IGP

16 ago16:21

Corpo em avançado estado de decomposição foi encontrado em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Um corpo, provavelmente de um adolescente, foi localizado por volta do meio-dia desta quinta-feira na Linha Vila Zonta em Chapecó. O corpo em avançado estado de decomposição foi encontrado por moradores próximos ao local. A Polícia Civil investiga o caso e busca a identificação do corpo.

De acordo com o Instituto Geral de Perícias (IGP) a morte teria ocorrido há pelo menos seis meses. O corpo estava a cerca de 80 metros da rua. De acordo com os técnicos do IGP, aparentemente se trata de um adolescente. E tudo indica que ele tenha sido assassinado a facadas. No casaco usado pelo jovem existem várias perfurações.

- Vamos aguardar a análise da perícia para verificar se houve homicídio e também para identificar o corpo – disse o delegado Augusto Mello Brandão.

O delegado Augusto disse ainda que familiares que registraram o desaparecimento de jovens nos últimos meses procurem a delegacia de Polícia.

Moradores próximos a região, onde o corpo foi localizado, dizem que, além de ouvir disparos de fogo na região, a mesma é utilizada para venda e uso de drogas.


Comente aqui
19 jul17:16

Peritos do IGP de Chapecó aguardam identificação de corpo

O Núcleo Regional de Perícias de Chapecó aguarda identificação de um homem que morreu atropelado no dia 15 de maio de 2012. O acidente foi por volta das 18 horas no acesso Plínio Arlindo de Nes em Chapecó. Ele estava sem documentos de identificação e não foi reconhecido.

Segundo informações, o homem, que está no Instituto Médico Legal de Chapecó (IML), aparenta ter mais de 30 anos, tem pele branca, cabelo raspado e possui tatuagens pelo corpo.

O reconhecimento do corpo pode ser realizado no IML do Hospital Regional do Oeste em Chapecó. Informações pelo telefone 49 3328-9252.

O corpo está no local há 60 dias. Os peritos vão aguardar mais 30 dias para o reconhecimento, caso contrário será enterrado como indigente.


Comente aqui
27 jun16:12

Homem foi preso em Chapecó após invadir casa do ex-vereador Marcelino Chiarello

[Atualizada 18h47]

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Renato Alcione Ferreira, 24 anos, foi preso na manhã desta terça-feira em Chapecó. Ele invadiu a casa do ex-vereador de Chapecó Marcelino Chiarello, encontrado morto no dia 28 de novembro de 2011. Segundo a Polícia Civil o Instituto Geral de Perícias (IGP) esteve no local, que desde a morte do vereador estava lacrada.

- Preliminarmente não houve prejuízos na cena do crime – disse o delegado Ronaldo Neckel Moretto, que aguarda o laudo do IGP.

O delegado da Polícia Federal, Oscar Biffi, que está com o caso, disse que a casa foi lacrada após o crime para uma possível nova perícia no local. Ele confirmou também  que o corpo do vereador será exumado. A data ainda não foi definida mas está prevista para julho.

Renato, que foi preso por volta das 10h30 na Rua Thucydides Paim Butuhy,  no Bairro Santo Antonio, tem diversas passagens pela polícia, entre elas sete por furto, um indiciamento por furto e outro por ameaça e responde por dois processos criminais. De acordo com a Polícia Civil ele estava em liberdade provisória do Presídio Regional de Chapecó desde 2007 e será encaminhado novamente para o local.

Segundo informações da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, o homem estava em um banheiro anexo a casa. Ele disse também aos policiais que estava dormindo a alguns dias no local.

Comente aqui
19 jun12:37

Corpo de jovem é encontrado em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Por volta das 11h15 desta terça-feira, a Polícia Militar de Chapecó, após denúncia, encontrou o corpo de um jovem num terreno baldio no Bairro Passo dos Fortes. Áureo Nogueira Martins, 18 anos, foi reconhecido pela família que mora próximo ao local.

De acordo com a PM, que fez o isolamento do local, ele estava com uma perfuração na cabeça. O Instituto Geral de Perícias foi chamado para atender a ocorrência. O delegado Augusto Mello Brandão, da Polícia Civil, acompanha o caso.

Segundo o Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP), o jovem já teve quatro passagens por posse de drogas, uma por tráfico de drogas, uma por furto e outra por posse de munição.


