Hospital

24 jul16:43

Semana de Aleitamento Materno será realizada em Chapecó

Menores chances de ter diarréia, pneumonia, diabetes, câncer ou de desenvolver alergias. Esses são alguns dos benefícios do aleitamento materno, destacados durante a Semana Mundial de Aleitamento Materno, que acontece de 1º a 7 de agosto em Chapecó.

Esse ano a campanha tem como tema: “Amamentar: uma necessidade, um carinho” e visa divulgar principalmente a Norma NBCAL – Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes – que regulamenta a comercialização de alimentos e materiais que possam concorrer com a amamentação, como por exemplo, mamadeiras, chupetas e leite em pó.

O evento é destinado para estudantes e profissionais de saúde, será realizado em parceria entre o Hospital Regional do Oeste (HRO), Udesc e Unochapecó. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no site www.hro.com.br ou através do telefone 49 3321-6770 até o dia 30 de julho.

De acordo com Andreia Dall´Agnoll, coordenadora de aleitamento do HRO, no dia 1º, quarta-feira, acontecem no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, duas palestras: “Aleitamento Materno: Compreendendo o passado, planejando o futuro, comemorando 10 anos de estratégia global”, com a palestrante Nelci Zorzi e também “Nutrição infantil: Aleitamento Materno e Alimentação Complementar, com Evanice Pagel.

Já na quinta-feira, dia 2, cada instituição envolvida com a programação realiza atividades internas e no dia 3 será realizada uma integração com a comunidade, com a distribuição de materiais e informações em três pontos da cidade: calçadão, shopping e no bairro Efapi.

- Nesse dia vamos distribuir folders, tirar dúvidas e repassar informações à comunidade, das 8 às 17 horas – enfatizou.

Andreia comenta ainda que o incentivo ao aleitamento materno é um trabalho constante no HRO. Segundo ela, todas as mamães recebem orientações e dicas sobre amamentação, podem tirar dúvidas sobre higiene, cuidados, alimentação e saúde dos bebês. A enfermeira comenta ainda que a amamentação é essencial até os seis primeiros meses de vida da criança e pode ser continuada até dos dois anos ou mais.


Comente aqui
23 jul10:52

Criança morreu após acidente na BR 282 em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O pequeno Caio Alves Vidor, dois anos, que morreu a caminho do Hospital Regional do Oeste em Chapecó, está sendo velado na Igreja da Linha Espuma, interior de Nova Itaberaba. O enterro está marcado para as 16 horas no cemitério da comunidade. Ele não resistiu ao impacto da colisão frontal entre dois veículos na noite do domingo, dia 22 de julho, na BR 282, próximo a Linha Colônia Bacia em Chapecó.

A mãe do menino, Jucélia Belle Alves, 20 anos, está internada em estado grave na UTI do Hospital. O pai, Dirso Antonio de Costa, 49 anos, que também teve lesões graves, segue internado em um quarto do Hospital Regional do Oeste.

O Corpo de Bombeiros de Chapecó foi chamado para ajudar na retirada das vítimas. O motorista do Palio, placas de Nova Itaberaba, Dirso Antonio de Costa, pai do pequeno Caio, estava preso as ferragens.

O motorista Valdecir Rech, 29 anos e o passageiro, Silvinho Lucas, 27 anos, que estavam no Astra, placas de Chapecó, tiveram apenas lesões leves.

A Polícia Rodoviária Federal de Xanxerê fez o atendimento da ocorrência.


Comente aqui
18 jul15:04

Mãe e filho morrem em acidente na BR 158 em Cunha Porã

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Mãe e filho foram enterrados no cemitério da Linha Sertão, interior de Cunha Porã. Fabiana Maria Ledur, 31 anos e o filho Cauã Doeber, 5 anos, morreram em um acidente na BR 158. Ambos estavam em um dos três veículos envolvidos na ocorrência. Na colisão o pai Cesar Doeber, 28 anos, e a filha do casal tiveram ferimentos graves e estão internados no Hospital Regional do Oeste em Chapecó.

Segundo uma amiga da família, o pai, que é motorista de um caminhão de transporte de leite teria convidado a família para conhecer a cidade de São Carlos.

– Eles aproveitaram para visitar a cidade com o pai – disse Alice Drumm.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o caminhão Ford Cargo, em que família viajava, teria perdido o controle, saído da pista e colidido com um caminhão Mercedez Benz, que rodou e colidiu ainda com um Toyota Corolla. O acidente aconteceu por volta das 15 horas, da terça-feira, dia 17 de julho, quando a família retornava para casa.

