Multivacinação

22 ago14:07

Tire dúvidas sobre a campanha de vacinação infantil e saiba se seu filho precisa receber todas as doses

Aline Rebequi | aline.rebequi@diario.com.br

Postos de saúde do país estarão mobilizados até sexta-feira para colocar em dia a carteira de vacinação de todas as crianças menores de cinco anos (4 anos 11 meses e 29 dias). Quem não está com atrasos, não precisa se vacinar novamente mesmo com as duas pequenas mudanças na campanha.

Nesta multivacinação, a vacina contra paralisia infantil, que antes era dada só em gotinhas, passa a ser injetável. São duas doses que devem ser tomadas aos dois meses e aos quatro meses de vida. A partir dos seis meses até os cinco anos, as doses continuaram sendo dadas em gotinhas.

Outra mudança importante é a inclusão da vacina Pentavalente, que vai substituir duas vacinas: a tetravalente — que protege contra a difteria, coqueluche, tétano e um dos tipos de meningite — e a vacina contra hepatite B, o que significa uma picada a menos nas crianças.

Quem não conseguir levar o filho em um posto de saúde até sexta-feira, pode procurar o local fora do prazo que as vacinas continuarão disponíveis.

— É muito importante que o pai ou a mãe leve a criança ao posto de vacinação mais próximo porque o profissional de saúde irá ajudar na identificação de quais vacinas estão faltando na caderneta — diz a gerente de imunização da Secretaria Estadual da Saúde, Luciana Amorim.


Tira-dúvidas

Quem precisa se vacinar?

Crianças menores de 5 anos (4 anos 11 meses e 29 dias) e que não estejam com a carteira de vacinação em dia.


O que meu filho vai tomar?

Estarão disponíveis todas as vacinas do calendário básico de vacinação da criança como: BCG, Hepatite B, Pentavalente, vacina inativada poliomielite (VIP), vacina oral poliomielite (VOP), Rotavírus, Pneumocócica 10 valente, Meningocócica C conjugada, Febre amarela, Tríplice viral e DTP. A criança irá ser vacinada com aquela que não está atualizada na carteira podendo ser uma, duas ou mais vacinas.


O que mudou do ano passado para 2012?

Foram incluídas duas vacinas com uma nova forma de aplicação, as duas injetáveis. A pentavalente que reúne em uma única aplicação a proteção de duas vacinas distintas já existentes (contra a hepatite B e a tetravalente que protege contra difteria, tétano, coqueluche) e a vacina poliomielite inativada, a que protege contra paralisia infantil e que antes era dada só em gotinhas.


Se meu filho tem a carteira de vacinação em dia, preciso ir ao posto vacinar por conta destas duas novas vacinas?

Não. Se a carteira estiver em dia seu filho está protegido.


Por que trocaram a gotinha pela injeção?

Porque o Brasil já está se preparando para a utilização apenas da vacina inativada quando houver a erradicação da poliomielite no mundo, momento em que será recomendado apenas o uso da vacina injetável.


Mas se meu filho tomou as gotinhas este ano, precisa tomar a injeção?

Depende de cada caso, da idade dele e da dose que ele tomou, por isso, a orientação é para ir ao posto e checar se há necessidade.

Eu não encontrei a carteira de vacinação do meu filho, e agora o que devo fazer?

Deve ir ao posto onde fez a última vacina, lá deverá ter uma segunda via. Se o posto for muito longe ou até mesmo em outra cidade, deve ir em qualquer posto e pedir uma solicitação de segunda via da carteira.


Mas e se nenhum posto encontrar a segunda via?

Neste caso, leve seu filho a qualquer posto de saúde que as equipes irão avaliar a idade dele e vacinar da mesma forma.


É arriscado vacinar de novo se ele tomou a vacina e eu não lembro?

Não. A equipe de saúde irá vaciná-lo com as doses que forem seguras para a criança


O que pode acontecer com meu filho se a carteira dele não estiver em dia?

Ele não será considerado uma criança vacinada. Há vacinas que só protegem com mais eficácia se a criança tomou todas as doses. A A criança fica desprotegida contra muitas doenças frequentes na infância como rotavírus (que causa diarreias e vômitos), hepatite B, meningite, paralisia infantil entre tantas outras.


Meu filho tem mais de cinco anos e eu não lembro se ele tomou todas as vacinas, o que devo fazer agora?

A campanha é voltada para as crianças menores de cinco anos. No entanto, você pode levar seu filho ao posto. Lá deverão ser feitas todas as tentativas de resgatar onde esta criança tem registradas doses anteriores. Caso não haja comprovação anterior, ela deverá receber todas as vacinas atribuídas a sua faixa etária.


