Imobiliário

16 jun08:20

Salão do Imóvel e Feirão Caixa é realizado em Chapecó

Apartamentos na planta, novos e usados, salas comerciais, casas e terrenos, serão algumas das opções entre as 9 mil disponibilizadas durante o 7º Salão do Imóvel e o 8º Feirão Caixa da Casa Própria. O evento prossegue até o domingo, dia 17, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, em Chapecó. O atendimento ao público é das 9 às 19 horas, sem fechar ao meio dia.

O coordenador geral dos eventos, Paulo Roberto Benites, ressalta que os empresários estão otimistas e existe uma expectativa elevada de vendas devido as mudanças deste cenário.

- A oferta de crédito de juros mais baixos estimulará a aquisição dos imóveis. Lembrando que a compra da moradia também refletirá em uma melhor qualidade de vida da população – comentou.

Para facilitar a aquisição da casa própria, a Caixa Econômica Federal oferecerá durante o Salão e o Feirão as melhores condições do mercado, proporcionadas pela redução da taxa de juros.

Nos financiamentos de imóveis que não se enquadram no programa “Minha Casa, Minha Vida” com valor de até R$ 500 mil para quem tem conta salário na Caixa ou faça a portabilidade, o índice efetivo caiu para 7,7% ao ano se for servidor público ou 7,8% a.a se for empregado da iniciativa privada.

Para os demais mutuários, com relacionamento na Caixa, a taxa mínima reduziu para 8,3% a.a. Para quem comprar imóvel de até R$ 130 mil e se enquadra no programa “Minha Casa, Minha Vida”, as taxas variam de 4,5% a.a a 8,47% a.a, dependendo da faixa de renda familiar do comprador.

Outra novidade é a ampliação do prazo de financiamento habitacional, com recursos da poupança (SBPE) e alienação fiduciária, para até 35 anos. Para imóveis financiados pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), as taxas diminuíram para 8,85% a.a. para todos os clientes. Esse índice pode chegar a 7,7% a.a. em função do grau de relacionamento e conta salário com o banco. Fora deste sistema, as taxas foram ajustadas para 9,9% a.a. para todos os clientes, podendo chegar a 8,7% a.a.

Nos eventos, a Caixa também divulgará a linha especial de crédito para pessoas que fizeram ou venham a contratar o financiamento no programa “Minha Casa, Minha Vida”, com o intuito de auxiliar na compra do mobiliário. Os juros são de 1% ao mês a 2% a.m. e prazo de até 48 meses.

- As expectativas são positivas, principalmente pelas novidades e diferenciais deste ano. O segmento mostrará os melhores imóveis durante o Salão e o Feirão para atender a demanda crescente no setor habitacional – observa o superintendente regional da Caixa no oeste de Santa Catarina, Ricardo Bier Troglio.


Comente aqui
15 jun11:56

Salão do Imóvel e Feirão Caixa da Casa Própria inicia nesta sexta em Chapecó

Os melhores imóveis de Chapecó serão apresentados pelo setor imobiliário a partir desta sexta-feira, às 14 horas, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, em Chapecó. O 7º Salão do Imóvel e o 8º Feirão Caixa da Casa Própria disponibilizarão aproximadamente 9 mil imóveis, entre apartamentos na planta, novos e usados, salas comerciais, casas e terrenos.

O público poderá conferir os produtos imobiliários nesta sexta-feira das 14 às 19 horas, no sábado, dia 16 e no domingo, 17, das 9 às 19 horas, sem fechar ao meio dia.

Para atender a demanda do setor habitacional as imobiliárias prepararam inúmeros projetos e lançamentos que poderão ser adquiridos pelos visitantes/compradores por meio de financiamento com a Caixa Econômica Federal ou outras formas de pagamento.

- A intenção das empresas é disponibilizar moradias que atendam as reais necessidades dos consumidores – realça o coordenador geral dos eventos, Paulo Roberto Benites.

