Polícia Civil

16 jan10:05

Polícia Civil faz manifestação em Chapecó

Mais de 20 policiais civis estão reunidos em frente ao Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes em Chapecó. Eles reivindicam a retomada da renegociação salarial.

No ato pacífico, os policiais usam camisetas e faixas pedindo melhorias salarais.

O Governador Raimundo Colombo está em Chapecó e participa às 10h30 de uma coletiva no local, onde será divulgado um pacote contra a seca.

Comente aqui
05 jan11:22

Polícia Civil prende comandante de quadrilha especializada em furtos e roubos de caminhões em Chapecó

Na noite desta quarta-feira, dia 04, a Divisão de Investigação Criminal – DIC, da Polícia Civil de Chapecó prendeu em uma empresa no trevo próximo a BR 282, Ivandro Luiz Paulo do Nascimento, 29 anos, considerado comandante da quadrilha especializada em roubos e furtos de caminhões na região Sul do país. Nascimento, que tinha prisão preventiva, foi encaminhado ao Presídio Regional de Chapecó, onde está à disposição da Justiça. Ele vai responder também por receptação.

A operação Mandrake começou há cerca de um ano, quando agentes da Polícia Civil de Chapecó e de Sombrio realizaram buscas na região Oeste, extremo Oeste de Santa Catarina, Paraná e em cidades vizinhas do Rio Grande do Sul.


Dez pessoas já haviam sido presas

Durante a investigação os policiais prenderam dez integrantes da quadrilha, que residiam em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Estados onde ocorriam os crimes. Foram presos: Adílio de Oliveira; Ademir Modler; Leandro Gomes, vulgo “Pato”; Valcir de Lima, vulgo “Bugre”; Fabio Caetano de Azevedo, vulgo “Fabinho”; Marcelo Caetano de Azevedo, vulgo “Celinho”; Nilton Antonio Wohlmeister, vulgo “Dieco”; Marcia Fernandes Nunes; Marcio Jose Cardoso e Sidnei Silveira Reus.

Além da prisão dos investigados, várias apreensões foram realizadas. Foram recuperados caminhões, carretas, e muncks (possui sistema hidráulico para movimentação, içamento, remoção de equipamentos e máquinas industriais e de construção civil), todos furtados na região Sul e encaminhados à perícia para depois devolver aos proprietários.

- A desarticulação da quadrilha contou com as Polícias Civis do Estado de Santa Catarina (Araranguá, Chapecó, Criciúma e Joaçaba), do Estado do Rio Grande do Sul (Carazinho e Ijuí) e da Polícia Rodoviária Federal – disse o delegado Ronaldo Moretto.

Segundo o Delegado Ronaldo Moretto com esta investigação houve uma diminuição das ocorrências de roubos/furtos de caminhões, carretas e cargas na região. As investigações continuam.


Comente aqui
04 jan10:56

Polícia Civil prende foragido da Penitenciária de Chapecó

A Divisão de Investigação – DIC, da Polícia Civil de Chapecó capturou na tarde desta terça-feira Valdecir Trindade, vulgo “Neguinho Cabeludo”, 31 anos. Ele era foragido da Penitenciária Agrícola de Chapecó.

Segundo a Polícia Civil Valdecir está envolvido em vários crimes como furtos, roubos, homicídio e porte ilegal de arma. Somando todos os delitos praticados por “Neguinho” a pena de condenação, até o momento, é de 31 anos.

Após diligências, policiais localizaram Valdecir em uma residência no Bairro Seminário. Ele foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó, onde permanece a disposição da justiça.

As investigações continuam.


Comente aqui
28 dez16:02

Preso suspeito de matar a esposa em Iraceminha

Está preso em São Miguel do Oeste, Gilmar Rodrigues Becker, 26 anos, suspeito pela morte de Rosani Stobe , 29 anos a golpes de facão. O homicídio foi na noite do dia 25 de dezembro em Iraceminha.

Rosani não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Segundo informações da Polícia Civil, após o homicídio Gilmar fugiu do local. Ele teve a prisão preventiva expedida pelo Juiz da Comarca de Maravilha. Gilmar foi preso e interrogado na Divisão de Investigação Criminal de São Miguel do Oeste.

