Polícia Federal

19 mar11:31

Duas mulheres foram presas em Campo Erê

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Rodoviária Federal de Campo Erê prendeu neste domingo, dia 18, por contrabando de cigarros paraguaios Lucia Borges Paim e Alda Paim, residentes em Caxias do Sul/RS.

Segundo o delegado da Polícia Federal, Renato Silvy Tieze, elas conduziam dois veículos totalmente carregados com cigarros. – Questionadas sobre os produtos elas admitiram o contrabando e disseram que iriam comercializar o produto na cidade gaúcha – disse o delegado.

Lucia pagou fiança no valor de mil reais e foi liberada. Alda permanece presa na delegacia de Dionísio Cerqueira.


Comente aqui
15 mar14:53

Polícia Federal apreende três veículos e prende uma pessoa

Na quarta-feira, dia 14, durante ação de repressão ao contrabando de cigarros, policiais federais de Dionísio Cerqueira prenderam em flagrante José Evandro Garrot e três veículos. Num deles estavam cerca de 1500 pacotes de cigarro. Nos outros dois estavam instalados rádio-transmissor, segundo os policiais, situação típica de carros de cigarreiros.

A Polícia Federal recebeu a informação de que um cigarreiro da cidade de Salto do Lontra/PR, conhecido como “Tuti”, iria entregar um carregamento para o Rio Grande do Sul. Nas proximidades da casa de “Tuti” encontraram José Evandro Garrot, conhecido “cigarreiro” do estado gaúcho. Ele havia chegado no local conduzindo um Vectra, no qual foi encontrado um aparelho de rádio-transmissão instalado, razão pela qual foi preso e autuado pelo crime do art. 183, da Lei 9.472. José pagou fiança de R$ 2.500,00 e foi liberado em seguida. – José contou que estava em Salto do Lontra para receber os cigarros de “Tuti” – disse o delegado Marcio Antonio Lelis Anater.

Em buscas a equipe policial encontrou um Ford Focus, carregado, escondido no porão da casa do sogro de “Tuti”.

- Como “Tuti” não foi encontrado, será instaurado inquérito para apurar o crime de contrabando de cigarros por parte dele, e também pelo crime de executar atividade de telecomunicação sem possuir a necessária licença – disse o delegado.

O veículo com os cigarros será encaminhado para a Receita Federal. Os outros dois veículos estão em poder da justiça.


Comente aqui
24 fev11:30

Polícia Federal de SC busca pedido de extradição de ex-torturador argentino

Danilo Duarte | danilo.duarte@diario.com.br

A Polícia Federal de Santa Catarina está em busca de informações sobre pedido de extradição de Claudio Vallejos, 53 anos, acusado de ser ex-torturador durante o regime militar da Argentina, na década de 1970.

Mesmo preso desde 4 de janeiro, a fama sobre um dos 230 presos do Presídio de Xanxerê, no Oeste de Santa Catarina, só chegou nos últimos dias. Assassino confesso, Claudio Vallejos, de 53 anos, conhecido como El Gordo, foi preso por estelionato ao tentar aplicar um golpe na região, conforme divulgou o jornalista Rafael Martini no Blog Visor. No entanto, é a ficha criminal vinda da Argentina que chama mais atenção das autoridades policiais.

Integrante do temido Serviço de Informação Naval da Marinha Argentina nos anos de chumbo, na década de 1970, vallejos está em uma cela comum, aguardando ser citado para uma audiência que vai julgar o crime de estelionato pelo qual é acusado.

O clima não mudou desde que a notícia chegou na direção do presídio. Pelo menos é o que garante o gerente Luiz Brandielli. A única diferença que ele notou foi a procura por agências de notícias nacionais de informações sobre a prisão.

— Ele ainda não sabe que a informação de que se trata de um homem procurado por polícias internacionais e com longa ficha criminal chegou até a direção — revela o gerente.

O delegado da Polícia Federal Ildo Rosa explica que está sendo feito um levantamento no banco de dados para saber se há um pedido de extradição por parte da Argentina. Se houver, a ficha de Vallejos estará com a cor vermelha no sistema da Interpol, a polícia internacional.

