Policial

31 jul14:43

Perseguição policial termina em acidente e adolescente apreendido em Chapecó

Uma perseguição policial na manhã desta terça-feira terminou com acidente de trânsito e adolescente apreendido em Chapecó. Segundo a Polícia Militar (PM), uma motocicleta fugiu ao avistar a viatura. A tentativa de abordagem ocorreu depois que a PM recebeu informações sobre pessoas armadas circulando no bairro Passo dos Fortes.

Por volta das 10h15min, durante monitoramento na região, duas motos suspeitas foram avistadas na Rua Pequim, próximo à esquina com a Borges de Medeiros. Na aproximação dos policiais, uma delas parou, mas a outra fugiu.

Enquanto uma guarnição ficou no local, outra iniciou a perseguição. Na rotatória da Rio Branco com a Rui Barbosa, a motocicleta avançou a parada obrigatória e tombou depois de bater em um Corolla.

A polícia constatou que a moto era conduzida por um adolescente de 17 anos. O veículo estava com licenciamento atrasado. O rapaz tinha histórico de violência contra colegas. Nada foi encontrado com ele, mas a polícia suspeita que o jovem possa ter se desfeito de objetos enquanto fugia.

O jovem foi levado para hospital na cidade e será encaminhado às autoridades responsáveis.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
24 jun19:27

Polícia prende envolvido na morte de policial em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

No final da tarde do domingo a Polícia Civil prendeu Roberson Rodrigues Machado, 20 anos, suspeito de envolvido no homicídio do policial militar José Jadir Seabra. Ele emprestou o casaco para que o adolescente escondesse a arma na hora dos disparos. Ele foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó.

Durante o dia, um policial militar que acompanhou o caso durante a madrugada, e uma guarnição da PM realizaram buscas no bairro São Pedro e localizaram o terceiro envolvido.

O policial militar José Jadir Seabra, 41 anos, morreu após levar três tiros na madrugada deste domingo em Chapecó. Ele estava de folga da corporação e estaria trabalhando como segurança em um clube no centro da cidade. A câmera de monitoramento próxima ao local flagrou o momento em que um adolescente de 15 anos efetuou os disparos. O autor dos disparos mais outro adolescente de 16 anos, que teria passado a arma para o crime, foram apreendidos ainda na madrugada e encaminhados ao Centro de Atendimento Sócio Educativo Provisório (Casep)

O soldado, pai de quatro filhos e que atuava a 16 anos na Polícia Militar, será enterrado na manhã desta segunda-feira no cemitério da Linha Tomazelli, interior de Chapecó.



Comente aqui
24 jun16:00

Policial é morto com três tiros em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O policial militar José Jadir Seabra, 41 anos, morreu após levar três tiros na madrugada deste domingo em Chapecó. Ele estava de folga da corporação e estaria trabalhando como segurança em um clube no centro da cidade. A câmera de monitoramento próxima ao local flagrou o momento em que um adolescente de 15 anos fez os disparos. O soldado, pai de quatro filhos e que atuava a 16 anos na Polícia Militar, será enterrado na manhã desta segunda-feira no cemitério da Linha Tomazelli, interior de Chapecó.

O crime aconteceu por volta das duas horas da manhã na Rua São João. A câmera da Polícia Militar, que fica a uns 30 metros do local, flagrou a ação. Um adolescente de 16 anos entregou a arma para outro de 15. Ele se afastou das pessoas que estavam na entrada do bar, escondeu a arma debaixo do casaco, voltou e efetuou os disparos. A ação não levou mais que 10 segundos.

O soldado chegou a ser socorrido pelo Samu, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Regional do Oeste de Chapecó.

A arma do crime e os adolescentes foram apreendidos três horas depois no bairro São Pedro. Eles foram encaminhados para a Delegacia de Polícia onde prestaram depoimento e confessaram o crime para o delegado Alex Passos. Para o delegado o que assusta é banalidade como essas pessoas cometem esse tipo de crime.

- Eles disseram que o policial estava tirando onda deles e eles não poderiam deixar a situação assim – contou o delegado. Alex disse ainda que uma briga dentro do bar pode ter ocasionado o homicídio.

- Estamos investigando também o envolvimento de outras pessoas – disse o delegado.

Eles podem responder por homicídio duplamente qualificado com motivo fútil e emboscada.

Após serem ouvidos pelo promotor do Ministério Público, Fabiano Baldissarelli, os adolescentes foram encaminhados para o Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) de Chapecó.

Nesta segunda-feira eles devem ser apresentados ao juiz e ao promotor da Vara da Infância e Juventude. Em cinco dias o promotor deve fazer a representação para dar início a ação de ato infracional.

- A medida a ser tomada pode ser desde uma advertência até três anos de internação em estabelecimento educacional – disse o promotor.

Segundo o irmão da vítima, Gelson Seabra, o Policial trabalha como segurança há pelos menos quatro anos no local.

– Não era todos os finais de semana. Só quando ele tinha folga do serviço – disse Gelson.

O proprietário do clube não foi localizado para falar sobre o assunto.


