Programação

02 jun11:12

Domingo tem Festival de Teatro em Chapecó

Com 22 espetáculos na programação, o Festival de Teatro de Chapecó inicia neste domingo, dia 3 de junho, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes. A partir das 19h15 haverá demonstração de capoeira. A solenidade de abertura será às 20h, seguida da apresentação do espetáculo Cabaret dos Palhaços – A Produção, do grupo de Clowns da Fundação Cultural de Chapecó.

O Festival é uma promoção da Prefeitura de Chapecó, através da Fundação Cultural, e conta com o apoio do Sesc e da Udesc. Os espetáculos acontecem no Centro de Cultura e Eventos e na Praça Coronel Bertaso. As apresentações são gratuitas e seguem até o dia 09/06.

>> Confira a programação completa na AGENDA

Segundo a Diretora Presidente da Fundação Cultural, Roselaine Vinhas, o festival tem como objetivo criar um espaço para a valorização dos grupos de teatro da cidade, contribuindo para o desenvolvimento da produção local, além de criar um ambiente para discussões e amadurecimento da linguagem teatral na nossa cidade e região.

- O evento também tem foco na formação de plateia e em contribuir para que se crie o hábito de ir ao teatro, não apenas como entretenimento, mas vendo o teatro como um espaço a mais para a reflexão e desenvolvimento do ser humano – destaca Roselaine.


Comente aqui
31 mai15:23

Branca de Neve e o Caçador transforma o conto de fadas em um épico

Roberta Ávila | roberta.avila@diario.com.br

Branca de Neve e o Caçador é o primeiro longa do diretor Rupert Sanders. Com centenas de comerciais e alguns curtas na carreira, Sanders não se intimidou ao filmá-lo e transformou o conto dos Irmãos Grimm, a história da princesa que perde o pai e sofre com a inveja da madrasta, em um épico infanto-juvenil.

O filme, que entra em cartaz nesta sexta-feira em Santa Catarina, mostra uma nova dimensão da fragilidade da Branca de Neve, o amor do Príncipe Encantado e os sentimentos contraditórios do Caçador. Neste enredo, os personagens evoluem conforme a trama avança. Com astros como Charlize Teron (que recusou participar do filme J. Edgar, de Clint Eastwood, para se focar na produção), Chris Hemsworth (Os Vingadores) e Kristen Stewart (saga Crepúsculo), Sanders criou um filme que lembra produções como Coração Valente e Gladiador, com direito a lutas de espada, cavalheiros em armaduras e castelos que são fortalezas.

>> Confira a programação do Cinema Arcoplex Shopping Pátio Chapecó

Evoca Alice no País das Maravilhas, que cai no buraco do coelho e se depara com cogumelos mágicos e criaturas fantásticas; lembra Rapunzel, trancada na torre; e até mesmo João e Maria, na personagem Greta (o nome de Maria no original dos Irmãos Grimm é Gretel). As referências vão até desenhos da Disney como Bambi, com direito a texugo, coelho e o cervo rei da floresta.


Charlize Theron e Kristen Stewart falam sobre suas participações nas entrevistas ao lado.


Você estava ansiosa por ser o primeiro filme de Rupert Sanders e ele já estar numa grande promoção?

Kristen – Eu não estava preocupada por ser o primeiro longa dele porque ele é muito bom no que faz. Ele já trabalhou muito. Houve um elemento de confiar nele, mas sempre é preciso confiar no diretor, não importa quantos filmes ele tenha feito. Rupert tem um estilo visual muito forte e usa as imagens de uma forma tão poderosa. Isso foi perfeito para a história. Eu adorei me surpreender com ele e colaborar com ele.


Então Rupert e o roteiro convenceram você a entrar no projeto?

Kristen – Definitivamente Rupert foi responsável por grande parte da decisão. Charlize também era um pilar sólido no meio de tudo isso. Ela estava confirmada no elenco antes de mim. Quando eu soube que ela estaria interpretando a Rainha Ravenna, eu quis participar. Você pode ler uma história incrível mas ela pode se desintegrar se não houver outros elementos como suporte. Saber que Charlize era parte do projeto significou que eu podia confiar e que era uma boa aposta. É excitante trabalhar com alguém que você respeita e admira e que está atuando pelas mesmas razões que você. Charlize é muito engraçada e rápida. E ela chama muita atenção. Você não consegue evitar olhá-la quando ela entra em uma sala.