Caso este pedido exista, o procedimento administrativo pode ser demorado por conta do rito a ser seguido. A PF precisa informar o Supremo Tribunal Federal (STF), que pedirá para que El Gordo permaneça preso de forma administrativa e à disposição da justiça brasileira.

Neste período, o governo argentino é notificado da prisão para que formalize o pedido de extradição. Rosa estima que este processo dure aproximadamente um mês em função da notoriedade do caso. Enquanto isso, Vallejos permanece cumprindo a detenção no presídio apenas pelo crime de estelionato.

De acordo com Brandielli, o argentino apresentou uma carteira de identidade brasileira. Ele foi preso porque se apresentava como jornalista e vendia anúncios para revistas que nunca eram publicados.

Nos registros policiais, constam três endereços diferentes: Chapecó, Bom Jesus e São Miguel do Oeste, todas cidades no Oeste e Extremo-Oeste de Santa Catarina. Vallejos já foi preso outras vezes pelo mesmo crime, a mais recente foi em 2010, em Campo Erê.

Demora sem explicação

Ainda não há explicação sobre a demora para que toda a rede policial soubesse que o preso é Vallejos. O delegado da Polícia Federal Ildo Rosa explica que está sendo feito um esforço de todas as partes para agilizar essa conexão.

— Também temos dificuldades para agilizar o processo em casos de estrangeiros, muito mais pelo lado argentino. Para facilitar isto, estamos nos esforçando para termos a presença de policiais da Argentina por aqui, durante a temporada — pontua.


Quem é Vallejos

Em 1986, durante entrevista à revista Senhor (nº 270), Vallejos, admitiu ter participado como motorista da prisão do pianista brasileiro Francisco Tenório Cerqueira Junior.

Conhecido como “Tenorinho”, o músico tocava com Vinícius de Moraes em Buenos Aires, na Argentina, em 1976, quando desaparceu misteriosamente quando saiu para comprar cigarros. Seu corpo nunca foi encontrado.

Ele ainda é acusado de ter participado da morte e tortura de civis durante a ditadura militar argentina.


DIÁRIO CATARINENSE



2 comentários
16 fev15:07

Homem é preso com 16 quilos de maconha em Dionísio Cerqueira

Na madrugada desta quinta-feira, dia 16, durante a Operação Sentinela, a Polícia Federal de Dionísio Cerqueira prendeu Fabio Farias de Moraes, 24 anos, morador de Novo Mundo/MS, por tráfico de drogas. Ele levaria a droga para Blumenau.

A droga foi localizada no bagageiro de um ônibus que fazia sentido Cascavel/PR para Santa Catarina. O veículo foi parado na rodovia que liga Francisco Beltrão a Ampere no Paraná. Após a identificação do proprietário da bolsa, Fábio confessou que transportava 16 quilos da mercadoria.

Segundo o delegado Marcio Antonio Lelis Anater, Fabio disse que teria recebido a droga de um paraguaio na sua cidade natal, na divisa com Salto del Guairá, no Paraguai. – Ele iria receber R$ 100 por quilo transportado – disse delegado.

Fábio, se condenado, pode pegar até 15 anos de reclusão. A pena pode aumentar, pois o caso caracteriza tráfico transnacional de drogas.

O caso está na Vara Federal de Francisco Beltrão/PR.


Comente aqui
15 fev11:01

Dois homens são presos por tráficos de drogas em Xanxerê

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Federal de Chapecó prendeu em flagrante na tarde desta terça-feira em Xanxerê dois homens por tráfico de drogas. Eles foram presos na hora em que faziam a entrega de ecstasy. Com eles foram encontrados 100 comprimidos da droga sintética.

JGBS, 24 anos, natural de Chapecó e estudava em Balneário Camboriú estava em uma moto, já VRS, 33 anos, atuava com despachante aduaneiro em Itajaí conduzia um veículo. Ambos com placas de Chapecó.

Segundo o delegado da Polícia Federal, Oscar Biffi, a droga deveria ser revendida em festas noturnas e durante o carnaval em Chapecó e região.

