Oeste

12 nov14:46

Força Sindical de Santa Catarina instala sub sede Oeste

O movimento sindical do Oeste catarinense ganha substancial reforço. Na sexta-feira, 11, a Força Sindical de Santa Catarina instalou oficialmente e inaugurou as instalações físicas da sub sede Oeste, localizada em Chapecó. O ato contou com a presença de autoridades e sindicalista filiados na Força Sindical.

A sub sede Oeste está localizada na Rua Carlos Chagas, 71, ao lado do Centro Médico de Chapecó, travessa entre as Ruas Porto Alegre e General Osório. Possui área de 300 metros quadrados e completa infraestrutura para atender as necessidades. Durante a cerimônia a dirigente sindical Izelda Oro assumiu a Secretaria Estadual de Políticas para a Mulher da Força Sindical do Estado.

O presidente da Força Catarina, Osvaldo Olávio Mafra considera que o cenário político nacional, exige forte atuação do sindicalismo para combater projetos que contrariam os interesses das classes trabalhadoras. – Precisamos juntar forças para defender aqueles que representamos – disse.

Para o sindicalista, a descentralização viabilizada com a instalação da sub sede Oeste serve para ampliar o debate em defesa dos direitos coletivos e individuais.

No Oeste a Força Sindical possui 20 sindicatos filiados, representando pelo menos 15 categorias profissionais. O grupo atua na defesa de contingente superior a 100 mil trabalhadores que atuam em mais de 120 municípios das regiões Oeste, Extremo Oeste, Alto Uruguai e Meio Oeste catarinense.


Comente aqui
11 nov16:23

Rodovias no Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

As condições das rodovias do Oeste estão tão ruins que, para sair de cidades de Chapecó será necessário ir de avião ou então voltar ao transporte a cavalo dos antigos tropeiros. O que os moradores já vinham sentindo na pele foi confirmado um estudo da Confederação Nacional do Transportes, divulgado na semana passada. A SC 283 (no trecho de Chapecó a Palmitos), a SC 480 (no trecho de Chapecó até a divisa com o RS), a SC 468 (Chapecó a São Lourenço do Oeste) e a BR 163 (São Miguel do Oeste a Dionísio Cerqueira) estão entre as piores do estado.

Além disso o acesso de Chapecó até a BR 282, está em obras e, a BR 282, que até está em boas condições, está com a duplicação parada em Xanxerê e, no restante do trecho, necessita de melhorias. Um estudo da Federação das Indústrias realizado recentemente apontou uma série de obras para melhorar a rodovia, que registra uma morte a cada três dias.

–Todas as rodovias que cortam o Grande Oeste estão saturadas- afirmou o presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó, João Carlos Stakonski.

Ele afirmou que além de buracos e sinalização apagadas, algumas rodovias, como a BR 282, começam não dar conta do fluxo. Isso traz riscos à segurança dos motoristas e também prejudica o escoamento da produção. O Oeste é grande exportador agroindustrial e a produção é transportada para os portos pelas rodovias.

–A péssima situação das rodovias cria graves percalços para as agroindústrias- disse o presidente da Federação das Agroindústrias do Estado de Santa Catarina, José Zeferino Pedrozo.

-Rodovias em péssimas condições e inexistência de ferrovias e hidrovias anulam a competitividade das empresas do Oeste- complementa o presidente da Aurora Alimentos, Mário Lanznaster.

Desde o início do ano o Sindicato do Comércio Varejista de Chapecó (Sicom) está realizando reuniões com lideranças políticas e representantes do Governo do Estado, para cobrar melhoria nas rodovias e a implantação de um posto da Polícia Rodoviária Estadual em Chapecó. O prefeito de Chapecó, José Cláudio Caramori, anunciou nesta semana que o município vai doar a área de mil metros quadrados para a instalação do posto da Polícia Rodoviária Estadual

De acordo com o comandante da 7ª Companhia de Polícia Militar Rodoviária de Santa Catarina, Major Juarez Segalin, o Posto de Chapecó vai abranger a SC 480, até a divisa com o Estado do Rio Grande do Sul; a SC 283, até Seara e até o município de Águas de Chapecó; e a SC 468, até Quilombo.


