Polícia Federal

15 jan10:30

PF pedirá mais prazo para o caso Chiarello

Darci Debona|darci.debona@diario.com.br


O delegado chefe da Polícia Federal em Chapecó, Oscar Biffi, vai solicitar mais prazo para a conclusão dos laudos periciais do corpo do vereador Marcelino Chiarello, encontrado morto no dia 28 de novembro de 2011, em sua casa.

O prazo para conclusão, que já foi prorrogado outras vezes, termina no dia 18 de janeiro. Mas, segundo o delegado, um novo prazo é necessário para a conclusão dos laudos periciais. O pedido deve ser encaminhado ao juiz da 1ª Vara Criminal do Fórum de Chapecó, Jefferson Zanini.

A Polícia Federal entrou na investigação por solicitação do Ministério Público. A Polícia Civil investigou o caso por cerca de três meses e não chegou a uma conclusão sobre a morte do vereador, se teria havido homicídio ou suicídio.

O delegado Ronaldo Moretto afirmou no inquérito que a morte foi por enforcamento, mas não havia elementos suficientes para dizer se foi um suicídio ou outra pessoa que provocou o enforcamento.

O motivo foram os laudos contraditórios do Instituto Geral de Perícias. O primeiro laudo, feito pelo médico Antonio de Marco, de Chapecó, apontou para suicídio. Laudos complementares apontaram para suicídio.

Em virtude da repercussão do caso na comunidade o Ministério Público decidiu dar sequência na investigação.

O corpo do vereador foi exumado no dia 11 de julho do ano passado. Ele foi levado para o Centro Médico Legal da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto-SP.

Lá o corpo ficou 10 dias antes de retornar. Mas algumas amostras ficaram para exames mais detalhados.

O corpo passou  por exames de ressonância magnética e tomografia, entre outros, para verificar as causas de algumas lesões que não ficaram claras nos laudos do Instituto Médico Legal e Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina. Havia dúvidas sobre  a fratura no nariz e uma lesão no crânio

Após o esclarecimento da causa da morte é que a Polícia Federal vai saber se há um crime para ser investigado ou não.

1 comentário
03 dez11:31

Jovem carioca é presa com lança-perfume em Dionísio Cerqueira

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Policiais Federais de Dionísio Cerqueira, no Extremo-Oeste, apreenderam 124 frascos de lança-perfume, na sexta-feira, dia 30. Com essa ocorrência subiu para 7.154 frascos apreendidos em 2012.

A droga estava com uma jovem de 20 anos, natural do Rio de Janeiro, que foi presa por tráfico de drogas. Ela segue na Delegacia de Dionísio Cerqueira e deve ser encaminhada para o Presídio Feminino de Anchieta ou Chapecó. A pena para o crime é de 5 a 15 anos de prisão.

Questionada sobre o destino dos frascos a jovem usou o direito constitucional de não falar.

Ela estava em um ônibus que fazia a linha Santo Antônio do Sudoeste/PR com destino a Curitiba/PR.

De acordo com o delegado da Polícia Federal de Dionísio Cerqueira, Marcio Anater, a região de fronteira com a Argentina é uma das principais portas de entrada da droga no país.

- O país vizinho é o único da América do Sul que produz o lança-perfume. Lá a venda do produto é permitida, pois utilizam como desodorizador de ambientes – disse o delegado.

Anater disse ainda que os principais destinos da droga no Brasil são o Rio de Janeiro, litoral catarinense, São Paulo e o Rio Grande do Sul.


Comente aqui
30 nov11:29

Três homens são presos por tráfico de munição e drogas em Maravilha

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Três homens foram presos na madrugada desta sexta-feira em Maravilha por tráfico de munição e tráfico drogas, na Operação Sentinela, realizada em conjunto pela Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal. Eles estavam em um ônibus que fazia a linha Foz do Iguaçu/PR-Porto Alegre/RS. Todos estão na Delegacia da Polícia Federal de Dionísio Cerqueira e devem ser encaminhados para a Unidade Prisional Avançada de São Miguel do Oeste.

De acordo com os policiais, Rogério Froes Batista, 42 anos, foi preso por tráfico internacional de munições. Com ele os policiais encontraram 50 munições calibre 9mm. Ele disse que teria comprado o material no Paraguai e que venderia em Porto Alegre/RS. Se condenado pode cumprir até 8 anos de reclusão.