Os eventos possibilitarão a integração, em um mesmo local, de todos os envolvidos no processo de compra de um imóvel. Benites também enfatiza a segurança das transações imobiliárias firmadas durante o período.

- Conforme o Regimento Interno do Salão do Imóvel e do Feirão Caixa, todos os produtos anunciados estarão devidamente aprovados pela Prefeitura Municipal de Chapecó e regularizados no Registro de Imóveis – complementa.

A preocupação do setor em integrar qualidade de vida e responsabilidade social proporcionará um dos diferenciais deste ano que serão as orientações sobre materiais de construção, em parceria com o curso de Arquitetura e Urbanismo da Unochapecó. Também estão previstos esclarecimentos sobre a compra e venda, condomínios e código do consumidor, por meio do curso de Direito. O intuito é transmitir informações necessárias que auxiliem o comprador a escolher o imóvel adequado às suas necessidades.


Evento

O 7º Salão do Imóvel e o 8º Feirão Caixa da Casa Própria vão reunir 15 imobiliárias e atrair mais de 10 mil visitantes/compradores. Os cerca de 9 mil imóveis ofertados têm um valor de mercado da ordem de R$ 1 bilhão e 500 milhões.

Em relação ao Salão e ao Feirão de 2011, o Secovi/Oeste prevê que o desempenho deste ano terá um incremento de 51% no número de visitantes/compradores, de 50% no número de imóveis vendidos e de 40% no valor das transações totais. Em 2011, foram ofertados 5.000 imóveis e comercializados 730 (130 na feira e mais 600 após o evento) no montante de R$ 115 milhões de reais.


Comente aqui
09 mai10:48

Pense Imóveis: Governo estuda novas regras para facilitar portabilidade do crédito imobiliário

O Ministério da Fazenda confirmou que o governo estuda regras que facilitem a portabilidade do crédito imobiliário. A área técnica do governo está finalizando os estudos, mas não foi divulgada uma data para o anúncio das medidas com os ajustes na portabilidade. A alteração facilitaria a transferência de crédito imobiliário de um banco para outro que oferecesse mais vantagens para o mutuário. A portabilidade, segundo o Ministério da Fazenda, está em vigor desde setembro de 2006.

O assunto passou a ser destaque depois de o governo anunciar a nova regra para a caderneta de poupança, no dia 3 de maio de 2012. A mudança estabeleceu alteração na remuneração da aplicação quando a taxa básica de juros, a Selic, estiver em 8,5% ao ano ou menor do que esse patamar. Nesse caso, o rendimento passa a ser 70% da Selic mais a Taxa Referencial (TR). Atualmente, a Selic está em 9% ao ano. Assim, a remuneração continua sendo 0,5% ao mês mais a TR.

Para tentar esclarecer os poupadores, foi publicada uma lista com perguntas e respostas no site do ministério, incluindo as questões sobre o crédito imobiliário. O ministério procura esclarecer que “não há vinculação direta entre a alteração na remuneração dos novos depósitos de poupança e a redução nas taxas de juros dos financiamentos habitacionais já existentes, até porque estes são instrumentos juridicamente perfeitos que devem ser respeitados.”

>> Confira mais notícias do setor imobiliário no PENSE IMÓVEIS

Por outro lado, o argumento do Ministério da Fazenda é que a redução nas taxas de juros da economia terminará incentivando os bancos a financiarem imóveis a taxas menores do que as dos contratos já firmados e, diante desse quadro, os mutuários devem exercem o direito de portabilidade. Como o governo anunciou a mudança no cálculo da poupança justamente para abrir caminho para uma eventual queda nos juros, os contratos antigos passarão a ser menos vantajosos à medida que as taxas ficarem menores.

No dia 4 de maio 2012, o secretário executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, informou à Agência Brasil que a expectativa do governo é ter, daqui a alguns anos, uma taxa de juros que flutue entre 4% e 8%. De acordo com o boletim Focus do Banco Central (BC), a taxa básica de juros (Selic) que, como o nome diz, serve como base de cálculo para as demais taxas, terminará o ano em 8,5% ao ano.