Secretaria de Infraestrutura e DNIT anunciam investimentos

O secretário de Infraestrutura de Santa Catarina, Valdir Cobalchini, reconheceu as más condições de algumas rodovias do estado. Ele citou que a SC 283, entre Chapecó e Palmitos, e a SC 468, entre Chapecó e São Lourenço do Oeste, estão entre as piores. Para o secretário as fortes chuvas e a limitação de investimentos do Estado, que não tem rodovias com pedágio, contribuíram para a situação. No entanto ele anunciou que cerca de R$ 500 milhões devem ser investidos na melhoria da malha viária do Estado, nos próximos quatro anos. As obras devem iniciar em 2012.

Cerca de R$ 300 milhões devem vir de um financiamento junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), que deve ser assinado até o final do ano. O restante virá de um financiamento do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), de US$ 250 milhões (cerca de R$ 450 milhões), que também deve ser assinado até o final do ano. –Metade desse dinheiro deve ir para as rodovias- disse Cobalchini. Ele afirmou que uma parte “considerável” dos recursos será para a região Oeste.

Cobalchini disse que, pela necessidade logística, que é a distância dos portos e da capital, o Oeste merece ter uma compensação de boas rodovias. E afirmou estar em contato com o Departamento Nacional de Infraestrutura do Transporte (DNIT), para mais investimentos nas BRs 282, 158 e 163.

A Assessoria de Comunicação do DNIT de Santa Catarina informou que até o final do ano devem ser licitados novos lotes do Crema 2 (Contratos de Renovação e Manutenção), para as BRs 282, 153, 163, 280 e 470, totalizando cerca de R$ 700 milhões.

O DNIT está analisando a contratação de um Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental do trecho entre Lages e Paraíso, incluindo a adequação de capacidade no trecho Xanxerê/São Miguel do Oeste. Estão em andamento projetos de duplicação nas travessias urbanas de Xanxerê e Lages, além da duplicação do acesso a Chapecó. A obra de Xanxerê está parada no momento devido a um problema de pagamento entre a empresa contratada e os trabalhadores. Além disso já está finalizado o projeto de adequação de capacidade da BR 163, que posteriormente será licitado.




Comente aqui
11 nov09:19

Tempo ficará instável em Santa Catarina no fim de semana

O tempo fica instável em Santa Catarina nesta sexta-feira com panacdas de chuva isolada no decorrer do dia. Porém, o sol pode aparecer em algumas aberturas, segundo a Epagri/Ciram, órgão estadual que monitora as condições climáticas.

As máximas chegam entre 24ºC e 26ºC na Grande Florianópolis, no Planalto Norte, no Vale do Itajaí e no Oeste. No Litoral Norte, os termômetros atingem 28ºC. Na Serra e no Sul, ficam entre 20ºC e 22ºC.

No sábado, o sol aparece, mas um aumento na formações de nuvens provoca pancadas de chuva entre a tarde e noite. No domingo, as condições ficam mais instáveis, com predomínio de nebulosidade e condição de chuva. Há a possibildiade de temporal e granizo isolado. Temperaturas permanecem amenas.

Comente aqui
10 nov18:09

Ceom comemora 25 anos

Para comemorar 25 anos de atuação em defesa da história e do patrimônio cultural regional, o Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina (Ceom/Unochapecó) realiza evento nesta sexta-feira, 11 de novembro. O evento conta com o lançamento do livro “Antes do Oeste Catarinense: arqueologia dos povos indígenas”, publicado pela Editora Argos, com pesquisas feitas pelo Ceom e por pesquisadores de outras instituições que atuaram na região.

Além do lançamento, acontece conferência com a participação de um dos organizadores da obra, o arqueólogo Pedro Ignacio Schmitz. As atividades acontecem no salão de atos da Unochapecó, com início às 19h30. Participam acadêmicos, professores, pesquisadores, historiadores, arqueólogos e público em geral interessado.

