Infecções

09 mai16:02

Um em cada seis casos de câncer no mundo é causado por infecções

O estudo The Lancet Oncology, dirigido por Catherine de Martel e Martyn Plummer, da Agência Internacional de Investigação sobre o Câncer da França (IARC), divulgado nesta quarta-feira (9) pelo jornal El País, afirma que medidas simples, como a vacinação para tratar infecções, podem evitar o surgimento de vários tipos de câncer, principalmente relacionados ao vírus papiloma e ao da hepatite. Os agentes infecciosos dessas doenças são responsáveis por 2 milhões de casos de câncer no mundo.

Vacinas e antibióticos podem evitar infecções causadoras de câncer.

Dos 7,5 milhões de casos de câncer registrados em 2008, 1,5 milhão poderia ter sido evitado se a infecção fosse tratada previamente. De acordo com a pesquisa, o câncer pode ser a consequência de uma doença de fácil prevenção, como infecções virais, que podem ser tratadas com vacinas, e bacterianas, que podem ser tratadas com antibióticos.

Na Nova Zelândia a proporção de tumores originados de infecções corresponde à pouco mais de 3%, enquanto na África chega a 32,7% dos casos. Por isso, o pesquisador Goodarz Danaei, da Faculdade de Medicina de Harvard, indica que este estudo demostra que é possível combater o câncer ampliando programa preventivos, especialmente a oferta de vacinas contra hepatites B e o papiloma, responsáveis por grande parte dos tumores hepáticos e genitais.


VIDA E SAÚDE



Comente aqui
02 mai20:02

Frio e vento deixam a pele mais vulnerável a infecções e alergias

Com a chegada do frio, a pele necessita de atenção especial. Nesta época do ano é comum tomarmos banho quente, e isso é um dos principais fatores para a retirada da camada de proteção natural da pele, como afirma a dermatologista Annia Cordeiro Lourenço.

— O óleo natural funciona como uma camada de proteção para evitar a penetração de bactérias, fungos e vírus presentes nos ar. Além disso, esse óleo faz uma ‘barreira’ entre a pele e substâncias que podem causar alergia como mofo, fibras de tecidos ou poeiras — diz Annia.

Segundo a dermatologista, o frio acaba desestimulando os cuidados básicos com a pele, como o uso do hidratante. O ressecamento da pele acaba contribuindo para o surgimento ou agravamento de doenças como alergias, dermatites de contato, entre outras.

— Apesar de ter muitas causas, a caspa (seborréia do couro cabeludo) também costuma despontar nessa época. As pessoas que normalmente apresentam o problema deve prevenir, usando xampu anti-caspa logo que o clima esfriar e mantê-los durante todo o inverno — recomenda.

Cremes e loções hidratantes devem ser usados diariamente, principalmente após o banho. O ideal é utilizar produtos diferentes para o rosto e para o corpo, pois a pele varia nas duas regiões, e não esquecer áreas como joelho e cotovelos, que tendem a ser mais secas.

— Pessoas com pele oleosa, devem optar para um produto específico sem óleo em sua composição — afirma a dermatologista.

A temperatura e o tempo do banho, também devem ser considerados.

— Ninguém precisa tomar banho frio. O importante é que sejam banhos mais curtos e que a água não esteja tão quente a ponto de deixar a pele vermelha. Além disso, abra mão das esponjas e não exagere no sabão. Prefira os sabonetes neutros ou com hidratantes na sua fórmula — indica Annia.

Outro produto que não deve ser esquecido é o protetor solar. Independente da estação do ano, ele é indispensável para evitar danos causados pelos raios do sol.


VIDA E SAÚDE



Comente aqui