Passo Fundo

12 jan22:37

Chapecoense vence amistoso contra o Passo Fundo

No último teste antes da estreia no Campeonato Catarinense a Chapecoense venceu o Passo Fundo-RS por 2 a 1, neste sábado, no estádio Josué Annoni, em Xanxerê.

O amistoso teve alguns momentos tensos. Apesar da vitória, a Chapecoense saiu atrás no placar. O time gaúcho começou melhor e fez um gol logo a cinco minutos. Aos poucos a Chapecoense foi se organizando melhor e passou a dominar o jogo. Aos 40 minutos Rodrigo Gral empatou, de pênalti, que ele mesmo sofreu.

No lance o zagueiro Julio Santos foi expulso.

Cinco minutos depois, Gral recebeu dentro da área e chutou cruzado, colocando a Chapecoense em vantagem.

Na saída de bola mais um jogador do Passo Fundo, o volante Janderson, foi expulso. O capitão do time gaúcho, o meia Claiton, que já jogou no Inter-RS e Flamengo, convocou os companheiros a deixarem o campo, reclamando da arbitragem de Maurício Rosa.

Mas os dirigentes dos dois clubes entraram em acordo e decidiram substituir os jogadores expulsos. A Chapecoense acabou sendo beneficiada também quando o a zagueiro Rafael Lima foi expulso e acabou sendo substituído por Galiardo.

A Chapecoense jogou com Nivaldo, Fabiano, Rafael Lima (Galiardo), André Paulino (Dão) e Fabinho; Wanderson (Ruan), Paulinho Dias, Diego Felipe (Dudu), Athos (Neném); Rodrigo Gral (Bruno Rangel) e Ronaldo Capixaba (Fabinho).

Comente aqui
26 jul12:30

Avianca oferece, até domingo, voo direto de Chapecó para São Paulo

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A empresa aérea Avianca vai oferecer até o domingo, dia 29 de julho, um voo direto do Aeroporto Municipal Serafim Enoss Bertaso de Chapecó para o Aeroporto de Guarulhos em São Paulo. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a operação do voo extra nesta quinta-feira.

O voo, que estava sendo operado no Aeroporto Lauro Kortz em Passo Fundo, foi suspenso devido a uma restrição da Anac. A Agência encontrou problemas no serviço de incêndio e restringiu a operação de aeronaves com capacidade acima de 60 passageiros.

>> Confira os Horários de Voos do Aeroporto Municipal Serafim Enoss Bertaso de Chapecó

Até o domingo os passageiros com bilhetes comprados na cidade gaúcha serão deslocados de ônibus para Chapecó. O translado sai de Passo Fundo às 10h30 e a decolagem da aeronave MK 28, com capacidade para 100 passageiros, está previsto para as 15h15. A empresa também abriu a venda de bilhetes diretos de Chapecó no site da companhia.

Segundo o vice-presidente comercial e marketing da Avianca, Tarcisio Gargioni, as adequações no aeroporto de Passo Fundo devem ficar prontas até domingo e as operações podem voltar ao normal na segunda-feira, dia 30.

Na quarta-feira, dia 25, um voo da cidade gaúcha foi transferido para Chapecó. Desembarcaram na cidade 76 passageiros que seguiram de ônibus para Passo Fundo. A aeronave retornou para a cidade paulista vazio.


Gol inicia operações na segunda-feira, dia 30 em Chapecó

A Gol Linhas Aéreas retoma as operações no Aeroporto de Chapecó nesta segunda-feira, dia 30. Serão oferecidos dois voos diários com destino para Congonhas/SP, com escala em Florianópolis.

Outras duas empresas, Azul e Trip só devem iniciar as operações a partir do dia 13 de agosto. Operam no aeroporto, desde a liberação da pista para pousos e decolagens pela Anac, no dia 6 de julho, as empresas Avianca e NHT.