O livro sobre a arqueologia dos povos indígenas na região está dividido em seis partes e reúne 11 textos, de 13 pesquisadores brasileiros. A obra traz informações sobre diferentes momentos da pré-história regional, incluindo a ocupação das terras por grupos de caçadores-coletores, há cerca de 8 mil anos, a vinda dos grupos indígenas agricultores há aproximadamente 1.500 anos, o contato cultural entre esses grupos pré-históricos e a história das pesquisas arqueológicas na região.

Desde sua criação, o Ceom mantêm como características a divulgação científica, o vínculo com os museus, a biblioteca setorial, a preocupação com os vestígios arqueológicos e o desenvolvimento da história a partir da oralidade. Conforme a coordenadora do Centro de Memória, Mirian Carbonera, o evento foi pensado para a comunidade acadêmica e regional. – O Centro tem como objetivo refletir sobre o quanto se avançou na área cultural nesse período, sem perder de vista o quanto ainda temos que fazer no que tange à preservação da história e do patrimônio, especialmente o patrimônio arqueológico – disse.

O arqueólogo Pedro Ignacio Schmitz, que ajudou a organizar a obra juntamente com Mirian Carbonera, tratará na conferência sobre as casas subterrâneas em Santa Catarina, representadas por vestígios deixados por antepassados ligados à família Macro-Jê, originária do Planalto Central Brasileiro. Pedro, que é professor e pesquisador no Instituto Anchietano de Pesquisas da Unisinos, foi um dos primeiros pesquisadores a investigar o passado pré-histórico da região Oeste Catarinense.



Comente aqui
09 nov16:47

Mulher é presa em Pinhalzinho

A Polícia Civil de Pinhalzinho, iniciou na segunda-feira, 7, uma Operação de combate à exploração de prostituição, no município. Até agora, foram constatados irregularidades em três estabelecimentos.


No primeiro dia foram vistoriados e fechados dois estabelecimentos comerciais – nos Bairros Bela Vista e Efacip – onde se constatou indícios da prática de rufianismo (tirar proveito de prostituição alheia) e de manutenção de estabelecimento destinado à prática de prostituição.

No segundo dia da Operação, terça, dia 8, em outro dos locais fiscalizados, onde havia denúncias que funcionava como casa de prostituição, houve a constatação flagrancial desses crimes. Neste bar, denominado São José, localizado em zona residencial, no Centro de Pinhalzinho, os policiais civis encontraram em um quarto um homem e uma mulher em ato sexual. A proprietária do bar, Lucia Gomes, 58 anos, foi presa em flagrante e aguarda vaga no Presídio de Chapecó.


1 comentário
09 nov08:59

Quarta-feira tem sol e máximas perto de 32ºC nesta quarta-feira

Santa Catarina tem mais um dia de sol entre poucas nuvens nesta quarta-feira. Não há previsão de chuva, segundo a Epagri/Ciram, órgão estadual que monitora as condições climáticas.

>>> Confira o blog do Puchalski

As máximas chegam entre 27ºC e 29ºC na Grande Florianópolis, no Litoral Norte, no Planalto Norte, no Vale do Itajaí e no Sul. No Oeste, os termômetros atingem 32ºC. Na Serra, ficam por volta de 24ºC.

Na quinta-feira, a formação de áreas de instabilidade associadas a aproximação de uma nova frente fria ao Sul do país provoca pancadas de chuva com trovoadas entre a tarde e a noite no Oeste e no Meio-Oeste. Nas outras regiões, a chuva ocorre à noite. Temperaturas permanecem elevadas.