Rupert tornou o filme mais sombrio?

Kristen – Sim, ele faz esses personagens viverem em um mundo incrivelmente perigoso. O cenário e as paisagens são como um personagem. Ele tem uma ótima habilidade de ver as coisas de uma maneira única.


E como foi trabalhar ao lado de Chris Hemsworth?

Kristen – Eu adoro Chris, ele é um cara encantador. Ele é ótimo e tivemos sintonia para trabalharmos juntos porque não tivemos muito ensaio. Nos jogamos na história e assim que começamos eu pensei “isso vai ser fácil”. Ele é um bom ator. Chris é honesto e você pode realmente falar com ele. O material tinha muito potencial mas às vezes nós brincávamos um pouco com o texto, mudávamos coisas. Ele acompanhava e também não se importava com os socos.


Porque esse papel e esse filme?

Charlize – Eu vi muito potencial em um projeto que me pareceu icônico. Todos nós conhecemos a história de Branca de Neve e a pergunta é “como você pega esse enredo e vira de ponta cabeça”? Talvez seja isso que nos deixou excitados. E depois de tantos anos interpretando papéis de pessoas más ou que as pessoas querem dizer que são más, eu acho que aprendi que não existe uma pessoa má. O desafio tanto para Kristen quanto para mim foi fazer com que essas personagens não fossem preto e branco, dois polos opostos entrando em guerra. Nós queríamos mostrar duas mulheres que são humanas, com alguns aspectos mágicos e fantásticos mas reais e têm sentimentos com os quais as pessoas podem se identificar.


Como você se preparou para este papel?

Charlize – O diretor Ruper Sanders foi como um grande pastor que nos disse que o que quer que nós quiséssemos fazer, só tínhamos que nos lembrar de ter fundamento. Rupert é conhecido por fazer o fantástico. Ele é muito visual e o mundo que ele cria é incrível. Então eu estava caminhando nessa linha fina que é celebrar o fantástico mas permanecer emocionalmente próxima do público. Quando eu estava buscando entender quem é a Ravenna, o que ela precisa e o que a move, um dia zapeando na televisão eu vi Jack Nicholson em O Iluminado. A performance dele realmente me inspirou porque no filme ele está preso em um hotel lentamente enlouquecendo. Houve alguma coisa quando eu assisti esse filme que se conectou comigo porque Ravenna está em seu castelo enlouquecendo. Existe uma urgência nessa ideia de que o tempo está se esgotando para ela e ela precisa de um coração batendo.


Tradicionalmente, em Branca de Neve, a rainha é obcecada com sua aparência, mas parece que você tomou uma linha diferente.

Charlize – É mais a ideia de que beleza é poder. Branca de Neve e Ravenna perderam suas mães por volta dos oito anos. A mãe de Branca de Neve a criou para estar atenta à bondade dentro dela e ela nunca perdeu isso de vista. Mas a mãe de Ravenna é um tipo de cigana que teve sua filha arrancada de si de uma maneira brutal para se tornar noiva de um rei. A mãe de Ravenna lhe dá a ideia de que o único jeito de ter poder é ter beleza. Então nossa história se torna mais sobre poder. Quando Ravenna olha no espelho e começa a envelhecer, ela não está de luto pela sua aparência. Ela está de luto pelo fato de que seu poder está acabando. Ravenna quer o coração de Branca. É sobre isso a história. Não sobre beleza. No fim, Ravenna percebe que o que ela quer é algo que não se pode tomar de alguém e isso é um coração puro e bom.


Você acha que contos de fada criam parâmetros injustos para mulheres?

Charlize – Existe algo maravilhoso sobre crianças e sua imaginação. Eu acho que quando você ensina suas crianças a ter uma fundação sólida eles podem desfrutar dessas coisas sem culpar algo fantástico ou uma história de princesa por estragar sua criança. Acredito que contos de fada são lindos e crianças os adoram.


Tradução: Roberta Ávila


Transformação

A nova Branca de Neve é prato cheio para qualquer feminista, uma nova Joana DArc que quer libertar seu povo do reinado terrível da Rainha Ravenna. A bela feiticeira usou a estratégia do Cavalo de Troia para destruir todo o reino, mas Branca não perde um minuto sentindo pena de si mesma, ela quer guerra. Existe uma paixão de infância e ela tem o Caçador a seu lado, mas o que a liberta do feitiço da Rainha não é o amor nem o Príncipe Encantado, mas a redenção que as outras personagens encontram em sua presença, em seu destino, e que é sua magia.

