Polícia Civil

22 jun13:06

João Pedro teve alta do Hospital em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O bebê encontrado em Chapecó recebeu alta nesta sexta-feira. João Pedro estava internado no Hospital da Criança, desde o dia 19 de junho, quando foi encontrado dentro de uma sacola de papel, no bairro São Cristovão.

O médico Ani Werlang que atendeu o menino disse que ele está bem de saúde e mamando. – Os resultados dos exames das doenças infectocontagiosas só saem na segunda-feira – disse o médico.

Agora, João Pedro, que está com 3,8 quilos e 52 centímetros, ficará sob o cuidado do Abrigo Municipal até a decisão da justiça.

A Polícia Civil, que investiga o caso, vai encaminhar uma solicitação para a Secretaria Municipal de Saúde para levantar o número de mulheres grávidas e que poderiam dar a luz neste período.


Comente aqui
22 jun10:56

João Pedro deve receber alta nesta sexta-feira

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O bebê encontrado em Chapecó deve receber alta nesta sexta-feira. João Pedro segue internado no Hospital da Criança, desde o dia 19 de junho, quando foi encontrado em uma sacola de papel. O médico Ani Werlang que atende o menino disse que aguarda o resultado de alguns exames necessários para que ele possa ir para adoção.

- São exames para comprovar que ele não está com nenhuma doença infectocontagiosa – disse.

João Pedro, com 3,8 quilos e 52 centímetros foi encontrado por Junior Everton Menegildo, de 14 anos quando ia para o Centro comprar roupas. O estudante disse que ouviu uma espécie de miado e quando abriu a sacola viu que era um bebê.

Assim que receber alta o menino será encaminhado para o Abrigo Municipal. De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, 21 crianças, de 0 a 11 anos estão no Abrigo. Outras 64 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 18 famílias acolhedoras da cidade.

Segundo a coordenadora, estão inscritas e aptas para adoção no Fórum de Chapecó 112 famílias.


Polícia Civil investiga o caso

Uma solicitação, para levantar o número de mulheres grávidas e que poderiam dar a luz neste período, deve ser encaminhada para a Secretaria Municipal de Saúde.

A delegada Isabel Fauth, disse que com a ajuda desses dados, e se a mãe fez o pré-natal, existe a possibilidade de encontrar a mãe do menino.

- É um caso difícil e vamos fazer de tudo para encontrar a mãe do menino – disse a delegada.


Comente aqui
20 jun17:49

Bebê abandonado em Chapecó está bem

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O pequeno João Pedro, como é chamado pela equipe do Abrigo de Chapecó e pelas enfermeiras do Hospital da Criança, está bem e segue internado em observação. O bebê de cinco dias, 3,8 quilos e 52 centímetros o menino não corre risco e deve receber alta nesta quinta-feira. Ele foi encontrado em uma sacola de papel na tarde da terça-feira por um garoto de 14 anos.

– Ele está bem nutrido e fora de risco – disse o médico Ani Werlang, que atendeu o bebê.

João estava enrolado com uma manta e dentro de uma sacola de papel jogada num terreno baldio, na rua Eurico Gaspar Dutra, no bairro São Cristovão. No local é comum os moradores depositarem lixo.

Quem encontrou o menino foi Junior Everton Menegildo que faltou a aula para ir ao centro comprar roupas com alguns amigos. No caminho eles ouviram uma espécie de miado.

– Pensei que era um gato – disse Junior.


Junior mostra a sacola onde encontrou o pequeno João Pedro.


Curioso ele chegou perto da sacola e viu que era um bebê.

– Num primeiro momento achei que era uma boneca, mas quando vi que era um bebê de verdade peguei no colo e ele parou de chorar – contou o menino emocionado.

O jovem ‘anjo da guarda’ de João, disse que a família duvidou da história. A mãe dele, Rosane Sales, só se convenceu quando viu o menino no colo do filho.

- Tinha passado pelo local minutos antes e não havia nenhuma sacola ali – disse Rosane, mãe de quatro filhos e que chamou o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada dos bombeiros, o menino foi levado para um pronto-socorro particular que fica próximo ao local, onde foi aquecido. A guarnição dos bombeiros chegou e levou o bebê, que ainda tinha sangue e líquido amniótico pelo corpo, para o Hospital da Criança de Chapecó.

- O cordão umbilical estava com início de cicatrização – disse a soldado do Corpo de Bombeiros de Chapecó, Daliane Daleaste.

