Produtos

04 dez15:16

Cesta básica tem aumento de 7% em Chapecó

Dos 13 produtos que compõem a cesta básica, nove apresentaram aumentos. Os principais foram o tomate em 55,94%, seguido do arroz, com alta de 24,26%, e do leite, em 18%. Com isso o valor passou de R$ 220,35, em outubro, para R$ 237,12 em novembro.

Segundo o levantamento do curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, realizado em 10 supermercados da cidade, o aumento real foi de R$ 16,77, uma variação de 7,61%.

Já o cesto de 57 produtos básicos teve uma elevação de 0,79%, e passou de R$ 892,06, de outubro, para R$ 899,15, em novembro, o que significa uma diferença real de R$ 7,09.

Esse levantamento é realizado mensalmente pelo curso em supermercados localizados no centro e em bairros da cidade.


Comente aqui
22 nov11:18

Mercado Público Regional de Chapecó completa cinco anos

Consumidores e visitantes que passarem pelo Mercado Público Regional serão presenteados com a degustação de produtos típicos dos municípios que integram o empreendimento. A iniciativa marca as comemorações de cinco anos de atividades voltadas a promover os produtos da agricultura familiar e acelerar o desenvolvimento integrado da região oeste de Santa Catarina.

- Será disponibilizada uma mesa com produtos típicos dos municípios para degustação, desta maneira valorizamos os produtores rurais da microrregião e os compradores que preferem itens da agricultura familiar -explica o administrador do Mercado Público Regional, Fernando Gama Patussi.

A diversidade de produtos é resultado de um profundo trabalho de seleção, de onde se extraiu o que de melhor existe na região.

- São produtos artesanais que valorizam as origens da população, fortalecendo as heranças culturais. Além disso, o local é um espaço de valorização da nossa cultura – ressalta o secretário executivo da Associação dos Municípios do Oeste de Santa Catarina (AMOSC), Paulo Utzig.

A iniciativa é gerida pelo Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico, Social e Meio Ambiente (Cidema).

O Mercado fica no bairro Passo dos Fortes, em Chapecó. O horário de atendimento é das 8 às 12 horas e das 13h30 às 19 horas de segunda a sexta-feira e aos sábados das 8 às 13 horas.

Estrutura

Atualmente integram o projeto os municípios de Caxambu do Sul, Chapecó, Cordilheira Alta, Coronel Freitas, Guatambu, Nova Itaberaba, Planalto Alegre, Quilombo, Santiago do Sul, São Carlos, Sul Brasil e União do Oeste.

Os outros boxes são ocupados pela Peixaria, Instituto Saga, Sociedade Amigos de Chapecó (SAC), Mapa, ARIS, Arapoc, restaurante e Secretaria Municipal de Agricultura e Serviços Rurais de Chapecó.

A estrutura se constitui de pavilhões com box para os municípios, praça de alimentação com palco para apresentações culturais, conta com internet Wi-Fi, auditório climatizado para cerca de 50 pessoas, baterias de banheiros masculinos e femininos, área de circulação e amplo estacionamento. Neste ano, em conjunto com a Prefeitura de Chapecó foram implantados o Banco de Alimentos e a academia ao ar livre, na área externa do Mercado Público Regional.


Comente aqui
04 out09:33

Cesta básica tem queda de 5% em Chapecó

A cesta básica registrou uma queda de 5,19%, no mês de setembro em Chapecó. Com a redução, o valor passou de R$ 244,06 para R$ 231,38.

A variação negativa da cesta básica no mês foi impulsionada pela queda no preço do tomate, em 35,03%.

Outros produtos que compõe a cesta básica também registraram queda. O leite, em 12,18%, o café moído, em 3,17%, a carne, em 1,73%, e o feijão, em 0,03%. Em setembro uma família chapecoense necessitou de 0,4 salário-mínimo para adquirir a cesta.

A cesta básica é composta por 13 produtos, que são açúcar, arroz, banana, batata inglesa, café moído, carne moída, farinha de trigo, feijão preto, leite, margarina, óleo de soja, pão francês e tomate.


Cesto de produtos básico teve aumento

Já o cesto de produtos básicos com 57 itens e destinado a famílias que ganham de até cinco salários mínimos registrou aumento de 0,30%. O valor passou de R$ 898,22, registrado em agosto, para R$ 900,90, em setembro. Um acréscimo de R$ 2,68.

Com o aumento, uma família chapecoense necessita de 1,57 salários-mínimos líquido para adquirir o cesto em Chapecó.

O cesto é composto por produtos alimentares in natura, semi-industrializados e industrializados, produtos de higiene e limpeza e serviços tarifados.

