PSD

10 jul16:19

PSD e PMDB se unem contra quarto mandato seguido do PT em Concórdia

O atual prefeito João Girardi (PT) e o radialista Cesar Luiz Pichetti (PSD) devem polarizar a eleição de Concórdia. Os dois nomes foram confirmados pelas convenções partidárias e já tiveram os pedidos de registro divulgados no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além deles, participa da disputa Paulo Afonso Piovezan, pelo PSOL.

João Girardi vai tentar manter a hegemonia petista na cidade, governada pelo partido desde a eleição do hoje deputado estadual Neodi Saretta (PT), em 2000. O PT repete a chapa vencedora da última eleição, com o atual vice-prefeito Neuri Santhier (PT). Completam a aliança PRB, PP, PDT, PSC, PR, PPS e PC do B.

Para encerrar a sequência de mandatos petistas, PSD e PMDB se uniram em torno de Cesar Luiz. Os peemedebistas chegaram a lançar os nomes do deputado estadual Moacir Sopelsa e do ex-secretário regional de Concórdia, Idair Piccinin, mas acabaram fechando com os pessedistas. É a primeira vez que o partido não tem cabeça-de-chapa na cidade. O vereador Closmar Zagonel (PMDB) será candidato a vice-prefeito na aliança, que conta também com PTB, DEM, PSB, PV e PSDB.

Paulo Afonso Piovezan será candidato pelo PSOL em chapa pura, com Vitalino Luiz Ramos de vice. Em 2008, ainda pelo DEM, Piovezan foi candidato a vereador e teve 75 votos. Ele também concorreu ao Senado em 2010 e alcançou 0,35% dos votos.

Comente aqui
03 jul18:52

Coligação “O Povo de Novo” registra candidatura em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Na tarde desta terça-feira os candidatos à prefeitura de Chapecó, José Caramori (PSD) e Luciano Buligon (PMDB), da Coligação “O Povo de Novo”, registraram a candidatura e o Plano de Governo no Cartório Eleitoral de Chapecó. Presidentes dos 16 partidos (PSD, PMDB, PSDC, PR, PMN, PSDB, PRB, PPS, PTB, PP, PSC, PRP, DEM, PSB, PT do B e PSL), que apóiam os candidatos estiveram presentes.

Também foram registradas quatro coligações com total de 131 candidatos a vereador. Deste total, 40 são mulheres.

Os candidatos da Coligação “Aliança Pela Vida”, Pedro Uczai (PT) e Elza Fortes (PDT), apoiados por nove partidos(PT, PTC, PTN, PRTB, PHS, PV, PPL , PC do B e PDT) devem fazer o registro da candidatura na quinta-feira, dia 5 de julho. Serão registradas também duas chapas de vereadores com 75 candidatos.


Comente aqui
10 jun19:21

Caramori vai à reeleição em Chapecó com apoio de 16 partidos

Darci Debona |darci.debona@diario.com.br

José Cláudio Caramori (PSD) foi confirmado no final da tarde deste domingo como candidato à reeleição em convenção conjunta de 16 partidos realizada no salão comunitário da Paróquia São Cristovão, em Chapecó.

O PMDB indicou o vice, Luciano Buligon. Foi confirmado o apoio de 16 legendas. Além do PSD e PMDB, Caramori e Buligon terão em suas fileiras o DEM, PSDB, PTB, PP, PSC, PMN, PSL, PRP, PSB, PPS, PRB, PT do B, PR e PSDC. O nome escolhido para a coligação foi “O Povo de Novo”.

Também estava previsto o apoio do PTC que teve problema de documentação, mas ainda pode integrar a chapa.

A convenção iniciou às 18 horas com cada partido fazendo sua reunião num canto do salão. O clima parecia de final de campeonato, com bandeiras, apitos e faixas. Depois os presidentes dos partidos foram chamados ao palco, juntamente com os candidatos a prefeito e vice, os candidatos a vereador, o presidente da Assembleia Legislativa, Gelson Merísio, e o secretário da Agricultura, João Rodrigues.

Foram estabelecidas quatro chapas a vereador. Uma coligação terá o PSD e DEM. Outra será entre PMDB e PSDB. A terceira é formada entre PR e PSB.

Uma quarta chapa proporcional terá PP, PSC, PRB, PPS, PSDC e PT do B. Outos partidos, como PMN, PRP, PTC, PSC e PTB ainda não decidiram com quem coligar. A tendência é que integrem a chapa com o PP. Até o registro das chapas ainda pode ocorrer alguma alteração nas quatro chapas proporcionais.

A coligação já estava costurada, desde o dia 18 de maio, inclusive quando foi já foi anunciada a pré-candidatura da chapa Caramori/Buligon.