Comente aqui
06 jun09:55

IGP-DI de maio desacelera e fica em 0,91%, diz FGV

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) desacelerou no mês de maio ao registrar taxa de 0,91%, após subir 1,02% em abril, informou nesta quarta-feira a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Embora não seja mais usada para reajustar a tarifa de telefone, a taxa acumulada do IGP-DI ainda é utilizada como indexador das dívidas dos Estados com a União. Com o resultado divulgado nesta quarta-feira o indicador acumula altas de 2,89% no ano e de 4,80% em 12 meses.

A FGV também informou o resultado dos três indicadores que compõem o IGP-DI: O IPA-DI, que representa o atacado, também subiu 0,91% no mês passado, após registrar alta de 1,25% em abril; o IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, teve aumento de 0,52% em maio, mesma variação verificada no mês anterior; e o INCC-DI, que mede o impacto de preços na construção, que apresentou elevação de 1,88% no mês passado, em comparação com a taxa de 0,75% de abril.


AGÊNCIA ESTADO



Comente aqui
17 mai09:58

IGP-10 sobe 1,01% em maio, diz FGV

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) subiu 1,01% no mês de maio, depois de avançar 0,70% em abril, informou nesta quinta-feira a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado ficou dentro das previsões dos analistas do mercado financeiro, que esperavam uma taxa entre 0,92% e 1,15%.

Em maio, o IPA-10, um dos três indicadores que compõem o IGP-10, registrou variação de 1,21%, após subir 0,76% em abril. Já o IPC-10 avançou 0,51% em maio, ante elevação de 0,53% no mês passado.

O INCC-10, por sua vez, variou 0,86%, em comparação com o aumento de 0,71% em abril. Até maio, o IGP-10 acumula altas de 2,11% no ano e de 3,90% em 12 meses.


AGÊNCIA BRASIL

Comente aqui
16 mai12:19

Membros do Gabinete de Gestão Integrada se reúnem em Chapecó

Nesta sexta-feira, 18, os membros do Gabinete de Gestão Integrada Estadual (GGI-E) participam, em Chapecó, de uma ampla reunião visando a implantação oficial da Câmara Temática de Fronteira. O diretor-geral do IGP, Rodrigo Tasso, que faz parte do conselho, acompanha a comitiva da Segurança Pública do Estado e participa de inaugurações na quarta-feira, 16, das delegacias de polícia em Ponte Serrada e Pinhalzinho.

A reunião do GGI-E será realizada no Centro de Eventos Plínio Arlindo de Nes, oportunidade em que serão apresentados os projetos do Enafron – Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras, que viabilizará recursos na ordem de R$ 8 milhões para estruturação dos Núcleos Integrados de Inteligência de Fronteira em 29 municípios da faixa de fronteira e aquisição de um helicóptero para atividade de aviação policial, que ficará sediado em Chapecó.

No encontro, também será apresentado o Enafron II, convênio ainda em processo de aprovação em Brasília e que prevê a liberação de R$ 13 milhões para reequipamentos e fortalecimento da capacidade operacional da Polícia Civil, Polícia Militar e Perícia Oficial sediadas nos 11 municípios de faixa de fronteira.

O diretor Tasso participa, ainda, da inauguração do quartel do Corpo de Bombeiros de Saudades e de Campo Erê, além de prestigiar a passagem de comando do 2º Batalhão da Polícia Militar. Na sequência, participa da entrega do Centro de Treinamentos de Desastres, no Corpo de Bombeiros Militar de Xanxerê.

Comente aqui
19 abr17:13

Corpo encontrado na Água Amarela em Chapecó

Um corpo de um homem encontrado por volta das 16h30 de hoje numa propriedade rural próximo da rodovia Angelo Baldissera, na Água Amarela, em Chapecó. O Instituto Geral de Perícias está no local para avaliar a causa da morte.

Há suspeita de homicídio pois um carro foi encontrado abandonado no início da manhã numa horta próximo a SC 283 e à Floresta Nacional de Chapecó, em Guatambu.

O Golf placas de Cascavel/PR, estava sem as rodas e a bateria. A Polícia Militar realizou buscas com o Canil e pelotão de motos até receber a informação do corpo encontrado na Água Amarela.

A Polícia suspeita que o corpo seja do proprietário do veículo. O nome ainda não foi divulgado.


Comente aqui
07 mar11:16

Caso Marcelinho Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Foi encaminhado no final da tarde de ontem, via malote, o parecer da junta médica do Instituto Geral de Perícias (IGP) de Florianópolis sobre as contradições nos laudos sobre a morte do vereador Marcelino Chiarello.

