Industrial

23 jul15:32

Terraplanagem é realizada no Distrito Industrial de Chapecó

[Atualizado 16h47]

O Distrito Industrial Flávio Baldissera está recebendo terraplanagem em uma área que deve novos empreendimentos. A pavimentação do acesso e vias internas está em fase de conclusão. De acordo com o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Chapecó, Diógenes Lang, serão asfaltados 4,3 quilômetros, com um investimento de R$ 9.312.972,90.

Atualmente, o Distrito conta com 13 empreendimentos instalados e 18 em fase de instalação. As novas empresas serão de setores diversificados como metalmecânico, moveleiro, alimentos, plásticos e artigos decorativos.

- O principal objetivo dos investimentos no Distrito Industrial é a geração de empregos – disse o secretário.

Todos os procedimentos relativos ao Distrito Industrial são deliberados e aprovados pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico.

- O Conselho, formado por representantes da sociedade civil organizada e da Administração Municipal, analisa cada um dos processos relativos a concessão de incentivos fiscais e estímulos materiais -  destaca Lang.


Comente aqui
27 mai14:42

ACIC: 65 anos em defesa de quem produz e desenvolve Chapecó

A infraestruturação do oeste catarinense, o fortalecimento das classes empresariais e o desenvolvimento harmônico da comunidade compõe o quadro de prioridades da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) no seu 65o aniversário de fundação, festejado neste mês de maio. Presidida por Maurício Zolet, a entidade atinge plena maturidade institucional e com prestígio e reconhecimento em todo o sul do Brasil.

Zolet nasceu em Chapecó em 16 de janeiro de 1966, tem 46 anos, é pai de dois filhos (Débora e Eduardo) e casado com Rosangela Huk Amarante. Graduou-se engenheiro agrônomo, pós-graduou-se pela Fundação Getúlio Vagas em Gestão Empresarial e, pela Unochapecó em Desenvolvimento Gerencial. É diretor da Zolet Fotografias e sócio da Zolet Imóveis. Teve ampla atuação na ACIC, foi diretor administrativo nas gestões 2000/2001, 2008/2009 e vice-presidente na gestão 2010/2011. Integra o Conselho de Desenvolvimento Econômico e o Conselho de Desenvolvimento Territorial de Chapecó.


Em que condições institucionais e organizacionais a ACIC chega aos 65o ano de fundação?

Maurício Zolet – A ACIC completa 65 anos como uma das mais respeitadas entidades empresariais de Santa Catarina, reconhecida por sua atuação independente e apartidária, orientada pelos interesses da comunidade e motivada pela defesa da liberdade econômica, pela igualdade de oportunidades e pela representação dinâmica dos empresários e demais classes produtoras de Chapecó. Dispomos de estrutura própria, uma diligente equipe de colaboradores, um quadro diretivo de alta representatividade, incluindo a Diretoria Executiva, o Conselho Deliberativo e o Conselho Consultivo, além de um quadro social com empresários e empreendedores de todas as áreas da atividade econômica que representam 85% do PIB chapecoense.


O que mudou na atuação da ACIC nessas seis décadas e meia?

Zolet – Na essência, os ideais e os compromissos são os mesmos. Quando o pioneiro Serafim Enoss Bertaso fundou e presidiu a ACIC nos idos de 1947, as questões que envolviam a economia local e regional eram de relativa complexidade e as ações se voltavam para a integração do “Velho Chapecó” ao território catarinense, eis que era uma região abandonada, distante da capital, cujos habitantes nutriam forte vinculação ao Rio Grande do Sul e quase nenhuma a Santa Catarina. Hoje essa situação mudou: o oeste está integrado ao território, à cultura, à comunicação social e à política catarinense. Agora, a atuação da ACIC se volta para a defesa técnica e política do empresariado e para a sustentação de importantes bandeiras de interesse regional, como a infraestruturação do oeste.


Ao contrário do que muitos pensam, a ação da ACIC tem forte conteúdo social, comunitário e político, porém não partidário!

