Ministério da Saúde

25 jul16:12

Ministério da Saúde anuncia novos medicamentos para tratar hepatites virais

Duas medicações contra a hepatite C estarão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de 2013, conforme anunciou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. De acordo com o ministério, os medicamentos telaprevir e boceprevir têm 80% de eficácia e irão beneficiar 5,5 mil pacientes, portadores de cirrose e fibrose avançada. No total, 26,6 mil pessoas estão em tratamento contra hepatite B e C pelo SUS no país.

— Estamos dando um passo decisivo no combate às hepatites virais, com a introdução desses medicamentos no SUS — disse Padilha.

O ministro destacou ainda a importância de ampliar o diagnóstico. Nesse sentido, o governo pretende aumentar o acesso a testes rápidos para diagnosticar hepatites. No ano passado, foram feitos 30 mil testes. Até julho deste ano, já foram feitos mais de 400 mil testes.

Os dados foram apresentados em coletiva de imprensa realizada em Brasília na tarde desta quarta-feira, marcando o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, celebrado em 28 de julho, e o lançamento da campanha de combate às hepatites virais, com ações de diagnóstico e prevenção, além de metas para o enfrentamento dessas enfermidades. Foram apresentados também os números mais recentes de hepatites virais no Brasil.


Veja alguns números destacados na coletiva:

:: Houve queda de casos de hepatite A, à medida que melhoram as condições sanitárias no país.

:: Há um predomínio da hepatite B na faixa etária dos 20 aos 24 anos. A principal forma de transmissão da doença é via sexual.

:: São registrados 14 mil casos por ano de hepatite B e 500 mortes. A Região Sul tem a maior incidência da doença.

:: A vacina contra a hepatite B, recomendada a pessoas com até 29 anos, é a melhor forma de prevenir a doença. Desde 1998, mais de 70 milhões de brasileiros foram vacinados, o que representa 75% de cobertura vacinal.

:: A hepatite C é responsável por 80% das hepatites crônicas. Pessoas com mais de 40 anos são as mais atingidas.


BEM-ESTAR



Comente aqui
15 jun11:08

Ministério da Saúde reforça pré-natal em municípios de Santa Catarina

O Ministério da Saúde autorizou o repasse de R$ 28,08 milhões, em parcela única, para que 1.389 municípios, de 24 estados, ampliem a oferta de exames do componente pré-natal e adquirem testes rápidos de gravidez. A estimativa é que mais de 557 mil gestantes façam os novos exames e mais de 523 testes sejam realizados.

Em Santa Catarina, 39 cidades receberão o benefício. Jaraguá do Sul é o município com maior verba prevista no Estado, mais de R$ 78 mil, para atender cerca de 1,5 mil gestantes. A lista completa pode ser conferida no site do Ministério.

Essas medidas buscam garantir a captação precoce da gestante, além de ampliar o acesso aos serviços de saúde e melhorar a qualidade do pré-natal. O diagnóstico rápido permite à mulher iniciar o pré-natal assim que a gravidez seja confirmada.

As ações fazem parta da estratégia Rede Cegonha, lançada pelo Ministério da Saúde no ano passado, que assegura o direito ao planejamento reprodutivo e a atenção humanizada durante a gravidez, o parto e após o nascimento do bebê. A rede também prevê que as crianças tenham o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis.


Confira a lista das cidades beneficiadas:

Apiúna

Araquari

Arroio Trinta

Arvoredo

Barra Velha

Brusque

Cordilheira Alta

Corupá

Cunha Porã

Curitibanos

Formosa do Sul

Fraiburgo

Içara

Indaial

Iomerê

Ipira

Irati

Itapema

Jaraguá do Sul

Jardinópolis

Lebon Régis

Navegantes

Paulo Lopes

Penha

Pinheiro Preto

Planalto Alegre

Pomerode

Porto Belo

Quilombo

Rio Negrinho

Salto Veloso

Santiago do Sul

São Bento do Sul

São Francisco do Sul

São Lourenço do Oeste

Saudades

Timbó

Vargem

Videira




DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
17 fev19:44

Licitação do Transporte Coletivo é questionada em Chapecó

A licitação da concessão do transporte coletivo de Chapecó para os próximos 20 anos está sendo questionado por vereadores de oposição e até por entidades de Chapecó.