Comente aqui
09 jun20:12

PSD abre convenções partidárias no Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O PSD abre suas convenções neste domingo, às 18 horas, em Chapecó, onde deve confirmar a candidatura do prefeito José Cláudio Caramori à reeleição. Outros 16 partidos também devem realizar suas convenções simultaneamente, no salão comunitário da Paróquia São Cristóvão, no Bairro São Cristovão, em Chapecó. São eles o PMDB, DEM, PSDB, PTB, PP, PSC, PMN, PTC, PSL, PRP, PSB, PPS, PRB, PT do B, PR e PSDC. O PMDB deve indicar o candidato à vice, Luciano Buligon.

- Cada partido vai fazer sua reunião num canto para homologar a coligação e depois faremos um ato conjunto, já com comício- explico o presidente municipal do PSD, João Rodrigues.

Está prevista a presença do presidente do Governador Raimundo Colombo (PSD), do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) e do presidente da Assembléia Legislativa, Gelson Merísio (PSD).

João Rodrigues disse que foi decidida realizar cedo a convenção de Chapecó pois a coligação já estava costurada. Tanto que no dia 18 de maio já foi anunciada a pré-candidatura da chapa Caramori/Buligon. Rodrigues destacou que a atual administração já estava com uma ampla base de apoio, o que facilitou uma ampla coligação. –Temos um exército- brincou.

Na eleição passada, a chapa João Rodrigues/José Caramori teve apoio de 12 partidos. O PMDB, que havia lançado Luciano Buligon como candidato a prefeito, agregou apoio. Outro partido que estava na oposição, o PP, que teve Altair Silva como candidato a vice de José Fritsch, também está compondo com a situação.

A expectativa é de um público entre 800 e mil pessoas. Só de candidatos a vereador devem ser entre 130 e 150 candidaturas. Dentro dessa coligação devem ser estabelecidas quatro chapas, segundo Rodrigues. Uma delas deve ser entre o PSD e o DEM.

Rodrigues disse que ainda há a possibilidade de outros partidos integrarem a coligação. Um deles é o PV. Ele citou também o PDT que, em princípio, anunciou apoio ao PT.

O PT, que já tem como pré-candidato Pedro Uczai, e o PC do B, que tem como pré-candidato César Valduga, devem realizar suas convenções no final do mês. Os dois partidos estão negociando uma coligação.


Comente aqui
18 mai14:28

Anunciada chapa Caramori e Buligon

Foi oficializada no início da tarde desta sexta-feira, dia 18, a pré-candidatura à reeleição em Chapecó de José Caramori  (PSD). Além disso foi definido como vice Luciano Buligon (PMDB).  A chapa foi anunciada após reunião com a presença de presidentes de 16 partidos, no escritório regional do secretário de Agricultura João Rodrigues e do presidente da Assembléia Legislativa, Gelson Merísio.

Os dois também estiveram na reunião e destacaram a importância da coligação estadual para a coligação em Chapecó, que já conta com 16 partidos.

Além do PSD e PMDB já anunciaram composição o PSDB, PTB, PP, PSC, PMN, PTC, PSL, PRP, PSB, PPS, PRB, PT do B, PR e PSDC.

O grupo ainda negocia com o DEM, PDT e PV.

Comente aqui
06 fev13:17

Eleição em Chapecó deve ser polarizada entre PSD e PT

Upiara Boschi | upiara.boschi@diario.com.br

É uma tradição desde as eleições de 2000: a cada quatro anos, os chapecoenses vão as urnas decidir se a cidade será governada por um político petista ou por um político ligado ao antigo PFL – hoje filiados ao PSD.

De um lado, o prefeito José Claudio Caramori (PSD) articula para contar com uma coligação de 14 partidos. Com a força do deputado federal licenciado João Rodrigues (PSD), de quem herdou o mandato, e do presidente da Assembleia Legislativa, Gelson Merisio (PSD), o atual prefeito deve conseguir um feito que parece impossível nas maiores cidades catarinenses: repetir nas eleições municipais a aliança que dá sustentação ao governador Raimundo Colombo (PSD).

Enquanto isso, o PT ainda discute quem será seu candidato. Principal nome do partido na cidade, o ex-deputado federal Claudio Vignatti está fora. Ele prefere correr o Estado e pavimentar uma candidatura majoritária em 2014.

Estão no páreo o deputado federal Pedro Uczai e a deputada estadual Luciane Carminatti. Os petistas garantem que a escolha do nome será feita sem disputa interna. Por enquanto, pende para Uczai, que governou a cidade de 2002 a 2004, quando o então prefeito José Fritsch renunciou para concorrer a governador.

Para enfrentar a ampla coligação governista, os petistas confiam na força do partido na região. Chapecó foi a única entre as maiores cidades do Estado em que a presidente Dilma Rousseff (PT) venceu José Serra (PSDB) na eleição presidencial.


Comente aqui
30 nov15:24

Segundo a Polícia Civil ninguém estava em casa na hora do homicídio do vereador de Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

No final da tarde de terça-feira, 29, após o enterro do vereador Marcelino Chiarello (PT), prestaram depoimento o filho de 10 anos e Dione Chiarello, esposa do vereador. Segundo o delegado Ronaldo Neckel Moretto, ninguém estava em casa na hora do homicídio.