Segundo relatos de testemunhas, as brigas entre o casal eram constantes. O acusado permanece preso na unidade prisional local, à disposição da Justiça.


Comente aqui
23 dez14:56

Homem que estuprava a sobrinha sob mira de revólver é preso em Abelardo Luz

A Polícia Civil de Abelardo Luz prendeu na tarde da quarta-feira, 22, Arceni Ramos, 45 anos, ele foi condenado por estuprar, reiteradamente, a sobrinha de 12 anos, sob a mira de um revólver.

A arma era usada como forma de coagir a criança para que mantivesse relações sexuais com ele. Ramos foi localizado e preso pela polícia no Assentamento Roseli Nunes, no interior do município. Ele foi condenado a cumprir pena de 16 anos e três meses de prisão. O crime foi descoberto em 2008.



Comente aqui
23 dez12:10

Estão presos suspeitos de homicídio em Dionísio Cerqueira

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Os dois suspeitos pela morte do gerente de infraestrutura da SDR de Dionísio Cerqueira, Dalmar Libardoni, 51 anos, estão presos na Unidade Prisional de São Miguel do Oeste.. Eles se apresentaram, acompanhados dos advogados, na manhã desta sexta-feira para os delegados Albert Silveira, coordenador da DIC e Delegado Regional em exercício de São Miguel do Oeste, Claudir Stang, de Dionísio Cerqueira e do Delegado Cléverson Luis Müller, de São José do Cedro, designados para acompanhar o caso.


As câmeras de vigilância da secretaria flagraram a chegada dos dois homens no prédio. O de chapéu foi reconhecido como Mário Duarte.


 

A Polícia não divulgou o nome do segundo suspeito, apenas as iniciais R.C.Z., de 30 anos. O outro suspeito já havia sido identificado pelas câmeras de vigilância como Mário Duarte, de 59 anos, um dos proprietários da Construtora MD, que fazia a obra de uma escola fiscalizada pela vítima.

Segundo informações da Polícia, no interrogatório Mário Duarte assumiu a autoria do homicídio. Ele alegou que o segundo suspeito não teve participação, apenas acompanhou a ‘visita’ ao gerente.

A motivação do crime ainda não foi divulgada, pois a Polícia Civil segue no recolhimento das provas. A arma utilizada também não foi encontrada.

– Várias testemunhas já foram ouvidas e o Inquérito Policial deve ser concluído em 10 dias  – disse o delegado Albert Silveira.


>> Gerente de infraestrutura é morto dentro da secretaria



Comente aqui
22 dez19:11

Mais de 50 pessoas foram ouvidas no caso Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A Polícia Civil já ouviu mais de 50 pessoas no inquérito da morte do vereador Marcelino Chiarello, ocorrida no dia 28 de novembro, em sua casa, em Chapecó.

De acordo com o delegado Ronaldo Neckel Moretto nesta quinta-feira ele terminou de ouvir as testemunhas que estiveram no local do crime.

– Agora podemos partir para outras coisas – explicou.

Ele confirmou que vai pedir prorrogação para conclusão do inquérito, que completa os 30 dias legais na próxima semana. Como o Fórum estará de recesso, a prorrogação deve ser encaminhada no dia 2 de janeiro.

>> Vigília pede agilidade no caso Chiarello


1 comentário
20 dez01:05

Flagrante de maus tratos contra idosa em Xaxim

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Civil de Xaxim, com auxílio do Centro de Referência Especializado da Assistência Social – Creas da cidade, foi chamada na tarde da segunda-feira para apurar uma denúncia de cárcere privado e maus tratos a uma idosa de 75 anos.

Ao chegar na casa, na Linha Golfo, os policiais encontraram a mulher trancada em seu próprio quarto, onde não tinha acesso à água e comida, banheiro ou às demais áreas da casa onde residia. As janelas do quarto estavam pregadas pelo lado de fora.

No quarto havia apenas um pote com restos de comida no chão, um penico, uma cama sem forro, uma poltrona velha e suja, além do forte cheiro de urina no local.

A idosa, que não pode se locomover e se comunicar com clareza, estava com diversos hematomas aparentes no corpo. Os dedos da mão também estavam sujos, apresentando sinais de restos de comida, pois provavelmente se alimentava sozinha.

