Polícia Civil

07 mai12:31

Clínica de estética foi interditada pela Polícia Civil e Vigilância Sanitária em Chapecó

Uma clínica de estética de Chapecó está interditada há uma semana. A Polícia Civil e a Vigilância Sanitária estiveram no local na sexta-feira, dia 27 de abril. Após constatar diversas irregularidades o estabelecimento foi lacrado. – Foram encontrados medicamentos vencidos e a clínica não possuía coleta de lixo hospitalar – disse o delegado da Polícia Civil, Ronaldo Moretto.

Segundo o delegado, as investigações sobre o trabalho do médico e da clínica iniciaram há três meses quando quatro vítimas procuraram a delegacia e fizeram denúncias de lesão corporal após a realização de procedimentos médicos no estabelecimento.

Foi aberto inquérito policial para apurar se houve negligência em procedimentos cirúrgicos de pacientes que fizeram denúncia de lesões corporais. – As pessoas já foram ouvidas e devem passar por exames no Instituto Médico Legal de Chapecó – disse o delegado.

As queixas das pacientes chegaram também ao Conselho Regional de Medicina (CRM) que já encaminhou as reclamações para Florianópolis. O caso será avaliado e uma sindicância vai apurar a conduta do médico.

O delegado alerta que a clínica continua interditada e que o lacre da Vigilância Sanitária foi removido na semana passada, apesar de um novo aviso de “em reforma” ter sido colocado no local.

No final da manhã desta segunda-feira foi encaminhado para a imprensa um email do atendimento da Clínica, que diz que a mesma foi prejudicada no tempo dado para regularizar a documentação, por atraso na liberação de habite-se e alvará hidro sanitário. O email também diz que a coleta seletiva era feita regularmente por uma empresa terceirizada e que o lacre de interdição da vigilância sanitária teria sido rompido por terceiros. A nota encerra dizendo que o Dr. Rui Dalmagro atua há 10 anos sem nenhum processo junto ao CRM.


RBS TV CHAPECÓ


Comente aqui
30 abr10:43

Mulher morre em atropelamento em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Uma mulher de 30 anos morreu atropelada no final da tarde deste domingo em Chapecó. Ela estava na saída para Guatambu, no Bairro Efapi, com as duas filhas na hora do acidente. Marilice Antunes dos Santos não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Uma das meninas, de 10 anos, teve ferimentos leves e foi encaminhada pelo Corpo de Bombeiros de Chapecó para o Hospital Materno Infantil. Lá ela foi atendida e transferida para o Hospital Regional de Chapecó onde teve alta nesta madrugada. A outra menina de 14 anos não teve ferimentos.

A Polícia Militar esteve no local e realizou teste de bafômetro com a motorista do veículo envolvido na ocorrência. A mulher de 27 anos foi encaminhada para a 2ª Delegacia de Polícia onde prestou depoimento. A Polícia Civil vai investigar o caso.

Marilice está sendo velada na Igreja Cabeiceira da Barragem. O enterro está marcado para as 16h no cemitério da Linha Divisa Tomazelli em Chapecó.


Comente aqui
24 abr20:10

Seis pessoas foram presas na Operação Bolicho

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Federal de Chapecó, com apoio de policiais federais gaúchos e do litoral do estado deflagrou nesta terça-feira a Operação Bolicho. Segundo o delegado da Polícia Federal de Chapecó e responsável pelo caso, Oscar Biffi, a intenção foi coibir o crime de falsificação de dinheiro, estelionato e comércio ilegal de arma de fogo em Santa Catarina. Seis pessoas de uma quadrilha especializada foram presas.

Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão. Três em Chapecó, no Oeste, três no litoral catarinense e três no Rio Grande do Sul.

A investigação iniciou em novembro de 2011, quando duas pessoas foram presas em Faxinal do Oeste, após usar dinheiro falso para abastecer em um posto de combustível da cidade.

Nas investigações os policiais constataram que além do crime de moeda falsa, a quadrilha praticava outros delitos como a falsificação de documentos, uso de documento falso, estelionato e comércio ilegal de armas de fogo.

O chefe da quadrilha, de 49 anos, e a companheira de 38 anos, foram presos nesta terça-feira, na cidade gaúcha de Pontão. Além de usar documentos falsos eles possuem diversos registros por delitos, como estelionato, falsidade ideológica e uso de cheque clonado.