Zolet – Exatamente, cumprimos um papel político – que não é e jamais será partidário – mas que convoca o cidadão que há por trás de cada empresário para exercer seus direitos, participar e dar sua cota de contribuição, exigir maior diligência dos órgãos públicos, maior eficiência do administrador público e justiça fiscal do Estado. Atuando nesta direção, contribuímos para erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades regionais.


Quais são as metas de alta prioridade da ACIC para este biênio?

Zolet – Do setor privado queremos a conscientização e a participação cada vez maior dos empresários nas ações e mobilizações que promovemos. Do setor público queremos mais investimentos no grande oeste de SC. Sustentaremos importantes bandeiras, entre elas, a recuperação da rodovia BR-282 com a duplicação ou construção da terceira pista, duplicação do acesso rodoviário norte, construção das ferrovias leste-oeste e norte-sul, modernização do aeroporto Serafim Bertaso que se encontra em fase de obras e criação de um novo parque de exposições multiuso.


O parque multiuso é um projeto arrojado e totalmente novo na esfera de atuação da entidade?

Zolet – Em face das demandas das feiras técnicas e das feiras de massa surgiu, ainda na gestão do presidente João Carlos Stakonski, a necessidade de um novo parque de exposições. Com a assessoria da arquiteta Márcia Damo elaboramos estudos e projeto para um moderno e infraestruturado parque multieventos, contemplando pista de automobilismo, kart, arrancada, rodeios, motociclismo e arena multiuso, entre outros equipamentos.


O Projeto Chapecó MultiParque resulta do fato da ACIC ser protagonista de grandes eventos e da importância econômica das feiras para a região?

Zolet – A ACIC promove ou apoia importantes eventos e grandes feiras e exposições, como a Expen, Ercoex, Mercoagro, Mercoláctea, Efapi etc. As feiras dinamizam a econômica, geram empregos, oportunizam negócios e fortalecem a posição de Chapecó e do oeste na contextura nacional e internacional. O aumento da complexidade desses eventos requer um novo e estruturado espaço, o que pretendemos conquistar mediante parceria público-privada nos próximos anos.


A segurança pública em Chapecó tem sido uma questão de permanente atenção da ACIC. Ela continua na pauta de reivindicações?

Zolet – Tivemos melhorias parciais que se constituem em avanços, mas não solucionam a problemática. Obtivemos progresso de relativa importância, com aumento do efetivo e de equipamento. A ACIC intensificará a defesa pela ampliação de investimentos na segurança pública porque nós queremos o fortalecimento do aparelho de segurança pública de Chapecó com recursos materiais e humanos para neutralizar o crescimento da criminalidade e da violência no município. Na área da Polícia Militar, reivindicamos a formação de novas turmas de policiais militares e sua lotação em Chapecó para preencher as vagas existentes na corporação local, entre outros itens. Na esfera da Polícia Civil, os pedidos são, basicamente, de reforço no efetivo na forma de delegados, investigadores e escrivões.


Por que a campanha por ferrovias se tornou uma questão de vida ou morte para o grande oeste catarinense?

Zolet – Porque se trata, realmente, de uma questão de vida ou morte: a permanência das agroindústrias no oeste catarinense dependerá da construção da ferrovia intraterritorial leste-oeste (ligando a região produtora aos portos catarinenses) e ferrovia interestadual norte-sul (ligando Chapecó ao Mato Grosso do Sul). A região importa mais de 2 milhões de toneladas desse grão por ano e necessita de uma ferrovia para unir os dois pólos (oeste de SC e Brasil central) – levando o alimento industrializado para as grandes cidades e trazendo, principalmente, milho e soja. A ausência de ferrovia está retirando a competitividade regional e fazendo empresas catarinenses migrarem para o centro do país. O custo de transporte, caso mantenha-se a atual matriz, deverá inviabilizar grandes empreendimentos do agronegócio catarinense. O transporte rodoviário para longas distâncias e grandes volumes não se sustenta no longo prazo pelo seu componente de custos.

Também é de vital importância para a cadeia produtiva da avicultura a ferrovia leste-oeste, também chamada de “Ferrovia do Frango”, ligando a região produtora com os portos catarinenses. Todo transporte está baseado em rodovias, as quais são gargalos em SC pelo subdimensionamento, congestionamento, morosidade, etc, que propiciam consumo excessivo de combustíveis, muitos acidentes, custos altos e um impacto ambiental desnecessário.



