Morte

13 dez17:22

Descarga elétrica provoca morte de agricultor em Ipumirim

O agricultor Sandro Carlos dos Santos, de 30 anos, vivia com a esposa na Linha São Rafael.Segundo informações da família, o agricultor estava tratando os frangos, quando teria puxado com as mãos a ração de um dos comedouros, e acabou sendo atingido por uma descarga elétrica. Ele morreu na hora. Em quatro meses, este é o segundo caso de morte na comunidade por descarga elétrica. A principal orientação é desligar a chave antes de realizar qualquer serviço que esteja relacionado à energia. Segundo o bombeiro Osmar Boelter, que atendeu a ocorrência, quando chegaram ao local a vítima já se encontrava sem vida

Comente aqui
28 set15:14

Ato marca dez meses da morte de Chiarello

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Um ato em memória da morte do ex-vereador Marcelino Chiarello será realizado na tarde desta sexta-feira em Chapecó. O parlamentar foi encontrado morto dentro de casa no dia 28 de novembro de 2011.

Organizado pelo Fórum em Defesa da Vida, por Justiça e Democracia o ato vai contar com culto ecumênico e depois caminhada pela Avenida Getúlio Vargas. A celebração será às 17h30 na Praça Coronel Bertaso em Chapecó.

Após dez meses da morte o caso ainda não foi esclarecido. Em julho o corpo de Chiarello foi exumado e levado para São Paulo. Amostras do pescoço e do nariz ficaram no Centro de Medicina Legal da Universidade de São Paulo, para exames mais detalhados. Estes exames devem indicar  se houve homicídio ou suicídio.  O caso está com a Polícia Federal.

>> Leia mais notícias sobre o caso Marcelino Chiarello

Comente aqui
15 jul20:54

Mortos por Gripe A em SC tiveram tratamento tardio

Gabrielle Bittelbrun | gabrielle.bittelbrun@diario.com.br

Informações preliminares do inquérito realizado pelo Ministério da Saúde e pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina apontam que, entre 28 vítimas de gripe A no Estado, metade teve tratamento tardio. O resultado faz parte da pesquisa, iniciada em 18 de junho, que pretende fornecer um perfil dos primeiros mortos pela gripe A neste ano e detalhar as condições de tratamento. SC lidera o ranking de mortes pela doença no país. Dos 148 registros do Ministério da Saúde até o último dia 10, 52 mortes foram no Estado.

O levantamento em parceria com o Ministério da Saúde sinalizou que 50% dos pacientes em questão tomaram o antiviral oseltamivir mais de cinco dias após o início dos sintomas. O acesso rápido ao remédio conhecido comercialmente pelo nome Tamiflu pode evitar agravamento dos casos e a ocorrência de mortes.

O diretor da Dive, Fábio Gaudenzi de Faria, atribui o tratamento tardio a dois fatores: à demora na busca por atendimento pelos pacientes e à não-prescrição de medicamento pelos profissionais da saúde.

— Ou essas pessoas não chegaram ao tratamento em tempo hábil, por acharem que não era grave, ou já tinham sido avaliadas e quem as atendeu não prescreveu medicação por achar que não fosse necessário — destacou Fábio.

O diretor da Dive reforça que, desde maio há o alerta às equipes de saúde, por meio de conferências e encontros, para que esses profissionais estejam atentos e apliquem o tratamento adequado.

Mesmo assim, ainda há dificuldades em colocar essas orientações em prática. Faria ressalta que a falsa crença de que a gripe não é uma doença de gravidade também faz com que as pessoas não tomem as precauções necessárias.

Na última sexta-feira, o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis, do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, também admitiu as deficiências de tratamento.

— A análise dos dados confirma que não há mudança no padrão de ocorrência da gripe. Se antes tínhamos indícios, agora temos informações concretas de que o tratamento, no momento adequado, ainda não está sendo adotado em todos os serviços — afirmou.

Os órgãos de saúde esperam que a conclusão dos dados do inquérito, que deve ser feita em cerca de 25 dias, deva facilitar as medidas de combate à H1N1.

Até aqui, a análise apontou ainda que, entre os mortos pela enfermidade, 85% tinham doenças crônicas, como obesidades e diabetes, e não foram vacinados. As principais doenças identificadas foram cardiopatias, pneumopatias, obesidade e diabetes, principalmente entre homens de 40 a 59 anos de idade.


Imunização e prevenção continua


Apesar da Dive estimar o fim da fase mais crítica da doença, são mantidos os alertas de higiene:

— Os cuidados de higienização devem ser feitos sempre. Isso é uma realidade para se combater não só o H1N1 mas como outras doenças — afirma Fábio.



Comente aqui
27 jun09:13

Sobe para 35 o número de mortes por Gripe A em SC

Mais duas pessoas morreram em Santa Catarina por causa da Gripe A. A divulgação foi feita no fim da tarde da última terça-feira pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde. A novas vítimas são uma menina de nove anos, de Videira, e um homem de 52 anos, que residia em Blumenau.

