Nova Erechim

04 set10:55

Prefeito decreta Luto em Nova Erechim

O velório das quatro vítimas do acidente entre van e caminhão, em Gaspar no Vale do Itajaí, acontece no ginásio da Escola Estadual Rudolfo Luzina em Nova Erechim. Às 10h15min está marcada uma missa. A cada 15min, após a cerimônia , um corpo será encaminhado para o cemitério municipal. Três corpos serão enterrados no cemitério da cidade. Danielly Ana Hining será enterrada no cemitério da linha São José, interior do município. O prefeito Volmir Pirovano decretou luto de três dias. As aulas também foram canceladas nesta segunda-feira, dia cinco.



Bruna morreu cinco meses após o irmão, também no trânsito


A morte do irmão Rafael Zenni, ocorrida num acidente de trânsito em 19 de março, em Pinhalzinho, ainda perturbava Bruna Zenni, de 16 anos. De acordo com a cunhada, a viúva Elisete Wichroski, no início ela nem queria viajar.


O namorado, Douglas Morelli, contou que ela estava deprimida pela perda do irmão. Por isso ele e os pais de Bruna ajudaram a pagar a viagem.


-Foi um presente de aniversário- disse a mãe, Olirdes Ana Zeni, lembrando que a filha tinha completado 16 anos no dia 18 de agosto. Ela também iria conhecer a praia pela primeira vez.


Depois que perdeu Rafael, Olirdes se apegou mais à filha. Na quinta-feira foi comprar uma barra de chocolate preto, tênis e chiclete, que Bruna havia pedido.


-É doído, agora fiquei sem nenhum- disse a mãe, desolada. O namorado, Douglas Morelli, também continha o choro. –Ela era uma guria muito parceira, dedicada e esforçada- comentou.


Ele recebeu um toque no celular uma hora antes do acidente. Duas horas depois soube que tinha acontecido algo. Quatro horas depois veio a pior noticia. Ele havia ficado sem a companheira de danças gauchescas com quem frequentava os bailes.


Sonho de Renata era conhecer a praia


A viagem para Balneário Camboriú, Itapema e Penha era a primeira que Renata Pezenatto, 14 anos, faria sozinha. –O sonho dela era conhecer a praia- disse a irmã, Ivanilde Pezenatto Giorgio. Renata passou oito dias arrumando a mala para a viagem.


Na escola, era referência tanto no estudo, quanto no esporte. –Ela era atleta- comentou a diretora da E.E.B.Rudolfo Luzina, Noeli Soletti.


Ela jogava futebol de campo e futsal. Em 2009 Renata ajudou o time da escola na conquista do vice-campeonato do Moleque Bom De Bola, nas finais disputadas em São João do Oeste.


Gostava de música e iria começar um curso de violão. Era a caçula de três irmãos e tinha um bom relacionamento com a família. –Se eu pudesse abriria mão da minha vida para ter ela de volta- disse a irmã, Ivanilde.


Apesar da dor, a imagem que ficará de Renata é de alguém que brincava com todo mundo. –Para ela não tinha tristeza- completou Ivanilde, visivelmente emocionada. E Renata morreu alguns quilômetros antes de realizar seu sonho.


Danielly gostava de tocar violão e cantar


Um dos passatempos prediletos de Danielly Hining, 14 anos, era tocar violão e cantar com o tio e padrinho, Wolmey Pandolfo. –Ela gostava de música sertaneja- conta o tio, que ajudou a cuidar da menina nos primeiros meses e vida, enquanto a mãe se curava de um câncer.


Danielly ajudava os pais na cozinha, na alimentação dos porcos e dos bezerros. Gostava tanto de animais que tinha como objetivo fazer curso de Medicina Veterinária.


Estava empolgada com a viagem. –Pai, estou tão feliz, me belisca para eu ver se é verdade- disse na véspera.


O tio, que foi buscá-la na quinta-feira, em Pinhalzinho, onde ela fazia um curso de computação, disse que a menina estava muito feliz.


–Ó padrinho, tirei tudo 10- mostrava. A viagem também era um sonho para ela. Para os familiares, restou lembrar do sorriso da menina que alegrava todos por onde passava.


Professora deixa a filha de 13 anos


Julia Mascarello, de 13 anos, foi uma das sobreviventes do acidente em Gaspar. Mas a mãe, Jocicler Mascarello, não pôde compartilhar esse momento com a filha. A professora foi uma das vítimas fatais. Julia, que já não tinha o pai, falecido cinco dias antes do nascimento, ficou também sem a mãe.


Restaram os avós, tios e primos para cuidá-la. A avó Josefina Catarina Mascarello disse que Júlia está em choque emocional.


–Ela só acordou no hospital- explicou Josefina. Ela agradeceu o apoio da comunidade, principalmente dos familiares, que trouxeram conforto num momento tão difícil.


Josefina disse que a filha sempre quis ser professora, profissão que exercia há 27 anos. Desde 1997 dava aula na escola Rudolfo Luzina, onde foi diretora e atualmente exercia o cargo de supervisora.


Era uma pessoa dinâmica e comunicativa. E morreu junto com aqueles para quem dedicou sua vida: os alunos.



Seis adolescentes feridos continuavam hospitalizados na noite de sábado. A batida provocou a morte de quatro pessoas e deixou outras 11 feridas.



