Mobilização

22 jun11:44

Servidores do IFSC Campus Chapecó decidem paralisar a partir da segunda, dia 25

Os servidores do IF-SC, Campus Chapecó, decidiram, após reunião no dia 19 de junho, aderir à greve nacional da categoria. A paralisação em Chapecó inicia na segunda-feira, dia 25. Devem paralisar as atividades, professores e técnicos dos cursos de Eletromecânica, Mecânica, Engenharia e Ensino Médio Integrado em Informática.

Segundo a Comissão local de greve, o grupo decidiu também uma agenda de mobilização e preparação para a greve com cronograma de reuniões e atividades.

Nesta sexta-feira, às 17 horas, acontece um encontro no Campus de Chapecó. O objetivo é dialogar com servidores, alunos e comunidade, informando os motivos da greve.

Eixos da campanha da Greve: Carreira dos docentes e TAES; Reestruturação das carreiras; Por uma Política Salarial, com reajuste emergencial de 22,08% e Data Base para os(as) Servidores(as) Federais. Comissão criou um site para informar sobre a greve.

Servidores dos Campus de Xanxerê e São Miguel do Oeste também podem aderir a mobilização.


Comente aqui
29 mai18:09

Auditores da Receita Federal realizam mobilização nesta quarta-feira

Os auditores da Receita Federal realizam nesta quarta-feira, dia 30, um Dia de Mobilização. Segundo Daniel Silva Torres, presidente da Delegacia Sindical da Receita Federal, que abrange os municípios de Chapecó, Joaçaba, Lages e Dionísio Cerqueira, estão filiados a delegacia cerca de 80 pessoas, entre ativos e inativos, e destes, aproximadamente 60 auditores devem participar da mobilização.

- Não é uma greve, não vamos parar as atividades. Os auditores estarão na Receita, mas não estarão realizando sua atividade fim, e sim, irão aproveitar esse dia para estudar e se atualizar – comentou.

Torres destaca que uma das principais reinvindicações da categoria é a questão salarial. Segundo ele, essa questão surgiu ainda no ano de 2008. O governo federal concedeu aumento para a categoria, mas pagou em etapas, finalizando todo o pagamento apenas no ano de 2010. Depois disso, ainda no ano de 2010, a categoria começou uma nova rodada de negociações, e desde então, não tem resposta.

- A primeira etapa o governo cumpriu. Agora estamos querendo negociar o novo aumento, que no período já chega a 30,19% de perdas – destacou.

Ele enfatiza ainda que a categoria tem outras solicitações como a indenização por transporte, pois hoje os auditores usam veiculo próprio para a realização das fiscalizações; vale alimentação está com valores reduzidos e defasados; plano de carreira; segurança pessoal do fiscal; legislação para o porte de arma; e incentivo para os fiscais de fronteira.

Torres explica que no Dia da Mobilização, por exemplo, em Dionísio Cerqueira, haverá uma Operação Padrão. Segundo ele, no dia-a-dia da Aduana, nem todos os veículos que passam pelo local são fiscalizados pelos fiscais, pois a estrutura de pessoal é reduzida. – Na quarta-feira, dia da mobilização, todos os veículos serão vistoriados e verificados. Como o quadro de pessoal é reduzido, certamente haverá filas e transtornos – explicou.

De acordo com Marco Aurélio Nedel, auditor da Receita Federal de Chapecó, a mobilização serve para mostrar ao Governo Federal o descontentamento da categoria.

- Não queremos parar nossas atividades, pois sabemos dos prejuízos para o país, mas, por outro lado, esperamos uma resposta do governo – destacou.

Ele disse ainda que se a mobilização do dia 30 não apresentar resultados, nos dias 12 e 13 de junho haverá mais mobilização. – Se mesmo assim o governo não apresentar uma proposta, os auditores, a partir do dia 18 de junho, param por tempo indeterminado – finalizou.



Comente aqui
29 mai12:13

Auditores fiscais da Receita Federal fazem paralisação nesta quarta-feira em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Auditores fiscais da Receita Federal de Chapecó fazem paralisação nesta quarta-feira, dia 30. De acordo com o delegado regional Daniel Silva Torres a principal reivindicação da categoria é o aumento salarial. – Estamos em discussão com o Governo Federal há um ano e buscamos um aumento de 30,19% – disse.

Daniel disse ainda que a mobilização não é uma greve. – Durante o dia vamos prosseguir nas fiscalizações abertas, porém não haverá novos atendimentos neste dia – disse.

Em Dionísio Cerqueira os auditores fiscais não irão realizar o despacho de cargas de caminhões que entram e saem do país e precisam de fiscalização. O atendimento aos veículos será normal.

As paralisações acontecem também em Joaçaba e Lages.


