INCS

19 set19:46

Galeria casa de carnes em Concórdia

Pensando em incentivar o consumo de carne suína o Instituto Nacional da Carne Suína (INCS) em Concórdia apresenta uma proposta diferente de casa de carnes. A Galeria Casa de Carnes, inaugurada nesta quarta-feira, tem como proposta trazer para a população cortes e derivados exclusivos de carne suína.

No mix de produtos, o destaque é para marcas de pequenos frigoríficos da região do Alto Uruguai Catarinense, que oferecem produtos de qualidade, com sabor artesanal, e que fazem parte de um grupo que busca para seus produtos uma certificação de qualidade e o Selo de Indicação Geográfica da Carne Suína do Meio Oeste Catarinense, ambos os projetos em parceria com INCS.

O Afrib e Frigolaste de Seara, Friprando de Jaborá e Varpi de Concórdia, são os frigoríficos que vão oferecer cortes suínos temperados, recheados, defumados e embutidos. Todos produtos que vão fazer da refeição uma verdadeira experiência de sabor e mostrar que a carne suína é um alimento saudável, de fácil preparo, que pode ganhar a mesa dos brasileiros no dia-a-dia.

O conceito da Galeria Casa de Carnes, porém, ainda vai além da carne suína e também oferece uma gama de produtos sem lactose, que levam a marca Casa da Ovelha. Carnes bovinas e de cordeiro, queijos finos e temperados, geleias e antepastos requintados, cremes balsâmicos, molhos, temperos e conservas também estão a disposição dos clientes. Para acompanhar a refeição, apresenta também uma carta de vinhos nacionais e importados, licores, sucos orgânicos e sucos.


Comente aqui
15 set14:31

Instituto Nacional da Carne Suína presente na Efapi

O Instituto Nacional da Carne Suína (INCS) participa pela primeira vez da maior feira multissetorial do estado a Efapi, que será realizada de sete a 16 de outubro em Chapecó.

A convite do secretário de Agricultura, João Rodrigues, o INCS ficará instalado no estande da Secretária de Estado da Agricultura e da Pesca, localizado próximo a Comissão Central Organizadora (CCO). O estande com aproximadamente 1.600 mil metros vai abrigar uma Mostra de Produtos da Agricultura Familiar, um auditório para palestras temáticas, associações e instituições do setor.

Para o presidente do INCS, Wolmir de Souza, a feira oferece oportunidades de divulgação.

- Nossos produtores precisam de incentivo, principalmente no momento em que o mercado segue instável. A Efapi vai abrir portas onde o INCS será o mediador – disse.

O foco do INCS no evento será a divulgação dos critérios técnicos do Selo de Qualidade da Carne Suína Brasileira que deve ser lançado ainda neste ano. – O processo de certificação da carne será de extrema importância para o setor. Uma nova alternativa que deve abranger todo o segmento de produção, proporcionando assim resultados satisfatórios para toda a cadeia – explica ainda o presidente.

Segundo o secretário da Agricultura a participação do INCS na feira representa a força da entidade diante dos frigoríficos, pequenos e médios produtores.

A feira pretende atrair um público estimado de 520.000 mil pessoas. A Efapi terá 650 expositores e deve movimentar em termos econômicos mais de 125 milhões de reais.


Comente aqui
09 set15:43

Carne Suína Brasileira terá Selo de Qualidade

Pensando na garantia de qualidade para o consumidor brasileiro, na valorização do produto feito por frigoríficos e no aumento do consumo interno, o INCS deve lançar ainda neste ano o Selo de Qualidade da Carne Suína Brasileira.



Nesta semana representantes do instituto se reuniram em Concórdia, berço da suinocultura brasileira, para tratar do processo de certificação. O presidente do INCS, Wolmir de Souza, explica que a criação do Selo exige muita cautela e normas técnicas.

- Já estamos na segunda etapa da proposta, a primeira foi a estruturação do selo, agora efetivamente estamos colocando em prática o projeto, acredito que o Selo seja a melhor alternativa para viabilizar o segmento de produção como um todo, propondo resultados para a toda a cadeia – destaca.

A intenção do INCS é incentivar os pequenos, médios e até grandes frigoríficos, que estão fora do grande conglomerado agroindustrial, quanto à ampliação das vendas. Para Souza, esses frigoríficos são os que fomentam o consumo interno e a produção de suínos que oferece resultados.

Na prática, a suinocultura brasileira possui dois sistemas de produção, integrada e independente. Mas para Souza, o independente já possui outro perfil, que merece ser reconhecido pela qualidade de produção. – Isso o Selo oferecerá, e o consumidor é quem terá essa garantia – declara.


Comente aqui