De acordo com administração do Aeroporto, a estimativa é que até o final de agosto o volume de usuários passe dos 23 mil mensais para 30 mil.


Comente aqui
25 jul15:44

Voo da Avianca foi transferido de cidade gaúcha para Chapecó por manutenção em aeroporto

[Atualizado 17h52]

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Nesta quarta-feira, dia 25, um voo da companhia aérea Avianca com origem em Guarulhos/SP foi desviado de Passo Fundo/RS para o Aeroporto Municipal Serafim Enoss Bertaso, de Chapecó. A mudança aconteceu porque o Aeroporto Lauro Kortz está com restrição para pouso e decolagens de aeronaves com capacidade acima de 60 passageiros.

De acordo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) durante a vistoria realizada nos dias 16 e 17 de julho em Passo Fundo foram encontrados problemas na seção contra incêndio. A suspensão da restrição dependerá da adequação do serviço contra incêndio.

O vice-presidente comercial e marketing da Avianca, Tarcisio Gargioni, informou que apenas o voo desta quarta-feira foi remanejado para Chapecó. Gargioni disse ainda que foi encaminhado para a Anac uma solicitação para que os demais voos sejam operados no Oeste Catarinense até que a restrição seja suspensa.

– Estamos no aguardo desta autorização – disse.

Desembarcaram em Chapecó 76 passageiros que seguiram de ônibus até a cidade gaúcha. Os passageiros que embarcariam na cidade gaúcha foram realocados para voos em Porto Alegre. O Fokker 100 retornou para a cidade paulista vazio.


Novos voos em Chapecó

As demais operações da Avianca e NHT seguem normais no aeroporto de Chapecó. A empresa aérea Gol retoma as operações na próxima segunda-feira, dia 30. Azul e Trip devem iniciar as operações a partir do dia 13 de agosto.

A pista foi liberada pela Anac para pousos e decolagens no dia 6 de julho. De acordo com administração do Aeroporto, a estimativa é que até o final de agosto o volume de usuários passe dos 23 mil mensais para 30 mil.

>> Aeroporto de Chapecó volta a rotina de voos

Comente aqui
25 jul12:24

Aeroporto de Chapecó recebe voos de Passo Fundo

[Atualizado às 13h51]

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O Aeroporto Municipal Serafim Enoss Bertaso de Chapecó vai receber, até o domingo, dia 29 de julho, um voo da Avianca proveniente de Guarulhos/SP. O voo para o Aeroporto Lauro Kortz, na cidade gaúcha, foi suspenso pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para que sejam realizados ajustes na Sessão Contra Incêndio (SCI).

Técnicos da Anac estiveram na cidade na quarta-feira, dia 18, e realizaram um levantamento da pista e da infraestrutura do terminal.

>> Horários de voos no Aeroporto de Chapecó

O primeiro voo da Avianca, vindo de Guarulhos, deve pousar em Chapecó na tarde desta quarta-feira, por volta da 14h45 e decolar para São Paulo às 15h15. Esses horários seguem até a sexta-feira, dia 27 e no domingo, dia 29. No sábado, 28 de julho, não há voo.

As demais operações, da Avianca e NHT, seguem normais no Aeroporto em Chapecó. A empresa aérea Gol retoma as operações na segunda-feira, dia 30 de julho. Azul e Trip devem iniciar as operações a partir do dia 13 de agosto.

A pista foi liberada pela Anaca para pouso e decolagens no dia 6 de julho. De acordo com administração do Aeroporto a estimativa é que até o final de agosto o volume de usuários passe dos 23 mil mensais para 30 mil.

Aeroporto fechado pela manhã

Por volta das 11 horas da manhã, desta quarta-feira, o Aeroporto de Chapecó foi fechado para pouso e decolagem devido a neblina. No início da tarde ele foi reaberto.


