Polícia Civil

09 fev12:51

PPT de Xanxerê e Polícia Civil apreendem revólver

A guarnição do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) da 4ª Companhia PM apoiou na tarde do dia 7, a Polícia Civil no cumprimento de mandado de prisão contra um homem de 26 anos, em Bom Jesus. Com ele os policiais apreenderam um revólver e munições.

No final da tarde, de posse do mandado de prisão preventiva expedido pelo Fórum de Xanxerê, por lesão corporal por disparo de arma de fogo, no último dia 29 de janeiro, no centro de Bom Jesus, os policiais deslocaram a casa do acusado no bairro Três Palmeiras.

Ao perceber a chegada das viaturas o homem tentou se esconder no banheiro, mas foi detido. No local, os policiais encontraram um revólver calibre 38, com a numeração raspada e municiado com seis cartuchos, e num saco plástico mais 16 munições intactas do mesmo calibre.

O homem foi encaminhado à delegacia de Xanxerê para a lavratura do flagrante por porte ilegal de arma de fogo, e depois entregue no Presídio Regional de Xanxerê, onde permanece à disposição da Justiça.


Comente aqui
08 fev14:59

Polícia Civil de Chapecó prossegue inquérito para apurar causa da morte de Marcelino Chiarello

A Polícia Civil de Chapecó prossegue com as investigações acerca do inquérito policial para apurar as causas da morte do vereador Marcelino Chiarello, encontrado morto dentro da casa onde morava, no bairro Santo Antonio em Chapecó, no dia 28 de novembro de 2011.

De acordo com o delegado Augusto Melo Brandão, o procedimento policial corre sob segredo de justiça, na tentativa de resguardar todo o trabalho desenvolvido pela Polícia Civil e pelo Instituto Geral de Perícias, ao longo da persecução penal.

>> Laudo pericial caso Marcelino Chiarello

>> Caso Marcelino Chiarello continua sem respostas

Ainda para o delegado, há muita especulação sobre o caso, especialmente por se tratar da morte de um político muito conhecido na região. Mas, tudo que está sendo dito, especialmente através da imprensa, acerca dos resultados dos laudos são apenas informações hipotéticas, pois, em nenhum momento, a Polícia Civil apontou qualquer resultado de laudo cadavérico ou de local de crime, que são procedimentos de responsabilidade do IGP.

- O que podemos afirmar com certeza é que os primeiros laudos apresentados foram inconclusivos, ou seja, deixam dúvidas sobre a causa da morte. Dessa forma, nós procedemos como em qualquer outro procedimento, requisitamos novos laudos ao IGP – disse o delegado.

Somente após a apresentação destes laudos é que o inquérito será concluído e encaminhado ao judiciário.

O Delegado Geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, diz que acredita na seriedade e na capacidade da Polícia Civil de Chapecó e que o papel da Delegacia Geral é fornecer todo o apoio necessário para que o caso seja elucidado.

Preside o inquérito policial o delegado Ronaldo Neckel Moretto, com atuação do delegado Augusto Melo Brandão.


Comente aqui
27 jan18:47

Mãe que aliciava as filhas para prostituição é presa em Maravilha

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Foi presa na final tarde da quinta-feira, dia 26, em Maravilha, uma mulher de 43 anos, suspeita de favorecimento a prostituição. Ela aliciava as duas filhas, uma de 11 e outra de 12 anos. A Polícia Civil prendeu também um homem de 36 anos, suspeito de tentativa de estupro.

O fato ocorreu em uma residência localizada no bairro Progresso. No local Policiais Militares, Civis e duas Conselheiras Tutelares, encontraram o homem seminu, na companhia da adolescente de 12 anos, que vestia apenas uma camiseta. No quarto foram encontrados preservativos masculinos, peças de roupas íntimas e R$ 100 em dinheiro. Valor, que possivelmente seria repassado à adolescente como pagamento pela relação sexual.

Após a prisão em flagrante, os policiais dirigiram-se até a Rodoviária da cidade, onde estava a mãe das meninas. Ela estava na companhia da outra filha, de 11 anos, a qual também era aliciada para a prostituição. A mulher foi presa em flagrante.

O estupro da adolescente foi evitado pelos policiais através de denúncia anônima, feita por uma pessoa que teria visto a mulher oferecer a filha para praticar relações sexuais, pelo valor de R$ 50.

As duas meninas foram encaminhadas para realização do exame pericial de conjunção carnal. A perícia constatou que não houve lesão.

O homem e a mãe das crianças foram levados à Delegacia para os procedimentos policiais. Após prestar depoimento os dois foram conduzidos à Cadeia Pública de Maravilha, onde permanecem à disposição da Justiça.

Segundo o Delegado Wagner Meirelles a mãe, se condenada, pode pegar uma pena de dois a 10 anos de prisão. Já o homem, de três a 15 anos de reclusão.

As meninas estão sob a guarda do Conselho Tutelar de Maravilha.