Na mesma operação foram presos por tráfico transnacional de drogas André Luis Vaz de Alexandre e Vinícius da Cruz. Com eles os policiais encontraram quase um 1,5 quilos de cocaína e 478 comprimidos de ecstasy.

Ambos, moradores de Gravataí/RS, disseram aos policiais que compraram a droga no Paraguai e a venderiam na cidade gaúcha. O crime tem pena prevista de até 15 anos de reclusão.

A droga e as munições vão ser encaminhadas para o setor de perícias da Polícia Federal em Florianópolis.



Comente aqui
29 nov14:56

Catarinense é preso com quase 5 mil comprimidos de ecstasy

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Catarinense de 20 anos foi preso pela Polícia Federal por tráfico transnacional de drogas. Com ele foram encontrados 4.850 comprimidos de ecstasy. O jovem, natural de Itajaí, disse aos policiais que a droga tinha como destino o litoral catarinense.

A apreensão foi na cidade de Francisco Beltrão/PR, dentro da Operação Sentinela, que envolve a Polícia Rodoviária Federal e Receita Federal, na região Extremo-Oeste Catarinense e Sudoeste do Paraná.

O jovem viajava num ônibus que seguia de Foz do Iguaçu/PR para Florianópolis. A droga estava em uma pequena bolsa escondida embaixo do assento que ele ocupava.

Questionado pelos policiais, o catarinense disse que estava fazendo o serviço de transporte da droga para outra pessoa. Ele contou ainda que teria recebido a bolsa na cidade paranaense e faria a entrega na capital.

Ele permanece na Delegacia da Polícia Federal de Dionísio Cerqueira e, se condenado, pode cumprir até 15 anos de reclusão.

A droga será encaminhada para análise no setor de perícias da Polícia Federal em Florianópolis.


Comente aqui
19 nov15:23

Anabolizantes são apreendidos em Dionísio Cerqueira

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Federal de Dionísio Cerqueira prendeu na noite do domingo, dia 18, Robert Nilton Pogozeleski de Oliveira, por tráfico de anabolizantes. Com ele os policiais encontraram embalagens de suplemento alimentar, cerca de 160 comprimidos, 70 ampolas e 30 frascos do medicamento. A prisão foi na BR 163, em Dionísio Cerqueira, dentro da Operação Sentinela.

De acordo com o delegado, José Elói Werner, os produtos teriam sido comprados no Paraguai e tinham como destino Gravataí, no Rio Grande do Sul/RS.

- A rodovia é rota para o estado gaúcho – disse o delegado. Werner destacou ainda que essa foi a primeira apreensão deste tipo de produto em novembro.

O material apreendido foi encaminhado para análise no setor de perícias da Polícia Federal em Florianópolis.

Robert aguarda decisão do juiz de São Miguel do Oeste na delegacia de Dionísio Cerqueira. Se condenado, pelo crime de tráfico de anabolizantes, previsto no art. 273 do Código Penal, ele pode cumprir 15 anos de reclusão.


1 comentário
28 set19:35

Ato ecumênico marca 10 meses da morte de Marcelino Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um ato ecumênico na Praça Coronel Bertaso com posterior caminhada pela a Avenida Getúlio Vargas, em Chapecó, marcou os dez meses da morte do vereador Marcelino Chiarello. Compareceram familiares, amigos, professores, lideranças políticas e pessoas ligadas a movimentos sociais, que tinham apoio do vereador. Eles usavam uma camiseta preta com a foto de Chiarello.

- Queremos manter viva a luta e ação que ele fez, ele foi um mártir- afirmou o amigo Jaime Bianchi.

Rosângela Dal Bosco, da coordenação do Fórum de Lutas por Justiça, Vida e Democracia, disse que todos os meses é realizado um ato para lembrar a data da morte de Chiarello.

– Não podemos ficar sem uma resposta sobre quem matou e porque matou- afirmou, sobre a demora nas investigações, convencida de que Chiarello não praticaria suicídio, pelo seu perfil de lutas.

>> Leia mais notícias sobre o caso Marcelino Chiarello

No dia 28 de novembro do ano passado, Chiarello foi encontrado morte no quarto de visitas de sua casa, numa cena que dava impressão de suicídio. No entanto a Polícia Civil declarou que se tratava de uma simulação.

Posteriormente o médico legista que fez a necropsia do corpo apontou para homicídio. Análises posteriores de outros profissionais do Instituto Geral de Perícias apontaram para suicídio. Diante da imprecisão dos laudos a Polícia Civil concluiu o inquérito apontando que o vereador morreu enforcado, mas sem definir se isso ocorreu por suicídio ou homicídio.