1 comentário
15 mai16:50

Inquérito do homicídio do Gerente de Infraestrutura da SDR de Dionísio Cerqueira é concluído

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de São Miguel do Oeste, concluiu Inquérito Policial instaurado para apuração de fraudes em licitações e liberação irregular de Verbas Públicas na Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Dionísio Cerqueira.

As investigações iniciaram após a morte do secretário de infraestrutura da SDR de Dionísio Cerqueira, Dalmar Libardoni, ocorrida em 20 de novembro de 2011.

Segundo o Delegado Coordenador da DIC, Albert Silveira, ao investigar os motivos do crime os policiais constataram diversos indícios de irregularidades em licitações públicas e liberação de valores dos cofres públicos do Estado, por meio da SDR de Dionísio Cerqueira.

No início de 2012, os Policiais Civis cumpriram Ordens Judiciais de busca e apreensão no interior daquela Secretaria e em empresas que prestavam serviços por meio de contratos públicos. Na ocasião diversos documentos físicos e virtuais foram apreendidos e analisados.

– Durante as investigações os policiais verificaram que houve a inclusão de dados falsos junto ao Sistema de Controle de Obras no Estado de Santa Catarina, o SICOP/SC, gerando a liberação indevida de verbas públicas em, no mínimo, quatro Obras. No período de inserção dos dados, ocorreram pagamentos relacionados a construções e serviços que não haviam sido realizados. – disse o delegado.

>> Homicídio de gerente em Dionísio Cerqueira tem dois suspeitos

>> Estão presos suspeitos de homicídio em Dionísio Cerqueira

>> Homem que matou gerente da SDR alega pedido de propina

Os policiais também comprovaram o desvio de verbas, no valor de R$ 36.400,00 em uma das licitações. – Em relação a este desvio, um empresário de Dionísio Cerqueira foi indiciado por Falsidade Ideológica e Fraude em licitação. O indiciado confessou a participação nos crimes – disse o delegado.

Foram ouvidos os servidores da Secretaria de Desenvolvimento Regional e diversos empresários. De acordo com o delegado alguns atribuíram as irregularidades apuradas ao secretário de infraestrutura Dalmar Libardoni, pois as licitações e contratos relacionados às irregularidades eram do setor que ele gerenciava.

- Ainda que nada justifique um crime de homicídio, estas irregularidades teriam relação com os motivos do homicídio comedido por Mário Duarte no interior da SDR, vitimando o secretário – disse o delegado.

O inquérito foi encaminhado ao Poder Judiciário de Dionísio Cerqueira e passará pela apreciação do Ministério Público.



Comente aqui
12 abr10:44

Policial de São Miguel do Oeste participa de Missão de Paz da ONU

O Capitão Jonas Airton Peres Binder, do 11º Batalhão de Polícia Militar de São Miguel do Oeste embarcou no dia 26 de março para o Sudão do Sul, na África. Ele que passou por um rigoroso processo de seleção e integra uma Missão de Paz promovida pela Organização das Nações Unidas – ONU naquele país.

Jonas já está trabalhando no Sudão.

O processo de seleção para atuar nesta missão de paz da ONU iniciou em abril de 2011. As provas iniciaram em Porto Alegre com 20 Oficiais de Polícias Militares de diversos estados brasileiros. Foram realizadas provas de inglês, tiro e direção de veículos 4×4.

No mês de setembro os 16 aprovados na primeira etapa realizaram mais uma avaliação, esta toda em inglês sobre a legislação e metodologias de trabalho da ONU, direitos humanos, legislação internacional, gerenciamento de crises e diversos outros assuntos relacionados à organização. Após esta etapa e uma bateria de testes de médicos e exames físicos, os candidatos foram submetidos a uma entrevista em inglês por telefone por parte do encarregado de pessoal da ONU. Ao término do processo seletivo, apenas cinco policiais militares foram selecionados e designados para integrar a missão no Sudão do Sul, sendo um de Santa Catarina, um do Rio Grande do Sul um de Alagoas e dois de São Paulo.

No Sudão os policiais participaram de mais treinamentos envolvendo militares de forças armadas e policiais de diversos países. Os oficiais vão trabalhar nessa missão durante um ano.

O Capitão Jonas deve retornar para o 11º Batalhão de Polícia Militar em abril de 2013.


Comente aqui
15 jan19:40

Sargento de Xanxerê que tentou impedir morte no Oeste segue internado em Joinville

Karina Schovepper | karina.schovepper@an.com.br

O ano havia começado e, com ele, a esperança do sargento da Polícia Militar Valmir Bressan Camargo, 40 anos, de ser chamado para o curso de formação de oficiais e ficar dois anos em Florianópolis, especializando-se na profissão que era uma de suas paixões.

As longas horas de trabalho e os plantões durante os feriados não eram problema para ele e a mulher, a assistente-social Cristiane Golembuski Camargo, 33 anos.

Valmir era admirado pelos colegas e um exemplo para quem o conhecia. Pai de uma menina de dois anos, começou na carreira militar aos 18 anos e sempre sonhou em ser policial. Há mais de dez anos, ele trabalha na Polícia Militar de Xanxerê, onde desenvolve funções na agência de inteligência e comanda o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT).