Agora são 35 as mortes em Santa Catarina desde o começo do ano. Pelas investigações da Vigilância Epidemiológica, a menina não fazia parte do grupo com maior possibilidade de contrair a doença. A morte ocorreu dia 20 deste mês.

O homem morreu dia 21 e era fumante. Ontem, a equipe da Secretaria de Saúde e do Ministério de Saúde viajou para cidades do Sul do Estado. Mas o foco principal continua sendo Blumenau, onde, neste ano, morreram sete pessoas por causa da gripe A.

O Estado recebeu nesta semana as cerca de 250 mil doses do medicamento oseltamivir, mais conhecido pelo nome comercial de Tamiflu, prometidas pelo Ministério da Saúde ao prefeito João Paulo Kleinübing, de Blumenau, em uma reunião na última sexta-feira.

O remédio está armazenado na Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) e será enviado para cada gerência de saúde de acordo com a demanda, explica a secretária de Saúde, Juliana Rigo. Atualmente, Blumenau possui cerca de 30 mil doses de Tamiflu, que estão sendo distribuídas aos pacientes com sintomas de gripe.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica alerta que nem toda gripe pode ser entendida como a doença, mas lembra que as pessoas devem permanecer atentas com os sintomas de febre alta (superior a 38°C) e falta de ar.

Nestes casos, devem procurar um médico nas primeiras 48 horas. Outra recomendação é com relação aos ambientes, que devem ficar arejados. Para quem estiver gripado, uma dica é evitar aglomerações.


Revisão dos números

A Vigilância Epidemiológica de SC está revisando todos os prontuários médicos dos pacientes que morreram infectados pela gripe A no Estado. Os documentos estão incompletos o que dificulta o monitoramento da doença.

Em meados de junho, representantes do Ministério da Saúde chegaram ao Estado e identificaram o problema. Não se sabe, por exemplo, quantas vítimas da gripe A já tinham uma doença crônica antes de serem infectadas pelo vírus.

— Pelos dados que existem hoje, apenas 20% das pessoas que morreram tinham uma doença crônica ao serem infectadas. Mas, acreditamos que essa porcentagem pode chegar a 80% depois que os documentos forem preenchidos corretamente — explica o diretor da Vigilância Epidemiológica, Fabio Gaudenzi de Faria.

O trabalho de revisão dos prontuários deve ser finalizado até a semana que vem, entre os dias 4 e 5 de julho. Com os dados completos será possível traçar um perfil dos casos de gripe A em Santa Catarina, além de monitorar a infecção pelo Estado.

Comente aqui
14 jun15:33

Primeira morte por Gripe A é confirmada no Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Edilson Dariz, 41 anos, vereador (PMDB) de Bom Jesus foi a primeira vítima de Gripe A no Oeste Catarinense. Ele estava internado desde o dia 7 de junho na UTI do Hospital São Paulo em Xanxerê. A morte foi confirmada no início da tarde desta quinta-feira pela secretária municipal de saúde Iara Callfass. Familiares do vereador estão em observação.

De acordo com a técnica em enfermagem da Vigilância Epidemiológica de Xanxerê, Lucimar Deitos, Edilson deu entrada no hospital com febre acima de 38 graus, fortes dores musculares e com dificuldade respiratória.

- O exame confirmando a contaminação, feito pelo Lacen de Florianópolis, chegou no final da tarde do dia 11 – disse a enfermeira.

Ela disse ainda que a esposa, a mãe de Edilson e a irmã, que mora em Xanxerê e também teve contato com ele durante a internação, foram medicadas com Tamiflu e estão sendo monitoradas.

Edilson, que cumpria o terceiro mandato, iria concorrer à reeleição.

O velório do vereador será na Igreja de Bom Jesus e o enterro está programado para esta sexta-feira no cemitério da Linha Formigas, interior de Bom Jesus.

>> O perfil das vítimas da gripe A em Santa Catarina

Esta é a primeira morte por Gripe A na região Oeste. Em Xanxerê outro caso foi confirmado. Uma adolescente de 21 anos foi medicada e liberada. Porém, ela e a família são monitoradas pela Vigilância Epidemiológica.

Ainda na região três pessoas estão em observação em Concórdia e outras três em Chapecó.

Com este caso sobe para 22 o número de óbitos em função da Gripe A em Santa Catarina.


Comente aqui
14 jun14:11

Primeira morte por Gripe A no Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A secretária municipal de saúde de Xanxerê, Iara Callfass, confirmou no começo da tarde a morte de um homem de 41 anos por Gripe A. Ele estava internado desde o dia 7 de junho na UTI do Hospital São Paulo.

O exame confirmando a contaminação, feito pelo Laboratório Central – Lacen de Florianópolis chegou na cidade na segunda-feira, dia 11.

Outras dois casos foram confirmados na cidade. Uma pessoa segue internada e outra já foi liberada.