Os dois foram encaminhados para o presídio de Xanxerê e vão responder por tráfico de drogas. A pena pode chegar até 15 anos de reclusão, e associação ao tráfico, com pena de até 10 anos de reclusão.

A droga deve ser incinerada após perícia. Os veículos estão apreendidos em Chapecó.


Comente aqui
13 fev11:36

Operação prende integrantes de quadrilha em São Miguel do Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Civil de São Miguel do Oeste prendeu integrantes de uma quadrilha que realizada roubos a automóveis e caminhões na BR 282 em São Miguel do Oeste e trocava por drogas. A Operação Cambucica prendeu, até o final da manhã desta segunda-feira, nove pessoas e apreendeu cerca de 20 Kg de drogas. Participam da operação 22 policiais civis e 11 policiais militares.

Quatro pessoas estão presas em Mondaí, duas em São Miguel do Oeste e uma em Chapecó. Dois integrantes da quadrilha ficaram feridos durante a operação, um deles morreu e outro está hospitalizado.

Segundo o Delegado Albert Silveira, além das drogas os policiais apreenderam, três veículos roubados e 10 armas e munições de calibre 45, 12, 380 e de fuzil.

Como a Operação está em andamento e mais integrantes são procurados os nomes dos presos não foram divulgados.

A Operação teve a participação de policiais civis da Delegacia Regional, Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI) e Delegacia da Comarca de São Miguel do Oeste; Delegacias de Itapiranga, de Cunha Porã, de Riqueza, de Mondaí, de São José dos Cedros, do Serviço Aeropolicial Civil (SAER) e PPT/PM de São Miguel do Oeste.


1 comentário
17 jan19:08

Polícia Federal prende traficante com sete quilos de pasta base para cocaína em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Federal de Chapecó prendeu na tarde desta terça-feira, um homem de 31 anos. No veículo placas de Erechim/RS, conduzido por ele os policiais encontraram sete quilos de pasta base para cocaína.

A abordagem aconteceu depois que o homem parou para abastecer num posto de combustível no trevo da BR 282, acesso para Chapecó. Os policiais suspeitaram e levaram o veículo até uma oficina mecânica. A droga estava escondida no interior da lataria do veículo.

O homem que residia em Caçador não deu detalhes de quem seria o fornecedor da droga nem qual seria o destino do entorpecente.

Segundo o Delegado da Polícia Federal, Oscar Biffi, ele foi preso em flagrante e conduzido para o Presídio Regional de Chapecó por tráfico de drogas. A pena varia de cinco a 15 anos de prisão.

Após a conclusão do inquérito a droga deve ser incinerada.


Comente aqui
12 nov09:19

Mãe e filha são presas por tráfico de drogas

Na madrugada da sexta-feira, dia 10, policiais federais que participam da Operação Fronteira Sul, com o Exército, na barreira da Cidasc, na BR 163, em Dionísio Cerqueira, prenderam em flagrante por tráfico de drogas, Mercedes Cardoso, 50 anos, e Salvadora Cardoso, 31, ambas moradoras em Ponta Porã/MS.

Mercedes e Salvadora viajavam num ônibus da empresa de linha com destino a Porto Alegre/RS. Com elas os policiais encontraram 1 Kg de cocaína com Mercedes e 2 Kg com Salvadora. Elas levavam a droga junto ao corpo, segura por roupas colantes.Por cima colocaram roupas mais folgadas para não chamar a atenção.

Ao serem interrogadas as mulheres disseram que receberam a cocaína em Pedro Juan Caballero, no Paraguai e levariam até Porto Alegre/RS, e que receberiam R$ 1.500,00 por cada quilo que transportavam. A investigação que se iniciou procura agora identificar outros envolvidos.

Tanto Mercedes quanto a filha Salvadora tem histórico de tráfico, já tendo estado presas. Segundo o Delegado de Polícia Federal, Marcio Antonio Lelis Anater, elas aparentam ser “mulas do tráfico”. – Geralmente são pessoas desempregadas que passam a viver do transporte de drogas para os centros consumidores. Salvadora, por exemplo, não tem emprego, tem 4 filhos menores de idade vivendo com os avós e está no 8º mês de gravidez – disse.