O Ministério Público deu prosseguimento às investigações e solicitou apoio da Polícia Federal. Em julho o corpo de Chiarello foi exumado, levado para São Paulo, onde ficaram algumas amostras para exames mais detalhados.

A Polícia Federal não está repassando informações sobre a investigação.


Comente aqui
07 ago10:16

Paralisação da Polícia Federal a partir desta terça-feira

Quem tem horário agendado na central de emissão de passaportes da Delegacia da Polícia Federal ou precisa ir até a instituição para outros serviços, não precisa nem sair de casa. Agentes, escrivães e papiloscopistas entram em greve, nesta terça-feira, por tempo indeterminado.

A paralisação deve afetar, além dos passaportes, o atendimento a estrangeiros, registro e concessão de porte de armas, fiscalização de empresas de segurança privada e emissão de certidões para trabalhar com produtos químicos controlados.A decisão de parar as atividades no Estado foi tomada sexta-feira, em Florianópolis, na assembleia da categoria.

Segundo explicou o presidente do Sindicato dos Policiais Federais em Santa Catarina (Simpofesc), Luiz Carlos Mayora Aita, o sindicato exige que o governo defina em lei a readequação dos cargos e a remuneração da categoria, em especial para agentes, escrivães e papiloscopistas, dos quais é exigido nível superior, mas os salários continuam sendo equivalentes ao ensino médio.


Serviços afetados

● Registro de armas

● Concessão de porte de arma

● Atendimento a estrangeiros

● Emissão de passaportes

● Certidões para uso de produtos químicos controlados

● Fiscalização de empresas de segurança privada


Comente aqui
27 jul12:13

Polícia Federal e Poder Judiciário no combate aos abusos e crimes eleitorais em Chapecó

Um encontro nesta tarde irá tratar sobre os abusos eleitorais cometidos por meio da internet e também para a apuração de outros crimes que venham a ser praticados durante as eleições 2012.

Participam da reunião na sede da Polícia Federal, em Chapecó, o juiz de direito titular da 94ª Zona Eleitoral, Jefferson Zanini, o juiz titular da 35ª Zona Eleitoral, Rafael Sandi e o delegado da PF Oscar Biffi.

O encontro está marcado para as 13h30.


Comente aqui
17 jul20:32

Corpo de Marcelino é enterrado novamente

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O corpo do vereador Marcelino Chiarello, que foi exumado na quarta-feira passada e levado para São Paulo, foi enterrado novamente ontem à tarde, no cemitério Jardim do Éden, em Chapecó. Amostras do pescoço e do nariz ficaram no Centro de Medicina Legal da Universidade de São Paulo, para exames mais detalhados. Estes exames devem indicar se Marcelino se houve homicídio ou suicídio.

O corpo chegou no aeroporto de Chapecó por volta das 17 horas. Em seguida foi encaminhado para o cemitério, retirado da urna usada no transporte aéreo e colocado no caixão onde ele havia sito enterrado anteriormente. O enterro não teve nenhuma cerimônia religiosa. Demorou menos de uma hora e foi acompanhado apenas pelo advogado da família, representante da família e policiais federais.

Três peritos vieram de São Paulo acompanhando o corpo. De acordo com o delgado da Polícia Federal de Chapecó, Oscar Biffi, resta aguardar os laudos finais do corpo e da nova perícia na casa de Chiarello, que foi realizada na Polícia Federal.

Chiarello foi encontrado morto em sua casa no dia 28 de novembro do ano passado. Ele estava enforcado no quarto de visitas. A causa de sua morte não foi esclarecida. Laudos do Instituto Médico Legal foram contraditórios. Por isso o Ministério Público solicitou que a Polícia Federal fizesse novas perícias.



Comente aqui
17 jul17:50

Corpo de Chiarello chegou em Chapecó

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O corpo do vereador Marcelino Chiarello chegou por volta das 16h50 desta tarde no Aeroporto Municipal Serafim Enoss Bertaso em Chapecó. Ele foi enterrado novamente no cemitério Jardim do Éden por volta das 17h45.

Uma nova perícia foi realizada no Centro Médico Legal da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto/SP. O corpo foi exumado e encaminhado de avião para o Centro no dia 11 de julho.

O delegado da Polícia Federal, Oscar Biffi esteve no cemitério e disse que agora é preciso aguardar os laudos da perícia.


Comente aqui