Comente aqui
16 jun08:29

Protesto de estudantes da UFFS contra Medicina no RS

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O anúncio da criação de um curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) em Passo Fundo continua gerando polêmica em Chapecó. Ontem cerca de 200 estudantes da UFFS realizaram uma manifestação questionando a decisão. Munidos de cartazes eles se concentraram a partir das 8 horas na Praça Coronel Bertaso e depois partiram em caminhada pela Avenida Getúlio Vargas até a reitoria, na esquina com a rua Benjamin Constant.

Lá entregaram uma pauta de reivindicações. O presidente do Diretório Central dos Estudantes, Diogo Hartmann, argumentou que a proposta a não foi discutida com a comunidade, não passou pelo Conselho Universitário e houve a criação de um curso numa cidade que nem campus da UFFS tem, em detrimento dos outros já existentes, como Chapecó.

As estudantes de Enfermagem Cláudia Peliser, Cídia Tomazelli e Rafaela Bedin coloaram narizes de palhaço e reclamaram que enquanto é anunciado o curso em Passo Fundo, os estudantes em Chapecó precisam utilizar laboratórios alugados por falta de infraestrutura. –Se a Medicina viesse para cá viriam mais investimentos que beneficiaria os alunos e a população- afirmou Cláudia.

Os alunos questionaram o fato de que o curso foi para a cidade de onde veio o reitor.

Várias entidades de Chapecó manifestaram sua decepção com a decisão, pois quando ficaram sabendo da possibilidade do curso de Medicina ser criado não houve tempo hábil para mobilização.

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó, Maurício Zolet, disse que uma comissão de entidades está tentando uma agenda com o Ministério da Educação e não desistiram de lutar pelo curso em Santa Catarina.

Chapecó tem um curso privado de Medicina, na Unochapecó, mas o curso federal mais próximo é em Santa Maria-RS, a 415 quilômetros. Em Santa Catarina só existe Medicina na Universidade Federal de Santa Catarina.

O reitor Jaime Giollo disse que o fato de ter trabalhado na Universidade de Passo Fundo não teve interferência no processo. Ele afirmou que o processo de expansão da Medicina foi muito rápido. No início do ano foi acenada essa possibilidade e ele havia encaminhado proposta para o Ministério da Educação no dia 17 de maio, com opção entre Chapecó e Passo Fundo. Ele informou que a decisão do Ministério da Educação foi por critérios técnicos. Passo Fundo teria três hospitais e mais de mil leitos. Chapecó teria menos de 500 leitos, mesmo somando o Hospital Regional do Oeste, o Hospital Materno Infantil e o Hospital Unimed.

Ontem a reitoria divulgou uma nota de esclarecimento no site da instituição. Um dos tópicos tem coloca que a abertura de novas vagas seguiu critérios específicos, como a disponibilidade de uma rede hospitalar que possa acompanhar a formação do médico, além do índice de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), que deve ser de cinco para cada profissional em formação. A nota aponta ainda que podem ser criadas mais vagas além das 40 anunciadas para Passo Fundo, mas que para solicitar as vagas os municípios devem se preparar com a estrutura adequada.


FRASES

“Foi uma decisão do Ministério onde pesou a questão técnica, de melhor infraestrutura em Passo Fundo, e o lado da articulação política”.

Jaime Giollo, reitor da UFFS


“Chapecó tem condições de receber o curso e necessita de um curso gratuito para que a população possa contar com um número maior de profissionais nos postos de saúde e hospitais da região”.

Maurício Zolet, presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó


“A população perde muito pois com o curso de Medicina aqui teríamos mais profissionais e mais saúde pública”.

Cláudia Pelisser, aluna do terceiro ano de Enfermagem da UFFS


“A criação do curso em Passo Fundo não passou pelo Conselho Universitário e beneficiou uma cidade que não tem nem campus”.