Segundo a conselheira tutelar, Terezinha Lunelli, que acompanhou a chegada do bebê no final da tarde desta terça-feira no Hospital, foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAM).

A delegada Isabel Fauth, disse que as investigações da Polícia Civil estão em andamento e que devido ao tamanho da cidade, pode ser complicado levantar o número de mulheres grávidas e que poderiam dar a luz neste período.

- Vamos aguardar os dados da secretaria municipal de saúde e se a mãe fez o pré-natal vamos encontrá-la – disse a delegada. Ela disse ainda que podem ser feitas denúncias anônimas sobre o caso.

- É um caso difícil e vamos fazer de tudo para encontrar a mãe do menino – disse

De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, o bebê, assim que receber alta, será encaminhado para o abrigo.

– Recebemos na noite da terça uma comunicação sobre o caso. E ele ficará conosco até a decisão da justiça – disse Lilian.

Junior, que encontrou o bebê e a mãe Rosane, tem vontade e visitar o menino.

– Se der eu quero muito ver ele – disse Rosane que até pensou na hipótese de tentar adotar o bebê.

- Os meus estão grandes já e ficaria feliz em ter mais um – disse.



Números em Chapecó

No Abrigo Municipal estão acolhidas 21 crianças, de 0 a 11 anos. Outras 64 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 18 famílias acolhedoras da cidade.

Segundo a coordenadora do Abrigo, estão inscritas e aptas para adoção no Fórum de Chapecó 112 famílias.


Sobrevivência

Para o médico Jorge Hazin, no geral, o tempo de sobrevivência de um recém-nascido é variável.

– Depende de diversos fatores como a gestação, condições do parto, idade gestacional e grau de nutrição. Além das condições de exposição a fatores ambientais, como temperatura e umidade – disse o médico.


1 comentário
19 jun12:37

Corpo de jovem é encontrado em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Por volta das 11h15 desta terça-feira, a Polícia Militar de Chapecó, após denúncia, encontrou o corpo de um jovem num terreno baldio no Bairro Passo dos Fortes. Áureo Nogueira Martins, 18 anos, foi reconhecido pela família que mora próximo ao local.

De acordo com a PM, que fez o isolamento do local, ele estava com uma perfuração na cabeça. O Instituto Geral de Perícias foi chamado para atender a ocorrência. O delegado Augusto Mello Brandão, da Polícia Civil, acompanha o caso.

Segundo o Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP), o jovem já teve quatro passagens por posse de drogas, uma por tráfico de drogas, uma por furto e outra por posse de munição.


Comente aqui
13 jun15:56

Dois traficantes são presos em São Miguel do Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Genuir Schorreck e Maycon Rodrigo Lourenço foram presos em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, na tarde da segunda-feira, dia 11, em São Miguel do Oeste. Com eles os policiais da Divisão de Investigações Criminais encontraram 12 papelotes de cocaína, uma bucha de maconha, balança de precisão e um caderno onde era realizada a contabilidade do tráfico.

Segundo o delegado Albert Dieison Silveira, as investigações iniciaram no mês de março deste ano quando uma adolescente foi apreendida com 100 gramas de cocaína na BR 163, em Dionísio Cerqueira.

A prisão aconteceu após denúncias de que Genuir estaria realizando a entrega de drogas no centro da cidade. Com ele os policiais encontraram quatro papelotes de cocaína prontos para venda. Na sequência os policiais foram até a casa dele no Bairro Agostini e encontraram mais sete papelotes de cocaína.

Os dois estão presos em São Miguel do Oeste.


Comente aqui
05 jun21:10

Corpo de Marcelino Chiarello será exumado

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br*

A novela da morte do vereador Marcelino Chiarello, ocorrida há seis meses, terá mais um capítulo dos próximos dias. Peritos da Polícia Federal deverão ir a Chapecó para fazer a exumação do corpo. A data ainda não foi definida pois ainda depende de logística. O delegado federal Oscar Biffi confirmou o pedido de exumação mas não quis comentar sobre o caso.

Marcelino Chiarello está enterrado no Cemitério Jardim do Éden, em Chapecó. O juiz da Primeira Vara Criminal de Chapecó, Jefferson Zanini, autorizou a exumação no dia 30 de maio.

O juiz também não quis falar sobre a decisão mas no despacho coloca que o motivo é a solicitação da Polícia Federal para esclarecer algumas divergências dos laudos, como a fratura no nariz no vereador.

