Mulher

31 ago11:50

Mulher foi presa em Concórdia após tentativa de suborno

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Cleonice Ribas, 26 anos, foi presa em flagrante na tarde desta quinta-feira em Concórdia após uma tentativa de suborno. Ela ofereceu R$ 5 mil para que o diretor do Presídio da cidade fizesse a transferência do marido que está preso em Joaçaba. Toda ação foi gravada pela Polícia Civil.

O diretor do presídio, Luiz Preuss, disse que recebeu uma ligação de Cleonice na manhã da quarta-feira, dia 29.

- Ela disse que precisava conversar comigo e não poderia ser no presídio e nem por telefone – disse Preuss. Ele achou a atitude suspeita e entrou em contato com a Polícia Civil.

Após conversar com o delegado da Polícia Civil, Álvaro Weinert Opitz, o encontro foi marcado para à tarde da quinta-feira em uma lanchonete, anexo a um posto próximo ao presídio.

O vídeo gravado pela polícia mostra o momento em que Cleonice pede a transferência do marido e algumas regalias, como maior tempo de banho de sol assim que ele chegasse a Concórdia.

Após fazer a entrega de R$ 3 mil reais e dizer que o restante seria pago quando o marido fosse transferido, Cleonice foi presa em flagrante por corrupção ativa. A pena para o crime é de dois a 12 anos de prisão.

Cleonice, que esteve presa em 2009 por tráfico de drogas, está na ala feminina do Presídio Regional de Concórdia.


Comente aqui
20 ago15:11

Morte de mulher de 31 anos dentro de veículo é investigada no Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Civil de Xavantina investiga a morte de Eliane Aparecida Teles de 31 anos. Ela passou mal quando voltava de Caxambu do Sul com destino à Xavantina e morreu dentro do veículo da família. Também estavam no carro o marido, o filho de 6 anos, e um familiar de 16 anos. Todos foram encaminhados para o Hospital São Paulo de Xanxerê, onde permaneceram por observação e foram liberados na manhã desta segunda-feira. Elaine está sendo velada na Casa Mortuária de Xavantina e enterro está programado para às 9 horas desta terça-feira, no cemitério municipal.

Segundo o agente da Polícia Civil, Gilmar Bonatto, foi feita uma necropsia do corpo para averiguar as causas da morte. Uma das hipóteses investigadas pela Polícia seria a intoxicação pelo dióxido de carbono emitido pelo escapamento que poderia ter entrado dentro do carro.

– O resultado do laudo deve sair em 20 dias – disse o agente.

O veículo da família, um Monza, ano 85, também vai passar por perícia.


Comente aqui
03 ago08:15

INSS cobrará despesas de maridos que agridem mulheres

Letícia Costa | leticia.costa@zerohora.com.br

A partir da próxima semana, a Previdência Social entrará de forma efetiva na luta contra a violência doméstica às mulheres. Responsável por arcar com as despesas dos benefícios pagos às vítimas, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passará a cobrar dos agressores o ressarcimento da despesa.

Um dos primeiros casos a serem analisados no Brasil será o da pensão por morte concedida aos filhos de Marta Iraci Rezende da Silva, morta a facadas em Teutônia, no Vale do Taquari, em novembro de 2009 pelo ex-marido. Condenado em junho deste ano a 22 anos de prisão, Hélio Beckmann terá de responder a processo a ser movido pelo INSS pelos anos pagos de benefício aos filhos da vítima. No final da próxima semana, o presidente do INSS, Mauro Hauschild, estará em Teutônia para ajuizar a ação.

Chamada de ação regressiva, a punição, que já é solicitada pelo INSS à Justiça em casos de acidente de trabalho e de trânsito, agora será aplicada nos gastos com as aposentadorias por invalidez, pensão por morte e auxílio-doença de mulheres impossibilitadas de trabalhar por causa das agressões.

— A ação tem essa questão reparatória, mas também da prevenção, de servir como exemplo a outras pessoas. Não quer dizer que vamos sair por aí ajuizando ações de todas as situações, até porque não temos estrutura suficiente para fazer isso — diz Hauschild.

Os casos avaliados chegarão ao INSS por meio de delegacias da Polícia Civil, ministérios públicos estaduais e até mesmo depoimento das mulheres. Hoje, só no Rio Grande do Sul, cerca de 20 mil processos tramitam no Juizado da Violência Doméstica e Familiar de Porto Alegre. A ação regressiva pretende ser uma punição a mais, além da que o agressor está sujeito no âmbito penal e civil.

Ação está engajada no projeto Maria da Penha

Esse projeto, fruto de um acordo entre INSS e Instituto Maria da Penha, foi assinado na terça-feira e começará a valer efetivamente a partir da próxima semana.

