População

30 mai09:30

Classe média é 54% da população

O governo federal fatiou a classe média brasileira em três subclasses definidas pela renda familiar mensal per capita. Agora, a categoria classe média é formada por baixa classe média, com renda entre R$ 292 e R$ 441, média classe média, com renda per capita de R$ 442 a R$ 641, e alta classe média, entre R$ 642 e R$ 1.019. Com a nova configuração, o governo estima que a chamada classe média é representada por 54% da população brasileira neste ano. Em 2001, essa parcela era de 37% do total.

De acordo com a Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), a classe alta também foi subdividida em duas categorias, a baixa classe alta, com renda entre R$ 1.020 e R$ 2.480, e a alta classe alta, com proventos superiores a esse valor. Na classe pobre, os limites também mudaram. São considerados extremamente pobres aqueles com renda de até R$ 81. Os pobres, mas não extremamente, ficam situados entre R$ 82 e R$ 162. Na categoria denominada vulnerável, entram as pessoas que ganham entre R$ 163 e R$ 291.


AGÊNCIA ESTADO

Comente aqui
05 mai08:01

Ação Global em Xaxim

O projeto Ação Global, iniciativa da Rede Globo e do Serviço Social da Indústria (Sesi), em parceria com a RBS TV, oferece ações gratuitas para a população de Xaxim, no Oeste catarinense, neste sábado, dia 5, das 9h às 17h. O tema da edição deste ano do projeto será “Eu faço Ação Global o ano inteiro”.

O mutirão de solidariedade é realizado simultaneamente em todos os estados do Brasil e no Distrito Federal uma vez por ano. A prestação de serviços gratuitos à população facilita o acesso a direitos que são essenciais a todos. Emissão de documentos, atendimento médico e odontológico, atividades de lazer, educação e esportes, união civil, divórcio e outros serviços estarão disponível para a população.

Desde 1995, Sesi e Rede Globo se unem para promover ações gratuitas em todo o país. Por meio da mobilização de instituições parceiras, públicas e privadas, e da convocação de profissionais voluntários, a Ação Global forma uma rede de atendimento que oferece serviços gratuitos de documentação, saúde preventiva, educação, esporte e lazer. A Ação Global já beneficiou mais de 16,8 milhões de pessoas e prestou mais de 27,3 milhões de atendimentos.


SERVIÇO

O quê: Ação Global

Quando: sábado, 5, das 9h às 17h

Onde: Xaxim (Rua da Matriz, em torno da Praça Frei Bruno)

Quanto: gratuito


Comente aqui
08 fev15:29

SDR Dionísio Cerqueira reforça alerta contra a Dengue

A gerência de Saúde da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Dionísio Cerqueira emitiu nesta terça-feira um alerta para a população com relação aos cuidados e a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Conforme a gerente, Eila Labres, as secretarias de saúde das prefeituras de Anchieta, Princesa, Palma Sola, Dionísio Cerqueira, Guarujá do Sul e São José do Cedro receberam ainda no mês de janeiro orientações técnicas de combate à Dengue.

Eila pontua que os números de larvas do mosquito da dengue encontrados nos municípios da Regional continuam estáveis, demonstrando que o trabalho dos agentes da dengue está sendo bem feito. Ela destaca que para evitar a proliferação do Aedes aegypti a população deve evitar manter sucatas em locais abertos; sempre deve jogar garrafas e copos vazios em locais adequados; colocar areia nos vasos de plantas e não acumular água em pneus.

Conforme dados da Secretaria de Estado da Saúde, até o dia 4 de novembro de 2011, foram registrados em Santa Catarina 665 casos suspeitos da doença, sendo que 118 foram confirmados. – 60 municípios catarinenses tiveram focos da Dengue no ano passado em nosso Estado. É importante que a população fique atenta e colabore – disse a gerente.


Comente aqui
16 nov10:24

Censo 2010: Santa Catarina tem 500 mil mulheres a mais do que homens

Mulher, branca, com idade entre 25 e 29 anos, alfabetizada e vive na cidade. Este é perfil da maior fatia do população catarinense, de acordo os números finais do Censo 2010 divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Conforme a pesquisa, feita em 2,1 milhões de domicílios do Estado, ela divide a residência — que é própria — com pelo menos outras duas pessoas, que são possivelmente um cônjuge do sexo oposto e um filho ou enteado, e não é responsável pelo sustento da família.

A renda per capita dos integrantes da família fica entre um e dois salários mínimos (foi levado em consideração o rendimento da época da pesquisa, R$ 510) e mora no Vale do Itajaí, região mais populosa do Estado.

Hoje, somos mais de seis milhões no Estado. Mais de 80% desta população vive na área urbana e a maior parte dela é composta por mulheres — são cerca de 500 mil representantes a mais do sexo feminino. Mais de 5 milhões de catarinenses são brancos, seguidos por quase 800 mil pardos, apenas 183 mil pretos, 26 mil amarelos e cerca 16 mil indígenas.

Origem dos números

As visitas do IBGE aos domicílios começaram em primeiro de agosto de 2010. O último Censo desta magnitude foi realizado no ano 2000. Esta é a única pesquisa domiciliar que oferece um amplo conjunto de informações demográficas, socioeconômicas e habitacionais sobre os 293 municípios catarinenses.

São contempladas características como relações de parentesco, educação, trabalho, renda, cor e raça. O estudo deve embasar o planejamento público e privado da próxima década.


ANELIZE SALVAGNI

Comente aqui