Ele decidiu pelo encaminhado para a Polícia Federal as vestes do vereador e alça utilizada no enforcamento. Também determinou que o Instituto Geral de Perícias guarde as amostras coletadas e as disponibilize à Polícia Federal, quando for necessário.

Um dos três promotores que está atuando no caso, Benhur Poti Betiolo, disse que a iniciativa de solicitar a exumação é da Polícia Federal. –Nós fizemos alguns questionamentos para que a Polícia Federal responda- explicou o promotor. Esses questionamentos tem como objetivo tentar esclarecer a morte do vereador, já que os laudos emitidos pelo IGP são contraditórios.

A presidente municipal do Partido dos Trabalhadores, a deputada estadual Luciane Carminatti, que foi colega de Chiarello na Câmara de Vereadores de Chapecó, disse que apóia a iniciativa da Polícia Federal.

-Nós apoiamos todas as investigações necessárias para esclarecer o caso- declarou. Ela disse que confia no trabalho da Polícia Federal e que espera que a morte de seu colega seja esclarecida o quanto antes.

A sogra de Marcelino Chiarello, Deolinda Guarnieri, disse que isso é uma decisão da Polícia Federal e da Justiça e não tem como interferir. Para ela, não será a exumação do cadáver que vai mudar a convicção da família de que Chiarello foi morto pelas denúncias que fazia. –Podem vir 50 juntas médicas que ninguém nos convence de suicídio- afirmou.

O delegado Ronaldo Neckel Moretto, que conduziu as investigações da Polícia Civil, disse que não vai emitir opinião em respeito ao trabalho da Polícia Federal e do Ministério Público.


ENTENDA O CASO

No dia 28 de novembro próximo das 11h30, o vereador Marcelino Chiarello foi encontrado pelo mulher e o filho enforcado na janela do quarto de visitas, em sua casa. Ele havia saído da escola por volta das 10 horas, ido para casa e mandado o filho na casa da sogra.

No início a cena parecia de suicídio. Mas delegados da Polícia Civil avaliaram que o suicídio era forjado pois o sangue havia escorrido na horizontal, havia sinais de lesão na cabeça e no olho do vereador, não havia banco para ele se apoiar e o nó da fita utilizada era fixo e menor que a circunferência do pescoço. Cinco delegados participaram de uma entrevista coletiva explicando que era homicídio.

Depois dois delegados foram designados para o caso: Ronaldo Neckel Moretto e Augusto Mello Brandão.

O primeiro laudo do médico legista que fez a necropsia, Antonio de Marco, apontou como causa da more traumatismo crânio-encefálico e asfixia mecânica. No entanto a perícia realizada no local do crime não encontrou indícios da presença de uma terceira pessoa. O diretor de IGP, Rodrigo Tasso, solicitou um outro parecer, do médico legista Zulmar Coutinho, que apontou para suicídio. Uma junta médica também avaliou o material e apontou para suicídio. A Polícia Civil ouviu mais de 50 pessoas durante 105 dias e não chegou a nenhuma autoria.

O inquérito foi concluído sem apontar a causa da morte, pois o Ministério Público daria sequência ao trabalho. O Partido dos Trabalhadores pediu a federalização do caso, que ainda não foi aceita. O Ministério Público solicitou auxílio da Polícia Federal para esclarecer a morte e não tem prazo para concluir os trabalhos.



*Colaborou Juliano Zanotelli


Comente aqui
04 jun15:42

Casa do deputado Daniel Tozzo é assaltada em Cordilheira Alta

Daisy Trombetta | daisy.trombetta@diario.com.br

A casa do deputado estadual Daniel Tozzo foi assaltada por volta das 21h30min de sábado no interior de Cordilheira Alta, no Oeste catarinense. Além dele, familiares e empregados foram rendidos.

Tozzo relatou à polícia que três elementos armados e encapuzados teriam invadido a casa e rendido a empregada e o filho dela. Depois disso, renderam o deputado, a mulher, duas filhas e o genro. Todos passam bem.

Os bandidos roubaram eletrônicos, eletrodomésticos, joias, perfumes e dois carros: uma S-10 da família e um Honda Civic, que era utilizado pelo deputado e pertence à Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc).

Os veículos foram utilizados pelos criminosos na fuga. Ambos foram abandonados e localizados pela polícia no domingo. O Honda estava distante cerca de 2 quilômetros da casa do deputado e a caminhonete foi achada no interior de Chapecó, perto da divisa com o Rio Grande do Sul.