O curso de Ciências Econômicas da Unochapecó desenvolve mensalmente o levantamento dos preços e o cálculo da cesta básica para o município de Chapecó. Tem como base elementos da Pesquisa de Orçamento Familiar, elaborada em 1994.

O levantamento é realizado mensalmente pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó. Os preços são coletados atualmente nos seguintes locais de compra: Alberti (Efapi), Barp e Brasão (Centro), Bedin I (Palmital), Celeiro (Itália), Cristo Rei e Moura & Santos (Efapi), Royal (Presidente Médice), Sivial (Passo dos Fortes) e Superalfa.


Comente aqui
07 set17:02

Artesanato em exposição em Chapecó

uliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Mostrar o que Chapecó tem de mais belo nos trabalhos manuais. Esse é objetivo da 7ª Mercoarte – Feira do Artesanato Chapecoense, que pode ser visitada gratuitamente até o domingo dia 9 de setembro. Setenta e sete artesãos apresentam os mais diversos produtos, desde lembrancinhas que levam o nome da cidade, a roupas, acessórios e móveis.

Promovida pela Fundação de Ação Social (Fasc) em parceria com os artesãos da cidade, a feira, criada em 2007, está no Calçadão da Rua Benjamin Constant, entre as avenidas Getúlio Vargas e Nereu Ramos. A visitação no sábado e domingo será das 13h às 19h.

De acordo com a diretora presidente da Fasc, Belenite Frozza a cada ano a Mercoarte vem crescendo mais.

- O artesanato muitas vezes acaba se tornando uma alternativa de renda para as famílias – disse Belenite.

É o caso da agricultora e artesão Jurema Simone, que mora na Linha São Roque, interior de Chapecó. Além de ajudar a família na plantação de milho, verdura e produção de leite, ela se dedica aos trabalhos manuais há dois anos.

- Aprendi com a minha mãe essas coisas de menina – disse Jurema se referindo aos bordados e costura que aprendeu a fazer ainda pequena.

Para ela, que está apresentando capas de térmicas, a feira desse ano está melhor que a do ano passado.

- Aqui tem mais circulação de pessoas e as vendas estão boas – disse.


Palestra sobre artesanato

Neste sábado, dia 8, o designer Eduardo Barroso de Florianópolis fará uma palestra gratuita para os artesãos. Barroso vai falar sobre o artesanato como alternativa para o desenvolvimento sustentado, inclusivo e competitivo. O encontro será às 8h30 no auditório da Prefeitura.

Também será oferecida um curso de artigos natalinos.


Feirinha permanente

Todos os sábados, exceto quando chove, é realizada uma feirinha de artesanato no calçadão.


Comente aqui
04 ago15:30

Tomate eleva o valor da Cesta Básica em Chapecó

O aumento de 3,13% no custo do cesto de 57 produtos básicos alimentares, não alimentares e serviços tarifados foi registrado em Chapecó no mês de julho. Esse índice é uma das informações que está em pesquisa realizada pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó. Entretanto, o dado mais expressivo levantado pelo curso refere-se à variação no custo da cesta básica de 13 produtos alimentares, exclusivamente, que chegou a 10,9%.

Em julho o preço da cesta básica foi de R$ 241,22, ante R$ 217,51 do mês anterior, o que representa um acréscimo de R$ 23,71. Dos 13 itens, 11 apresentaram aumentos no mês passado e dois tiveram redução no custo. As principais altas ocorreram no tomate, em 47,28%, no açúcar, em 27,54%, e no café moído, em 16,32%.

Quanto ao cesto de 57 produtos, 35 deles sofreram aumento no mês passado e 22 apresentaram diminuição no custo. O valor identificado em julho foi de R$ 867,18, enquanto no mês de junho havia sido de R$ 840,84, o que significa R$ 26,34 a mais. Em 12 meses, o valor teve alta acumulada de 14,48%, ou seja, R$ 109,65 sobre o custo de R$ 757,53, pesquisado em julho de 2011.

Em termos de grupos de produtos, os alimentos, que têm a representatividade de aproximadamente 72% no total do cesto, apresentaram em julho aumento de 3,32% e neste ano a elevação chega a 16,51%. No grupo dos produtos não alimentares, a alta de junho para julho foi de 8,35%, enquanto os serviços tarifados foram elevados em 0,82%.


Comente aqui
20 jul11:23

Marlowa participou de Almoço Empresarial da Acic em Chapecó

A arte de uma catarinense que viu em Chapecó a oportunidade de crescer e conquistar um espaço tão disputado nas principais galerias do País e até mesmo em exposições internacionais. Um sonho de uma jovem se tornou realidade e hoje alcança cenários privilegiados, estampando a simplicidade da vida em obras distintas. Esta foi a história contada para mais de 150 empresários durante o Programa Almoço Empresarial da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), que recebeu nesta quinta-feira, dia 19, a ilustradora e artista plástica Marlowa Pompermayer Marin para falar sobre “Empreendedorismo na Área Cultural”.