Cesar e os dois filhos do casal foram socorridos e encaminhados para o Hospital Regional do Oeste em Chapecó. Cauã morreu durante a madrugada. O pai segue internado em quarto do Hospital e a filha de três segue na UTI.

O condutor do Mercedez Benz, Delmir José Scalco, 51 anos, teve apenas ferimentos leves, já o motorista do Corolla, Eugênio Reimann, 66 anos saiu ileso.


Comente aqui
05 jul00:54

Adolescente morreu em acidente na BR 282 em Faxinal dos Guedes

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Jackson Willian Ampese, 16 anos, morreu após uma colisão frontal envolvendo um veículo e um caminhão no Km 487 da BR 282 em Faxinal dos Guedes. O acidente foi por volta das 20 horas da quarta-feira, dia 4 de julho. O condutor e outro ocupante do veículo ficaram gravemente feridos. O motorista do caminhão, Diego Ewald Seiler, 20 anos, teve apenas ferimentos leves.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) o caminhão, placas de Blumenau, fazia sentido Chapecó-Faxinal dos Guedes quando colidiu de frente com o veículo, placas de Ponte Serrada.

O motorista do veículo, Cleberson Ademir Barão Fleck, 22 anos, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros de Xanxerê e encaminhado para o Hospital São Paulo em Xanxerê. Ele segue internado em observação.

Já o outro ocupante do veículo, um adolescente de 14 anos, que não foi identificado, foi levado pelo Samu para o Hospital Regional do Oeste em Chapecó, onde está internado.

O corpo de Jackson foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Xanxerê.


Comente aqui
25 jun11:35

Homem é morto com quatro tiros no bairro Efapi em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Por volta das 19 horas deste domingo, dia 24 de junho, a Polícia Militar de Chapecó atendeu uma ocorrência de homicídio na Rua Santo Expedito, no Bairro Efapi. Adílio da Luz Vieira, 26 anos levou quatro tiros, foi socorrido por populares, mas resistiu e morreu no Hospital Regional do Oeste em Chapecó.

Segundo informações da Polícia Civil, a irmã de Adílio foi buscá-lo em um bar. Ele entrou no veículo e um homem, que não foi identificado, efetuou quatro disparos contra ele. Ainda segunda a polícia o homem estava a pé e fugiu em veículo que estava próximo ao local.

Até o final da manhã nenhum suspeito foi localizado pela Polícia Civil, que segue investigando o caso.

Adílio está sendo velado na capela do bairro Jardim do Lago em Chapecó. O enterro acontece às 16 horas no cemitério de Nonoai/RS.


Comente aqui
22 jun13:06

João Pedro teve alta do Hospital em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O bebê encontrado em Chapecó recebeu alta nesta sexta-feira. João Pedro estava internado no Hospital da Criança, desde o dia 19 de junho, quando foi encontrado dentro de uma sacola de papel, no bairro São Cristovão.

O médico Ani Werlang que atendeu o menino disse que ele está bem de saúde e mamando. – Os resultados dos exames das doenças infectocontagiosas só saem na segunda-feira – disse o médico.

Agora, João Pedro, que está com 3,8 quilos e 52 centímetros, ficará sob o cuidado do Abrigo Municipal até a decisão da justiça.

A Polícia Civil, que investiga o caso, vai encaminhar uma solicitação para a Secretaria Municipal de Saúde para levantar o número de mulheres grávidas e que poderiam dar a luz neste período.


Comente aqui
22 jun10:56

João Pedro deve receber alta nesta sexta-feira

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O bebê encontrado em Chapecó deve receber alta nesta sexta-feira. João Pedro segue internado no Hospital da Criança, desde o dia 19 de junho, quando foi encontrado em uma sacola de papel. O médico Ani Werlang que atende o menino disse que aguarda o resultado de alguns exames necessários para que ele possa ir para adoção.

- São exames para comprovar que ele não está com nenhuma doença infectocontagiosa – disse.

João Pedro, com 3,8 quilos e 52 centímetros foi encontrado por Junior Everton Menegildo, de 14 anos quando ia para o Centro comprar roupas. O estudante disse que ouviu uma espécie de miado e quando abriu a sacola viu que era um bebê.

Assim que receber alta o menino será encaminhado para o Abrigo Municipal. De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, 21 crianças, de 0 a 11 anos estão no Abrigo. Outras 64 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 18 famílias acolhedoras da cidade.

Segundo a coordenadora, estão inscritas e aptas para adoção no Fórum de Chapecó 112 famílias.