Comente aqui
27 jan15:16

Laudo pericial caso Marcelino Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O Diário Catarinense teve acesso ao laudo pericial médico da morte do vereador Marcelino Chiarello, ocorrida no dia 28 de novembro. No laudo, assinado pelo médico legista Antonio de Marco, foram identificadas várias lesões no corpo do vereador. Havia uma fratura no nariz, uma lesão no lado superior esquerdo da cabeça, provocada por uma pancada, e uma lesão no olho esquerdo. Havia ainda um hematoma no polegar direito e resíduos nas unhas. Na palma da mão esquerda, estava desenhada uma pirâmide.

Além disso as fotos do laudo mostram grande quantidade de sangue no rosto do vereador e manchas na camisa, tanto na frente quanto nas costas. Há também manchas de sangue na calça. A quantidade de sangue até chamou a atenção do delegado Augusto Mello Brandão, que considera um volume muito grande para se tratar de suicídio.

Parte do sangue escorreu do nariz em direção à orelha, que leva a deduzir que, ele estaria deitado quando o sangue escorreu. Os próprios delegados no início da investigação descartaram a tese de suicídio por essas informações.

No pescoço do vereador foram encontrados dois sulcos, um horizontal e outro oblíquo, provocados pela aça do notebook em que o vereador estava “pendurado” na janela de casa. O médico observou que um sulco tinha 42 centímetros de circunferência e a alça do laço da fita que estava no pescoço do vereador tinha 37,5 centímetros de circunferência .

>> Polícia Civil considera laudo médico inconclusivo

>> Advogado diz que a morte completou 50 dias sem qualquer informação concreta sobre o crime

>> PT acusa Estado de não priorizar caso Chiarello

Logo no dia do crime cinco delegados prestaram uma entrevista coletiva onde levantaram a hipótese de que o laço teria sido dado com o vereador no chão, pois era mais apertado que a circunferência do pescoço, e depois ele teria sido colocado próximo da janela. O delegado Alex Passos, que foi o primeiro delegado a chegar no local da morte, afirmou que não teria como ele ter dado o nó e depois ter se pendurado na grade. Não havia nem um banco ou apoio próximo ao corpo para que o vereador pudesse ter utilizado em caso de suicídio.

No primeiro atestado de óbito, o médico Antonio de Marco não coloca nem como suicídio, nem como homicídio a causa da morte. Ele assinalou a opção “outros”. Já na declaração da “causa mortis” para o seguro de vida de Chiarello, ele indica homicídio.

O Diário Catarinense tentou conversar hoje com o médico mas ele negou-se em dar entrevista.

– O que eu tinha que fazer está no laudo- disse.

Questionado se ele aponta homicídio ou suicídio declarou. –Veja o laudo e tire suas conclusões.


3 comentários
27 jan10:57

Caso Marcelino Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A Polícia Civil vai solicitar uma nova avaliação do laudo cadavérico da morte do vereador Marcelino Chiarello, ocorrida no dia 28 de novembro. Os delegados Ronaldo Neckel Moretto e Augusto Mello Brandão receberam nesta semana os laudos pericial, cadavérico e do local do crime, encaminhados pelo Instituto Geral de Perícias.

No entanto eles não ficaram satisfeitos com o resultado do exame cadavérico. –Há pontos inconclusivos- disse Brandão.

Ele não quis comentar sobre boatos de o laudo teria apontado suicídio.

–Se foi homicídio ou suicídio só vamos falar no final do inquérito-disse Brandão. Ele afirmou que o caso está sob segredo de justiça.

O delegado Ronaldo Neckel Moretto afirmou que o pedido de segredo de justiça foi solicitado na semana passada “para não prejudicar as investigações”.

>> Secretaria garante agilidade na investigação da morte do vereador de Chapecó.

>> PT acusa Estado de não priorizar caso Chiarello.

Brandão disse que a Polícia quer a opinião de outro médico sobre o exame cadavérico. E que vai aguardar os resultados. O certo é que uma nova prorrogação do inquérito será solicitada. Neste sábado, dia 28, completam dois meses da morte de Chiarello.

No dia da morte a primeira impressão era de suicídio. Mas, posteriormente, os própios delegados consideraram que o suicídio era forjado e começaram a tratar o caso como homicídio.

O atestado de óbito indicou como causa da morte a asfixia, causada pela fita em que o vereador foi encontrado enforcado na janela de casa, e por traumatismo craniano, causada por uma pancada na cabeça.

Brandão disse que, mesmo sem uma posição conclusiva, a Polícia Civil segue as investigações. Na semana passada foram tomados vários depoimentos. –Precisamos esclarecer todos os pontos- concluiu.


6 comentários
26 jan19:47

Polícia Civil apreende veículos e peças roubadas em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

No final da tarde desta quinta-feira a Polícia Civil de Chapecó apreendeu veículos e peças no Bairro São Cristovão. Na hora que os policiais chegaram ao local um veículo, placas de São Paulo, estava sendo desmanchando.

Outro veículo, placas de Soledade, Rio Grande do Sul também foi encontrado, mas este, já estava depenado.

Segundo o delegado Ronaldo Neckel Moretto, a Polícia investigava o caso há pelo menos oito meses.