Natural de Caçador, Marlowa iniciou a carreira em 1988, quando concluiu o curso de Desenho Artístico em Curitiba. Mas até chegar ao objetivo, experimentou a profissão de bancária e ouviu do então chefe que era do tipo de pessoa que plantava sementes. Como ela diz, quis colher os frutos na arte.

Há 20 anos, escolheu Chapecó para morar por visualizar no município oportunidades de crescimento, pois percebia que a cidade era um celeiro de empreendedores, de arrojo e incentivo a novas ideias. Em pouco tempo, já apresentava trabalhos ao lado de grandes artistas chapecoenses, entre eles Paulo de Siqueira, Selistre de Campos e Chico Bracht.

Apaixonada pela técnica aquarela, sentiu que precisava inovar. Expandiu o conhecimento, buscou novos estilos e encontrou o caminho criando personagens felizes e coloridos. Em seus desenhos e pinturas estão inseridos o dia a dia das pessoas, as coisas simples.

- Gostaria que minha produção tivesse uma íntima relação com o poder das coisas que estão aí, e que as vezes não vemos. Faço referência à vida, aprendo que os momentos felizes estão essencialmente ligados às nossas escolhas – definiu.

O trabalho da artista apresenta um universo de personagens figurativos, lúdicos, resultando em um cotidiano de momentos felizes e evidenciando o desenho que sempre gostou, em um contraste de cores intensas.

Sua trajetória é composta por exposições coletivas em salões e individuais. Além do Brasil, algumas das obras da artista encontram-se para comercialização em Portugal, na Espanha e Inglaterra.

Em 2002, ilustrou o primeiro livro infantil e descobriu a possibilidade de levar seus desenhos e pinturas a novos olhares. De acordo com Marlowa, uma das grandes conquistas foi ser aprovada na Sociedade dos Ilustradores do Brasil (SIB), o que possibilitou em 2011 a presença no Illustra Brazil na China, uma exposição com os principais ilustradores do mundo. Soma agora oito livros infantis ilustrados e um encarte de CD de músicas infantis.

Atualmente a artista estuda Design Visual e desenvolve uma linha de produtos em papelaria, porcelanas, obras literárias, entre outros. A grande novidade apresentada durante o Almoço empresarial foi a assinatura de contrato com a empresa UATT?, uma franquia que comercializará a arte de Marlowa nos grandes centros do País. Ela contou com orgulho a mensagem de apresentação da empresa ao falar da parceria:

- A UATT? traz para sua família a linha da Marlowa. Ela, como nós, vê encantamento no mundo e traduz sentimentos em ilustrações e produtos que fazem o dia a dia mais gostoso – disse.

Marlowa expôs com orgulho sua trajetória, enfatizando que recebeu muitas vezes um educado “não” e mesmo assim não desistiu. Concluiu que em Chapecó encontrou apoio, construiu afetos e teve como exemplo o trabalho de artistas talentos que a ajudaram a crescer profissionalmente.

O presidente da ACIC Maurício Zolet ressaltou a preocupação da entidade em valorizar a cultura e a arte chapecoence.

- A palestra da Marlowa foi um grande ensinamento para os empresários, pois não importa em que setor atue, o importante é inovar e buscar o diferencial – completou.

A obra da artista pode ser conhecida no endereço eletrônico http://marlowa.com.br/ ou no blog http://marlowa-marlowa.blogspot.com.br/.


Comente aqui
08 jul13:44

Feira Livre de Produtos Coloniais e Agroecológicos do centro está em novo endereço

A nova estrutura da Feira Livre de Produtos Coloniais e Agroecológicos do centro de Chapecó foi inaugurada no sábado, dia 7 de julho. A feira que ficava na esquina da Nereu Ramos com Uruguai foi para a Rua Clevelândia, nº 100 E, esquina com a Rua Rui Barbosa a duas quadras de distância. O novo espaço conta com um pavilhão de 860 metros quadrados e abriga 28 famílias de produtores que comercializam um mix de diferentes produtos.

Chapecó possui atualmente 10 feiras livres comercializando produtos agroecológicos e coloniais distribuídas nos bairros Cristo Rei, Presidente Médice, Bela Vista, São Cristóvão, Efapi, Jardim América, Santo Antônio e no Centro.

O programa permite maior proximidade entre o agricultor e os moradores da cidade. Para os agricultores a feira é mais um espaço para a venda de produtos, com possibilidades de maior lucro e rentabilidade. Atualmente, as feiras livres beneficiam diretamente 160 famílias, além de outras 300 indiretamente.