Comente aqui
04 set08:37

Prefeito decreta três dias de luto em Nova Erechim

O velório das quatro vítimas do acidente entre van e caminhão, em Gaspar no Vale do Itajaí, acontece no ginásio da Escola Estadual Rodolfo Luzina em Nova Erechim. Às 10h15min está marcada uma missa. A cada 15min, após a cerimônia , um corpo será encaminhado para o cemitério municipal. Três corpos serão enterrados no cemitério da cidade. Danielly Ana Hining será enterrada no cemitério da linha São José, interior do município. O prefeito Volmir Pirovano decretou luto de três dias. As aulas também foram canceladas nesta segunda-feira, dia cinco.


Seis adolescentes feridos continuavam hospitalizados na noite de sábado. A batida provocou a morte de quatro pessoas e deixou outras 11 feridas.


A van transportava adolescentes e professores da Escola Estadual Rodolfo Luzina, de Nova Erechim, Oeste catarinense. O grupo de 72 pessoas seguia para Balneário Camboriú, onde faria passeios e participaria de palestras sobre ecologia. No domingo, passaria o dia no Parque Beto Carrero.


Alunos e professores seguiam para o Litoral em dois veículos — um ônibus e a van. Em Gaspar, pararam para tomar café. Momentos após retomarem a viagem, aconteceu o acidente na BR-470. Os alunos são do 9º ano e tem idade entre 14 e 15 anos.


Não resistiram aos ferimentos as estudantes Danielly Ana Hining, Bruna Zenni, Renata Júlia Pezenatto e a supervisora educacional Jocicler Mascarello. Os corpos foram liberados e encaminhados para Nova Erechim às 18h.


Na van estavam 15 ocupantes. Foram encaminhados a hospitais da região Caroline Bizangninde de Melo, Matheus Gomes Ferreira, Julia Mascarello de Souza, Thaiane Maiara da Silva, Daniela Cristina Rambo, Vinicius Sirture, Gustavo Weschenfelder, Renata Corso, Guilherme Paganini, Brenda Paseo e Valdir Thomas (motorista).


Por volta das 15h, Matheus, Caroline e Brenda já haviam recebido alta. À noite, Juliana e Daniela também deixaram o hospital. Todos que receberam alta já voltaram para casa.


Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a batida teria ocorrido depois que um carro saiu do trevo de Gaspar e invadiu a pista. Para não bater no carro, o motorista da van teria invadido a pista contrária e batido no caminhão.


DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
03 set18:28

Permanecem internados oito alunos de acidente entra van e caminhão

A van atingida por um caminhão na manhã deste sábado em Gaspar, na Vale do Itajaí, transportava adolescentes e professores da Escola Estadual Rodolfo Luzina, de Nova Erechim, Oeste catarinense. Quatro ocupantes da van morreram na batida e 11 ficaram feridos. Oito continuam internados na tarde deste sábado.



Van trafegava com 15 pessoas.



O grupo de 72 pessoas seguia para Balneário Camboriú, onde faria passeios e participaria de palestras sobre ecologia. No domingo, passaria o dia no Parque Beto Carrero.


Os alunos são do 9º ano e têm idade entre 14 e 15 anos. Não resistiram aos ferimentos as estudantes Danielly Ana Hining, Bruna Zenni, Renata Júlia Pezenatto e a supervisora educacional Jocicler Mascarello.


Na van estavam 15 ocupantes. Foram encaminhados a hospitais da região Caroline Bizangninde de Melo, Matheus Gomes Ferreira, Julia Mascarello de Souza, Thaiane Maiara da Silva, Daniela Cristina Rambo, Vinicius Sirture, Gustavo Weschenfelder, Renata Corso, Guilherme Paganini, Brenda Paseo e Valdir Thomas (motorista). Por volta das 15h, Matheus, Caroline e Brenda já haviam recebido alta.


— É muito triste isto. O passeio foi organizado desde março. Agora, vamos ter que velar as alunas e a Jocicler no ginásio da nossa escola, onde houve muitos momentos felizes — lamentou a assistente pedagógica da escola Solange Aparecida Schneider.


Alunos e professores seguiam para o Litoral em dois veículos — um ônibus e a van. Em Gaspar, pararam para tomar café. Momentos após retomarem a viagem, aconteceu o acidente na BR-470.


Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a batida teria ocorrido depois que um carro saiu do trevo de Gaspar e invadiu a pista. Para não bater no carro, o motorista da van teria invadido a pista contrária e batido no caminhão.


DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
03 set12:13

Acidente entre van e carreta mata quatro pessoas do Oeste

Atualizada às 13h20min


Um acidente entre uma van e uma carreta, por volta das 7h30min deste sábado, na BR-470, no trevo de Gaspar, deixou quatro pessoas mortas. A van transportava um grupo de alunos e professores que vinha de Nova Erechim e seguia para a cidade de Balneário Camboriú. Eles estariam indo visitar o parque do Beto Carrero.




Van seguia de Nova Erechim para o Litoral.




Morreram as estudantes Danielly Ana Hining, Bruna Zenni, Renata Júlia Pezenatto e a professora Jocicler Mascarello. As idades não foram divulgadas.


Outras 11 pessoas que estavam na van se feriram. Cinco delas foram levadas para hospitais em estado grave. Os feridos foram encaminhados para hospitais de Gaspar, Blumenau e Brusque.


Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) o acidente teria ocorrido depois que um carro que saída do trevo de Gaspar invadiu a pista. Para não bater no carro, o motorista da van teria invadido a pista contrária e batido no caminhão.


A pista já foi liberada. Os corpos devem chegar em Nova Erechim na madrugada de domingo.


JORNAL DE SANTA CATARINA

2 comentários