Mama

01 mai17:54

Conheça seu inimigo: pesquisa revela genética do câncer de mama

Conheça seu inimigo. Graças ao desenvolvimento das tecnologias de sequenciamento genético e biologia molecular, a máxima do filósofo e estrategista chinês Sun Tzu, autor de “A arte da guerra”, é uma arma cada vez mais usada por médicos e cientistas na chamada medicina personalizada. E um dos principais alvos deste ataque é o câncer, uma das doenças que mais assustam – e matam – pessoas em todo o mundo.

Há alguns anos, por exemplo, sabe-se que o câncer de mama pode ser dividido em dois tipos básicos, com marcadores genéticos que podem ajudar a guiar o tratamento mais eficaz contra cada um deles. Agora, no entanto, um estudo inédito revelou que existem ao menos dez subtipos de tumores de mama, fornecendo um mapa ainda mais detalhado para combater a doença, que anualmente registra cerca de 1 milhão de novos casos no planeta, 50 mil deles no Brasil.

Pela primeira vez, cientistas da Agência de Câncer de British Columbia, no Canadá, e da Cancer UK, do Reino Unido, analisaram o DNA e o RNA (dois tipos de códigos genéticos presentes nas células) de quase 2 mil tumores de mama recolhidos nos dois países nos últimos 20 anos e relacionaram os dados com o histórico clínico e tratamento recebido pelas pacientes. Com isso, eles puderam classificá-los em dez novas categorias de acordo com seu perfil genético, além de prever quais seriam os mais facilmente tratáveis e os extremamente agressivos, isto é, com mais chances de reincidirem, se espalharem pelo resto do organismo e levarem à morte. Segundo os pesquisadores, as diferenças tanto do ponto de vista molecular quanto dos prognósticos são tão grandes que é quase se fossem doenças completamente distintas agrupadas sob a égide de câncer de mama.

- Com os tipos que conhecíamos já podíamos direcionar os tratamentos, mas baseados em apenas dois marcadores principais – conta Sohrab Shah, pesquisador da agência canadense e coautor do estudo, publicado na edição desta semana da revista “Nature”.

- Agora, no entanto, temos dados moleculares e genômicos que nos ajudam a explicar por que mulheres com o mesmo tipo antes conhecido tinham respostas tão diferentes ao mesmo tratamento. Isso significa que mulheres que hoje são diagnosticadas e tratadas de uma maneira mais ou menos uniforme poderão, no futuro, receber tratamentos guiados pela assinatura genética de seus tumores – disse.

Mas as vias abertas pelo estudo para o combate ao câncer de mama vão ainda mais além, destaca Shah. De acordo com ele, a pesquisa também revelou novos genes que, antes, não se sabiam estar relacionados ao surgimento da doença, assim como os mecanismos que levam ao desenvolvimento dos tumores. Com isso, ele acredita que será possível criar novas drogas que tenham como alvo processos específicos de cada subtipo de tumor, aumentando a eficiência das terapias. Ele reconhece, no entanto, que o primeiro passo é criar testes confiáveis e baratos para os médicos determinarem com qual das novas categorias de câncer de mama estão lidando.

- Podemos vislumbrar que isso acontecerá, mas antes precisamos pesquisar mais e é difícil dizer quando isso tudo vai estar disponível – admite.

- O importante, porém, é que hoje temos um mapa mais completo para guiar nossa viagem, uma ferramenta que nos permite fazer prognósticos e trabalhar na busca de diagnósticos personalizados e novas terapias com alvos específicos.

Marcos Pinho, coordenador de pesquisa e desenvolvimento da Progenética Diagnósticos Moleculares, lembra que já existem diversos dos chamados medicamentos alvo-específicos desenvolvidos graças a estudos como este. Segundo ele, mapear o perfil molecular do câncer e começar a tratar seus subgrupos individualmente aumentam em muito a chance de uma resposta positiva ao primeiro ataque contra a doença, com a vantagem de reduzir os custos da terapia e de poupar o paciente do desgaste físico e emocional de um tratamento sem resultados.

- A filosofia de um tratamento único, padrão, contra uma doença como o câncer está caindo – afirma. – Do ponto de vista macroscópico, e mesmo do microscópico, os tumores são muito parecidos, mas no nível molecular eles podem ser completamente diferentes. Assim, estudos como esse são fundamentais como pilares para direcionar tratamentos mais personalizados. Poderemos saber não só quais alterações genéticas levaram ao aparecimento do tumor como quais estão guiando seu crescimento e quais remédios ou drogas, existentes ou que venham a ser criadas em função desses estudos, são mais eficientes para atacar aquele determinado subtipo.


Comente aqui
09 out13:18

Outubro Rosa em Seara

RBSTV Chapecó

Em Seara, a Rede Feminina aproveitou o sábado para intensificar ações de combate ao câncer de mama e do colo do útero. Na data também foi lançado oficialmente o Outubro Rosa.

