Polícia Militar

04 jul10:53

Sargento da PM que teve corpo queimado visita Xanxerê

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Após seis meses de tratamento e 20 cirurgias de retirada de pele, enxerto e plásticas o 2º Sargento Valmir Bressan Camargo, 40 anos, visita Xanxerê. O policial, que teve 50% do corpo queimado durante atendimento em uma ocorrência, no dia 2 de janeiro deste ano, em Abelardo Luz, deve ficar 30 dias na cidade. Durante a estadia na região ele segue os trabalhos de fisioterapia. Depois retorna para o Joinville onde se recupera.

Camargo chegou à cidade na tarde da terça-feira, dia 3 de julho, e foi recepcionado por amigos e oficiais da Polícia Militar, como o capitão Maurício Gonçalves Viríssimo, comandante da 4ª Companhia e o tenente Vilte dos Santos, subcomandante, no aeroporto de Xanxerê. Ao descer da aeronave da Polícia Militar de Santa Catarina ele não conteve as lágrimas e a emoção de retornar à terra natal.

- Sinto uma paz de espírito em estar com meus amigos. Até o ar é daqui é diferente. Vai ser muito bom para minha recuperação – disse emocionado.

>> Sargento da PM de Xanxerê que teve corpo queimado recebe visita

O Soldado falou ainda que foi preparado para atuar em diversas ocasiões e que tem a sensação de dever cumprido em todas as ocorrências que participou durante os quase 18 anos de corporação e não vê a hora de voltar ao trabalho.

- Quero retornar ao serviço e fazer muito pela sociedade. Mas se não for possível, de alguma forma quero fazer algo de bom – disse.

Camargo também visitou a 4ª Companhia da Polícia Militar. No local de trabalho conheceu e reencontrou colegas da corporação.


Comente aqui
02 jul11:58

Novos policiais militares para 4ª Região de Polícia Militar

Nesta segunda-feira, às 16 horas, será realizada a formatura do Curso de Formação de 31 novos Soldados da Polícia Militar. Eles vão integrar o efetivo da 4ª Região de Polícia Militar.

A solenidade será na Sede do 2º Batalhão de Polícia Militar, na Avenida Getúlio Vargas, 1965N, em Chapecó.


Comente aqui
27 jun16:12

Homem foi preso em Chapecó após invadir casa do ex-vereador Marcelino Chiarello

[Atualizada 18h47]

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Renato Alcione Ferreira, 24 anos, foi preso na manhã desta terça-feira em Chapecó. Ele invadiu a casa do ex-vereador de Chapecó Marcelino Chiarello, encontrado morto no dia 28 de novembro de 2011. Segundo a Polícia Civil o Instituto Geral de Perícias (IGP) esteve no local, que desde a morte do vereador estava lacrada.

- Preliminarmente não houve prejuízos na cena do crime – disse o delegado Ronaldo Neckel Moretto, que aguarda o laudo do IGP.

O delegado da Polícia Federal, Oscar Biffi, que está com o caso, disse que a casa foi lacrada após o crime para uma possível nova perícia no local. Ele confirmou também  que o corpo do vereador será exumado. A data ainda não foi definida mas está prevista para julho.

Renato, que foi preso por volta das 10h30 na Rua Thucydides Paim Butuhy,  no Bairro Santo Antonio, tem diversas passagens pela polícia, entre elas sete por furto, um indiciamento por furto e outro por ameaça e responde por dois processos criminais. De acordo com a Polícia Civil ele estava em liberdade provisória do Presídio Regional de Chapecó desde 2007 e será encaminhado novamente para o local.

Segundo informações da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, o homem estava em um banheiro anexo a casa. Ele disse também aos policiais que estava dormindo a alguns dias no local.

Comente aqui
26 jun12:36

Adolescente é apreendido com 18 pedras de crack em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Ainda na manhã desta terça-feira a Polícia Militar aprendeu mais um adolescente de 17 anos. Com ele a PM encontrou 18 pedras de crack, R$ 35 em dinheiro e uma máquina digital. Outro adolescente foi apreendido e tentou subornar a PM.

A apreensão foi na Rua Tomas de Aquino, esquina com a Barão do Rio Branco, no Bairro São Pedro, por volta das 10h30. Ele disse aos policiais que a câmera foi pagamento de um usuário por drogas.

Segundo informações da PM o adolescente estava foragido do Centro de Atendimento Sócio Educativo Provisório (Casep) de Chapecó, por tentativa de homicídio em Ponte Serrada.