O documento deve chegar hoje no Insituto Geral de Perícias de Chapecó e, em seguida, encaminhado para o delegado responsável pela investigação, Ronaldo Neckel Moretto.


>> Polícia não tem suspeito do caso Chiarello


Ele deve receber o material entre hoje e amanhã. O diretor do IGP, Rodrigo Tasso, disse que o resultado do parecer deve ser divulgado pelo delegado, que foi quem solicitou uma nova avaliação.

O motivo é que há informações divergentes sobre o enforcamento, a lesão no nariz e outra mancha no olho do vereador. O IGP deve marcar uma coletiva para os próximos dias para detalhar os laudos e explicar as contradições.


1 comentário
01 mar09:18

Laudos diferentes sobre caso Chiarello geram desconforto

DarciDebona | darci.debona@diario.com.br

As contradições sobre a morte do vereador Marcelino Chiarello estão deixando as autoridades policiais e o Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina em situação constrangedora. A confirmação de um laudo elaborado pelo Instituto Geral de Perícias indicando suicídio, colocou mais lenha na fogueira. Tudo porque esse laudo entrou em contradição com o primeiro laudo elaborado pelo médico legista de Chapecó, Antonio de Marco, apontava para homicídio. Com isso há dois laudos, cada um com conclusão diferente.

Marcelino Chiarello foi encontrado enforcado no quarto de visitas de sua casa no dia 28 de novembro.  Logo no início da tarde o delegado Alex Passos, ligado ao Partido da República, base da atual administração do município, afirmou que a cena era forjada que os indícios eram de homicídio. Uma coletiva com cinco delegados, entre eles Ronaldo Neckel Moretto e Augusto Brandão, reiterou a tese de homicídio.

Depois de três meses as investigações não apontaram suspeitos do possível crime, a perícia não encontrou provas da presença de terceiros no local do crime e a tese de suicídio tomou força.

Isso gerou reações fortes de lideranças do Partido dos Trabalhadores. –É uma fraude- vociferou indignado o deputado federal Pedro Uczai, presidente do partido e um dos possíveis nomes para concorrer a prefeito na cidade. Uczai afirmou que o laudo do suicídio não explica de forma satisfatória o motivo das lesões no nariz, no olho e na cabeça de Chiarello. Também não explica por que o sangue parece ter corrido na horizontal, entre o nariz e a orelha do vereador, quando deveria escorrer na vertical se ele estivesse “pendurado” na hora da morte. –Esse laudo desafia a lei da gravidade- disse Uczai. –Estão brincando com a inteligência do povo- completou a professora Vanda Casagrande, que era amiga e colega de Marcelino na Escola Pedro Maciel.

>> Laudo e investigações reforçam tese de suicídio no caso Marcelino Chiarello

>> Polícia tem mais 15 dias de prazo e é alvo de protesto

A vereador Angela Vitória (PT) disse que perdeu a confiança na polícia e disse que o celular de Chiarello não foi periciado a tempo, pois 30 dias depois as informações do aparelho se apagam. As lideranças do PT solicitaram que o Ministério Público continue as investigações e vão tentar federalizar o caso.

O presidente do diretório municipal do PSD, João Rodrigues, disse que aguarda a conclusão do inquérito para se manifestar. Ele afirmou que poderá mover ações contra o Partido dos Trabalhadores que tentou relacionar a morte do vereador a denúncias, algumas delas relacionadas à atual administração municipal, que é do PSD. Como pano de fundo da morte do vereador também corre a disputa política na cidade, onde o resultado de sua morte pode ser utilizada combustível na campanha eleitoral.

Uczai nega uso político do caso. O delegado Ronaldo Neckel Moretto disse que nem vai comentar sobre insinuações de que a Polícia não priorizou o caso. -Vou falar na coletiva- disse sobre a entrevista que deve ser marcada para os próximos dias.

O diretor do Instituto Geral de Perícias, Rodrigo Tasso, reconhece que o órgão ficou numa situação difícil, pois há dois laudos com conclusões diferentes. Ele argumenta que algumas situações podem levar a conclusões tanto de suicídio, quando de homicídio. Mas acredita que algum dos peritos se excedeu nas conclusões. Ele afirmou que há um relatório sobre as ligações do celular mas não tinha informações detalhadas.

Uma junta médica composta de três pessoas recebeu ontem o inquérito e deve emitir um parecer até o dia 6 de março, sobre as incompatibilidades entre os laudos.  Mesmo assim o desgaste é inevitável.


5 comentários