Na quinta-feira a Câmara de Vereadores aprovou uma indicação dos vereadores petistas Lizeu Mazzioni e Angela Vitória para reavaliação do edital.

Angela questiona o fato da prefeitura optar por conceder todas as linhas de ônibus a uma única empresa, quando poderia licitar cada linha de forma individual

A União Comunitária de Chapecó também está questionando a legalidade do edital. De acordo com o presidente Elso de Almeida, há alguns pontos que podem indicar suspeita de direcionamento, como a exigência de pelo menos 94 ônibus, metragem mínima de pátio e de funcionários. O edital não aceita consórcios de empresas.

O presidente da Unichap e a vereadora Angela Vitória estivem hoje à tarde no Ministério Público onde entregaram cópia do edital. O Ministério Público vai analisar o material.

A Assessoria de Imprensa da Prefeitura  informou que o executivo só vai se pronunciar sobre o assunto na quinta-feira, exatamente no dia em que está previsto a definição da empresa vencedora da concessão.



1 comentário
01 dez10:55

Dia Mundial de Luta Contra Aids

O Sul do Brasil concentra 23% dos casos de Aids, com apenas 14% da população total do país. O dado chama atenção do Ministério da Saúde, que promete investimentos na região para reverter essa estatística. De acordo com o boletim, todas as 10 cidades que lideram a lista de maior incidência da doença estão no Sul. Quatro são de Santa Catarina: Balneário Camboriú, Criciúma,  Biguaçu e Florianópolis. O estado está em terceiro no ranking nacional.

O número faz parte do Boletim Epidemiológico DST Aids, divulgado pelo ministério em coletiva de imprensa em Brasília, na segunda-feira, 28 de novembro. Na estatística por Estado, o Rio Grande do Sul é o que mais registra casos de Aids: são 27,7 por 100 mil habitantes. O segundo do ranking é Roraima (26/100mil), seguido por Santa Catarina (23,5/100mil).

No país inteiro, 630 mil pessoas convivem com HIV/Aids. A prevalência da doença (estatística de pessoas infectadas por HIV) permanece estável em cerca de 0,6% da população, enquanto a incidência (novos casos notificados) teve leve redução de 18,8/100 mil habitantes em 2009 para 17,9/100 mil habitantes em 2010.

Houve um aumento significativo de casos identificados em pequenos municípios (com até 50 mil habitantes). Essas cidades respondiam por 5,6% dos casos e passaram a representar 8,4% dos casos.


Números em Chapecó

Segundo a enfermeira do Hospital Dia de Chapecó, Edeltraud Alba, em 2010 foram registrados 29 novos casos. Até o dia 30 de novembro de 2011, esse número aumentou para 43. São 14 novos casos, que representam 32,5%.

A enfermeira destaca ainda que muitas pessoas procuram o local, realizam exames, mas não voltam para buscar o resultado. – Quanto antes for diagnosticado e receber um acompanhamento é melhor para paciente – disse. Edeltraud lembra ainda que os exames e o acompanhamento são gratuitos.


Dados do Hospital Dia em Chapecó:

2010

29 novos casos diagnosticados

02 crianças

25 adultos

02 idosos


2011

43 novos casos diagnosticados

39 adultos

04 idosos


Campanha de orientação

Nesta tarde o GAPA realiza uma ação a partir das 13h30 no calçadão de Chapecó. A partir das 16h até as 21h, será realizada, em parceria do Hospital Dia, Senac e Sest/Senat, uma orientação para caminhoneiros no Posto Samuara, saída de Chapecó.


Comente aqui