Comente aqui
11 jun14:27

Produtos básicos têm pequena alta em Chapecó

Os produtos básicos de consumo familiar tiveram uma elevação de 1,71% no mês de maio em Chapecó. O cesto de 57 produtos, conforme pesquisa realizada pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, passou de R$ 837,85 para R$ 852,20, com uma diferença de R$ 14,35. Já a cesta básica, formada pelo grupo de 13 produtos, apresentou aumento de 4,01%. Com isso, o valor foi de R$ 181,60 em abril para R$ 188,88 no mês passado.

No período de um ano, o aumento acumulado é de 12,62%, em relação ao valor de maio de 2011, que era de R$ 756,70, o que significa R$ 95,50 a mais. O levantamento indica que nos últimos 12 meses o cesto oscilou entre valores positivos e negativos, com o maior aumento registrado em abril de 2012, de 2,56%, e a maior queda em maio de 2011, de 2,18%.

Quanto aos produtos que lideraram as altas e quedas em maio, eles são do grupo de alimentos. O pão francês liderou a alta, com 35,62%, seguido pelo leite, com 33,05%, e pelo tomate, que aumentou de preço em 30,25%. As maiores quedas foram no aparelho de barbear, em 30,07%, seguido pelo biscoito maria, em 24,42%, e pelo repolho, em 21,62%.


Cesta básica

A diferença de custo da cesta básica em maio, de 4,01%, representou R$ 7,28 a mais no valor. Essa cesta, semelhante à nacional, é formada por açúcar, arroz, banana, batata inglesa, café moído, carne moída de segunda, farinha de trigo, feijão preto, leite tipo C, margarina, óleo de soja, pão francês e tomate.

Mesmo ultrapassando os 4%, a maior variação positiva foi registrada em março deste ano, com 5,54%. No mês anterior ocorreu a maior variação negativa, de 5,04%. Em maio, uma família típica de Chapecó necessitou de 0,33% do salário mínimo para adquirir a cesta básica, um ponto percentual a mais do que em abril.


Comente aqui
10 mai14:38

Preços de produtos básicos desaceleram em Chapecó

O cesto de 57 produtos básicos, depois de ter apresentado em março elevação de 3,08% no custo, teve no mês de abril aumento de 0,91%. Com essa diferença de R$ 7,43, o cesto de produtos básicos passou de R$ 816,95 para R$ 824,38, conforme mostra pesquisa realizada pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó.

Dos 57 produtos pesquisados, 32 registraram aumento, 23 tiveram redução e dois não sofreram alteração. Os produtos que lideraram as quedas e altas são do grupo de alimentos, exceto o sabão em barras.

Os ovos lideraram a alta, com 24,36%, seguindo-se a batata inglesa, em 13,36% e a margarina, em 13,33%. A maior queda de preço ocorreu no tomate, em 18,11%, a segunda foi no sabão em barras, em 15,94%, e a terceira no queijo de colônia, em 14,47%.

Quanto à evolução do custo, de abril de 2011 a abril de 2012 há um aumento acumulado de 6,57%. Com isso, em 12 meses o valor passou de R$ 773,57, de abril do ano passado, para R$ 824,38, de abril último, o que representa uma diferença de R$ 50,81.


Cesta de 13 produtos

Em outro índice levantado pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, quanto à cesta básica de 13 produtos, houve redução. Essa queda foi de 4,36% em abril passado no município de Chapecó. Com isso, o custo passou de R$ 189,87, em março, de 2012, para R$ 181,60 em abril último.


Comente aqui
14 mar14:48

PRF apreendeu produtos piratas em Dionísio Cerqueira

Na manhã desta quarta-feira, a Polícia Rodoviária Federal de Dionísio Cerqueira, apreendeu na BR 163, produtos piratas. Eles estavam em uma Fiorini, placas de Cascavel/PR. Ao ser abordado pelos policiais o motorista, de 34 anos, apresentou notas fiscais com datas de setembro e outubro de 2011.

No compartimento de carga do veículo estavam 2 mil unidades de óculos de sol, 2,5 mil bonés e mil camisetas. O condutor, veículo e mercadorias foram encaminhados para a Receita Federal.

Em outra abordagem, também na BR 163, policiais encontraram no bagageiro de um ônibus intermunicipal, que fazia linha Dionísio Cerqueira-Chapecó, 162 garrafas de vinho em 27 de caixas. Os produtos estavam sem o desembaraço aduaneiro. A mercadoria foi encaminhada para a Receita Federal. O proprietário não foi identificado.


Comente aqui