Os dados do documento, no entanto, refletem dados até o dia 4 de maio, quando começaram a valer as novas regras da poupança. O Comitê de Política Monetária do Banco Central deverá ser reunir nos próximos dias 29 e 30 de maio de 2012 para definir a taxa básica de juros.

O Ministério da Fazenda também esclarece aos mutuários que a mudança na regra na caderneta de poupança não reduzirá o valor da prestação no financiamento da casa própria dos contratos já existentes. Isso porque os contratos de financiamento imobiliário, em sua maioria, apresentam uma taxa fixa, com correção do saldo devedor pela Taxa Referencial (TR) e não dependem diretamente da Selic, embora a mesma taxa tenha certa influência no valor da TR.

O Ministério da Fazenda garante que o risco de um eventual descasamento entre os ativos e passivos da fonte de recursos (funding) do financiamento imobiliários não será alterado, mas descarta a diminuição dos recursos para o crédito habitacional já que não há expectativa de queda no volume dos depósitos em poupança. No dia 8 de maio de 2012, o Banco Central informou que a poupança teve melhor resultado para abril desde 2007, com os depósitos superando as retiradas em R$ 1,977 bilhão.


PENSE IMÓVEIS

Comente aqui
11 abr08:22

Fortalecimento do setor imobiliário no Oeste

Aliar desenvolvimento planejado e sustentável com qualidade de vida nos municípios é uma das bandeiras da nova diretoria do Sindicato do Mercado Imobiliário (Secovi/Oeste). As metas da gestão 2012/2013, bem como os novos diretores serão apresentados nesta quarta-feira, dia 11, a partir das 19h30, no salão nobre do Lang Palace Hotel, durante solenidade festiva de posse.

O novo presidente é o empresário Altir Paludo. Natural de Xavantina é casado com Márcia Regina Cella Paludo. Graduado em Gestão de Negócios Imobiliários pela Unochapecó ele atua no mercado imobiliário há 15 anos. Integrou a gestão 2010/2011 do Secovi/Oeste como diretor de finanças. É sócio-proprietário da Mapa Imóveis.

Também estão à frente da nova gestão o vice-presidente Ademir Roque Sander; 1° tesoureiro Paulo Lindermann; 2° tesoureiro Carlos Eduardo Antonio Chemin; 1ª secretária Vanderléia Maestri Martinelli e 2° secretário Rivelino da Silva.

Integram o Conselho Fiscal Titular: Armelindo Carraro, Paulo Jorge Lise e Neli Gotardi. Os suplentes são Rivelino da Silva, Vanderléia Maestri Martinelli e Sadi Luiz Pasini. Os diretores são: de parcelamento do solo Valdir Baldin, de vendas Paulo Benites e de eventos Sadi Pasini.


Prioridades

A nova diretoria assumiu mandato em 1º de janeiro deste ano e defende o desenvolvimento com qualidade de vida, por isso contribuirá para este cenário apresentando sugestões à administração municipal, bem como acompanhando os projetos que tramitam no Conselho de Desenvolvimento Territorial.

Outra prioridade é a realização da sétima edição do Salão do Imóvel, prevista para o período de 15 a 17 de junho, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes.

O Secovi/Oeste promoverá cursos e palestras voltados ao aperfeiçoamento e capacitação profissional. Segundo Paludo, também haverá a continuidade dos projetos de inclusão do Sindicato no portal nacional que permitirá aos associados divulgar seus imóveis pela internet para todo o Brasil, além da criação de um banco de dados em parceria entre os Secovi’s.

O dirigente antecipa que a intenção da nova diretoria é interagir com toda a região de abrangência, que compõe 91 municípios, buscando novos associados e o fortalecimento da classe.



Comente aqui