Polícia Civil investiga o caso

Uma solicitação, para levantar o número de mulheres grávidas e que poderiam dar a luz neste período, deve ser encaminhada para a Secretaria Municipal de Saúde.

A delegada Isabel Fauth, disse que com a ajuda desses dados, e se a mãe fez o pré-natal, existe a possibilidade de encontrar a mãe do menino.

- É um caso difícil e vamos fazer de tudo para encontrar a mãe do menino – disse a delegada.


Comente aqui
20 jun17:49

Bebê abandonado em Chapecó está bem

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O pequeno João Pedro, como é chamado pela equipe do Abrigo de Chapecó e pelas enfermeiras do Hospital da Criança, está bem e segue internado em observação. O bebê de cinco dias, 3,8 quilos e 52 centímetros o menino não corre risco e deve receber alta nesta quinta-feira. Ele foi encontrado em uma sacola de papel na tarde da terça-feira por um garoto de 14 anos.

– Ele está bem nutrido e fora de risco – disse o médico Ani Werlang, que atendeu o bebê.

João estava enrolado com uma manta e dentro de uma sacola de papel jogada num terreno baldio, na rua Eurico Gaspar Dutra, no bairro São Cristovão. No local é comum os moradores depositarem lixo.

Quem encontrou o menino foi Junior Everton Menegildo que faltou a aula para ir ao centro comprar roupas com alguns amigos. No caminho eles ouviram uma espécie de miado.

– Pensei que era um gato – disse Junior.


Junior mostra a sacola onde encontrou o pequeno João Pedro.


Curioso ele chegou perto da sacola e viu que era um bebê.

– Num primeiro momento achei que era uma boneca, mas quando vi que era um bebê de verdade peguei no colo e ele parou de chorar – contou o menino emocionado.

O jovem ‘anjo da guarda’ de João, disse que a família duvidou da história. A mãe dele, Rosane Sales, só se convenceu quando viu o menino no colo do filho.

- Tinha passado pelo local minutos antes e não havia nenhuma sacola ali – disse Rosane, mãe de quatro filhos e que chamou o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada dos bombeiros, o menino foi levado para um pronto-socorro particular que fica próximo ao local, onde foi aquecido. A guarnição dos bombeiros chegou e levou o bebê, que ainda tinha sangue e líquido amniótico pelo corpo, para o Hospital da Criança de Chapecó.

- O cordão umbilical estava com início de cicatrização – disse a soldado do Corpo de Bombeiros de Chapecó, Daliane Daleaste.

Segundo a conselheira tutelar, Terezinha Lunelli, que acompanhou a chegada do bebê no final da tarde desta terça-feira no Hospital, foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAM).

A delegada Isabel Fauth, disse que as investigações da Polícia Civil estão em andamento e que devido ao tamanho da cidade, pode ser complicado levantar o número de mulheres grávidas e que poderiam dar a luz neste período.

- Vamos aguardar os dados da secretaria municipal de saúde e se a mãe fez o pré-natal vamos encontrá-la – disse a delegada. Ela disse ainda que podem ser feitas denúncias anônimas sobre o caso.

- É um caso difícil e vamos fazer de tudo para encontrar a mãe do menino – disse

De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, o bebê, assim que receber alta, será encaminhado para o abrigo.

– Recebemos na noite da terça uma comunicação sobre o caso. E ele ficará conosco até a decisão da justiça – disse Lilian.

Junior, que encontrou o bebê e a mãe Rosane, tem vontade e visitar o menino.

– Se der eu quero muito ver ele – disse Rosane que até pensou na hipótese de tentar adotar o bebê.

- Os meus estão grandes já e ficaria feliz em ter mais um – disse.



Números em Chapecó

No Abrigo Municipal estão acolhidas 21 crianças, de 0 a 11 anos. Outras 64 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 18 famílias acolhedoras da cidade.

Segundo a coordenadora do Abrigo, estão inscritas e aptas para adoção no Fórum de Chapecó 112 famílias.


Sobrevivência

Para o médico Jorge Hazin, no geral, o tempo de sobrevivência de um recém-nascido é variável.

– Depende de diversos fatores como a gestação, condições do parto, idade gestacional e grau de nutrição. Além das condições de exposição a fatores ambientais, como temperatura e umidade – disse o médico.


1 comentário
20 jun12:28

Bebê abandonado em Chapecó está bem nutrido e fora de risco

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Segue internado no Hospital da Criança em Chapecó, o bebê de aproximadamente cinco dias, encontrado no final da tarde desta terça-feira no bairro São Cristovão. Ele estava enrolado com uma manta e dentro de uma sacola jogada num terreno baldio, na rua Licínio Córdova.