Ele foi conduzido para a Delegacia de Polícia e após para o Casep.


Comente aqui
26 jun12:25

Adolescente tenta subornar PM para não ser apreendido em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Militar de Chapecó apreendeu na manhã desta terça-feira um adolescente de 17 anos na Rua Servidão Caic, no bairro São Pedro. Ele chegou a oferecer R$ 5 mil aos policiais para não ser apreendido.

O adolescente que tem diversas passagens pela polícia entre elas: ameaça contra pessoa, lesão corporal, tentativa de homicídio, suspeito de homicídio doloso, disparo de arma de fogo, dirigir sem habilitação, desobediência, roubo, e posse e tráfico de drogas, estava com mandado de internamento em aberto no Centro de Atendimento Sócio Educativo Provisório (Casep) de Chapecó.

Segundo a PM o jovem avistou a viatura da polícia e fugiu. Ao ser abordado ele disse que estava com uma pequena quantia de maconha, que não foi encontrada. Ele foi encaminhado para a Delegacia de Polícia e após para o Casep.


Comente aqui
26 jun11:11

PM de Chapecó apreende dois adolescentes com crack

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Militar de Chapecó apreendeu por volta das 10h30 dois adolescentes no bairro São Pedro. Um deles chegou a oferecer dinheiro para os policiais. Com eles a PM encontrou 18 pedras de crack e uma máquina digital. Os dois foram encaminhados para a Delegacia de Polícia.

Segundo informações da PM um dos adolescentes, de 17 anos, que já tem diversas passagens pela polícia e havia fugido do Centro de Atendimento Sócio Educativo Provisório (Casep) de Chapecó, tentou oferecer R$ 5 mil para não ser apreendido.


Comente aqui
24 jun19:27

Polícia prende envolvido na morte de policial em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

No final da tarde do domingo a Polícia Civil prendeu Roberson Rodrigues Machado, 20 anos, suspeito de envolvido no homicídio do policial militar José Jadir Seabra. Ele emprestou o casaco para que o adolescente escondesse a arma na hora dos disparos. Ele foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó.

Durante o dia, um policial militar que acompanhou o caso durante a madrugada, e uma guarnição da PM realizaram buscas no bairro São Pedro e localizaram o terceiro envolvido.

O policial militar José Jadir Seabra, 41 anos, morreu após levar três tiros na madrugada deste domingo em Chapecó. Ele estava de folga da corporação e estaria trabalhando como segurança em um clube no centro da cidade. A câmera de monitoramento próxima ao local flagrou o momento em que um adolescente de 15 anos efetuou os disparos. O autor dos disparos mais outro adolescente de 16 anos, que teria passado a arma para o crime, foram apreendidos ainda na madrugada e encaminhados ao Centro de Atendimento Sócio Educativo Provisório (Casep)

O soldado, pai de quatro filhos e que atuava a 16 anos na Polícia Militar, será enterrado na manhã desta segunda-feira no cemitério da Linha Tomazelli, interior de Chapecó.



Comente aqui
24 jun16:00

Policial é morto com três tiros em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O policial militar José Jadir Seabra, 41 anos, morreu após levar três tiros na madrugada deste domingo em Chapecó. Ele estava de folga da corporação e estaria trabalhando como segurança em um clube no centro da cidade. A câmera de monitoramento próxima ao local flagrou o momento em que um adolescente de 15 anos fez os disparos. O soldado, pai de quatro filhos e que atuava a 16 anos na Polícia Militar, será enterrado na manhã desta segunda-feira no cemitério da Linha Tomazelli, interior de Chapecó.

O crime aconteceu por volta das duas horas da manhã na Rua São João. A câmera da Polícia Militar, que fica a uns 30 metros do local, flagrou a ação. Um adolescente de 16 anos entregou a arma para outro de 15. Ele se afastou das pessoas que estavam na entrada do bar, escondeu a arma debaixo do casaco, voltou e efetuou os disparos. A ação não levou mais que 10 segundos.

O soldado chegou a ser socorrido pelo Samu, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Regional do Oeste de Chapecó.

A arma do crime e os adolescentes foram apreendidos três horas depois no bairro São Pedro. Eles foram encaminhados para a Delegacia de Polícia onde prestaram depoimento e confessaram o crime para o delegado Alex Passos. Para o delegado o que assusta é banalidade como essas pessoas cometem esse tipo de crime.