De acordo com o delegado, eles mudavam constantemente de lugar, principalmente em cidades do norte do Rio Grande do Sul e oeste catarinense. – Os dois se utilizavam de várias identidades falsas e praticaram inúmeros crimes de estelionato em todo o estado de Santa Catarina – disse o delegado.

Com eles, os policiais apreenderam dinheiro falso, várias carteiras de identidade e um revólver. Segundo a Polícia os documentos falsos eram produzidos por outros dois membros da quadrilha, residentes em Camboriú, no litoral catarinense.

Outro membro da quadrilha foi preso em Porto Belo. Com ele foram encontradas cédulas falsas remetidas pelo chefe da quadrilha.

Em Chapecó, foram procedidas buscas em três locais. Uma pessoa foi presa em flagrante com posse irregular de munições calibre 38. Ele foi liberado após o pagamento da fiança e responderá o processo em liberdade.

Os detidos responderão por vários crimes, como os de formação de quadrilha, moeda falsa, posse irregular de arma de fogo, uso de documento falso, falsificação de documentos e falsa identidade.

Na operação a Polícia Federal apreendeu: 41 cédulas falsas, sendo: 23 de R$ 100, 18 de R$ 50; seis cédulas de identidade, uma carteira de motorista e folhas de cheque falsas, um revólver, calibre 32 com seis munições e 10 munições calibre 38.


Comente aqui
20 abr10:38

Melhora estado de saúde de delegado baleado em Chapecó

O delegado da Polícia Civil gaúcha Paulo Florentino Machado, 46 anos, ferido com um tiro no abdômen durante um assalto à casa de parentes em Santa Catarina, no final de semana, recuperou a consciência pela manhã desta quinta-feira e conseguiu conversar com a mulher, Daniela Zawadzki.


Atingido por um disparo no abdômen, o delegado Paulo Florentino Machado está internado na UTI.


Plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento de Canoas, Machado aproveitava o final de semana de folga para rever a mulher e o casal de filhos de dois e quatro anos que moram em Chapecó (SC). Ele foi ferido ao intervir em um roubo domingo à noite na casa da sogra. Atingido por um disparo do abdômen que perfurou o pulmão e se alojou nas costas, foi internado em um hospital da cidade catarinense em estado grave.

Conforme Daniela, o gaúcho acordou, voltou a respirar sem ajuda de aparelhos e conseguiu dizer algumas palavras.

— A primeira coisa que ele fez foi perguntar como estavam as outras pessoas da família presentes na hora do assalto — conta a mulher.

O delegado ficou aliviado ao saber que, fora uma tia de Daniela que recebeu um tiro no pé e passa bem, nenhum outro familiar ficou ferido durante o confronto.

— Ele já está bem melhor, o risco diminuiu, mas ainda está um pouco atordoado e agitado. Esperamos que, em 48 horas, ele possa sair da UTI — afirma Daniela.

>> Delegado do RS baleado ao reagir a assalto segue na UTI em hospital de Chapecó

>> Momentos de terror para família de delegado baleado

A mãe de Daniela voltava de uma sessão de teatro com três parentes em uma caminhonete, quando os bandidos aproveitaram a abertura do portão eletrônico para entrar no terreno onde há três casas da mesma família. Armados, os criminosos fizeram as vítimas de refém dentro de uma das casas e começaram a pegar objetos e revirar gavetas em busca de dinheiro. O barulho chamou a atenção.

O delegado, que assistia a TV ao lado da mulher, foi alertado por uma cunhada, que também avisou a Polícia Militar. Com uma pistola na mão, Machado saiu para o pátio, e Daniela se trancou em casa para se proteger com os filhos. O delegado trocou tiros com os invasores, acertando as pernas de um deles, mas acabou atingido.

Os três bandidos fugiram na caminhonete das vítimas, levando dinheiro, celulares e computador. Um comparsa acompanhava o trio em um Monza. Perseguidos por PMs, foram presos em seguida, após uma nova troca de tiros. A caminhonete e os pertences da família do delegado foram recuperados.

ZERO HORA


Comente aqui
17 abr12:08

Momentos de terror para família de delegado baleado

José Luís Costa | joseluis.costa@zerohora.com.br

Familiares do delegado da Polícia Civil gaúcha Paulo Florentino Machado, 46 anos, viveram momentos de terror durante assalto a casa de parentes em Chapecó, no Oeste catarinense, no último final de semana.