Quem encontrou o menino foi um garoto de 14 anos. Junior Everton Menegildo faltou a aula para ir ao centro comprar roupas com alguns amigos. No caminho ele e os amigos ouviram uma espécie de miado. Ele chegou perto da sacola e viu que era um bebê.

– Ele estava chorando e quando peguei no colo ele parou de chorar – contou o menino emocionado.

O jovem ‘anjo da guarda’ disse que a família duvidou da história. Rosana Sales, mãe de Junior, só se convenceu quando viu a criança no colo do filho.

– Tinha passado pelo local minutos antes e não vi nada de estranho – contou Rosana que chamou o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada dos bombeiros, o menino foi levado para um pronto-socorro particular que fica próximo ao local, onde foi aquecido. A guarnição dos bombeiros levou o bebê, que ainda tinha sangue e líquido amniótico pelo corpo, para o Hospital da Criança de Chapecó.

- O cordão umbilical estava com início de cicatrização – disse a soldado do Corpo de Bombeiros de Chapecó, Daliane Daleaste.

O bebê deu entrada no Hospital no final da tarde desta terça-feira, passa bem e segue internado em observação.

O médico Ani Werlang, que atendeu o bebê disse na manhã desta quarta-feira, que o quadro de saúde do menino é bom.

– Ele está bem nutrido e fora de risco – disse o médico. Porém, deve ficar internado em observação até a esta quinta-feira.

Segundo a conselheira tutelar, Terezinha Lunelli, que acompanhou o caso, assim que o bebê receber alta ele será encaminhado para o Abrigo de Chapecó. A conselheira disse ainda que foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAM). A Polícia Civil vai investigar o caso.

De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, o bebê está sob tutela do Abrigo.

– Recebemos na noite da terça uma comunicação sobre o caso. E ele ficará conosco até a decisão da justiça – disse Lilian.

No Abrigo de Chapecó estão acolhidas 21 crianças, de 0 a 11 anos. outras 90 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 17 famílias acolhedoras da cidade.


Sobrevivência

Para o médico Jorge Hazin, no geral, o tempo de sobrevivência de um recém-nascido é variável.

– Depende de diversos fatores como a gestação, condições do parto, idade gestacional e grau de nutrição. Além das condições de exposição a fatores ambientais, como temperatura e umidade – disse o médico.


Comente aqui
20 jun11:39

Segue internado no Hospital o bebê abandonado em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Segue internado no Hospital da Criança em Chapecó, o bebê de aproximadamente dois dias, encontrado no final da tarde desta terça-feira no bairro São Cristovão. Ele estava enrolado com uma manta e dentro de uma sacola jogada num terreno baldio, na rua Licínio Córdova.

Quem encontrou o menino foi um garoto de 14 anos. Junior Everton Menegildo faltou a aula para ir ao centro comprar roupas com alguns amigos. No caminho ele e os amigos ouviram uma espécie de miado. Ele chegou perto da sacola e viu que era um bebê.

– Ele estava chorando e quando peguei no colo ele parou de chorar – contou o menino emocionado.

O jovem ‘anjo da guarda’ disse que a família duvidou da história. Rosana Sales, mãe de Junior, só se convenceu quando viu a criança no colo do filho.

– Tinha passado pelo local minutos antes e não vi nada de estranho – contou Rosana que chamou o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada dos bombeiros, o menino foi levado para um pronto-socorro particular que fica próximo ao local, onde foi aquecido. A guarnição dos bombeiros levou o bebê, que ainda tinha sangue e líquido amniótico pelo corpo, para o Hospital da Criança de Chapecó.

- O cordão umbilical estava com início de cicatrização – disse a soldado do Corpo de Bombeiros de Chapecó, Daliane Daleaste.

O bebê, que deu entrada no Hospital no final da tarde desta terça-feira, passa bem e segue internado em observação.

Segundo a conselheira tutelar, Terezinha Lunelli, que acompanhou o caso, assim que o bebê receber alta ele será encaminhado para o Abrigo de Chapecó. A conselheira disse ainda que foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAM). A Polícia Civil vai investigar o caso.

De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, o bebê está sob tutela do Abrigo.

– Recebemos na noite da terça uma comunicação sobre o caso. E ele ficará conosco até a decisão da justiça – disse Lilian.

No Abrigo de Chapecó estão acolhidas 21 crianças, de 0 a 11 anos. outras 90 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 17 famílias acolhedoras da cidade.


Comente aqui