A riqueza em referências e a beleza da fotografia são marcas do filme, que peca no excesso de efeitos especiais. São tantas transformações que elas acabam diminuindo a performance dos atores, principalmente a de Charlize Teron. Excelente como Rainha, distribuindo berros tão intensos que parece impossível que tenham saído dela e encarnando um tipo pervertido de justiceira, que quer retribuir ao mundo todo o mal que lhe foi feito, ela está realmente assustadora e não precisava de magia nenhuma além de seu talento para isso.

O resultado foi um filme completo, com uma linda fotografia, uma performance incrível de Chris Hemsworth, como o Caçador, e uma Kristen Stewart que luta para se libertar dos trejeitos de garota tímida, que cabiam perfeitamente na série Crepúsculo, mas que ficam no caminho de uma Branca de Neve ainda melhor. A densidade da personagem e o roteiro ajudam Kristen, mas perto de Charlize ou Chris, falta força à interpretação.


Confira o trailer do filme

DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
29 mai14:41

"Homens de Preto 3" bate "Os Vingadores" nas bilheterias

Homens de Preto 3 arrecadou US$ 203,2 milhões nas bilheterias ao redor do mundo em seu fim de semana de estreia e desbancou Os Vingadores da liderança. O filme sobre os super-heróis da Marvel ficou três semanas seguidas no topo das salas dos Estados Unidos e Canadá e arrecadou US$ 200,3 milhões só na abertura nos Estados Unidos e Canadá.

Com Will Smith e Tommy Lee Jones de volta nos papéis que interpretaram pela última vez há uma década, Homens de Preto 3 arrecadou estimados US$ 70 milhões nas bilheterias norte-americanas e canadenses entre sexta-feira (25) e segunda (28).

>> Confira a programação do CINEMA de Chapecó.

Os Vingadores caiu para o segundo lugar na América do Norte, arrecadando US$ 47,1 milhões durante o fim de semana prolongado. As vendas globais do filme sobre uma equipe de super-heróis da Marvel ultrapassaram US$ 1,6 bilhão no mundo desde sua estreia, de acordo com a distribuidora Walt Disney.

Em terceiro lugar no fim de semana ficou o filme Battleship, que arrecadou US$ 13,6 milhões durante seu segundo fim de semana nos cinemas norte-americanos, em um total de US$ 47,1 milhões nos EUA e no Canadá desde a estreia.

A nova comédia de Sacha Baron Cohen, O Ditador, conseguiu o quarto lugar. O filme se deu alter ego, o General Aladeen, arrecadou US$ 11,8 milhões.

Em quinto lugar, ficou o novo filme de Tim Burton. Sombras da Noite conta com Johnny Depp, Michelle Pfeiffer e Eva Green e já embolsou US$ 13,1 milhões em ingressos.


AP



Comente aqui
25 mai15:52

Chapecoense treina no campo do trevo nesta sexta-feira

Equipe comandada por Itamar Schulle segue na preparação para a Série C do Campeonato Brasileiro. Na tarde desta sexta-feira os trabalhos acontecem no campo do Trevo.

No sábado os jogadores treinam pela manhã na Arena Condá. Os trabalhos iniciam as 9 horas. À tarde, a partir das 15 horas tem mais treino. O local ainda não foi definido.

No domingo os atletas tem folga.

Comente aqui
25 mai11:25

Homens de Preto 3 estreia nesta sexta em Chapecó

Roger Lerina | Zero Hora

Depois de uma desastrada sequência em 2002, a franquia Homens de Preto parecia ter secado. Dez anos depois, porém, o diretor Barry Sonnenfeld resolveu colocar de novo em ação os agentes secretos incumbidos de manter na linha a “escória alienígena” na Terra.

O resultado surpreende: a volta dos personagens J e K retoma o pique do filme original e ainda avança muito em relação à produção de 1997. Homens de Preto 3 (2012) estreia hoje em cópias 3D e convencionais, legendadas e dubladas.