Essas vacinas são 100% eficazes?

Não. Nenhum imunizante é 100% eficaz.


Meu filho vomitou logo depois que tomou a vacina, devo voltar ao posto para vacinar de novo?

Se foi injeção não há necessidade, ele continua protegido. Se foi gotinha e se faz poucas horas ele vai precisar tomar de novo.


Ouvi dizer que quanto mais fortes as reações, mais protegida a criança está. É verdade?

Não. A eficácia não está relacionada à intensidade de sinais como febre, inchaço e dor no local da aplicação. Uma das características das vacinas mais modernas, aliás, é justamente oferecer maior proteção com o mínimo de efeitos colaterais.


Também ouvi dizer que a primeira dose é sempre a mais importante e que o reforço é apenas uma segurança a mais. É verdade?

Mentira. Quando se pede o reforço é porque, no intervalo entre uma aplicação e outra, o número de anticorpos tende a despencar. A cada dose o contato com o vírus ou com a bactéria da vacina aumenta as defesas do organismo até elas chegarem ao ponto ideal.


O que é normal meu filho sentir depois da aplicação destas vacinas?

Tudo depende da vacina. Mas, de uma modo geral, cerca de 30% das crianças ficam com o local avermelhado, doído, às vezes, endurecido, podem ter febre entre 38ºC e 39ºC, em raros casos podem ter convulsão e podem chorar bastante no dia. Mas na maioria dos casos, cerca de 70% delas, não apresentam estes sintomas.


Posso dar um remédio para dor ou febre para meu filho um pouquinho antes ou logo depois da vacina para ele não sentir nada?

Sem orientação médica não. O correto é ele tomar a vacina e se der muita reação retornar ao posto e pedir orientação sobre o que ele deve tomar, muitas crianças são alérgicas a alguns remédios e os pais nem sabem.

É verdade que as vacinas pagas em clínicas particulares não dão reações para as crianças?

Em parte. Elas têm um composto que podem diminuir as reações, mas mesmo pagas, dependendo da criança, ela pode ter reações.


Há como saber que reações meu filho terá e o que devo fazer para diminuí-las?

Não há como saber e os pais não devem fazer nada sem a orientação de um médico.


Se eu resolver pagar uma vacina em clínica particular posso utilizar a mesma carteira de vacinação e voltar a vacinar no posto?

Sim, não há necessidade de outra carteira e é possível utilizar o público e o privado com a mesma.


Fontes: Ministério da Saúde e Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC


HORA DE SANTA CATARINA


Comente aqui
22 ago07:41

Campanha de multivacinação de crianças com até cinco anos se encerra sexta-feira

Aline Rebequi | aline.rebequi@diario.com.br

Até sexta-feira os postos de saúde do país estarão mobilizados para colocar em dia a carteira de vacinação de todas as crianças menores de cinco anos (4 anos 11 meses e 29 dias). Quem não está com atrasos, não precisa se vacinar novamente mesmo com as duas pequenas mudanças na campanha.

Nesta multivacinação, a vacina contra paralisia infantil, que antes era dada só em gotinhas, passa a ser injetável. São duas doses que devem ser tomadas aos dois meses e aos quatro meses de vida. A partir dos seis meses até os cinco anos, as doses continuaram sendo dadas em gotinhas.

Outra mudança importante é a inclusão da vacina Pentavalente, que vai substituir duas vacinas: a tetravalente — que protege contra a disenteria, coqueluche, tétano e um dos tipos de meningite — e a vacina contra hepatite B, o que significa uma picada a menos nas crianças.

Quem não conseguir levar o filho em um posto de saúde até sexta-feira, pode procurar o local fora do prazo que as vacinas continuarão disponíveis.

— É muito importante que o pai ou a mãe leve a criança ao posto de vacinação mais próximo porque o profissional de saúde irá ajudar na identificação de quais vacinas estão faltando na caderneta — diz a gerente de imunização da Secretaria Estadual da Saúde, Luciana Amorim.


Tira dúvidas

Quem precisa se vacinar?

Crianças menores de 5 anos (4 anos 11 meses e 29 dias) e que não estejam com a carteira de vacinação em dia.


O que meu filho vai tomar?

Estarão disponíveis todas as vacinas do calendário básico de vacinação da criança como: BCG, Hepatite B, Pentavalente, vacina inativada poliomielite (VIP), vacina oral poliomielite (VOP), Rotavírus, Pneumocócica 10 valente, Meningocócica C conjugada, Febre amarela, Tríplice viral e DTP. A criança irá ser vacinada com aquela que não está atualizada na carteira podendo ser uma, duas ou mais vacinas.