1 comentário
29 mai10:02

Familiares de Chiarello não acreditam em suicídio

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A morte do vereador Marcelino Chiarello (PT) completou ontem seis meses e segue sem ter sido esclarecida. Há alguns elementos apontando para homicídio e outros para suicídio. Mas os familiares de Chiarello não acreditam na tese do suicídio. –Ele foi morto pelas denúncias que fazia- disse a sogra, Deolinda Damo Guarnieri. Ela afirmou que sua filha, Dione Guarnieri, que era casada há 18 anos com Marcelino, também tem certeza que o marido foi morto.

- Podem vir com quantos laudos quiserem, ele não tinha motivos para se matar – completou Deolinda.

O laudo cadavérico inicial apontou como causa da morte asfixia mecânica e traumatismo crânio-encefálico. Já laudos complementares, feitos por peritos de Florianópolis, apontam para o suicídio. A Polícia Civil concluiu o inquérito apontando que a morte foi causada por asfixia mecânica, mas não concluiu se ela foi causada pelo próprio Marcelino ou por outras pessoas. O vereador foi encontrado morto por familiares no final da manhã do dia 28 de novembro, enforcado, no quarto de visita.

Deolinda Guarnieri disse que seu genro era muito alegre e nunca tomou antidepressivos. Ele tinha uma dívida de R$ 30 mil mas a renda familiar chegava a R$ 10 mil. Ela lembra que seu genro era uma pessoa que sempre procurava ajudar os outros. E que muita pessoas o procuravam para fazer denúncias pois sabiam que ele levava isso adiante. A família queria que Marcelino não comprasse tantas “brigas” pois temiam por sua integridade.

>>  TJ concede liminar no Caso Marcelino Chiarello

Deolinda, a filha e o Neto estão passando tomando antidepressivos e tem acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Nos dois primeiros meses, não conseguiam nem dormir. –Passou aquele desespero mas ainda temos medo- lembrou a sogra. Na semana passada a mulher de Chiarello saiu da casa da mãe para morar com o filho numa apartamento, pois o menino não conseguia dormir com a janela baixa, pois lembrava de sua casa. A casa de Chiarello, aliás, continua fechada desde sua morte.

O Ministério Público solicitou que a Polícia Federal faça novas investigações e uma novo laudo pericial, para esclarecer o caso.


Comente aqui
23 mai16:09

Santa Catarina registra a quarta morte por Gripe A este ano

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina confirmou a quarta morte por Gripe A no Estado. De acordo com o diretor da Dive, Fábio Gaudenzi, ainda não há informações sobre a vítima.

>> Leia mais notícias sobre a Gripe A

O terceiro óbito em decorrência da doença foi divulgado na terça-feira. A mulher, de 49 anos, era moradora da cidade de Rio do Campo, no Alto Vale do Itajaí. Na sexta-feira, um homem de 52 anos, de Blumenau, Vale do Itajaí, tanbém morreu por complicações da Gripe A. Ele estava internado no Hospital Santa Isabel.

A morte de uma criança de dois anos fez de Itajaí a primeira cidade a registrar um óbito causado por gripe A em Santa Catarina em 2012. Luana Morais Antunes morreu no no dia cinco, três dias após a contaminação pelo vírus H1N1 ter sido diagnosticada.

Segundo os dados atualizados diariamente no site da Dive, Santa Catarina tem 26 casos confirmados de Gripe A este ano.



DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
06 abr09:05

Desentendimento entre jovens termina em morte em Chapecó

Um desentendimento na noite desta quinta-feira terminou com um jovem morto e outro ferido na noite desta quinta-feira em Chapecó. Por volta das 22h30, a Polícia Militar (PM) foi chamada por moradores que ouviram disparos em uma residência no bairro Bom Pastor. No local, os policiais encontraram feridos Leonel da Silva, 20 anos, e Edmílson Francisco de Paula, também de 20 anos.

Uma ambulância foi chamada para prestar socorro. Leonel não resistiu aos ferimentos e morreu antes de chegar ao hospital. Já Edmílson foi internado no Hospital Regional em estado grave.

Segundo a PM, familiares de Leonel teriam confirmado que ele atirou contra Edmílson e depois em si mesmo. A arma usada para os disparos não foi localizada.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
03 abr16:11

Sexta-feira Santa

O Grupo de Teatro Ministério de Artes Kairós, formado há quatro anos, realiza nesta sexta-feira Santa, dia 6, a apresentação da Paixão e Morte de Jesus Cristo em Coronel Freitas. O grupo está ensaiando para a apresentação todos os domingos, há mais de dois meses. Nesta terça-feira será realizado o último ensaio antes da apresentação.


Grupo durante apresentação realizada em 2011.


Segundo Gelcimar Barela, um dos coordenadores do grupo, a ideia de realizar a apresentação surgiu do intuito de Evangelizar através da arte. – Participam do grupo pessoas ligadas à Igreja Católica – disse.

Atualmente o grupo é composto por 100 pessoas, de 0 a 70 anos.

O cenário e figurino é todo confeccionado na cidade.

- Queremos convidar a população da região para a apresentação da peça “ Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo” – convida Barela.

A apresentação acontece na sexta-feira, dia 6 de abril a partir das 20h, em frente ao Salão Paroquial, na Rua Pará, em Coronel Freitas.


Comente aqui