Moretto disse ainda que não foram encontradas marcas de violação na porta de entrada da casa.

– Acreditamos que mais de uma pessoa esteja envolvida no caso – ressaltou o delegado que segue nas investigações para elucidar o caso.

Familiares, amigos e correligionários consideram que houve crime político, já que o vereador, que estava em seu segundo mandato, era conhecido na cidade por suas denúncias contra supostos atos de corrupção. Numa de suas denúncias conseguiu o afastamento do superintendente do bairro Efapi, Dalmir Peliciolli (PSD), por suspeita de improbidade administrativa.

Peliciolli, convocou a imprensa para uma coletiva, as 16h desta quarta-feira, no Gabinete na Câmara de Vereadores. Na pauta o caso da morte do vereador petista.


PT contrata advogado criminalista

O advogado criminalista Luiz Eduardo Greenhalgh, contratado pelo PT de Santa Catarina, já está em Chapecó. Ele vai acompanhar as investigações do caso. Durante a tarde ele participa de uma coletiva com a imprensa, as 17h15 na Presidência da Câmara de Vereadores. Greenhalgh Também foi o advogado do partido encarregado de acompanhar as investigações do assassinato do ex-prefeito de Santo André/SP, Celso Daniel.


Ministério Público auxilia no caso

Segundo o Promotor Fabiano Baldissarelli, 10 policiais do Gaeco – Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e de Investigações estão a disposição da Polícia Civil.


>> População pede justiça no enterro de vereador

2 comentários
20 out10:23

João Rodrigues deixa cargo por quatro dias

RBSTV CHAPECÓ

O Secretário de Estado de Agricultura e Pesca, João Rodrigues, deixa o cargo temporariamente na segunda-feira, dia 24. O secretário adjunto Airton Spies, assume a pasta nestes quatro dias.

João Rodrigues reassume o posto de Deputado Federal, para o qual foi eleito até quinta-feira, dia 27. Ele e o também eleito Deputado Federal de SC Paulo Bornhausen ficam na Câmara dos Deputados em Brasília.

Segundo João Rodrigues, eles foram convocados pelo partido para assumir os cargos para os quais foram eleitos. Isso porque Partido Social Democrático (PSD) precisa fazer a contagem oficial de parlamentares.

No entanto a reapresentação na Câmara deve ser temporária. Na sexta-feira, dia 28 de outubro, João retorna para o cargo na Secretaria Estadual de Agricultura e Pesca.

João disse ainda que a medida não tem nenhuma relação com o andamento do Ficha Limpa.


Comente aqui
12 out09:49

Tribunal Regional Eleitoral registra quase 15 mil pedidos de desfiliação em SC em quatro meses

Natália Viana | natalia.viana@diario.com.br

O Tribunal Regional Eleitoral (TRESC) registrou quase 15 mil pedidos de desfiliação em Santa Catarina nos últimos quatro meses. Somente em sete dias de outubro, foram 9.039 comunicados. Ainda não foi possível contabilizar quantos destes mudaram para outra sigla, já que os partidos têm até sexta-feira para encaminhar a documentação de novas filiações.

Segundo dados da Corregedoria Regional Eleitoral, o aumento de desfiliações foi progressivo. Em julho foram 454 pedidos, em agosto foram 701 e, em setembro, houve um salto para 4.686 protocolos. Na primeira semana de outubro foram mais de 9 mil.

Essa movimentação é normal nos anos que antecedem uma eleição. É que a lei determina que, para concorrer, a pessoa precisa estar filiada a um partido por, no mínimo, um ano.

Por isso, aqueles que pretendem se candidatar a prefeito, vice ou vereador tiveram até o último dia 7 para regularizar a situação. Geralmente, quando uma liderança resolve mudar de partido, leva consigo o seu grupo político. Em Florianópolis, por exemplo, o vice-prefeito João Batista Nunes trocou o PR pelo PSDB e foi acompanhado por outras 20 pessoas, muitas destas pré-candidatas a vereador.

Possivelmente, a explicação para tamanha movimentação tenha sido a criação do PSD. O partido do governador Raimundo Colombo foi anunciado em maio, mas só obteve o registro oficial em 27 de setembro.

Como os pessedistas tiveram cerca de 10 dias de prazo, o esforço inicial foi para fazer a filiação dos possíveis candidatos em 2012. Quem tem mandato pode migrar para a nova sigla até o dia 27 de outubro sem risco de ser penalizado por infidelidade partidária. Aqueles que não têm mandato ou não irão concorrer podem fazer a filiação em qualquer tempo.

Desta forma, o número de pedidos de desfiliação tende a crescer. Até setembro, o DEM catarinense tinha cerca de 122 mil filiados. Com a saída do governador, de três deputados federais, sete deputados estaduais e 42 prefeitos, a expectativa é que uma grande parcela dos filiados siga o mesmo caminho. O diretório estadual do PSD já anunciou que, até o final do ano, fará um mutirão de filiação em todas as regiões do Estado.

Comente aqui