O movimento ganhou as ruas da cidade. O rosa está presente nas vitrines das lojas, nas roupas das atendentes, e também em placas de publicidade. Não satisfeita, a rede feminina decidiu promover um Dia D de Prevenção. A primeira atividade desenvolvida pelo grupo neste sábado, dia oito, foi a distribuição de material informativo. Nos panfletos dicas de como evitar, como diagnosticar e também como tratar o câncer de mama e do útero.

Em parceria com a secretaria municipal de saúde também foram oferecidos exames preventivos. Cerca de 100 mulheres foram atendidas na sede da Rede Feminina.

Durante este sábado também foi lançada a pedra fundamental da nova sede da Rede Feminina de Combate ao Câncer. Mais uma conquista para as mulheres de Seara.

Além das atividades desenvolvidas neste sábado, a Rede Feminina de Seara programou várias outras ações ligadas à prevenção para este mês de outubro. A programação completa do Outubro Rosa de Seara está disponível na sede da entidade.


Chapecó no Outubro Rosa

O Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes deve ganhar uma iluminação rosada nesta segunda, dia 10.


Comente aqui
04 out16:57

Câncer de Mama

Reforçar a importância da prevenção e diagnóstico precoce. Com este objetivo a Unimed Chapecó, com o apoio da Prefeitura Municipal de Chapecó e Secretaria Municipal da Saúde, promove uma série de atividades que marcam o mês Internacional da Saúde Mamária – conhecido mundialmente como Outubro Rosa.

O destaque da programação é a palestra com a presidente da Federação Brasileira de Instituições em Apoio a Saúde da Mama (Femana – POA), Maira Caleffi, no dia 10 de outubro, às 19 horas, no Centro de Eventos Plínio Arlindo de Nes, em Chapecó, que receberá iluminação cor de rosa. Em seguida, haverá apresentação da peça “As Comadres” – Cia do Avesso. Para participar é necessário levar 1 kg de alimento não perecível.

A programação também inclui orientações sobre saúde da mama, panfletagem na Efapi 2011 e na Avenida Getúlio Vargas e o 2º Workshop Dia Rosa, no dia 27 de outubro. A ação é destinada às mulheres que tiveram diagnóstico de câncer de mama e que fazem tratamento e/ou acompanhamento no Centro de Oncologia e na Rede Feminina de Combate ao Câncer e demais interessadas. A atividade será realizada no auditório da Rede Feminina de Combate ao Câncer e será conduzida pelas psicólogas e nutricionistas da Unimed Chapecó.

Outubro Rosa

O “Outubro Rosa” é um movimento popular reconhecido internacionalmente, que surgiu no Estado da Califórnia (Estados Unidos) em 1997. Posteriormente, com a aprovação do Congresso Americano, o mês de outubro tornou-se o mês de prevenção do câncer de mama. Atualmente é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.

Estatísticas

Em Santa Catarina, as estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA) para o ano de 2010 apontam o diagnóstico de 1.570 casos. No Brasil, esse número é de 49.240 casos. Dados do Inca revelam que o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo e o mais comum entre as mulheres. A cada ano, cerca de 22% dos casos novos de câncer em mulheres são de mama.


Comente aqui
01 out17:22

Santa Catarina adere ao Outubro Rosa

Santa Catarina aderiu ao Outubro Rosa, o movimento mundial pela prevenção ao câncer de mama. Um recital com sete corais e 300 vozes abriu a programação nas escadarias da Catedral Metropolitana, no Centro de Florianópolis. A figueira da Praça XV de Novembro, também no Centro, já está iluminada em tons rosáceos. Na região Oeste, cidades como Xanxerê, Concórdia e Seara tem programação especial.

A cor também estará no Lago das Bandeiras, monumento Sesquicentenário, Beiramar Shopping e vitrines de Florianópolis. Em Joaçaba, no Meio-Oeste catarinense, o Monumento Frei Bruno também está iluminado pelo rosa. Os monumentos e prédios devem permanecer coloridos até o fim de outubro.

Em Concórdia, foi organizada uma mostra fotográfica na Galeria Municipal de Artes, no Quiosque Central da cidade. Em Xanxerê o prédio da Administração Municipal recebeu dois laços rosas. Já em Seara foi sancionada uma Lei  que institui o Outubro Rosa no município.

Em Chapecó o Centro de Cultura e Eventos deve ser iluminado.


Luta mundial ao combate ao câncer de mama

A cor rosa é o símbolo mundial do movimento. A Torre de Pisa e o Coliseu, na Itália, o Arco do Triunfo, na França, e a Casa Branca, nos Estados Unidos, já aderiram à iniciativa, que chegou ao Brasil em 2006.