Diogo Hartmann, presidente do Diretório Acadêmico da UFFS



Comente aqui
06 jun11:09

Curso de Medicina da UFFS será oferecido em Passo Fundo

O Ministério da Educação (MEC) anunciou no final da tarde desta terça-feira, dia 5, o plano de expansão das vagas para cursos de Medicina em todo o país. A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) foi a única instituição contemplada no Sul do Brasil, com 40 vagas. O curso, que estava sendo disputado pelas cidades de Chapecó e Passo Fundo/RS, será oferecido na cidade gaúcha.

- O fato da UFFS ter sido contemplada no plano de expansão do curso de Medicina representa o reconhecimento dos poderes da República, e específico do Ministério da Educação, ao Dinamismo da instituição e aos princípios que orientam suas ações – afirmou o reitor da UFFS, Jaime Giolo, que reuniu a imprensa nesta manhã.

O reitor agradeceu também o Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, pela confiança depositada na instituição.

Ao todo são 2.415 vagas, distribuídas em instituição públicas federais 355 vagas em cursos existentes e 1.260 vagas em cursos novos, totalizando 1.615 vagas. Em instituições privadas, 800 vagas.

Das vagas em cursos novos das universidades federais, 140 foram destinadas para a região norte, 640 para a região nordeste, 220 para a região centro-oeste, 220 para a região sudeste e 40 vagas para a região sul.


Histórico

A UFFS encaminhou uma proposta de inclusão da instituição no plano de expansão dos cursos de Medicina, em 17 de maio de 2012, ao Ministério da Educação. O projeto, enviado pelo reitor, trazia duas demandas de cidades para sediar o curso: Passo Fundo/RS e Chapecó/SC. A decisão foi tomada pelo próprio Ministério da Educação.

Veja a íntegra da apresentação do plano de expansão dos cursos de medicina no site do MEC.


Comente aqui
27 set20:39

Barragens ajudam a minimizar cheias

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

As chuvas ocorridas no final de agosto e início de setembro em Santa Catrina também afetaram as barragens situadas na bacia do rio Uruguai. Por isso a Tractebel, que administra as hidrelétricas de Itá, Machadinho e Passo Fundo, realizou na terça-feira uma coletiva para explicar como funciona a operação das unidades no caso de cheias.

De acordo com o gerente das três hidrelétricas, Elinton Chiaradia, a presenças das barragens ajuda a amenizar os efeitos das cheias. –Elas ajudam a regularizar e diminuem o pico- explicou. É como uma onda que vai diminuindo sua intensidade ao passar em cada barragem.

Isso porque, quando inicia uma cheia, as barragens já começam a liberar mais água pelos vertedouros, para conseguir segurar parte da água quando atinge o maior volume.

O gerente de Itá Diego Collet, disse que no dia 30 de agosto, choveu mais de 100 milímetros em alguns pontos, volume de quase um mês. No lago de Itá o volume de água atingiu 19,8 mil metros cúbicos por segundo. Itá conseguiu segurar até chegar a 19 mil metros cúbicos, 800 metros a menos. No dia 9 de março, quando chegou 12,5 mil metros cúbicos, foram liberados pelo vertedouro e comportas apenas 11 mil metros cúbicos.

Em Foz do Chapecó também houve contenção da cheia, segundo o gerente de operação, Gilson Carvalho.

Diego Collet.

Lá a quantia que chegava era 20,5 mil metros cúbicos por segundo no dia 30 de agosto e foram liberados 20,5 mil, ou sejam, mil metros cúbicos a menos. Chiaradia disse Isso ajudou a diminuir os alagamentos em áreas ribeirinhas abaixo da barragem, pois cada usina segurou um pouco. As hidrelétricas de Campos Novos, no rio Canoas, e Barra Grande, no rio Pelotas, também fazem parte do sistema, que é controlado pelo Operador Nacional do Sistema (ONS). São 20 pontos de monitoramento do volume de água na Bacia do Rio Uruguai. As hidrelétricas mandam informações para a ONS de hora em hora, para que ela acionar as barragens.


Comente aqui