Comente aqui
08 nov10:18

Invasão de círculos no Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br*

Atenção Terra! O Oeste Catarinense está sendo invadido por círculos misteriosos nas lavouras de trigo. No dia 31 de outubro os dois primeiros apareceram em Bom Jesus. No dia 4 de novembro apareceu mais um em Ouro Verde. Agora, em Ipuaçu, foram oito no domingo, igual no filme Thor, e mais dois na segunda-feira. O interessante é que os sinais são sempre em lavouras de trigo. Vai ver que os extraterrestres estão sem farinha.

O primeiro a encontrar os círculos foi o supervisor de uma empresa de Ipuaçu, Marcelo Bianchi, que voltava de um jogo de futebol em Abelardo Luz. Ele disse que tinha tomado umas cervejas e parou para liberar o excesso de líquido no organismo, quando avistou os sinais a um quilômetro de distância. –Olha lá, baixaram os ETs- exclamou. -Um colega logo me chamou de burro- completou.

Ele logo ligou para alguns conhecidos e foi até o local verificar os sinais. –Quando cheguei aqui me arrepiei- contou, acreditando na possibilidade de que não se trata de obra de um terráqueo.

Ufólogo Ivo Dohl afirma que os círculos foram feitos com tecnologia.

O radialista de Xanxerê e ufólogo Ivo Hugo Dohl está crente de que os círculos de Ipuaçu são feitos por uma energia de uma tecnologia mais avançada, diferente do que ocorreu em Bom Jesus e Ouro Verde. –O trigo não está quebrado e sim como se tivesse dobrado pé por pé- explicou. Ele já enviou o material para centros de estudo de ufologia em São Paulo e na Inglaterra. Mas não sabe explicar porque esses círculos surgem desde 2008 na região Oeste.

A estudante de Jornalismo Mirian Cruz até tentou pisotear o trigo pra ver se ficava igual. –Não tem como fazer- constatou. Funcionários da propriedade onde foram encontrados os sinais, informaram que não viram nenhum movimento diferente no domingo, muito menos nave espacial. –Acho que vieram a pé- disse um dos funcionários.

-É sacanagem, não passa de brincadeira de uma piazada- disse Alessandro Brinquer, que trabalha em outra propriedade do mesmo dono da área. Na cidade de Ipuaçu, alguns dão risada quando questionados sobre o fato. Outros ficam apreensivos. –É um mistério- diz o borracheiro Valdecir Vargas. A proprietária de um posto de combustível, Eliamar Serraglio, disse que um monte de gente já parou no local para pedir informações. –Bastante gente está perguntando- afirmou.

Para o astrônomo e presidente do Grupo de Estudos do Planetário da UFSC, Adolfo Stotz Neto, os sinais são grotescos e de fácil confecção, além de terem sido feitos rapidamente. –Mais uma vez se trata de brincadeira- concluiu o professor.

O certo é que os sinais viram atração turística. Tanto que a Prefeitura de Ipuaçu até adotou fotos dos primeiros círculos, que apareceram em 2008, no material de divulgação do município. Coisa de outro mundo.


*Colaborou Juliano Zanotelli


1 comentário
08 nov09:10

Termômetros chegam a 31ºC nesta terça-feira de sol em Santa Catarina

O tempo segue estável em Santa Catarina nesta terça-feira. O sol predomina entre nuvens em todas as regiões, segundo a Epagri/Ciram, órgão estadual que monitora as condições climáticas.

As máximas chegam entre 26ºC e 28ºC na Grande Florianópolis, no Vale do Itajaí, no Sul, no Planalto Norte e no Litoral Norte. No Oeste, os termômetros atingem 31ºC. Na Serra, não passam de 24ºC.

Na quarta-feira, as condições continuam estáveis com presença de sol no Estado. Não há previsão de chuva, de acordo com a Epagri.

Comente aqui
07 nov19:14

Nova formação em Ipuaçu

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Essa foi a segunda formação encontrada numa lavoura de trigo em Ipuaçu nos últimos dias. O novo agroglifo está na mesma plantação onde foram encontrados oito desenhos na tarde do domingo, dia 6.

