Morte

13 jan08:53

Abaixo assinado para federalizar caso Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Ontem, durante o encerramento da vigília de nove dias em homenagem ao vereador Marcelino Chiarello, morto no dia 28 de novembro passado, foi distribuído um abaixo assinado pedindo para federalizar as investigações.


Foi realizada uma caminhada com velas, cartazes e bandeiras de luto, até o salão comunitário do bairro Santo Antônio.


De acordo com uma das coordenadoras do Fórum em Defesa da Justiça, Vida e Democracia, Deise Paludo, a meta é conseguir cinco mil assinaturas. O documento deve ser encaminhado ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e ao delegado responsável pela investigação, Ronaldo Neckel Moretto.

–Temos que buscar apoio pois está moroso demais- disse Deise.

>> Laudo da morte ainda não foi concluído

>> Celebração em Chapecó marca 30 dias da morte de Marcelino Chiarello

A vigília de ontem começou na Casa de Formação dos Seminaristas de Chapecó, situada no bairro Santo Antônio, onde Marcelio Chiarello estudou. Depois foi realizada uma caminhada com velas, cartazes e bandeiras de luto, até o salão comunitário. Uma das moradoras da comunidade e que coordenou a vigília, Camila Pelegrin, disse que o objetivo é pressionar pela solução do crime.

–Não vamos deixar cair no esquecimento- afirmou.

No final da celebração foi apresentado um vídeo sobre o trabalho do vereador em defesa da comunidade.


6 comentários
09 dez21:44

Morte de Marcelino Chiarello intriga a polícia e a comunidade

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Quem matou Marcelino Chiarello? Esta é a pergunta que ecoa por Chapecó desde o dia 28 de novembro, quando o vereador foi encontrado morto em sua casa, numa cena de suposto suicídio. Desde então, surgiram dezenas de teses. Há boatos na cidade de que seria por dívida, droga, amante, adversários políticos, grupos econômicos e sociedades quase secretas.

– A gente recebe de tudo – disse o delegado que conduz as investigações, Ronaldo Moretto.

O delegado disse que não há nada relacionado a crime passional nem a dívidas.

– Ele era um cara bem caxias, que tinha a vida voltada para a política – explicou Moretto.

Há informações de que ele devia cerca de R$ 30 mil em bancos, um pouco para a sogra e amigos. Mas a renda bruta da família era de cerca de R$ 10 mil, entre o salário de vereador e os dois salários de professor, dele e da mulher. Mas, então, o que teria motivado a morte?

– Está tudo em aberto – responde o delegado.

Ele afirma que as investigações evoluem, mas não quer precipitar nada. Para o promotor Fabiano Baldissarelli, que acompanha o caso, o crime será desvendado quando for respondida a pergunta de quem ligou para o vereador enquanto ele estava na escola. Alunos testemunharam que ele ficou muito nervoso e saiu faltando duas aulas, deixando atividades no quadro.

A professora Vanda Casagrande falou com o colega naquela manhã, antes das ligações telefônicas. Ela relatou que Chiarello disse que iria renunciar naquele dia, pois estava recebendo ameaças. Ele não informou que tipo de ameaças, mas ela logo ligou o caso à atuação dele na vida pública.

– Ele não queria abandonar a escola, ele não queria abandonar a família, ele queria deixar de ser vereador – argumentou.

A professora disse que ele até estava preparando mais denúncias e chegou a comentar: ‘Dessa vez eu não escapo’.

Só que o professor tinha mania de brincar e, por isso, às vezes, as pessoas próximas dele não o levavam tão a sério. Lideranças do Partido dos Trabalhadores também afirmam que na pasta do vereador, que foi apreendida pela polícia, havia mais documentos do que foi encontrado. O que os documentos continham e se eles estão ligados ao crime é mais um mistério.

Outro mistério é por que Chiarello não chamou a polícia se estava sendo ameaçado. São muitas questões que alimentam as rodas de conversa e as teses enquanto o crime não é esclarecido.


>> Viúva de vereador recebe escolta da PM


Vizinhança amedrontada após o crime

Na vizinhança da casa onde Marcelino Chiarello morava, o clima é de consternação pela morte do vereador e de medo.

– Eu tenho um pouco de medo – disse Brandina Gromoski.

Ela é vizinha à casa da família e se sentiu exposta por dar entrevistas sobre o caso. Como ainda não sabe quem matou o vereador, não se sente segura. Para acalmar os moradores, a Polícia Militar está fazendo rondas frequentes na rua, como a flagrada ontem pela reportagem.

Na tarde desta sexta-feira, um veículo policial passou pelo local duas vezes em 10 minutos. A casa está fechada desde o dia do crime e a viúva de Marcelino está com escolta policial. Ela foi procurada pela reportagem, mas não quis dar entrevista.