Machado foi ferido ao intervir em um roubo domingo à noite na casa da sogra. Atingido por um disparo do abdômen que perfurou o pulmão e se alojou nas costas, o delegado está em coma induzido na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Regional da cidade. O quadro é considerado grave, mas estável.

— O estado dele é crítico, mas o médicos estão otimistas. Ele vem reagindo bem. Tem um bom porte físico, corre todos os dias, não bebe, não fuma. Isso ajuda muito — conta, apreensiva, a professora universitária Daniela Zawadzki, 42 anos, mulher do delegado.

>> Delegado do RS baleado ao reagir a assalto segue na UTI em hospital de Chapecó

Plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento de Canoas, Machado aproveitava o final de semana de folga para rever a mulher e o casal de filhos de dois e quatro anos que moram em Chapecó. Por volta das 23h de domingo, três homens invadiram o pátio do condomínio familiar de três casas — em uma delas mora Daniela e os filhos, na segunda a mãe dela e, na terceira, uma irmã.

A mãe de Daniela voltava de uma sessão de teatro com três parentes em uma caminhonete, quando os bandidos aproveitaram a abertura do portão eletrônico para entrar no local. Armados, os criminosos fizeram as vítimas de refém dentro da casa e começaram a pegar objetos e revirar gavetas em busca de dinheiro.

— Eles arrancavam quadros das paredes. Perguntavam por cofre, mas minha mãe não tem isso em casa — lembrou Daniela.

O barulho chamou a atenção. O delegado, que assistia a TV ao lado da mulher, foi alertado por uma cunhada, que também avisou a Polícia Militar. Com uma pistola na mão, Machado saiu para o pátio, e Daniela se trancou em casa para se proteger com os filhos.

O delegado trocou tiros com os invasores, acertando as pernas de um deles, mas acabou atingido no abdômen. Na confusão, um dos bandidos alvejou o pé direito de uma tia de Daniela.

— Parecia uma guerra. As casas ficaram cravejadas de tiros, os vidros das janelas quebrados. Foi pavoroso. Quando vi ele (Machado) caído, perdendo muito sangue, entrei em desespero, pensei que não resistiria — recordou a mulher.

Os três bandidos fugiram na caminhonete das vítimas, levando dinheiro, celulares e computador. Um comparsa acompanhava o trio em um Monza. Perseguidos por PMs, foram presos em seguida, após uma nova troca de tiros. A caminhonete e os pertences da família do delegado foram recuperados.

Foram presos em flagrante Antonio Ferreira de Matos, 22 anos, que levou dois tiros nas pernas, e Elton Faccin, 21 anos, que trabalha como segurança de rua e estaria dando cobertura aos assaltantes. Os dois estão no Presídio Regional de Chapecó e vão responder por tentativa de latrocínio.

Os demais integrantes do bando são dois adolescentes, de 16 e 17 anos, recolhidos em uma unidade para jovens infratores. O mais jovem é filho de um PM aposentado e usava o revólver do pai durante o assalto.


ZERO HORA



Comente aqui
17 abr10:55

Homem é preso com 325 explosivos em São Miguel do Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Policiais da Divisão de Investigação Criminal – DIC de São Miguel do Oeste receberam informações de que um homem estaria com artefatos explosivos. A equipe se deslocou até a Pedreira, localidade do interior do município, e fez a abordagem de um veículo conduzido por Maicon Alexsandro Paz, 31 anos. No veículo os policiais encontraram alguns explosivos. A prisão foi na tarde desta segunda-feira, dia 16.

Segundo o delegado e coordenador da DIC, Albert Dieison Silveira, no momento da abordagem Maicon admitiu ter explosivos em um depósito. Os policiais se deslocaram até a propriedade do suspeito onde foram localizadas 325 bananas de dinamite, centenas de espoletas e cordéis utilizados na detonação dos explosivos.

– Maicon foi autuado em flagrante por Posse Ilegal de Explosivos, crime descrito no Estatuto do Desarmamento que prevê uma pena de até seis anos de reclusão – disse o delegado.

Os artefatos que foram apreendidos e encaminhados para a Delegacia serão periciados. – A perícia será para comparar o material com artefatos utilizados em roubos a bancos na região – disse.

A polícia não descarta a hipótese que estes explosivos poderiam estar sendo comercializados no mercado ilegal, para serem utilizados na prática de crimes.

As investigações continuam.