O que mudou do ano passado para 2012?

Foram incluídas duas vacinas com uma nova forma de aplicação, as duas injetáveis. A pentavalente que reúne em uma única aplicação a proteção de duas vacinas distintas já existentes (contra a hepatite B e a tetravalente que protege contra difteria, tétano, coqueluche) e a vacina poliomielite inativada, a que protege contra paralisia infantil e que antes era dada só em gotinhas.


Se meu filho tem a carteira de vacinação em dia, preciso ir ao posto vacinar por conta destas duas novas vacinas?

Não. Se a carteira estiver em dia seu filho está protegido.


Por que trocaram a gotinha pela injeção?

Porque o Brasil já está se preparando para a utilização apenas da vacina inativada quando houver a erradicação da poliomielite no mundo, momento em que será recomendado apenas o uso da vacina injetável.


Mas se meu filho tomou as gotinhas este ano, precisa tomar a injeção?

Depende de cada caso, da idade dele e da dose que ele tomou, por isso, a orientação é para ir ao posto e checar se há necessidade.


Eu não encontrei a carteira de vacinação do meu filho, e agora o que devo fazer?

Deve ir ao posto onde fez a última vacina, lá deverá ter uma segunda via. Se o posto for muito longe ou até mesmo em outra cidade, deve ir em qualquer posto e pedir uma solicitação de segunda via da carteira.


Mas e se nenhum posto encontrar a segunda via?

Neste caso, leve seu filho a qualquer posto de saúde que as equipes irão avaliar a idade dele e vacinar da mesma forma.


É arriscado vacinar de novo se ele tomou a vacina e eu não lembro?

Não. A equipe de saúde irá vaciná-lo com as doses que forem seguras para a criança


O que pode acontecer com meu filho se a carteira dele não estiver em dia?

Ele não será considerado uma criança vacinada. Há vacinas que só protegem com mais eficácia se a criança tomou todas as doses. A A criança fica desprotegida contra muitas doenças frequentes na infância como rotavírus (que causa diarreias e vômitos), hepatite B, meningite, paralisia infantil entre tantas outras.


Meu filho tem mais de cinco anos e eu não lembro se ele tomou todas as vacinas, o que devo fazer agora?

A campanha é voltada para as crianças menores de cinco anos. No entanto, você pode levar seu filho ao posto. Lá deverão ser feitas todas as tentativas de resgatar onde esta criança tem registradas doses anteriores. Caso não haja comprovação anterior, ela deverá receber todas as vacinas atribuídas a sua faixa etária.


Essas vacinas são 100% eficazes?

Não. Nenhum imunizante é 100% eficaz.

Meu filho vomitou logo depois que tomou a vacina, devo voltar ao posto para vacinar de novo?

Se foi injeção não há necessidade, ele continua protegido. Se foi gotinha e se faz poucas horas ele vai precisar tomar de novo.


Ouvi dizer que quanto mais fortes as reações, mais protegida a criança está. É verdade?

Não. A eficácia não está relacionada à intensidade de sinais como febre, inchaço e dor no local da aplicação. Uma das características das vacinas mais modernas, aliás, é justamente oferecer maior proteção com o mínimo de efeitos colaterais.


Também ouvi dizer que a primeira dose é sempre a mais importante e que o reforço é apenas uma segurança a mais. É verdade?

Mentira. Quando se pede o reforço é porque, no intervalo entre uma aplicação e outra, o número de anticorpos tende a despencar. A cada dose o contato com o vírus ou com a bactéria da vacina aumenta as defesas do organismo até elas chegarem ao ponto ideal.


O que é normal meu filho sentir depois da aplicação destas vacinas?

Tudo depende da vacina. Mas, de uma modo geral, cerca de 30% das crianças ficam com o local avermelhado, doído, às vezes, endurecido, podem ter febre entre 38ºC e 39ºC, em raros casos podem ter convulsão e podem chorar bastante no dia. Mas na maioria dos casos, cerca de 70% delas, não apresentam estes sintomas.


Posso dar um remédio para dor ou febre para meu filho um pouquinho antes ou logo depois da vacina para ele não sentir nada?

Sem orientação médica não. O correto é ele tomar a vacina e se der muita reação retornar ao posto e pedir orientação sobre o que ele deve tomar, muitas crianças são alérgicas a alguns remédios e os pais nem sabem.