Brandina lembra que estava dentro de casa naquela manhã, mas não viu nada.

– Não vi ele sair nem ele chegar – contou.

Sua filha chegou por volta das 11h30min e a casa ainda estava fechada. Minutos depois, chegaram a mulher, o filho e a sogra.

– A gente ficou chocada – disse a vizinha dos fundos, Romilda Boita.

Ela estava em casa, mas só ouviu barulho do choro quando chegaram os familiares. Outra vizinha, Zilda do Rosário, disse que a última vez que viu o vereador foi no domingo à noite, quando ele estava na sacada.

Nem a vizinha da frente, Celi Alves do Santos, viu alguma coisa.

1 comentário
04 dez19:30

Três acidentes com morte no Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Três pessoas morreram durante o final de semana em acidentes de trânsito no Oeste. O primeiro foi às 17h30 de sábado, no quilômetro 81 da BR 153, em Irani. Uma moto Honda, que ia no sentido Concórdia/Irani, bateu no rodado de uma carrreta Iveco, que vinha no sentido contrário. Os dois veículos são de Concórdia. O condutor da moto, Jair Alves da Silva, 36 anos. Ele chegou a ser conduzido pelos Bombeiros de Irani até o Hospital São Francisco, de Concórdia, mas já chegou lá sem vida. O condutor da carreta, Miguel Filho Alves de Carvalho, saiu ileso.

O segundo acidente com morte foi às 21h30 de sábado, no quilômetro 62 da SC 471, em Romelândia. Houve uma colisão frontal entre uma D20 e um Logus, ambos placas de Romelândia. Morreu o condutor do Logus, Glicério Sthor, de 49 anos. A condutora da D 20, Elimara Cercena Mulinari, saiu ilesa.

O terceiro acidente foi às 2h20 de domingo, no quilômetro 19 da SC 472, em Itapiranga. Um Santana placas de Itapiranga capotou matando o condutor, Agostinho Schuck, 30 anos.

Comente aqui
28 nov16:13

Polícia trabalha com hipótese de homicídio na morte de vereador em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Segundo o delegado Alex Passos a Polícia Civil trabalha com a hipótese de homicídio – Ao chegar ao local a cena encontrada pelos policiais, no quarto de visitas da casa da vítima, dava indícios de que ele teria se enforcado. Porém outros fatores levam a Polícia a trabalhar com a hipótese de homicídio – disse o delegado.

Um comitê formado por cinco delegados, dois da Dic, dois do 1º DP e um do 2º DP estão investigando o caso. Equipes de investigação da Polícia Civil auxiliam nas investigações.

De acordo com o delegado Augusto Mello Brandão os depoimentos sobre o caso iniciaram no começo da tarde.

Socorristas do Samu foram chamados por volta das 11h55 da manhã desta segunda-feira para atender uma ocorrência no Bairro Santo Antônio em Chapecó. Chegando ao local encontraram o professor e vereador Marcelino Chiarello (PT),  sem vida.


Marcelino Chiarello

Nascido no dia 12 de setembro de 1969, em Caxambu do Sul. Chiarello estudou no Seminário Diocesano de Chapecó e estudou Filosofia e História. Ele atuava como professor na Rede Pública Estadual. Marcelino era filiado ao PT, militante do sindicato dos professores e líder comunitário. Ingressou na vida política em 1996, quando assumiu o cargo de diretor de serviços no governo do prefeito José Fritsch. Em 2004 foi candidato a vereador e eleito pela primeira vez. Em 2008, Marcelino foi reeleito para o cargo. Ele era casado, tinha 42 anos e um filho de 10 anos.


Velório será na Câmara de Vereadores de Chapecó

Ato está marcado para a partir das 19h até as 24h na Câmara de Vereadores. Após o corpo será transladado para a Capela do Bairro Santo Antônio.

O enterro está marcado para as 17h da terça-feira, 29, no Cemitério Jardim do Éden em Chapecó.


Comente aqui
28 nov14:03

Polícia investiga morte de vereador em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Socorristas do Samu foram chamados por volta das 11h55 da manhã desta segunda-feira para atender uma ocorrência no Bairro Santo Antônio em Chapecó. Chegando ao local encontraram o professor e vereador Marcelino Chiarello (PT), 44 anos, sem vida.

A Polícia está investigando o caso.


21 comentários
17 nov16:31

Motorista é preso após acidente com morte

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um motorista foi preso após provocar um acidente com morte no início da tarde de hoje, em Chapecó. O acidente ocorreu por volta das 13 horas na avenida Leopoldo Sander, em Chapecó. Uma carreta placas de Xaxim passou por cima de uma motocicleta placas de Chapecó. A condutora da moto, Ana Canale Mombel, 47 anos, que estava indo trabalhar, morreu no local. A moto ficou despedaçada.