Voltar ao passado foi literalmente a solução encontrada pela equipe de roteiristas encabeçada por Etan Cohen para ressuscitar a série. Em Homens de Preto 3, um pavoroso ET chamado Boris, o Animal (Jemaine Clement) foge de uma prisão de segurança máxima na Lua e vai para a Terra disposto a vingar-se do agente K (Tommy Lee Jones), que 40 anos antes impediu que sua espécie invadisse o planeta, arrancou-lhe um braço e ainda trancou-o na cadeia. Graças a uma engenhoca, Boris retorna a 1969 e consegue eliminar o rival, subitamente alterando o presente _ e desnorteando o agente J (Will Smith), que descobre nunca ter trabalhado com K e sequer ter conhecido o parceiro. O esperto J acaba também chegando até a maquininha de tempo e consegue retroceder até as vésperas do acerto de contas de Boris com K, a fim de salvar a vida do companheiro e evitar o ataque alien.

Em Chapecó está em cartaz também os filmes American Pie – O Reencontro, Piratas Pirados, Anjos da Lei e os Vingadores. Confira a programação completa do Cinema Arcoplex Shopping Pátio.



Comente aqui
24 mai17:16

"Os Vingadores" tem a maior bilheteria da história no Brasil e na América Latina

O filme de super-heróis Os Vingadores atingiu a maior bilheteria da história da indústria do cinema no Brasil. O filme superou os números de bilheterias de Tropa de Elite 2 e Avatar no país e já chega a incrível marca de R$104.372.752 (segundo o site Rentrak), atingindo o topo do ranking nacional.

O gigante da Marvel e da Disney também bateu recorde na América Latina, tornando-se a produção de maior bilheteria de todos os tempos na região – superando os antes líderes Avatar e Titanic. Até o momento, arrecadou mais de US$ 177 milhões em toda América Latina.

>> Confira as estreias e a programação do CINEMA de Chapecó

Mundialmente, a bilheteria de Os Vingadores já soma US$ 1.184 bilhão, despontando como a quarta maior da história, depois de Harry Potter e as Relíquias da Morte 2, no terceiro lugar, com arrecadação de US$ 1.328 bilhão.

A Disney já anunciou que será produzido Os Vingadores 2.


ZERO HORA



Comente aqui
24 mai11:26

Programação de treinos segue normal na Chapecoense

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Mesmo com a suspensão, por tempo indeterminado do início da Série C, divulgada no final da tarde da quarta-feira, dia 23, pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Rubens Aprobatto, os treinos na Chapecoense seguem normais.

Na manhã desta quinta-feira, os atletas realizaram trabalhos físicos no campo do Trevo. À tarde os atletas devem participar de treinamento a partir das 15 horas. O local ainda não foi definido pela diretoria em função do mau tempo.

Na sexta-feira e no sábado os atletas devem treinar pela parte da manhã.


Comente aqui
17 mai20:08

‘Paraísos Artificiais’ no cinema de Chapecó

Paraísos Artificiais é um dos primeiros, senão o primeiro filme brasileiro a investigar o universo da música eletrônica e, por consequência, do uso (e do tráfico) das drogas sintéticas, tão associadas às raves. Por rave, entende-se em geral as grandes festas ao ar livre em lugares afastados, onde, ao som de música eletrônica, milhares de pessoas se aventuram em viagens (literais e lisérgicas) por paraísos naturais e artificiais. O assunto renderia vários documentários. No entanto, ainda que fiel à realidade, Paraísos Artificiais, que estreia hoje no Cinema Arcoplex do Shopping Pátio Chapecó é uma ficção, a primeira de Marcos Prado como diretor.

O filme narra a história de amor de Nando (Luca Bianchi) e Érika (Nathalia Dill), dois jovens que se encontram e desencontram ao longo de vários anos, sempre “ao som” da música eletrônica.

Para entender melhor por que ter a direção de Prado faz a diferença, é preciso saber que, mais que diretor, ele é documentarista por natureza e fotógrafo de formação. Nos anos 1990, mesmo com o sucesso como fotógrafo, Prado estava frustrado. Ele queria mais: que suas imagens e registros de temas alcançassem um “público que não era o de museu”. Foi então que encontrou no cinema, mais especificamente no documentário, a saída para chegar às grandes plateias. Ou quase. O registro de anos no Jardim Gramacho deu origem ao super premiado Estamira (2004), documentário que levou 33 prêmios em festivais pelo mundo e foi uma das primeiras produções da Zazen, a produtora que Prado fundou com José Padilha em 1997.