Comente aqui
22 mai16:20

Agricultores do Oeste fazem atos em Chapecó

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Agricultores do Oeste de Santa Catarina realizaram hoje uma mobilização para cobrar do governo do estado políticas públicas de apoio às agroindústrias familiares. Eles se concentraram no início da manhã na Praça Coronel Bertaso e depois partiram em caminhada até a Cidasc, onde entregaram uma pauta de reivindicações. No início da tarde foram até a sede da Receita Estadual. Enquanto isso lideranças da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul, Fetraf-Sul, estiveram reunidos com representantes da Secretaria de Agricultura do Estado, em Florianópolis.

Os agricultores familiares reclamam que a Cidasc terceirizou a inspeção sanitária, que antes era gratuita e agora é feita por profissionais contratados de empresas ou cooperativas, que cobram pelo serviço.

Além disso eles reclamam da demora na liberação dos novos projetos. Sandra Bergamin, presidente da Cooperfamiliar, disse que a Cidasc está com quadro de veterinários defasados, o que prejudica a assistência aos produtores. A Fetraf-Sul também cobra uma redução na alíquota do ICMS nos produtos da agricultura familiar, que é de 17%.

O presidente da Cidasc, Enori Barbieri, reconhece que o quadro está defasado, mas que não há previsão de contratação de novos médicos veterinários. Em relação à cobrança das inspeções ele afirmou que a Cidasc não tinha como dar conta das 800 empresas que tinha que fiscalizar e por isso adotou o modelo de credenciar empresas, que é utilizado em países desenvolvidos.


Comente aqui
29 mar11:43

Servidores Federais fazem mobilização “Fronteira Protegida, Brasil Seguro” em Dionísio Cerqueira

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Nesta quinta-feira, dia 29, os servidores da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e da Receita Federal do Oeste Catarinense realizam mobilização em Dionísio Cerqueira. O ato com o tema “Fronteira Protegida, Brasil Seguro” é em defesa dos órgãos de fronteira e está sendo realizada em todos os postos fronteiriços do país. Apesar da mobilização a atuação segue normal na fronteira.

Segundo a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita) e Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) o dia de mobilização é para alertar a sociedade para os graves problemas que os servidores enfrentam atualmente nas áreas fronteiriças.

- Pretendemos levar ao conhecimento da população a falta de estrutura que estas instituições possuem – disse o diretor de Estratégia Sindical da Fenapef, Paulo Paes.

As entidades também reivindicam a imediata implantação do “adicional de fronteiras” para aqueles que trabalham nesses locais. – Temos problema de efetivo nos postos de fronteia. Muitos policiais não querem se fixar no local, e esse adicional seria um estímulo para que os policiais fiquem nas fronteiras por mais tempo – disse o agente da Polícial Federal de Dionísio Cerqueira, Eduardo Maia.


2 comentários
21 mar10:54

Servidores de Chapecó em estado de greve

Os servidores municipais de Chapecó, em assembleia no final da tarde da terça-feira, 20 de março, deliberaram pela continuidade do Estado de Greve com manifestações. Nova mobilização acontece na quinta-feira, dia 22, com concentração a partir das 17h30. Será uma passeada saindo do calçadão até a prefeitura de Chapecó, pela Avenida Getúlio Vargas.

Na mobilização de ontem estiveram presentes, segundo o sindicado, cerca de 500 trabalhadores. Pela manhã eles se reuniram na Praça Coronel Bertaso, para uma conversa com o advogado do Sindicato dos Servidores Municipais (SITESPM-CHR) sobre o direito à greve. Em seguida, os servidores distribuíram panfletos para a população, nos quais apresentam os motivos da greve.

À tarde os servidores reuniram-se em frente à prefeitura, onde houve manifestações e diversas falas. A administração municipal comunicou por ofício que o prefeito está em viagem e só avaliará o pedido de audiência do Sindicato no seu retorno.

No meio da tarde os servidores voltaram à Praça e seguiram em passeata pela Avenida Getúlio Vargas até o Clube Industrial, onde foi realizada a assembleia que decidiu pela continuidade do estado de greve.


Reivindicações

• 10% de aumento geral ou incorporar R$ 200,00 no vencimento de cada cargo;

• Criar os adicionais por titulação aos servidores (o magistério tem desde 1999);

• R$ 1.001, 64 de vencimento do agente comunitário.


Comente aqui
19 mar15:16

Servidores da Prefeitura de Chapecó realizam mobilização nesta terça-feira

Servidores da Prefeitura de Chapecó realizam mobilização nesta terça-feira, dia 20. O ato está marcado para as 8h na Praça Coronel Bertaso.

No final do dia será realizada uma assembleia para decidir se os servidores seguem ou não em greve.

As reivindicações incluem três itens para cobrar da administração municipal: criar os adicionais por titulação aos servidores (o magistério tem desde 1999); igualar o vencimento do agente comunitário de saúde ao do auxiliar de serviços – R$ 1.001,64; e 10% de aumento geral ou incorporar R$ 200 no vencimento de cada cargo.

Segundo o Sindicato, a pouca valorização do servidor público fica visível frente aos números nacionais. De 2005 a 2012 a economia brasileira cresceu 28%; a receita da prefeitura de Chapecó subiu 64%; o salário mínimo teve reajuste de 63%; o salário médio no país apresentou crescimento de 21%; e o salário dos servidores municipais de Chapecó foi reajustado em apenas 5%.


