de vacinação Luciana Amorim, da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), a campanha teve um impacto indireto na diminuição das internações hospitalares, da mortalidade e dos gastos com medicamentos para tratar das infecções secundárias.

— O esforço nas ações de mobilização e o compromisso dos gestores em saúde estão expressos na adesão progressiva da população à campanha, reduzindo assim os problemas com a Influenza e suas complicações.

A novidade neste ano é a vacinação da população prisional. Os presos devem começar a receber a dose depois do dia 25. O Estado ainda está discutindo a logística para que todos os presídios recebam o lote da vacina.


Mito da gripe

Crianças que serão vacinadas pela primeira vez deverão tomar duas doses, com intervalo de 30 dias. Os demais grupos devem tomar dose única. A dose injetável é intramuscular e costuma ser aplicada na coxa, em crianças, e no braço ou nádegas, em adultos.

Um mito que precisa ser derrubado é que a vacina pode provocar gripe. Segundo Luciana, o vírus vem inativado na dose, ou seja, morto.

— O que pode acontecer é que o paciente já está com um gripe incubada ou outro vírus e coincidentemente desenvolve a doença após tomar a dose. Quem está tomando pela primeira vez também pode apresentar um quadro gripal leve, com dores musculares e cansaço, no dia seguinte, pois o corpo está criando anticorpos — esclarece

A trivalente não protege contra resfriados e outras infecções que também ocorrem no inverno e tem sintomas parecidos. A única contraindicação feita pelo Ministério da Saúde é para pessoas com alergias severas a ovo — nestes casos, é recomendada uma consulta médica para orientações.


Metas no Estados

Grande Florianópolis — 144 mil

Joinville — 67 mil

Florianópolis — 64 mil

Blumenau — 42 mil

Criciúma — 25 mil

Chapecó — 24 mil

Campanha nacional

A campanha nacional pretende imunizar 24,1 milhões de pessoas até o dia 25 de maio, o que representa 80% dessa população. Contará com 65 mil postos e 240 mil profissionais de saúde em todo o país.

Em 2011, de acordo com dados do Ministério da Saúde, 25,1 milhões de pessoas foram vacinadas — 84% do público-alvo definido. No mesmo período, foi registrada uma redução de 64% nas mortes provocados pelo vírus Influenza H1N1.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
04 mai16:02

Sábado Dia ‘D’ de vacinação contra a Influenza nos municípios da SDR de Dionísio Cerqueira

Os municípios de Anchieta, Dionísio Cerqueira, Guarujá do Sul, Palma Sola, Princesa e São José do Cedro, que fazem parte da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Dionísio Cerqueira, promovem neste sábado, dia 5, o Dia “D” da Campanha de Vacinação contra a Gripe Influenza.

Conforme a gerente de saúde, Eila Labres, a campanha, que chega a 14ª edição e é realizada em nível nacional, e inicia-se neste dia 5 de maio. Eila pontua que os Postos de Saúde estarão abertos das 08h às 17h sem fechar ao meio-dia.

- Alguns municípios realizarão vacinação descentralizada em bairros para facilitar o deslocamento das pessoas e o acesso às vacinas – disse.

Neste ano, além dos idosos com 60 anos e mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, crianças entre seis meses a menores de dois anos e as gestantes, a vacinação será aplicada para a população prisional. A vacinação ocorrerá no período de 5 a 28 de maio. A campanha pretende imunizar 930.185 pessoas, sendo que a meta estadual é atingir no mínimo 80% da população-alvo nos 293 municípios.

Metas municipais definidas

A gerente de saúde enfatiza que cada município tem uma meta pré-determinada de vacinação. Eila Labres detalha que a meta de Anchieta é vacinar 1.134 pessoas; o município de Dionísio Cerqueira tem que atingir 2.467; Guarujá do Sul, 892; Palma Sola, 1.122; Princesa, 471 e São José do Cedro, necessita vacinar 2.342 pessoas.

- A meta da nossa Regional é imunizar 8.374 pessoas. A realização da campanha ao longo dos anos contribuiu para a prevenção da gripe, bem como apresentou um impacto indireto na diminuição das internações hospitalares, da mortalidade e dos gastos com medicamentos para tratar das infecções secundárias – disse.


Comente aqui
04 mai13:24

Cerca de 65 mil postos de saúde abrem neste sábado para a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe

Devem procurar os locais de vacinação idosos com mais de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 2 anos, grávidas em qualquer período da gestação, indígenas e profissionais de saúde.

A meta é imunizar 24,1 milhões de pessoas até o dia 25 de maio. Crianças que serão vacinadas pela primeira vez deverão tomar duas doses, com intervalo de 30 dias. Aquelas que já receberam uma ou duas doses da vacina no ano passado deverão receber apenas uma este ano.

Os demais grupos deverão tomar dose única.

Em 2011, de acordo com dados do Ministério da Saúde, 25,134 milhões de pessoas foram vacinadas – 84% do público-alvo. No mesmo período, foi registrada uma redução de 64% nas mortes provocados pelo vírus Influenza H1N1. Ao todo, 53 óbitos foram confirmados. Também no ano passado, houve queda de 44% nos casos graves da doença, que totalizaram 5.230.


AGÊNCIA BRASIL



Comente aqui