Polícia Civil

06 ago11:04

Adolescente de 16 anos morreu baleado no centro de Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

João Paulo Closs, 16 anos, está sendo velado na igreja do Lageado São José e o enterro está programado para as 16h no cemitério Jardim do Éden em Chapecó. O adolescente morreu após ser atingido por um disparo de arma de fogo na madrugada desta segunda-feira. Três pessoas foram conduzidas para a Delegacia de Polícia para prestar esclarecimentos.

Segundo informações da Polícia Militar a ocorrência foi por volta das 4 horas da madrugada na Avenida Fernando Machado, no centro da cidade, próximo a uma casa de shows.

O Corpo de Bombeiros foi chamado e ao chegar no local encontrou João sem vida. Outro adolescente de 14 anos foi atendido pela guarnição. Ele estava com ferimentos leves e foi encaminhado para o Hospital Regional de Chapecó, onde foi atendido e liberado.

A PM foi informada por de que os acusados do homicídio teriam fugido em um Gol branco. Através dessas informações três pessoas, dois homens e um adolescente, foram localizadas e conduzidas para a 2ª Delegacia de Polícia. Os suspeitos prestaram depoimento e foram liberados. Até o final da manhã ninguém havia sido preso.

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil de Chapecó investiga o caso.



Comente aqui
02 ago11:33

Polícia Civil prendeu acusado de tráfico de drogas em Chapecó

Erick Vinícius de Silva, foi preso dentro de casa na rua Cristaldo Rodrigues, Bairro Vila Real em Chapecó na tarde da quarta-feira, dia 1º de agosto, acusado de tráfico de drogas. De acordo com delegado da Polícia Civil, Marcio Marcelino, Erick, que estava sendo investigado há algumas semanas, foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó.

No momento da abordagem os policiais apreenderam com ele 30 gramas de cocaína, que se fracionadas poderiam render até 40 papelotes da droga, R$ 160 em dinheiro e quatro celulares.


Comente aqui
31 jul11:44

Homem que negociava drogas em outros estados foi preso em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Marcos de Souza Antunes, de 30 anos, foi preso em flagrante pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil de Chapecó. Ele é suspeito de tráfico de drogas e estava em liberdade provisória do presídio de Campos Novos. A prisão foi na tarde da segunda-feira, dia 30 de julho, no bairro Saic, quando ele entregaria petecas de cocaína. Marcos, conhecido como Kiko e Polaco, foi encaminhado na madrugada desta terça-feira para o Presídio Regional, onde permanece à disposição da justiça.

De acordo com a Polícia Civil, ele e o irmão dele, que está preso na Penitenciária Agrícola de Chapecó, tinham ligação com o tráfico de entorpecentes dos Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e Rondônia.

Marcos já respondeu por tráfico e associação ao tráfico de drogas, além do crime de receptação em Santa Catarina e em Rondônia. Durante as investigações, os Policiais reuniram várias provas que comprovam o envolvimento dele com o tráfico.

Os trabalhos de investigação continuam e outros envolvidos serão chamados para prestar declarações junto a Polícia Civil.



Comente aqui
24 jul10:26

Mulher foi assassinada com três tiros em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Marli Fátima Cavalheiro, 38 anos, está sendo velada no Salão Comunitário do Bairro Quedas do Palmital. O enterro será às 15 horas no Cemitério Jardim do Éden em Chapecó. Marli foi encontrada sem vida, com dois tiros na cabeça e um nas costas. O crime foi na noite da segunda-feira, dia 23, na Rua Imperatriz, no Loteamento Dom José Gomes em Chapecó.

De acordo com o delegado Danilo Fernandes, que atendeu a ocorrência, o suspeito foi identificado.

- Ele deve se apresentar ainda nesta terça-feira – disse Danilo.

O irmão do suspeito foi encaminhado para a Delegacia após o homicídio. Ele prestou depoimento e foi liberado.

Segundo informações da Polícia Militar, Marli teria sofrido uma tentativa de homicídio no dia 14 de fevereiro deste ano. Na data ela realizou duas ligações para a PM dizendo que a casa onde morava havia sido atingida por disparos de arma de fogo.

Uma guarnição foi até o local e abordou dois homens em atitude suspeita próximo a casa da vítima. Com eles os policiais encontraram uma quantia de maconha e um revólver. Um deles assumiu a posse da arma e que teria efetuado disparos contra a casa de Marli. Os dois foram encaminhados para a Delegacia de Polícia e após prestar depoimento foram liberados.

O caso será investigado pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Chapecó.


Comente aqui
18 jul09:50

Polícia Militar encontra três corpos, armas e malote bancário em Chapecó

[Atualizado 11h13]

Danilo Duarte | danilo.duarte@diario.com.br

O disparo de vários tiros em uma casa chamou a atenção dos vizinhos na Rua Dom Carlos Eduardo de Mello, no Bairro Presidente Médici, em Chapecó. No interior, a Polícia Militar encontrou três corpos, duas armas, rádios na frequência policial e cerca de R$ 3.200, além de coletes e um malote bancário vazio.