Comente aqui
17 abr09:44

Delegado do RS baleado ao reagir a assalto segue na UTI em hospital de Chapecó

Baleado ao intervir em um assalto no último domingo em Chapecó, no Oeste catarinense, o delegado de Canoas (RS) Paulo Florentino Machado, de 46 anos, segue internado em estado grave no Hospital Regional do Oeste. A Polícia Civil do Rio Grande do Sul enviou um representante para Santa Catarina para acompanhar o caso.

Segundo a Polícia Militar (PM) de Chapecó, uma família foi feita refém por volta das 23h de domingo no bairro Universitário. Três homens renderam os moradores que chegavam de carro em uma casa na Rua Amazonas. Um dos assaltantes ficou aguardando os comparsas do lado de fora em um veículo.

Vizinhos perceberam a ação dos criminosos e avisaram a PM. Enquanto isso, o delegado Paulo Florentino teria atraído os assaltantes para fora da casa. Houve troca de tiros e o policial acabou atingido.

Machado foi levado para o Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, onde passou por cirurgia. Ele estava em Chapecó para visitar parentes. Segundo a Polícia CIvil gaúcha, o delegado é catarinense, mas atua no Rio Grande do Sul desde 1999.

Após o crime, buscas foram realizadas na região. Dois homens foram presos e dois adolescentes apreendidos.

Antônio Ferreira de Matos, 22 anos, foi ferido com tiros nas pernas. O outro preso foi identificado como Elton Faccin, que estava dando cobertura aos assaltantes. Os dois foram levados para o Presídio Regional de Chapecó.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
13 abr18:29

Polícia Civil prende autor de homicídio em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Na tarde desta quinta-feira, dia 12, a Polícia Civil de Chapecó prendeu Alex Aparecido Melo da Maia acusado de matar Alessandro Machado no feriado de Páscoa. Alex foi preso pelo delegado da Polícia Civil Marcio Marcelino dentro de uma lanchonete no centro da cidade.

O crime aconteceu no dia 5 de abril no loteamento Rosana, no bairro Efapi. Segundo o delegado Augusto Melo Brandão, Alex efetuou cinco disparos de arma de fogo contra a vítima dentro de uma casa. – Ele veio com o advogado na quarta-feira e confessou a autoria do crime – disse o delegado. Após ser informado de que Alex voltou a ameaçar a ex-esposa da vítima, o delegado expediu mandado de prisão preventiva.

Ele foi preso e encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó.


Em Chapecó já foram registrados 12 homicídios em 2012

De acordo com a Polícia Civil de Chapecó em 2012 já foram registrados 12 homicídios, destes, as quatro últimas ocorrências foram no feriado da Páscoa. – Este número é o mesmo registrado em 2011, até a segunda semana de abril – disse o delegado.

Augusto disse ainda que a taxa de resolução também é alta. Dos 12 casos, nove já tem autoria conhecida e alguns estão com as investigações em fase de conclusão.

- Esta estatística somente é possível com a participação da comunidade na resolução dos crimes através das denúncias efetuadas ao 181, o Disque-Denúncia da Polícia Civil Catarinense – completou.


Comente aqui
08 abr14:28

Dois homens são detidos em Chapecó após forjar acidente de trânsito

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Por volta das 19h deste sábado, dia 7, dois homens, um de 35 e outro de 28 anos, foram detidos no Km 528 da BR 282 em Chapecó. Segundo a Polícia Rodoviária Federal eles tentaram forjar um acidente entre uma Moto Honda e um caminhão Volvo, para receber o seguro.

Os dois foram encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil de Chapecó. Após a lavratura do Termo Circunstanciado eles foram liberados. Os homens vão responder por comunicação falsa de crime.


Comente aqui
28 mar14:20

Polícia Civil prende dois assaltantes no Oeste

A Polícia Civil de São Carlos, com apoio da Polícia Militar, cumpriu Mandado de Prisão Preventiva contra Janio de Quadros Alonso e o Mandado de Prisão por Sentença Definitiva contra Claudir Portes de Oliveira, nesta semana.

A prisão de Alonso ocorreu numa localidade conhecida como Novo Horizonte, no município de Águas de Chapecó, na segunda-feira, daí 26. Ele é suspeito, junto com mais dois indivíduos encapuzados e armados, de assaltar uma lanchonete em junho de 2011.

Já a prisão de Oliveira foi nesta terça-feira, dia 27, quando os Policiais o encontraram em um bar, no Bairro Cristo Rei, em São Carlos. O acusado foi processado e condenado por roubo qualificado.

Ambos foram encaminhados ao Presídio de Chapecó.


Comente aqui