De acordo com a testemunha Eliel Verona a carreta estava em alta velocidade, foi fazer uma ultrapassagem e, nisso, veio a motocicleta em sentido contrário. Ele tentou voltar para sua pista mas não conseguiu evitar a colisão.

Ronaldo Bombonato, 27 anos, disse que tentou frear mas não conseguiu evitar o choque. Ele foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil, onde prestou depoimento. Lá acabou sendo preso em flagrante. De acordo com o delegado Alex Passos, o motorista será autuado por homicídio com dolo eventual. Ele se diferencia do homicídio culposo, sem intenção de matar, pois o motorista adotou uma ação de risco. Ele estava em alta velocidade e fez ultrapassagem em local não permitido, assumindo o risco de causar o acidente.




1 comentário
15 nov23:32

Colisão entre carro de Chapecó e caminhão provoca morte de criança no Rio Grande do Sul

Atualizada às 23h23min

Uma colisão entre um carro e um caminhão provocou a morte de uma criança de cinco anos nesta terça-feira, por volta das 17h15min, na rodovia 142, em Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul.

O acidente foi às 17h15min, na rodovia 142, em Não-Me-Toque.

A vítima, que estava em um automóvel com placas de Chapecó, já foi identificada. De acordo com a Brigada Militar, além da vítima fatal, o pai e outras duas crianças estavam no carro, mas nenhum corre risco de morte. Uma das crianças teria quebrado um braço e a outra só teria sofrido arranhões.

O Hospital de Caridade, de Não-Me-Toque, para onde foram levados os feridos, informou que o motorista foi transferido para Passo Fundo e as crianças para o hospital de Carazinho.

O motorista do caminhão saiu ileso. O local está sendo isolado e o trânsito está parcialmente bloqueado para realização da perícia.

ZERO HORA


Comente aqui
30 out16:31

Batida entre ônibus e automóvel mata motorista em Coronel Freitas

Daisy Trombetta | daisy.trombetta@diario.com.br

Uma colisão lateral entre um automóvel e um ônibus matou um homem de 68 anos por volta das 14h deste domingo em Coronel Freitas, no Oeste. Albino Ângelo Sorti era motorista do carro.

Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local do acidente, no quilômetro 84 da SC-468. Os passageiros do ônibus, com placas de Carazinho (RS), não se feriram.

Conforme a Polícia Militar Rodoviária (PmRV), os veículos trafegavam em sentido contrário, mas as causas da batida ainda estão sendo investigadas.

Comente aqui
12 set09:25

Fim de semana violento no trânsito

O Corpo de Bombeiros de Chapecó atendeu quatro ocorrências graves no final de semana. Na primeira delas, uma pessoa morreu e outras três ficaram feridas.



Acidente na SC 459, acesso a Guatambú.



O acidente foi na SC 459, acesso a Guatambú, no domingo, dia 11. O carro conduzido por Elias Coredin, capotou. O motorista não resistiu e morreu na hora. Os passageiros Vanderlei Da Silva Flores, de 22 anos e Gean José Frazin de 18, foram conduzidos ao Hospital Regional de Chapecó. O outro ocupante foi conduzido pelo Samu.

Os outros três acidentes foram no final da tarde. Na BR 282, na colônia Bacia. Um carro também capotou sozinho. No veículo estavam cinco pessoas, duas foram conduzidas ao Hospital. Minutos depois, entre Chapecó e Cordilheira Alta outro acidente, duas pessoas ficaram feridas.

Eleno Ribeiro Santos, de 22 anos e Pedro Rogério Ketner , 27, estavam no veículo que bateu na camionete. Os dois ocupantes do carro tiveram ferimentos leves e foram encaminhados ao Hospital Regional.

Por volta das 19h, no prolongamento da avenida Getúlio Vargas. Um carro capotou. Ninguém se machucou. O carro transitava normalmente quando um ferro enroscou no pneu. O veículo capotou e houve um principio de incêndio. O fogo foi controlado pelo extintor do carro.


Comente aqui
11 set17:38

Capotamento com morte em Abelardo Luz

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br


Um capotamento com morte ocorreu no início da manhã deste domingo, em Abelardo Luz.

Um gol com placas do município saiu da pista numa estrada rural e capotou na linha Bom Sucesso. O condutor do veículo, Sidimar Scheis, 18 anos, foi arremessado para fora do veículo e teve fratura no pescoço. De acordo com a Polícia Militar ele não estava usando cinto de segurança. Há suspeita de que ele estaria voltando de um baile, na linha Passo das Antas, também em Abelardo Luz.

Comente aqui