O ufólogo Ivo Hugo Dohl sobrevoava a região Oeste para analisar de cima a formação encontrada no domingo, quando percebeu um novo agroglifo. Para ele as duas formações encontradas na cidade são autênticas. – O trigo não está dobrado, como nos desenhos encontrados em Bom Jesus e Ouro Verde. Neste ele parece estar acamado, como se fosse produzido por algum tipo de energia – disse.

A formação encontrada na lavoura de trigo no domingo, dia 6, em Ipuaçu, surpreende pelo tamanho. São oito agroglifos, denominação dada aos círculos, estão em uma área de 50 metros. Em novembro de 2008 desenhos semelhantes foram encontrados numa plantação da cidade.

O astrônomo e presidente do Grupo de Estudos do Planetário da Universidade Federal de Santa Catarina Adolfo Stotz Neto, diz que as marcas podem ter sido produzidas por moradores.

- Os desenhos continuam a ser bem grotescos e de facíl confecção. Não há nem precisão nem estética nos traçados. O que indica foram feitos rapidamente, sem muito cuidado. Mais uma vez, se trata de brincadeira – disse o astrônomo.

Nos últimos dias foram encontrados três círculos na região Oeste, um em Ouro Verde e dois em Bom Jesus.



Comente aqui
07 nov14:39

Curso de Tosquia em Ovinos

Atendendo solicitação da Associação Catarinense de Criadores de Ovinos e de seus núcleos regionais, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC) – órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) – realizou os dois primeiros cursos de tosquia de ovinos em Água Doce.

De acordo com o superintendente do Senar em Santa Catarina, Gilmar Zanluchi, a procura por esse tipo de treinamento, por parte dos produtores de ovinos, é decorrente da expansão da atividade em muitas regiões do estado onde a ovinocultura passou a ser mais uma atividade econômica nos últimos anos e, consequentemente, pela falta de tosquiadores, prestadores de serviços de tosquia em ovinos. Por outro lado o preço pago pela lã de ovelha tem se mostrado lucrativo para os produtores notadamente nesses dois últimos anos.

Os cursos tiveram duração de 40 horas e o principal objetivo consistiu em preparar profissionais na tosquia de ovinos para prestar serviços aos demais produtores, nas principais regiões produtoras do território barriga-verde.

O assessor técnico do Senar, Olices Santini, informa que a Associação de produtores recebeu recentemente vinte equipamentos para tosquia de ovinos, da Secretaria de Agricultura e Pesca do Estado, para uso coletivo entre os produtores. Para que isso fosse possível era necessário habilitar um certo número de operadores do novo equipamento.

Conteúdo dos cursos incluiu informações técnicas sobre funcionamento, operação e manutenção de equipamentos de tosquia em ovinos; técnica de casqueamento de ovinos; identificação de ovinos pela arcada dentaria; informação técnica sobre combate as principais verminoses do ovinos e práticas de tosquia.

Durante os cursos foi priorizado a pratica de tosquia que absorveu 80 por cento da duração do curso, ou seja, 32 horas.

No primeiro curso, as aulas práticas foram realizadas na Fazenda Sonho e Realidade da Agropecuária Berté, no município de Água Doce, com a participação de dez treinandos dos municípios de Mafra, Água Doce, São Miguel do Oeste, Campos Novos, Seara e Iomerê.

No segundo curso, as aulas práticas foram realizadas nas Fazendas dos produtores Osvaldo Lima e Luiz Amazonas, ambas no município de Água Doce, com a participação de doze alunos dos municípios de Água Doce, São Ludgero, Ipumirim, Bom Retiro Curitibanos, Concórdia, Lages, Treze Tílias e Canoinhas.

Os Cursos foram custeados integralmente pelo Senar, através do Sindicato Rural de Água Doce, proporcionou ótimas condições para os instrutores e alunos.

Os instrutores do curso foram José Lindomar Borges Vieira, de Vacaria/RS e Vilson Koroll da Epagri de Treze Tílias/SC.

A Coordenação foi do médico-veterinário e assessor técnico do Senar, Olices Santini.


Comente aqui