Comente aqui
17 jan10:13

Inaugurada fábrica de rações no Novo Distrito Industrial de Abelardo Luz

Aconteceu na noite da sexta-feira, 13, a solenidade de inauguração do mais novo empreendimento industrial de Abelardo Luz. Trata-se da Vipet Food’s Brasil LTDA que irá produzir rações para cães, gatos, peixes, aves e suínos. A previsão é iniciar as atividades com um turno de oito horas e gerar mais de 110 empregos diretos, sendo 40 deles para jovens iniciantes no mercado de trabalho.

O ato inaugural contou com a presença do prefeito Dilmar Fantinelli e outras autoridades locais e da região.  – Estamos felizes com mais essa grande conquista para Abelardo Luz. É o primeiro empreendimento de muitos que vamos instalar nesse local para gerar mais oportunidades de emprego em nosso município – destacou Fantinelli.

A fábrica de ração ocupa uma área de 28 mil metros quadrados e tem capacidade de produzir por dia 144 toneladas de ração para cães e gatos, 180 toneladas de rações e concentrados para aves e suínos e mais 180 toneladas da linha de sais minerais e núcleo vitamínicos. A produção vai atender o mercado interno, abastecendo principalmente os estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Um dos motivos que levaram a empresa se instalar em Abelardo Luz foi a localização geográfica, além dos incentivos oferecidos pela administração municipal.

O novo distrito industrial de Abelardo Luz está localizado às margens da rodovia SC 467, Km 20, saída para Xanxerê. O local possui uma área total de 96.800 metros quadrados e tem capacidade para comportar até 15 empresas de médio e pequeno porte. Entre os incentivos oferecidos pelo município as novas empresas estão: terraplenagem, pavimentação, luz e água, entre outros.


Novas empresas

Além da Vipet Food´s, mais nove empresas já estão confirmadas para se instalar no local ainda este ano: Vernox, fabricação e comércio atacadista de máquinas e equipamentos de refrigeração; Jaque Metal Estruturas metálicas; Pavforte Artefatos de Concreto LTDA; San Rafael, comércio de sementes e implementos agrícolas; Idicar Auto Peças de veículos novos e seminovos; Signor & Signor Retífica de motores; Transper Indústria e Comércio de persianas/divisórias; e Dalcionei Stella ME, prestadora de serviços de manutenção e reparação mecânica de veículos.

Comente aqui
11 jan14:59

Senai Chapecó terá pós em Manutenção Industrial

A unidade do Senai em Chapecó está com inscrições abertas para seu programa de pós-graduação em Engenharia de Manutenção Industrial, que será realizado em parceria com o Senai de Joinville. O curso é voltado a engenheiros e tecnólogos que atuem como em cargos de chefia de setores de manutenção ou que aspirem ao cargo. Mais informações pelo fone 0800 48 1212 e no site www.sc.senai.br .

Para formar profissionais capazes de aumentar a disponibilidade de equipamentos produtivos com menor curso e maior segurança (aumentando assim a capacidade produtiva das indústrias), o curso foi organizado de forma a abordar diversos aspectos. Entre eles: gestão da qualidade, custos, pessoas e conhecimentos técnicos (procedimentos de manutenção, solda, comandos pneumáticos, eletroeletrônica, controle e automação etc),m totalizando 396 horas.

As aulas iniciam no final de março e serão realizadas em Chapecó, nas noites de sexta e dia de sábado.


Comente aqui
08 jan14:57

Definidos os principais shows da Efaics 2012

A Comissão Central Organizadora da Efaics 2012 definiu as principais atrações da Exposição Feira Agropecuária Industrial e Comercial de Seara. O evento, que será nos dias 30 e 31 de março, primeiro e 02 de abril, marca os 58 anos do município e terá dois shows nacionais além de várias atrações de níveis regionais e estaduais. No dia 31 de março, show com a dupla sertaneja João Neto e Frederico e no dia primeiro de abril a atração será a dupla Marcos e Belutti.