- Eles disseram que o policial estava tirando onda deles e eles não poderiam deixar a situação assim – contou o delegado. Alex disse ainda que uma briga dentro do bar pode ter ocasionado o homicídio.

- Estamos investigando também o envolvimento de outras pessoas – disse o delegado.

Eles podem responder por homicídio duplamente qualificado com motivo fútil e emboscada.

Após serem ouvidos pelo promotor do Ministério Público, Fabiano Baldissarelli, os adolescentes foram encaminhados para o Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) de Chapecó.

Nesta segunda-feira eles devem ser apresentados ao juiz e ao promotor da Vara da Infância e Juventude. Em cinco dias o promotor deve fazer a representação para dar início a ação de ato infracional.

- A medida a ser tomada pode ser desde uma advertência até três anos de internação em estabelecimento educacional – disse o promotor.

Segundo o irmão da vítima, Gelson Seabra, o Policial trabalha como segurança há pelos menos quatro anos no local.

– Não era todos os finais de semana. Só quando ele tinha folga do serviço – disse Gelson.

O proprietário do clube não foi localizado para falar sobre o assunto.


1 comentário
19 jun12:37

Corpo de jovem é encontrado em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Por volta das 11h15 desta terça-feira, a Polícia Militar de Chapecó, após denúncia, encontrou o corpo de um jovem num terreno baldio no Bairro Passo dos Fortes. Áureo Nogueira Martins, 18 anos, foi reconhecido pela família que mora próximo ao local.

De acordo com a PM, que fez o isolamento do local, ele estava com uma perfuração na cabeça. O Instituto Geral de Perícias foi chamado para atender a ocorrência. O delegado Augusto Mello Brandão, da Polícia Civil, acompanha o caso.

Segundo o Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP), o jovem já teve quatro passagens por posse de drogas, uma por tráfico de drogas, uma por furto e outra por posse de munição.


Comente aqui
18 jun19:39

Sensação é de impotência, diz coronel da PM sobre as poucas multas

Ângela Bastos | angela.bastos@diario.com.br

A Polícia Militar, seja pela forma visual ou teste do bafômetro, não deixa de identificar motoristas embriagados nos 293 municípios de Santa Catarina. Isso tanto nas rodovias estaduais como no perímetro urbano. Se os casos não chegam ao ocorrer conforme a lei, a responsabilidade não é da corporação que não trabalha com o processo administrativo.

A opinião é do tenente coronel José Aroldo Schlichting, que preside a Comissão de Estudos de Trânsito da PM no Estado.

— Não deixamos de apreender o veículo, reter a carteira do habilitado e emitir multa. A única coisa que não fazemos é prender o motorista em flagrante— explica Schlichting.

Para o coronel, o resultado do relatório divulgado pelo Fórum Parlamentar leva a uma sensação de impotência não apenas para as autoridades como para toda a sociedade:

— Temos vários casos noticiados pela imprensa onde os motoristas se negam a fazer o teste, além de existir jurisprudência em tribunais a respeito de casos de grande repercussão como da miss em Balneário Camboriú que morreu em consequência de uma acidente nessas circunstâncias — diz.

É comum, conta o coronel PM, o motorista se negar ao teste do bafômetro como forma de não produzir prova contra si. Ainda assim, os policiais se valem do Auto de Constatação por perceber que o mesmo ingeriu álcool. Para o coronel, existe uma gama de situações que levam o motorista mesmo informado sobre os riscos beber antes de dirigir:

— A sensação de impunidade é um desses fatores, assim como a supervalorização da máquina (carro), falta de controle emocional e o próprio desconhecimento da lei.

Flavio de Mori e Camila Belleza integram o Laboratório de Transportes e Logística (Letrans) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A atuação do Letrans, criado em 1998, trabalha com atividades de ensino, pesquisa e extensão em rodovias federais. A atuação se dá, principalmente, em intervenções de locais onde ocorram mais acidentes. Para eles, a questão dos processos administrativos também passa pelo direito do condutor embriagado em não produzir provas contra si:

— A legislação brasileira faculta ao motorista o direito de submeter-se ou não ao teste do bafômetro. Com isso, as chances de uma medida administrativa são proporcionalmente menores do que as ocorrências —observa De Mori.

O Letrans não tem estatísticas sobre quantos motoristas envolvidos em embriaguez em rodovias federais se negam ao teste.


Comente aqui