Ambas foram presas e podem pegar pena de até 15 anos de reclusão, podendo ainda sofrer agravantes em razão do tráfico internacional. Além disso, Salvadora também responderá pelo crime de uso de documento falso.


Comente aqui
12 out09:43

Polícia apreende 1,6 mil garrafas de cerveja em Maravilha

Um caminhão acabou flagrado na noite de terça-feira em Maravilha, transportando 1,6 mil garrafas de cerveja que entraram ilegalmente no país, sem declaração fiscal. Segundo o motorista do veículo, a bebida da marca Budweiser foi comprada na Argentina e seria levada para Guaíba (RS).

Os agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordaram o caminhão bitrem carregado de sebo no posto da PRF. Informações repassadas pelo núcleo de inteligência da polícia apontavam que as caixas de cervejas foram colocadas na cabine do veículo num posto de combustíveis em Santo Antonio do Sudoeste (PR), na fronteira com a Argentina.

Por isso, há a suspeita de que o caminhoneiro foi paga para fazer o transporte. O motorista do caminhão, um homem de 28 anos, disse que era o dono das garrafas. Porém, no posto Santo Antonio, os agentes viram vários homens tirando a bebida de uma van e colocando na cabine do bitrem.

A carga foi encaminhada para a Receita Federal. O homem responderá a um termo circunstanciado pela sonegação fiscal.

DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
11 out10:50

Polícia Federal deflagra operação contra crimes financeiros no RS, em SP e SC

A Polícia Federal e a Receita Federal deflagraram na manhã desta terça-feira a Operação Heráclidas. Estão sendo cumpridos 28 mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, Cachoeirinha, Lajeado, Novo Hamburgo, Sapiranga e Canela, no Rio Grande do Sul, em São Francisco do Sul (SC), São Caetano do Sul e São Paulo (SP). Um balanço das apreensões deve ser divulgado esta tarde.

A operação tem por objetivo apurar ilícitos tributários e de comércio internacional, crimes contra o sistema financeiro nacional como evasão de divisas, manutenção não declarada de recursos no exterior e sonegação de informação em operação de câmbio, formação de quadrilha, contrabando e descaminho e lavagem de dinheiro.

Segundo a PF, 150 policiais federais e 80 auditores-fiscais e analistas da Receita Federal do Brasil estão mobilizados. A investigação iniciou em fevereiro de 2011 e está a cargo do Grupo de Repressão a Crimes Financeiros da Polícia Federal e da Inspetoria da Receita Federal. Informações surgidas na Operação Hércules, de 5 de junho de 2009, embasaram o trabalho em conjunto da PF e da Receita.

O foco da Operação Hércules era desarticular os doleiros que disponibilizavam os meios para a evasão de divisas e eventual lavagem de dinheiro, realizando operações conhecidas como “dólar-cabo”.

Agora, na Operação Heráclidas, o objetivo é investigar os clientes que atuavam no comércio exterior e que se utilizavam da estrutura oferecida para enviar recursos para fora do país, de forma ilegal, para pagamento da diferença de preços em importações subfaturadas ou para pagar mercadorias introduzidas clandestinamente.


Origens

“Heráclidas”, na mitologia grega, era o termo utilizado para designar clãs de descendentes de Hércules e por isso foi escolhido para dar nome a esta operação, em referência aos inquéritos e procedimentos administrativo-fiscais que “nasceram” em decorrência da Operação Hércules.

Deflagrada pela PF em 5 de junho de 2009, a Operação Hércules desarticulou duas organizações criminosas que utilizavam a estrutura de casas de câmbio regularmente constituídas em Porto Alegre para realizar operações de câmbio ilícitas.

As quadrilhas disponibilizavam aos seus clientes formas de enviar recursos ao exterior de forma paralela ao sistema financeiro nacional e, portanto, sem qualquer controle dos órgãos estatais. No inquérito que está em análise no Ministério Público Federal, 29 pessoas foram indiciadas.

ZERO HORA

Comente aqui