Quando entraram na casa, os policiais encontraram os corpos de Cassiano Fernando Morais, de 27 anos, e Daniela dos Santos Chagas, 24 anos, ambos no chão da sala. Foram achados R$ 692 com o corpo de Cassiano. Também havia 18 cápsulas de pistola 9mm e .40 espalhadas pelo chão, dois revólveres calibre 38 com o total de 10 munições intactas, dois rádios HTS sintonizados na frequência da PM e o malote verde com a logomarca do Sicoob.

Conforme os dados da PM, Cassiano tinha 17 passagens anteriores por furto, tráfico e posse de drogas. Ele estava em liberdade provisória. Esta era a mais recente tentativa de matá-lo, depois de ele ter sido atingido com três tiros, sendo um no abdômem, um na perna e outro no braço, em 26 de fevereiro.

Enquanto a Polícia Civil e os técnicos do Instituto Geral de Perícias (IGP) recolhiam os corpos e realizavam uma perícia preliminar no local quando encontraram um terceiro corpo atrás da cama, em um dos quartos, e dois coletes balísticos.

O homem, identificado nesta quarta-feira como sendo Juliano Francisco Melara, de 25 anos, estava com R$ 2,6 mil no bolso da calça. Ele tinha oito registros de crime, entre eles roubo e furtos. Também havia um mandado de prisão por roubo e extorsão emitido no dia anterior pela Comarca de Xaxim contra ele.

Uma das suspeitas da PM é que o triplo homícidio seja resultado de um acerto de contas entre os três mortos e outros criminosos, uma vez que as armas, o dinheiro e os rádios não foram levados. A Polícia Civil começará a investigar o caso a partir desta quarta-feira.

DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
13 jul17:34

Homem acusado de repassar notas falsas foi preso em Maravilha

A Polícia Civil com apoio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de São Miguel do Oeste prendeu na quinta-feira, dia 12 de julho, um homem acusado de repassar notas falsas na região do extremo-oeste do estado. Ele foi preso e encaminhado para a Cadeia Pública de Maravilha.

De acordo com o delegado Albert Silveira, ele havia sido preso duas vezes em 2011 e teve liberdade provisória. Durante as prisões os policiais apreenderam com ele notas falsas que seriam repassadas na região.

O decreto da nova prisão foi expedido pela Justiça Federal nesta semana. A pena prevista para o crime de moeda falsa é de até 12 anos de reclusão.


Comente aqui
28 jun16:56

Homem é preso suspeito de chefiar quadrilha de desmanche de peças de veículos em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Após um ano de investigação a Divisão de Investigação Criminal (DIC), da Polícia Civil de Chapecó prendeu preventivamente na tarde desta quinta-feira, Adenilson Fermiano dos Santos, 40 anos. Ele é suspeito de chefiar uma quadrilha de desmanche de peças de veículos em quatros estados. Em 2011 ele foi condenado por lesão corporal, seguida de morte.

Segundo o delegado Ronaldo Neckel Moretto, Adenilson, conhecido como o “Rei das Peças”, foi preso na frente de casa no centro de Chapecó. Com ele os policiais encontraram R$ 15 mil em dinheiro e cheques e uma caminhonete Hilux, no valor aproximado de R$ 100 mil.

Durante a investigação, os Policiais encontraram indícios da participação de Adenilson em um grande esquema criminoso que iniciava com o furto/roubo de veículos, passando pelo desmanche das peças e terminava na comercialização nas lojas

De acordo com a DIC, das quatro lojas de propriedade de Adenilson na cidade, duas foram fechadas pela polícia. Ele, que atua no ramo há 20 anos, é suspeito de revender peças oriundas de furtos e roubos em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.

Em buscas foram apreendidos peças de veículos e houve flagrante de um veículo sendo desmanchado durante o dia em uma das lojas do investigado. No total, foram apreendidos sete veículos desmanchados.

O delegado Moretto disse que o suspeito teria angariado patrimônio superior a R$ 20 milhões. Moretto comentou ainda que mais sete pessoas estão sendo investigadas.

Adenilson tem envolvimento em outros delitos e já foi levado à Júri Popular. Ele foi condenado a quatro anos de prisão em regime aberto, por lesão corporal, seguida de morte, pena que vinha cumprindo desde o ano passado.

Após a prisão foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó onde permanece a disposição da justiça.


Contraponto

Segundo o advogado Luis Antonio Agne, Adenilson não fazia mais parte da empresa desde novembro de 2011. Ele disse ainda que irá solicitar a revogação da prisão nesta sexta-feira.


Comente aqui
27 jun16:12

Homem foi preso em Chapecó após invadir casa do ex-vereador Marcelino Chiarello

[Atualizada 18h47]

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Renato Alcione Ferreira, 24 anos, foi preso na manhã desta terça-feira em Chapecó. Ele invadiu a casa do ex-vereador de Chapecó Marcelino Chiarello, encontrado morto no dia 28 de novembro de 2011. Segundo a Polícia Civil o Instituto Geral de Perícias (IGP) esteve no local, que desde a morte do vereador estava lacrada.