Comente aqui
30 set11:39

Seara adere ao Outubro Rosa

Uma programação especial vai marcar o Outubro Rosa em Seara. A Secretaria da Saúde e Rede Feminina de Combate ao Câncer em parceria com o Hospital São Roque e todas as Secretarias e Fundações Municipais, promovem diversas ações de conscientização e prevenção sobre o câncer de mama.

No dia oito de outubro, a partir das 9 horas, esta programada uma caminhada na Avenida Anita Garibaldi até a Rua Maurício Cardoso. Neste dia acontece também o ato solene de lançamento da pedra fundamental da sede própria da Rede Feminina de Combate ao Câncer.

Durante o sábado será realizado o Dia “D” do Preventivo, com coletas de material para exame de prevenção do câncer de colo de útero e encaminhamentos e realização de exames de mamografia. Os atendimentos serão concentrados na atual sede da Rede Feminina e no Posto de Saúde do Bairro São João, das 09h às 16 horas, e as mamografias serão no Hospital São Roque.

A Presidente da Rede Feminina Gersemina Paludo, disse que esse dia é para as mulheres aproveitarem a oportunidade e fazer o exame preventivo, o exame é indolor, simples e rápido. Na oportunidade serão distribuídos folders educativos e o laço rosa, símbolo da campanha.

Lei regulamenta o Outubro Rosa

Foi sancionada nesta semana a Lei n° 1657, de 29 de Setembro de 2011, que institui o Outubro Rosa em Seara. Tendo como finalidade, a adesão ao movimento nacional e mundial em prol da divulgação da prevenção e dos perigos do câncer de mama, com o objetivo de reforçar as ações de prevenção e identificação precoce das pessoas portadoras de neoplasia da mama. A partir da aprovação da Lei, todos os anos no mês de Outubro, haverá a comemoração, divulgação e trabalhos de prevenção ao câncer de mama.


Comente aqui
29 set16:06

Outubro Rosa

Com o objetivo de conscientizar cada vez mais pessoas sobre os alarmantes números do câncer de mama, a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Xanxerê está preparando diversas atividades para marcar o Outubro Rosa.

O movimento criado há mais de dez anos nas cidades de Yuba e Lodi, na Califórnia, escolheu o mês de outubro como data para luta contra o câncer de mama.

Durante o mês de outubro, diversos eventos vão colorir de cor-de-rosa importantes pontos do país para alertar a população sobre a importância da mamografia periódica para todas as mulheres com mais de 40 anos e do diagnóstico precoce. O exame mamográfico é o melhor meio para detectar tumores ainda em fase inicial, possibilitando a cura em até 95% dos casos.

A Prefeitura de Xanxerê aderiu nesta quinta-feira ao movimento, que inicia no sábado, dia primeiro. Pela manhã alguns servidores municipais trabalharam na colocação de dois laços gigantes na fachada do prédio da administração municipal.

Empresas e outras entidades também pode participar da campanha. Dúvidas pelo telefone (49) 34337444.


Comente aqui
31 ago10:37

Mais de 2 mil mamografias

Desde a instalação do mamógrafo, em abril de 2010, já foram realizados 2.305 mamografias no Hospital São Roque, em Seara. O equipamento que realiza em média 150 exames por mês, atende seis municípios: Ipumirim, Arvoredo, Alto Bela Vista, Lindóia do Sul, Arabutã e Itá.

O equipamento foi adquirido em junho de 2006 em parceria com o Governo do Estado, com custo de R$160 mil e por não atender as determinações da Anvisa, não estava sendo utilizado. Com intervenção da Promotoria de Justiça de Seara, a Prefeitura conseguiu um acordo com a empresa vencedora da licitação e realizou a troca do mamógrafo.

De acordo com a secretária da Saúde Kerstin Lohmann, o acesso à saúde é um direito de todos e a implantação do mamógrafo em Seara era de extrema importância e urgência. Os exames são realizados por técnicas capacitadas e beneficiam, além das searaenses, pacientes de toda a região. Mulheres acima de 40 anos são encaminhadas pelo Sistema Único de Saúde gratuitamente.

O que é a Mamografia?

A mamografia é um tipo de radiografia especial, realizada em aparelhos específicos para avaliação das mamas. A mamografia de rotina é a melhor oportunidade de detectar precocemente qualquer alteração nas mamas antes até que o paciente ou médico possam notá-las.

Cuidados para evitar o câncer de mama

A herança genética, a obesidade e o número elevado de ciclos menstruais estão entre os principais fatores que estimulam o surgimento do câncer de mama. Algumas das precauções que podem ser tomadas são: fazer visitas anuais ao ginecologista, realizar o auto-exame uma vez por mês e submeter-se ao exame de mamografia anualmente após os 40 anos.

Comente aqui