Os riscos da profissão eram motivos de apreensão para Cristiane sempre que o marido saía de casa, mas nunca imaginou que um dia teria de ouvir que ele havia se ferido.

No último dia 3, Valmir, que trabalhava na Operação Veraneio, em Aberlado Luz, no Oeste, foi chamado para atender uma ocorrência em uma agência bancária, onde um homem estaria quebrando os vidros e danificando os caixas.

Ao chegar ao local, o policial encontrou Fábio Bevilácqua, 30, que estava alterado, e que havia jogado gasolina na agência e ameaçava se matar.

Em um ato heróico, Valmir tentou puxar Fábio para fora do local, mas já era tarde. Ele acendeu um isqueiro e a agência explodiu. Fábio teve 90% do corpo queimado, não resistiu aos ferimentos e faleceu no Hospital São Paulo de Xanxerê, no dia 4.

Valmir teve queimaduras de primeiro e segundo grau em 50% do corpo – nas mãos, braços, pernas e rosto – e chegou a ser internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Paulo, mas foi transferido para a UTI do Hospital da Unimed, em Joinville, um dia depois.

Segundo a mulher, como ele usava colete a prova de a balas na hora da ocorrência, seu tronco ficou protegido das chamas.

— É um momento difícil, a gente ainda não conversou sobre o que aconteceu. Acho que o principal agora é ele se recuperar —, explica.

O acidente aconteceu uma semana antes de Valmir tirar férias. Para este ano, ele e a mulher não haviam programado nenhuma viagem, mas queriam curtir a família e, quem sabe, fazer algum passeio. Planos que precisaram ser adiados e sem previsão de uma nova data.

— De certa forma foi bom eu já estar de férias para poder cuidar dele. Mas claro que não é nada daquilo que tínhamos em mente —, conta.

Valmir gosta de futebol. Ele costuma participar de campeonatos, além de acompanhar os jogos do Internacional.

Comente aqui
25 nov17:41

Policial envolvido em acidente em Chapecó será enterrado no Paraná

[Atualizado 19h28]

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br*

O Policial Militar Marcos Alexandre de Almeida Bueno, conhecido como soldado Almeida, 27 anos, morreu na manhã da sexta-feira, 25, na rótula das ruas Índio Condá com a Sete de Setembro, no Bairro Presidente Médici em Chapecó. Ele colidiu no caminhão, caiu da moto e acabou sendo atropelado.

O soldado, que havia se formado no dia 20 de outubro, estava atuando no Pelotão de Motos do 2º Batalhão de Polícia Militar. Ele estava em serviço com outros dois colegas e dirigia uma motocicleta da Polícia Militar.

Após colidir no caminhão de ração placas de Chapecó ele caiu e acabou sendo atropelado. O veículo passou por cima da cabeça do policial. Ambulâncias do Corpo de Bombeiros e do SAMU estiveram no local. Almeida não resistiu e morreu no local.

O condutor do caminhão, Alcides João Molozzi, 65 anos, foi conduzido para a Delegacia de Policia. Após prestar depoimento ele foi liberado.

Peritos do Instituto Geral de Perícia (IGP) fizeram o levantamento do acidente.

O corpo do soldado foi levado para Francisco Beltrão no Paraná. O enterro está marcado para sábado, pela manhã.

No final da tarde a Assessoria da Polícia Militar de Chapecó encaminhou nota sobre o ocorrido:

“A tristeza marca mais uma vez a vida dos policiais militares da corporação. Mais um guerreiro fardado perde a vida no cumprimento da nobre missão de zelar e guardar a vida da população. Toda corporação sente com pesar esse doloroso momento, em especial os colegas mais próximos, aqueles que acabaram de se formar com o soldado Almeida, que há poucos dias recebia das mãos do subcomandante geral o seu kit de proteção pessoal. Que ele descanse em paz.”


* Colaborou Darci Debona


1 comentário
14 nov15:13

Policiais Civis fazem paralisação parcial

A decisão da paralisação parcial dos serviços foi confirmada na sexta-feira, dia 11. Este era o prazo final para que o Governo do Estado apresentasse uma proposta salarial que atendesse as reivindicações da classe.

A Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Santa Catarina – Adepol/SC, Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina – Sinpol/SC e o Sindicato dos Trabalhadores em Segurança Pública de SC- Sintrasp, anunciaram que será mantida a decisão deliberada em Assembleia Geral. A paralisação parcial acontece nos dias 16, 17 e 18 de novembro em todo o estado.

- Os serviços essenciais a população, como flagrantes e registros de Boletins de Ocorrências serão mantidos em respeito ao cidadão – disse o vice-presidente do Sintrasp da Região de Chapecó Selmiro Rauber.

Uma nova Assembleia Geral está marcada para as 14h do dia 18 de novembro, em Florianópolis. O encontro servirá para apreciação de eventual proposta do governo, discutir novas formas de manifestação, e os rumos do movimento.

A remuneração dos Policiais Civis catarinenses está entre as quatro piores do Brasil. O piso atual de um agente da Policial Civil é de R$ 781,82.


Comente aqui