É verdade que as vacinas pagas em clínicas particulares não dão reações para as crianças?

Em parte. Elas têm um composto que podem diminuir as reações, mas mesmo pagas, dependendo da criança, ela pode ter reações.


Há como saber que reações meu filho terá e o que devo fazer para diminuí-las?

Não há como saber e os pais não devem fazer nada sem a orientação de um médico.


Se eu resolver pagar uma vacina em clínica particular posso utilizar a mesma carteira de vacinação e voltar a vacinar no posto?

Sim, não há necessidade de outra carteira e é possível utilizar o público e o privado com a mesma.


Fontes: Ministério da Saúde e Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC

Comente aqui
21 ago16:25

Multivacinação em Palmitos, mais de 210 crianças foram vacinadas no dia “D”

A Semana de Multivacinação iniciada em todo o país no sábado, dia 18 de agosto, levou 216 crianças para o posto de saúde em Palmitos. As crianças de zero a cinco anos de idade passaram por avaliação e vacinação. De acordo com a Enfermeira da Vigilância Epidemiológica Franciole Mallmann, foram atualizados os cartões de vacina e vacinadas as crianças que estavam com o mesmo desatualizado.

- Convidamos os responsáveis que tragam as crianças para a sala de vacina até a sexta-feira, dia 24 de agosto para atualizar as carteirinhas – disse Franciole.

Estão sendo disponibilizadas 11 vacinas, contra 17 diferentes tipos de doenças. A campanha contempla todas as vacinas da atenção básica.


Comente aqui
16 ago18:15

Campanha Nacional de Multivacinação para atualização da carteira de crianças menores de 5 anos inicia neste sábado

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Campanha Nacional de Multivacinação inicia neste sábado dia 18 de agosto em todo país. A campanha objetiva a atualização das carteirinhas de vacinação de crianças menos de 5 anos. Os pais podem levar os filhos nos Postos de Saúde, de Chapecó e região, das 8h às 17h, sem fechar ao meio dia.

Neste ano a campanha terá duas novas vacinas e prazo menor. A Multivacinação segue até a sexta-feira, dia 24 de agosto. Os postos atendem das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h.

Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Chapecó, Paula Senna da Silva, a estratégia visa diminuir o risco de transmissão de enfermidades imunopreveníveis e reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal.

Nesta campanha também serão oferecidas mais duas novas vacinas: a vacina injetável contra a poliomielite preparada com o vírus inativado (VIP) e a pentavalente contra difteria, tétano, coqueluche, influenza e hepatite B.


Comente aqui
14 ago12:44

Campanha Nacional para atualizar a carteirinha de vacinação de crianças menores de 5 anos inicia no dia 18 de agosto

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Campanha Nacional de Multivacinação está programada para iniciar no dia 18 de agosto e objetiva a atualização das carteirinhas de vacinação. Os pais podem levar os filhos nos Postos de Saúde, até a sexta-feira, dia 24 de agosto. Neste ano a campanha terá um prazo menor e duas novas vacinas.

Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Chapecó, Paula Senna da Silva, todas as vacinas serão ofertadas para crianças menores de 5 anos.

- Esta estratégia visa diminuir o risco de transmissão de enfermidades imunopreveníveis e reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal – disse.

Nesta campanha também serão oferecidas mais duas novas vacinas: a vacina injetável contra a poliomielite preparada com o vírus inativado (VIP) e a pentavalente contra difteria, tétano, coqueluche, influenza e hepatite B.



Comente aqui
07 ago15:01

Campanha Nacional para atualizar a carteirinha de vacinação de crianças menores de 5 anos inicia no dia 18 de agosto

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Campanha Nacional de Multivacinação está programada para iniciar no dia 18 de agosto e objetiva a atualização das carteirinhas de vacinação. Os pais podem levar os filhos nos Postos de Saúde, até a sexta-feira, dia 24 de agosto. Neste ano a campanha terá um prazo menor e duas novas vacinas.

Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Chapecó, Paula Senna da Silva, todas as vacinas serão ofertadas para crianças menores de 5 anos.

- Esta estratégia visa diminuir o risco de transmissão de enfermidades imunopreveníveis e reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal – disse.

Nesta campanha também serão oferecidas mais duas novas vacinas: a vacina injetável contra a poliomielite preparada com o vírus inativado (VIP) e a pentavalente contra difteria, tétano, coqueluche, influenza e hepatite B.

Em Chapecó cerca 120 profissionais da saúde participam de um treinamento para o novo calendário vacinal. Serão quatro encontros, o primeiro foi realizado no dia 1º de agosto.


Comente aqui