Comente aqui
15 mar17:32

Professores estabelecem prazo de 30 dias para contraproposta do governo

A assembleia dos professores estaduais decidiu nesta quinta-feira que o governo estadual tem 30 dias para apresentar a contraproposta à categoria. Se isso não ocorrer, dia 17 de abril uma nova assembleia estadual para definir a greve. Nesta sexta-feira, quando inicia o prazo, o sindicato entrega ao governo um documento com reivindicações.

De acordo com a secretária geral do Sinte, Anna Júlia Rodrigues, a categoria mantém a posição a respeito do piso nacional. Para o sindicato, o aumento de 22,22% no piso nacional, determinado pelo Ministério da Educação, tem de ser aplicado a todos os professores.

Também devem ser confirmadas as datas de três assembleias regionais: 28, 29 e 30 de março.

Os professores estaduais caminharam do CentroSul em direção à Assembleia Legislativa para integrar a passeata com os servidores municipais e federais. De acordo com o Sinte, cerca de 5 mil pessoas participaram da assembleia nesta quinta-feira.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
15 mar09:36

Mobilizações em SC nesta quinta-feira

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul – Fetraf-Sul, Via Campesina e os prefeitos dos municípios assolados pela estiagem realizam na manhã desta quinta-feira uma mobilização em Chapecó, Xanxerê e São Miguel do Oeste.

Segundo o coordenador Estadual da Federação em SC, Alexandre Bergamin, os recursos dos governos do Estado e Federal são considerados insuficientes e irrisórios em comparação com os prejuízos dos agricultores familiares com as safras.

- A Fetraf-Sul, Via Campesina e as prefeituras da região estão juntos. Unificamos a nossa pauta para ganharmos força nas medidas e nas mobilizações. Queremos uma solução para a Agricultura Familiar – disse.


Entre os pontos de reivindicação estão:


Pauta Nacional

•Endividamento Rural;

•Garantia da renda pelo período de seis meses, através do pagamento de um salário mínimo mensal;

•Transformar o Pronaf Eco nos moldes do Pronaf A garantindo subsídio para financiamento de cisternas e irrigação;

•Melhorias no Seguro Agrícola e Proagro Mais;

•Liberação de uma retro escavadeira por município;

•Garantia de milho subsidiado aos agricultores (800 mil toneladas) e locais de armazenamento deste milho;

•Recursos do governo Federal devem ser liberados diretamente aos municípios afetados pela estiagem.


Pauta Estadual

•Anistia no Programa “Troca –troca” de sementes 2011/2012;

•Subsídio de 50% no Troca-troca para a safra 2012/2013;

•Reposição das perdas com a estiagem;

•Subsídio de 50% para construção de cisternas.


O coordenador disse ainda que após as reuniões com os secretários e ministros, as medidas não avançaram. – Mais de 60 mil famílias estão sofrendo por conta da estiagem e os recursos anunciados só beneficiam 16 mil – salientou Bergamin.

Paralelamente ás mobilizações acontece uma reunião com os ministérios em Brasília e que também tem como tema principal a estiagem.

Prefeitos que apoiam o movimento: Abelardo Luz, São Domingos, Pinhalzinho, Coronel Freitas, Jupiá, Coronel Martins, Maravilha, Dionísio Cerqueira, Cunhataí, Seara e Itá.



Mobilização em São Miguel do Oeste – SC

Local: Praça Walnir Bottaro Daniel

Horário: 9h30


Mobilização em Chapecó – SC

Local: Praça Coronel Bertaso

Horário: 9h30


Mobilização em Xanxerê – SC

Local: Praça Tiradentes

Horário: 9h30



Comente aqui
13 mar16:01

Mobilização do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Chapecó será nesta quarta-feira

Servidores do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Chapecó  e Região – SITESPM-CHR  realizam mobilização na manhã desta quarta-feira em Chapecó. O ato tem início às 8h na Praça Coronel Bertaso em Chapecó.

Às 14h, vão se reunir em frente a Prefeitura de Chapecó. Para o final da tarde está prevista uma assembleia para avaliar se seguem a paralisação ou não. O encontro será na  Afusoeste.

>> Servidores municipais de Chapecó entram em greve dia 14

Reivindicações

As reivindicações incluem três itens para cobrar da administração municipal: criar os adicionais por titulação aos servidores (o magistério tem desde 1999); igualar o vencimento do agente comunitário de saúde ao do auxiliar de serviços – R$ 1.001,64; e 10% de aumento geral ou incorporar R$ 200 no vencimento de cada cargo.

Segundo o Sindicato, a pouca valorização do servidor público fica visível frente aos números nacionais. De 2005 a 2012 a economia brasileira cresceu 28%; a receita da prefeitura de Chapecó subiu 64%; o salário mínimo teve reajuste de 63%; o salário médio no país apresentou crescimento de 21%; e o salário dos servidores municipais de Chapecó foi reajustado em apenas 5%.

Comente aqui