- O que mais impressionou é que quem deveria tomar conta da idosa não se encontrava na casa, e por mais de 3 horas desde a chegada das assistentes sociais, nem o irmão ou a cunhada da idosa, que em tese seriam os responsáveis pela vítima, foram até a residência verificar o estado em que ela estava – destacou o agente da Polícia Civil de Xaxim, Daniel Caldas.

Diante da situação, os policiais acionaram o Corpo de Bombeiros, que conduziram a vítima até o Hospital Frei Bruno. Lá ela recebeu atendimentos e foi internada, pois apresentava sinais de desidratação, desnutrição e assaduras no corpo. A médica Carla Dávi, que atendeu a paciente, disse que a senhora está bem, já se alimentou e está acompanhada de parentes.

Até o final da noite da segunda-feira ninguém havia sido preso.

- Um inquérito policial já foi instaurado para apurar os fatos. Os responsáveis foram identificados e devem ser indiciados, em princípio, pelos crimes de maus tratos contra idoso, e cárcere privado, cujas penas podem chegar de quatro a oito anos, respectivamente – disse a delegada Olívia Moretto Cândido Souza.





Comente aqui
19 dez20:05

Vigília pede agilidade no caso Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Entidades sociais, sindicatos e amigos do vereador Marcelino Chiarello (PT) realizaram ontem uma vigília em frente ao prédio da Delegacia Regional da Polícia Civil em Chapecó, pedido esclarecimento da morte do vereador.

Nesta segunda-feira, 19, completaram 21 dias desde que ele foi encontrado morto no quarto de visitas de sua casa, numa simulação de enforcamento. Os manifestantes colocaram cartazes, distribuíram um panfleto com informações da atuação do vereador e fizeram uma celebração.

Representantes das entidades também entregaram um documento para o delegado Augusto Mello Brandão que é um dos responsáveis pela investigação e, recentemente, assumiu interinamente a delegacia regional.

–Estamos cobrando agilidade e que a verdade seja apurada o mais breve possível- afirmou o coordenador regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte), Cléber Ceccon. O sindicato até cancelou a confraternização de final de ano em virtude da perda do colega, que dava aulas na Escola Estadual Pedro Maciel.

A vereadora Ângela Vitória (PT) disse que o ato tem como um dos objetivos sensibilizar as autoridades.

–Um criminoso está solto- lembrou.

Para a deputada Luciane Carminatti (PT) a Secretaria de Segurança Pública do Estado deve dar todo o apoio para o êxito da investigação. Além disso ela entende que a vigília é uma forma de manter a memória do vereador e suas lutas contra as injustiças.

>> Morte de Marcelino Chiarello intriga a polícia e a comunidade

>> Um vereador que “comprava” muitas brigas

O delegado Augusto Mello Brandão disse que está em contato direto com Delegacia Geral e com a Secretaria de Segurança Pública.

– Eles nos garantiram todo o apoio financeiro e de logística- explicou Brandão.

O delegado informou que a Polícia Civil está focada no caso. No entanto, devido à complexidade do trabalho deverá ser pedida a prorrogação do prazo, que é de 30 dias, e vence no próximo dia 28.

– Vamos encaminhar um pedido para a justiça o que é normal nesses casos – explicou Brandão.


1 comentário
17 dez20:43

Um vereador que “comprava” muitas brigas

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um sujeito que gostava de comprar uma briga política, de encaminhar denúncias ao Ministério Público e defendia os direitos comunitários, principalmente das minorias. O perfil do vereador Marcelino Chiarello (PT), encontrado morto no dia 28 de novembro, no quarto de visitas de sua casa, é um ponto que dificulta o trabalho da Polícia. Isso obrigou a Polícia Civil a abrir um leque muito grande de investigação.

De acordo com o delegado Ronaldo Neckel Moretto, responsável pela Divisão de Homicídios da Divisão de Investigação Criminal de Chapecó, o vereador era ligado a muitos movimentos e tinha uma vida pública intensa.

A vereadora Ângela Vitória, colega de bancada de Chiarello, disse que ele recebia muitas denúncias.