- Preliminarmente não houve prejuízos na cena do crime – disse o delegado Ronaldo Neckel Moretto, que aguarda o laudo do IGP.

O delegado da Polícia Federal, Oscar Biffi, que está com o caso, disse que a casa foi lacrada após o crime para uma possível nova perícia no local. Ele confirmou também  que o corpo do vereador será exumado. A data ainda não foi definida mas está prevista para julho.

Renato, que foi preso por volta das 10h30 na Rua Thucydides Paim Butuhy,  no Bairro Santo Antonio, tem diversas passagens pela polícia, entre elas sete por furto, um indiciamento por furto e outro por ameaça e responde por dois processos criminais. De acordo com a Polícia Civil ele estava em liberdade provisória do Presídio Regional de Chapecó desde 2007 e será encaminhado novamente para o local.

Segundo informações da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, o homem estava em um banheiro anexo a casa. Ele disse também aos policiais que estava dormindo a alguns dias no local.

Comente aqui
24 jun19:27

Polícia prende envolvido na morte de policial em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

No final da tarde do domingo a Polícia Civil prendeu Roberson Rodrigues Machado, 20 anos, suspeito de envolvido no homicídio do policial militar José Jadir Seabra. Ele emprestou o casaco para que o adolescente escondesse a arma na hora dos disparos. Ele foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó.

Durante o dia, um policial militar que acompanhou o caso durante a madrugada, e uma guarnição da PM realizaram buscas no bairro São Pedro e localizaram o terceiro envolvido.

O policial militar José Jadir Seabra, 41 anos, morreu após levar três tiros na madrugada deste domingo em Chapecó. Ele estava de folga da corporação e estaria trabalhando como segurança em um clube no centro da cidade. A câmera de monitoramento próxima ao local flagrou o momento em que um adolescente de 15 anos efetuou os disparos. O autor dos disparos mais outro adolescente de 16 anos, que teria passado a arma para o crime, foram apreendidos ainda na madrugada e encaminhados ao Centro de Atendimento Sócio Educativo Provisório (Casep)

O soldado, pai de quatro filhos e que atuava a 16 anos na Polícia Militar, será enterrado na manhã desta segunda-feira no cemitério da Linha Tomazelli, interior de Chapecó.



Comente aqui
24 jun16:00

Policial é morto com três tiros em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O policial militar José Jadir Seabra, 41 anos, morreu após levar três tiros na madrugada deste domingo em Chapecó. Ele estava de folga da corporação e estaria trabalhando como segurança em um clube no centro da cidade. A câmera de monitoramento próxima ao local flagrou o momento em que um adolescente de 15 anos fez os disparos. O soldado, pai de quatro filhos e que atuava a 16 anos na Polícia Militar, será enterrado na manhã desta segunda-feira no cemitério da Linha Tomazelli, interior de Chapecó.

O crime aconteceu por volta das duas horas da manhã na Rua São João. A câmera da Polícia Militar, que fica a uns 30 metros do local, flagrou a ação. Um adolescente de 16 anos entregou a arma para outro de 15. Ele se afastou das pessoas que estavam na entrada do bar, escondeu a arma debaixo do casaco, voltou e efetuou os disparos. A ação não levou mais que 10 segundos.

O soldado chegou a ser socorrido pelo Samu, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Regional do Oeste de Chapecó.

A arma do crime e os adolescentes foram apreendidos três horas depois no bairro São Pedro. Eles foram encaminhados para a Delegacia de Polícia onde prestaram depoimento e confessaram o crime para o delegado Alex Passos. Para o delegado o que assusta é banalidade como essas pessoas cometem esse tipo de crime.

- Eles disseram que o policial estava tirando onda deles e eles não poderiam deixar a situação assim – contou o delegado. Alex disse ainda que uma briga dentro do bar pode ter ocasionado o homicídio.

- Estamos investigando também o envolvimento de outras pessoas – disse o delegado.

Eles podem responder por homicídio duplamente qualificado com motivo fútil e emboscada.

Após serem ouvidos pelo promotor do Ministério Público, Fabiano Baldissarelli, os adolescentes foram encaminhados para o Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) de Chapecó.

Nesta segunda-feira eles devem ser apresentados ao juiz e ao promotor da Vara da Infância e Juventude. Em cinco dias o promotor deve fazer a representação para dar início a ação de ato infracional.

- A medida a ser tomada pode ser desde uma advertência até três anos de internação em estabelecimento educacional – disse o promotor.

Segundo o irmão da vítima, Gelson Seabra, o Policial trabalha como segurança há pelos menos quatro anos no local.

– Não era todos os finais de semana. Só quando ele tinha folga do serviço – disse Gelson.

O proprietário do clube não foi localizado para falar sobre o assunto.


1 comentário