No dia 7, quando a Lei nº 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, completa seis anos, começarão a ser ajuizadas as ações com processos recebidos da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher do Distrito Federal. Em um deles, de um auxílio-doença, o valor a ser cobrado do agressor chega a R$ 43 mil.

— O projeto não é apenas o ajuizamento de ações, também haverá capacitações dos funcionários da Previdência. No entanto, só em você estar punindo já está realizando uma ação educativa, de médio a longo prazos. Infelizmente, as pessoas só aprendem quando mexem no bolso delas — ressalta a coordenadora administrativa do Instituto, Cláudia Fernanda Fernandes, filha de Maria da Penha.


Entenda o projeto

— O agressor não precisa ter sido julgado pelo crime. A decisão de entrar com o pedido mesmo sem a condenação vai depender de cada caso;

— Delegacias especializadas, Ministério Público, entidades como o Instituto Maria da Penha e as próprias mulheres serão fontes do INSS para a escolha dos casos a serem processados na Justiça;

— O valor que o agressor deverá pagar para o instituto dependerá do benefício concedido à mulher ou à família das vítimas e do tempo que o pagamento durou;

— Serão analisados casos de benefícios de aposentadorias por invalidez, pensão por morte e auxílio-doença, sem levar em conta a gravidade do fato.


ZERO HORA



Comente aqui
24 jul12:53

Suspeito de homicídio em Chapecó já foi preso flagrante

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O suspeito do homicídio da noite desta segunda-feira em Chapecó já foi preso em flagrante no início de 2012. A prisão foi após uma denúncia feita por Marli Fátima Cavalheiro, que foi assassinada com três tiros.  De acordo com o delegado Danilo Fernandes, que atendeu a ocorrência, o suspeito foi identificado.

- Ele deve se apresentar ainda nesta terça-feira – disse Danilo.

No dia 14 de fevereiro a vítima havia registrado duas ocorrências na Polícia Militar. Uma delas por ameaça e outra por tentativa de homicídio, já que dois homens disparam tiros contra a casa dela.

Chegando ao local uma guarnição da PM abordou dois homens, um de 18 e outro de 23 anos. Com os irmãos os policiais encontraram uma pequena quantidade de maconha, uma moto e um revolver cal. 32, com 6 cartuchos intactos.

De acordo com informações da PM o homem de 23 anos assumiu a posse da arma e também a autoria dos disparos contra a casa da Marli. Ele foi preso em flagrante e encaminhado para a Delegacia de Polícia de Chapecó.

O homem não foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó pois pagou fiança.

Marli foi morta com três tiros, dois na cabeça e um nas costas. O velório acontece no Salão Comunitário do Bairro Quedas do Palmital e o enterro será às 15 horas no Cemitério Jardim do Éden em Chapecó.




Comente aqui
29 jun10:36

Mulher é presa por tráfico de drogas em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Foi presa em flagrante na noite desta quinta-feira em Chapecó Graziele de Freitas, 20 anos, por tráfico de drogas. Na casa dela a Polícia Militar encontrou 11 pedras de crack, dois cachimbos, uma balança de precisão, um rolo de papel alumínio e uma lâmina utilizada para fracionar a droga. Ela foi encaminhada para o Presídio Regional de Chapecó.

A prisão aconteceu depois que um homem de 24 anos foi abordado pela PM próximo a Concha Acústica da Efapi. Com ele os policiais encontraram duas pedras de crack. Questionado sobre a origem da droga o usuário disse que havia comprado o entorpecente na ‘boca do pé’, também no Bairro Efapi.

Ele acompanhou os policias até a casa de Graziele. Ao abrir a porta da casa os policiais avistaram sobre a mesa da cozinha a droga e os materiais apreendidos. Outro homem que estava na casa fugiu pela janela. A PM fez buscas mas não localizou o suspeito.

Ambos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia. Segundo o delegado Frederico Cezar, como o homem de 24 anos é usuário foi feito um Termo Circunstanciado e ele foi liberado. Já Graziele foi encaminhada para o presídio.

A Polícia Civil investiga o caso.


Comente aqui
21 mai15:29

Chapecó sedia ciclo de debates para combater violência contra a mulher

A Bancada Feminina da Assembleia Legislativa de Santa Catarina juntamente com o Ministério Público realiza neste mês audiências públicas em sete regiões do estado, com o objetivo de debater o enfrentamento à violência contra a mulher.

Na segunda-feira, dia 21, Chapecó sedia uma das audiências públicas, no auditório da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), antigo Colégio Bom Pastor. A deputada Luciane Carminatti coordena nesta tarde a audiência de Chapecó. Segundo ela, estes encontros são importantes no sentido de debater a situação por região sobre a violência contra a mulher.