– As pessoas procuravam ele pois sabiam que ele dava sequência- explicou. Chiarello fez denúncias contra a administração municipal, contra empresas e contra políticos.

O promotor de Justiça Jackson Goldoni afirmou que as denúncias encaminhadas pelo vereador sempre tinham algum indício de irregularidade que acabava se confirmando.

A tese principal da Polícia Civil continua sendo de que o crime ocorreu em virtude da sua participação na vida pública. Nas investigações realizadas até agora a polícia não encontrou indícios apontando uma motivação ligada à vida privada do vereador.

>> Diversidade de atuação de Chiarello amplia investigação

Na segunda-feira, 19,  entidades sociais vão realizar uma vigília em frente à Delegacia Regional e vão cobrar agilidade e a punição dos culpados.

O delegado Ronaldo Neckel Moretto disse que a investigação está evoluindo e vai levar o tempo necessário. Nem que para isso tenha que pedir prorrogação para concluir o inquérito.

O promotor de Justiça Fabiano Baldissareli disse que a Polícia Civil tem 30 dias para encaminhar o inquérito à Justiça e ao Ministério Público. Mas que o prazo pode ser prorrogado houver justificativa para isso. O Ministério Público e policiais do Grupo de Apoio Especial ao Combate do Crime Organizado estão apoiando a Polícia Civil.

Lideranças do Partido dos Trabalhadores mantiveram contato com o Ministério da Justiça e Polícia Federal para que disponibilizassem a estrutura para o caso. Mas o delegado Moretto disse que ainda não é necessário. –Mas, se precisar algum equipamento vou solicitar- concluiu.


Ações de Chiarello

- Foi um dos articuladores das denúncias da aplicação irregular das subvenções do Fundo Social, repassadas pela Assembléia Legislativa, que resultaram no afastamento do subprefeito da Efapi, o vereador Dalmir Pelicioli (PSD), no dia 18 de novembro. O Ministério Público apontou que nem todos os recursos foram aplicados e que houve superfaturamento. Pelicioli afirma que não houve irregularidade.


- Em março ele fez um requerimento do contrato da Prefeitura com a Kopp. No dia 11 de novembro Chiarello e a vereadora Ângela Vitória (PT), pediram cópia do estudo técnico que definiu os pontos onde as lombadas foram instaladas. O Ministério Público entrou com uma ação popular que anulou o contrato. A Justiça determinou que o ex-prefeito João Rodrigues e o proprietário da Kopp, Eliseu Kopp, devolvessem os R$ 9 milhões arrecadados entre 2007 e 20011. A empresa recebia 62% do valor. O prefeito e o empresário recorreram ao Tribunal de Justiça.


- Chiarello encaminhou ao Ministério Público, em junho, denúncia de irregularidade nas planilhas de custo do transporte coletivo. De acordo com o vereador o salário do motorista era de R$ 875 e constava R$ 1,6 mil na planilha.


- No dia 11 de novembro o vereador encaminhou requerimento do detalhamento dos custos da passarela instalada na Avenida Attilio Fontana, na Efapi, ao custo de R$ 500 mil.


- Apoiou a chapa de oposição do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados de Chapecó, que acabou vitoriosa. Em seguida foram encaminhadas denúncias ao Ministério do Trabalho de gastos milionários e benefícios irregulares de antigos diretores, além de consultoria jurídica com valores de até R$ 800 mil.


- Apresentou projeto de lei que cria o Conselho Municipal de Transporte Coletivo.


- Apresentou projeto de lei que proíbe taxas, rifas ou qualquer cobrança de mensalidade em escolas públicas.


- Fez movimento contra projeto de lei que permite ocupação das áreas no entorno do Lajeado São José.


- Foi contra a implantação da terceirização de merenda escolar em Chapecó.


- Fez audiências contra a municipalização da educação fundamental.


- Fez moção de apoio aos policiais e bombeiros que participaram de movimentos de paralisação por melhores salários


- Apoiou a greve dos professores estaduais


- Apoiou o Movimento dos Atingidos por Barragens e Pescadores na busca de compensações pelo impacto da construção da Usina Hidrelétrica Foz do Chapecó.



1 comentário