Conforme o boletim de ocorrência, os bandidos estavam armados com revólver, pistola e uma espingarda com luneta. A Divisão de Investigação Criminal de Chapecó investiga o caso.

A assessoria do deputado informou, na tarde desta segunda-feira, que todos passam bem e que os bandidos não teriam agredido nenhuma das vítimas.


Comente aqui
01 jun12:41

Homem morreu baleado em Chapecó

Um homem de 27 anos foi assassinado na noite desta quinta-feira na Rua Lauro Sander, no loteamento Girassol, em Chapecó. Jocemir Teles Godinho foi baleado dentro de casa, por volta das 20 horas.

Segundo informações ele teria sido surpreendido por dois homens encapuzados logo após sair do banho. Jocemir foi atingido nas costas e no rosto. O Corpo de Bombeiros de Chapecó foi chamado, mas ele não resistiu e morreu no local.

A Agência de Inteligência da Polícia Militar de Chapecó trabalha para identificar os autores do crime.


* com informações da RBS TV Chapecó.


Comente aqui
31 mai09:42

Polícia Militar captura foragido da Penitenciária Agrícola de Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Durante rondas na noite desta quarta-feira, a Polícia Militar de Chapecó abordou um homem na Rua Líbia no Bairro Líder. Após consulta no sistema foi constatado que Ademir Gomes Ferreira Penteado, de 37 anos, era foragido da Penitenciária Agrícola de Chapecó.

Ele estava no regime semiaberto e fugiu no dia 8 de fevereiro, após receber a dispensa de 7 dias. Ele cumpria pena por furto.

Outro foragido da Penitenciária foi recapturado nesta quarta-feira. Ari Wesoloski foi localizado por policiais civis da cidade paranaense de Francisco Beltrão. Ele, que também estava no semiaberto, fugiu do local no dia 27 de julho de 2011, onde cumpria pena por assalto.


Comente aqui
15 mai16:50

Inquérito do homicídio do Gerente de Infraestrutura da SDR de Dionísio Cerqueira é concluído

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de São Miguel do Oeste, concluiu Inquérito Policial instaurado para apuração de fraudes em licitações e liberação irregular de Verbas Públicas na Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Dionísio Cerqueira.

As investigações iniciaram após a morte do secretário de infraestrutura da SDR de Dionísio Cerqueira, Dalmar Libardoni, ocorrida em 20 de novembro de 2011.

Segundo o Delegado Coordenador da DIC, Albert Silveira, ao investigar os motivos do crime os policiais constataram diversos indícios de irregularidades em licitações públicas e liberação de valores dos cofres públicos do Estado, por meio da SDR de Dionísio Cerqueira.

No início de 2012, os Policiais Civis cumpriram Ordens Judiciais de busca e apreensão no interior daquela Secretaria e em empresas que prestavam serviços por meio de contratos públicos. Na ocasião diversos documentos físicos e virtuais foram apreendidos e analisados.

– Durante as investigações os policiais verificaram que houve a inclusão de dados falsos junto ao Sistema de Controle de Obras no Estado de Santa Catarina, o SICOP/SC, gerando a liberação indevida de verbas públicas em, no mínimo, quatro Obras. No período de inserção dos dados, ocorreram pagamentos relacionados a construções e serviços que não haviam sido realizados. – disse o delegado.

>> Homicídio de gerente em Dionísio Cerqueira tem dois suspeitos

>> Estão presos suspeitos de homicídio em Dionísio Cerqueira

>> Homem que matou gerente da SDR alega pedido de propina

Os policiais também comprovaram o desvio de verbas, no valor de R$ 36.400,00 em uma das licitações. – Em relação a este desvio, um empresário de Dionísio Cerqueira foi indiciado por Falsidade Ideológica e Fraude em licitação. O indiciado confessou a participação nos crimes – disse o delegado.

Foram ouvidos os servidores da Secretaria de Desenvolvimento Regional e diversos empresários. De acordo com o delegado alguns atribuíram as irregularidades apuradas ao secretário de infraestrutura Dalmar Libardoni, pois as licitações e contratos relacionados às irregularidades eram do setor que ele gerenciava.

- Ainda que nada justifique um crime de homicídio, estas irregularidades teriam relação com os motivos do homicídio comedido por Mário Duarte no interior da SDR, vitimando o secretário – disse o delegado.

O inquérito foi encaminhado ao Poder Judiciário de Dionísio Cerqueira e passará pela apreciação do Ministério Público.



Comente aqui