- Vamos fazer um levantamento dos índices de violência em cada região e encaminhar propostas para se concretizar as políticas públicas para mulheres – disse.


Comente aqui
30 abr10:43

Mulher morre em atropelamento em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Uma mulher de 30 anos morreu atropelada no final da tarde deste domingo em Chapecó. Ela estava na saída para Guatambu, no Bairro Efapi, com as duas filhas na hora do acidente. Marilice Antunes dos Santos não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Uma das meninas, de 10 anos, teve ferimentos leves e foi encaminhada pelo Corpo de Bombeiros de Chapecó para o Hospital Materno Infantil. Lá ela foi atendida e transferida para o Hospital Regional de Chapecó onde teve alta nesta madrugada. A outra menina de 14 anos não teve ferimentos.

A Polícia Militar esteve no local e realizou teste de bafômetro com a motorista do veículo envolvido na ocorrência. A mulher de 27 anos foi encaminhada para a 2ª Delegacia de Polícia onde prestou depoimento. A Polícia Civil vai investigar o caso.

Marilice está sendo velada na Igreja Cabeiceira da Barragem. O enterro está marcado para as 16h no cemitério da Linha Divisa Tomazelli em Chapecó.


Comente aqui
15 abr20:12

Mulher morre em acidente na BR 282 em Xanxerê

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Uma colisão frontal na manhã do sábado, dia 14, tirou a vida da farmacêutica Gleyce Andreia Ruas Lubi, 36 anos. Casada e mãe de dois filhos, Gleyce trabalhava na Prefeitura de Bom Jesus e seguia para Chapecó onde cursava pós-graduação. Ela foi enterrada na tarde do domingo em Xanxerê.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal – PRF, o acidente foi por volta das 8h da manhã no Km 506, da BR 282 em Xanxerê. Gleyce, que fazia o sentido Xanxerê-Chapecó, conduzia um veículo Passion 207 e foi atingida por uma caminhonete Frontier, placas de Abelardo Luz. O condutor, de 27 anos, e o carona, de 31, da caminhonete voltavam de Chapecó. Chovia na hora do acidente.

Com o impacto da colisão Gleyce morreu no local. Os ocupantes do outro veículo saíram ilesos. O Corpo de Bombeiros de Xanxerê atendeu a ocorrência.

Após o acidente a PRF fez teste de bafômetro e constatou que o motorista da caminhonete estava embriagado. O exame apontou 0,93 mg/L, o máximo permitido é 0,10mg/L. O carona se recusou a realizar o bafômetro mas, os policiais constataram sinais de embriaguez.

Os dois foram encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil de Xanxerê. De acordo com o delegado Albino Souza de Araújo, o motorista negou em depoimento que estava dirigindo. O delegado disse ainda que quando a PRF chegou ao local ambos estavam fora do veículo. – Diante de um fato grave como esse não poderia deixar o envolvido impune, pois poderia causar uma revolta popular – disse o delegado.

O carona foi liberado. O condutor foi preso em flagrante e encaminhado para o Presídio Regional na manhã do sábado. Por volta das 21h ele pagou fiança e foi liberado.

A Polícia Civil seguem as investigações.


Comente aqui
14 mar16:35

Jornada Catarinense da Mulher Advogada abre nesta quinta em Chapecó

Com a temática “Participação e valorização profissional”, Chapecó sedia nesta quinta e sexta-feira, dias 15 e 16, a IV Jornada Catarinense da Mulher Advogada. A promoção, da Seccional Catarinense da Ordem dos Advogados do Brasil e da Subseção de Chapecó da OAB, acontece, no Hotel Lang Palace, com a presença de profissionais de todo o Estado.

Na abertura da jornada, às 18h desta quinta-feira, haverá uma solenidade para assinalar os 40 anos de atuação da Ordem dos Advogados do Brasil em Chapecó, completados em 21 de fevereiro de 1972. O ato contará com as presenças do presidente da seccional catarinense da OAB, Paulo de Borba, do coordenador geral das comissões, Márcio Luiz Fogaça Vicari, do presidente da Caixa de Assistência dos Advogados, Diogo Nicolau Pítsica, do presidente da OAB de Chapecó, Ricardo Antonio Cavalli, e da presidente da Comissão local da Jornada Catarinense da Mulher Advogada, Patrícia Vasconcellos de Azevedo. Constará da solenidade, também, a outorga de troféu e diploma de advogado jubilado aos doutores José Carreia do Amorim, Marina Bassi e Vitório Dervanoski. Fará parte da programação uma homenagem as advogadas: Dulce Irene Finardi, Lourimar Therezinha Beal, Loiva Cecilia Dal Piva, Marina Bassi e Maria Aparecida dos Santos.