Seis pessoas que estavam no local na hora da abordagem erão encaminhadas para a Delegacia para prestar depoimento.

A Polícia investiga o caso.



Comente aqui
26 jan09:36

Homem que abusava da sobrinha é preso em Ipuaçu

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Foi preso na tarde da quarta-feira, dia 25, em Ipuaçu, homem de 47 anos, suspeito de abusar sexualmente da sobrinha. Segundo informações da Polícia Civil, os abusos começaram quando a menina, hoje com 11 anos, tinha apenas nove. Ele o terceiro, suspeito pelo crime de estupro, preso somente no mês de janeiro na cidade.

Após o falecimento da mãe da menina, o tio tinha a guarda da sobrinha. Ela disse aos policiais que não havia denunciado antes porque o tio a ameaçava.

>> Polícia Civil prende homem que abusava sexualmente da filha em Ipuaçu

Após investigações coordenadas pelo delegado Gustavo Oliveira Altemar, o mandado de prisão, expedido pela Comarca de Abelardo Luz, fui cumprido nesta quarta-feira.  Ele foi preso em sua residência na Aldeia Indígena Pinhalzinho, interior da cidade.

O pedófilo foi encaminhado para o Presídio de Xanxerê onde permanece à disposição da Justiça.

A menina recebeu atendimento e foi levada para o Abrigo Municipal de Abelardo Luz.


Comente aqui
21 jan10:26

Polícia Civil prende acusados de roubo em São Miguel do Oeste

Policiais Civis da Divisão de Investigação Criminal de São Miguel do Oeste e Delegacia de Descanso prenderam na manhã da sexta-feira, dia 20, M.B. , 24 anos e E.J.V.P., de 22, acusados de serem os autores do roubo ocorrido no dia 19 de janeiro em uma lotérica, na cidade de Descanso.

Com um dos autores foi localizada a arma utilizada no crime, um revolver calibre 38 com numeração raspada e munições. Com o outro assaltante foi localizada parte do dinheiro roubado e a motocicleta utilizada no crime.

A funcionária da lotérica, que foi obrigada a entregar o dinheiro sob ameaça, reconheceu um dos assaltantes. As prisões ocorreram em São Miguel do Oeste e os acusados, assim que foram presos, confessaram a autoria do crime aos policiais.

Segundo o Delegado Albert Dieison Silveira, a dupla pode ser responsável por outros roubos na região, o que será investigado pela a Polícia Civil.


Comente aqui
19 jan12:34

Homem é preso com drogas e armas em Chapecó

A Divisão de Investigação Criminal da Polícia Civil e a 3ª Delegacia de Polícia, prendeu em flagrante Sebastião Reni Brisola Tatin, vulgo “Cavalo”, de 46 anos. A prisão foi na tarde desta quarta-feira, dia 18, na Grande Efapi, em Chapecó. Sebastião foi preso pelos crimes de tráfico de drogas e porte e posse ilegal de arma de fogo com numeração raspada.

Durante um mês os policiais investigaram o caso. Tatin foi identificado por usuário e após monitoramento os policiais, coordenados pelo Delegado Marcio Marcelino, deram início, na tarde desta quarta-feira, aos trabalhos objetivando a prisão em flagrante do Investigado.

Por volta das 19h, com apoio da Polícia Militar, PPT e Canil de Chapecó, foi deflagrada a Operação. Tatin estava em casa na Grande Efapi. Com ele foi apreendido 5 Kg de maconha, 35 gramas de cocaína, balança de precisão e uma arma de fogo, com numeração suprimida.

Segundo informações da Polícia Civil, a Maconha renderia, depois de fracionada, aproximadamente R$ 5 mil e a cocaína, aproximadamente R$ 3,5 mil.

Após a prisão em flagrante o homem foi conduzido para a Central de Polícia para a lavratura do Flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e porte/posse ilegal de arma com numeração raspada/suprimida. Tatin foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó e encontra-se a disposição da Justiça.

A Polícia Civil continua com os trabalhos de investigação e conta com o apoio da comunidade local, que ao ter conhecimento de qualquer atividade ilícita ou que venha a gerar suspeita, de pronto pode denunciar anonimamente pelo telefone 181, o disque-denúncia da Polícia Civil.


Comente aqui
18 jan08:30

Prefeitura de Chapecó lança campanha contra Ação dos Flanelinhas

A Prefeitura de Chapecó, através da Secretaria de Defesa do Cidadão, reúne nesta quarta-feira, às 10h, representantes da Polícia Militar, Polícia Cicil, Fasc, Agentes Municipais de Trânsito, Guarda Municipal e SIBARCH, para discutir a ação dos Flanelinhas nas ruas de Chapecó durante a madrugada.

Segundo o Secretário de Defesa do Cidadão, Sérgio Wallner o objetivo é traçar ações para coibir a ação dos guardadores de carro, aquelas pessoas que se oferecem para cuidar dos carros a noite nas principais ruas da cidade.

Uma campanha contra a ação dos flanelinhas será lançada.


Comente aqui