Algumas atrações, os locais, horários e valores de ingressos devem ser confirmados nos próximos dias, completando a programação da Efaics 2012. A feira já tem suas representantes oficiais, Jéssica Paludo é a rainha acompanhada das princesas Dirlei de Marchi e Daiane Regina Alflen.

A CDL de Seara está definindo os valores dos estandes e a comercialização dos espaços para os expositores inicia a partir do dia 15 de Janeiro. Serão disponibilizados cerca de 80 estandes para as empresas, sendo 50 internas e 30 externas. A quinta edição da Efaics será realizada no complexo esportivo do Bairro Industrial e campo da ADCS.


Comente aqui
15 dez17:43

Distrito Industrial II

O Governo Municipal de Abelardo Luz, através da secretaria de Infraestrutura, iniciou os trabalhos de terraplenagens para instalação de novas empresas no Distrito Industrial II. O local vai abrigar inicialmente nove empresas e gerar mais de 200 empregos diretos.

Entre as novas empresas que vão se instalar no local estão: Vipet Food’s do Brasil, Vernox, Jaque Metal Estruturas Metálicas; Pavforte Artefatos de Concreto LTDA; San Rafael; Idicar Auto Peças; Signor & Signor Retífica de Motores; Transper Indústria e Comércio de Persianas e a prestadora de serviços Dalcionei Stella ME. Os novos empreendimentos industriais juntos somam mais de R$ 10 milhões em investimentos.

O novo distrito industrial de Abelardo Luz está localizado em uma área de 96.800 mil metros quadrados, às margens SC 467, na saída para Xanxerê. A área foi adquirida pela prefeitura em 2009 e faz parte dos investimentos para geração de emprego e desenvolvimento econômico do município.

Inauguração

Uma das primeiras empresas a ser instalada no local é a Vipet Food’s do Brasil, fábrica de ração para cães e gatos. O empreendimento será inaugurado no dia 13 de janeiro e deve gerar 110 empregos diretos, sendo 40 deles para jovens iniciantes no mercado de trabalho.


Comente aqui
12 dez15:17

Novas empresas no Distrito Industrial de Chapecó

Com o intuito de promover o desenvolvimento e a expansão da capacidade produtiva da cidade de Chapecó, a Administração Municipal entregou 10 lotes situados no Distrito Industrial Flávio Baldissera, na região do Rodeio Chato. As áreas industriais foram licitadas através do edital de concorrência nº 294/2010, na modalidade de melhor proposta técnica, com processo analisado pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico.

As nove unidades a serem instaladas vão operar em diversos segmentos. Dentre eles na automação industrial e na fabricação de estruturas metálicas, embalagens plásticas, máquinas e equipamentos industriais, esquadrias de metal e produtos alimentícios. Os investimentos totais em infraestrutura por parte das empresas chegam aos R$ 23,3 milhões. – De imediato, os novos empreendimentos vão gerar cerca de 200 novos postos de trabalho. São novas oportunidades surgindo para o cidadão chapecoense – destaca o Prefeito.

Para auxiliar e facilitar a instalação das unidades, a Prefeitura, amparada pela Lei de incentivos fiscais nº 4093 de 16 de dezembro de 1999, vai realizar diversos trabalhos de infraestrutura nos terrenos, como terraplanagem e drenagem de vias.


Investimentos no Distrito

Atualmente, o Distrito Industrial possui 13 empresas instaladas e 11 em fase de instalação. Com os nove novos empreendimentos, o local estará praticamente com a capacidade esgotada. Para oferecer mais comodidade, facilidade de transporte e diminuição de custos, a Prefeitura está investindo na pavimentação asfáltica do local.

O acesso ao Distrito que liga à SC 480, na saída para o Rio Grande do Sul, tem 1,9 Km de extensão e o estágio das obras já encontra-se em ritmo acelerado. Já as ruas internas somam mais 1,9 Km e estão praticamente concluídas. A Prefeitura de Chapecó vai investir R$ 8 milhões nesta obra, recursos previstos através do financiamento com o Fonplata.


Comente aqui