Renomados palestrantes abordarão os temas: Novas Perspectivas – Direito Processual Civil e da Família; a Lei Maria da Penha; Gênero, Direito e Saúde – Mulheres e o Exercício da Advocacia; Interface entre o Trabalho e as Relações de Gênero; Saúde da Mulher Trabalhadora; Cuidar do Ser: uma vivência onde estaremos sentindo, ouvindo, olhando, com um bem estar maior; e Assédio Moral.

Além dessas abordagens, outros momentos de integração e troca de experiências nos dois dias da jornada serão as mesas-redondas, para discutir o atual cenário das esferas políticas e sociais de administração da entidade, o exercício profissional e os desafios da profissão no século XXI.

Em avaliação, a coordenadora do evento em Chapecó e vice-presidente da OAB de Chapecó, Patrícia Vasconcellos de Azevedo, pontua a jornada como espaço para discutir a valorização profissional.

- A mulher já tem uma vitoriosa trajetória de conquistas profissionais e de inserção na sociedade e essa jornada ampliará a participação da mulher em instituições, na política e na atividade profissional e privada – acrescenta a coordenadora local do evento.

No encerramento do evento, às 17h30, será divulgada a Carta da IV Jornada Catarinense da Mulher Advogada.


Comente aqui
07 mar15:06

OAB de Chapecó completa 40 anos

Defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado democrático de direito, os direitos humanos e a justiça social e lutar pela boa aplicação das leis, pela rápida administração da justiça e pelo aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas. Esses são preceitos estabelecidos no Estatuto da Advocacia e da OAB, conforme lei 8.906/94, e que vêm sendo cumpridos pela Subseção da OAB em Chapecó nos seus 40 anos de existência.

A comemoração das quatro décadas de atuação da Ordem dos Advogados em Chapecó ocorrerá na abertura da IV Jornada Catarinense da Mulher Advogada. Programado para os dias 15 e 16 de março em Chapecó, no Hotel Lang Palace, o evento é direcionado para profissionais da área jurídica, com palestras, mesa-redonda e troca de experiências. A promoção é da Seccional Catarinense da OAB e da Subseção de Chapecó, sob a coordenação da vice-presidente da OAB Chapecó, Patrícia Vasconcellos de Azevedo.

Em 21 de fevereiro de 1972, a Subseção de Chapecó, que tem sua base de representação em 20 municípios da região Oeste, foi fundada na sala de sessões do Tribunal do Júri da Comarca de Chapecó. Foram fundadores Darcy Langoski, Elmar Göhr, Ferdinando Damo, Guido Schwengber, Jayme José Migott, João Alberto Correa, João Valvite Paganella, Johanes Schlee, Laurindo Lunardi, Lélio José Schmitz, Milton Sander, Nelson Locatelli, Pedro De Toni, Raul Salvador e Roque Guido Giehl.

Dentro do dever de promover, com exclusividade, a representação, a defesa, a seleção e a disciplina dos advogados, a OAB de Chapecó tem tido como uma de suas bandeiras a fiscalização do exercício legal da profissão, destaca o presidente Ricardo Antonio Cavalli. O dirigente também defende a descentralização do serviço público, pois a maior parte da estrutura do poder, seja Executivo ou Judiciário, está centralizada nas capitais dos Estados. Por isso, a OAB tem insistido na descentralização e ampliação da estrutura estatal na região Oeste, reivindicando novas varas do Judiciário, cartórios, juízes, servidores, delegados e policiais militares, entre outros, para facilitar a atuação dos advogados e a vida das pessoas de modo geral.

- A advocacia é uma profissão que existe para ajudar as pessoas a dizer exatamente o que pensam e com isso consigam garantir os seus direitos e obtenham os serviços públicos de que necessitam e que por alguma razão injusta foram negados – define Cavalli.


Condução nos 40 anos

Os ex-presidentes da OAB/5a Subseção de Chapecó foram: Pedro De Toni; João Alberto Correa; Guido Schwengber; Genir José Destri, por duas gestões; Luiz Antônio Palaoro, por três gestões; Ferdinando Damo; José Correia de Amorim; Silvio Zmijevski; Waldir Waldemeri; Valdemar Capeletti; Reinaldo Mombelli; Paulo Antônio Barela; e Ortenilo Anzolin.


Representação da Subseção

A área de atuação da Subseção compreende os municípios de: Chapecó, Águas de Chapecó, Águas Frias, Caxambu do Sul, Cordilheira Alta, Coronel Freitas. Guatambu, Jardinópolis, Lageado Grande, Modelo, Nova Erechim, Nova Itaberaba, Pinhalzinho, Planalto Alegre, São Lourenço do Oeste, Serra Alta, Sul Brasil, União do Oeste, Xaxim e Saudades.


Comente aqui