>> Confira a programação do CINEMA de Chapecó

Mas era preciso se aventurar pela ficção. O público dos documentários era muito maior que o das exposições, mas nada comparável ao salto que Prado e Padilha deram em 2007, quando lançaram sua primeira ficção: Tropa de Elite – Prado assina a produção do longa. Depois da experiência como diretor de documentários e produtor, era a hora de Prado dirigir sua primeira ficção. Foi então que nasceu Paraísos Artificiais.

– Na verdade, como o Tropa, começou como uma ideia para documentário. Mas, uma vez mais, era impossível filmar todas as raves, conseguir autorização, etc – conta o diretor de 50 anos, que teve a ideia de investigar o universo da música eletrônica e das drogas sintéticas ao perceber que seu filho Tomás, de 20 anos, então com 16, iria muito em breve passar pelas experimentações da juventude.

Em vez de um tratado sobre o uso de drogas, o diretor queria fazer um filme “pequeno”, sobre um drama familiar, uma história de amor, de recomeços. Mesmo assim, o tema das drogas está em primeiro plano. Prado foi pesquisar a fundo este universo, fez dezenas de entrevistas, frequentou e viajou para os maiores festivais do mundo, como o Burning Man, nos EUA, caprichou na trilha sonora e pediu ajuda a quem entende de música eletrônica, como Renato Cohen e Franklin Costa.


FLAVIA GUERRA|AGÊNCIA ESTADO

Comente aqui
14 mai14:04

Aberta a 10ª Semana Nacional dos Museus em Xanxerê

Foi aberta nesta segunda-feira, dia 14, a 10ª Semana Nacional de Museus, que acontece até o domingo dia 20 de maio. A solenidade foi realizada no Museu do Milho, em Xanxerê.

Este ano o Museu do Milho apresenta a exposição “Cultura do Milho: passado e perspectivas futuras”, que, de acordo com a Diretora de Ações Culturais, Magda Vicini, pretende promover um olhar para o passado, a partir da exposição do acervo do Museu do Milho que possui algumas tecnologias de cultivo do milho do final do século XIX e XX: plantadeiras (saraquás), colheitadeiras, debulhadeiras e moedeiras de milho, valorizando as práticas do passado e mostrando-as para as gerações atuais; bem como promover uma reflexão sobre a importância da cultura do milho na atualidade e as possibilidades culturais e econômicas desta cultura.

Magda destaca a importância do Museu do Milho para a história do município de Xanxerê, e que, graças ao trabalho de voluntários, está conseguindo manter o acervo, valorizando a cultura local.

A abertura da 10ª Semana Nacional dos Museus contou com a participação de alguns alunos da Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida, que ao final do evento, receberam uma broa de milho como lembrança da visita ao Museu do Milho.

O Museu do Milho ficará aberto durante a Semana Nacional de Museus – de14 a20 de maio, no horário das 8 às 11h30 e das 13h30 às 17 horas, inclusive no sábado e domingo.


Comente aqui
13 mai13:42

Termina neste domingo a Festa Catarinense do Chimarrão em Ponte Serrada

Termina neste domingo, dia 13 em Ponte Serrada a Festa Catarinense do Chimarrão. A feira acontece no Parque de Exposições Constanso Anselmo De Marco.

Pela primeira vez, em mais de 20 edições do evento, a Festa teve um show nacional. Guilherme e Santiago se apresentaram no sábado, dia 12. No Palco Cultural acontecem apresentações de artistas locais e regionais. O show de encerramento da noite deste domingo será com a banda Atlas e banda Renovação. O acesso ao parque será gratuito.

Mais de 60 expositores, dos mais diversos segmentos, participam na Feira da Indústria e do Comércio. Neste ano, a prefeitura investiu na ampliação do espaço para estandes internos e na ampliação da área de estacionamento.

Quem passar pelo evento também poderá saborear o café colonial. Organizado pela Cooperativa dos Pequenos Empreendimentos Familiares de Ponte Serrada, Cooperfaps.

A Mostra do Gado de Corte e Gado de Leite e o leilão devem movimentar o evento. O gado de leite e de corte estará sendo comercializado diretamente entre expositor e comprador, durante todo o evento. Segundo o Sindicato dos Produtores Rurais e a expectativa é de que as mil cabeças sejam comercializadas, movimentando aproximadamente R$ 1 milhão.


Comente aqui