Quadrilha

28 set17:08

Quadrilha que escondia drogas dentro de limões foi presa em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Seis pessoas foram presas nesta sexta-feira em Chapecó dentro da Operação Cruzeiro do Sul. De acordo com a Polícia Civil elas são suspeitas de integrarem uma quadrilha acusada de tráfico de drogas, furtos, roubos e homicídios. As investigações iniciaram em março deste ano.

Foram presos e encaminhados para o Presídio Regional de Chapecó Mauricio Martins dos Santos, Marcos de Souza Antunes, Luis Osmar Correia, João Augusto Fagundes, Magno Chiesa e Diogo Junior Barcarol. Outro integrante da quadrilha, Marcos Antonio Borges, foi encontrado morto na sexta-feira, dia 21 de setembro em Chapecó.

De acordo com o delegado da Polícia Civil, Ronaldo Moretto, a quadrilha seria responsável por diversos crimes, entre eles, a explosão de um caixa eletrônico, no dia 8 de setembro, em Nova Erechim e um triplo homicídio registrado no dia 18 de julho em Chapecó.

- Com esta prisão os crimes devem diminuir na região – acredita o delegado.

Durante as buscas os policiais apreenderam 700 gramas de crack, 400 gramas de maconha, armas de diversos calibres, munições, celulares, notebook e balanças de precisão.

No entanto, o que mais chamou a atenção dos policiais foi a criatividade dos traficantes. Eles tiravam o ‘recheio’ dos limões, colocavam as buchas com drogas dentro e penduravam novamente na árvore.

- Só conseguimos localizar a droga com a ajuda dos cães farejadores – disse o delegado.

Participaram da Operação Cruzeiro do Sul, coordenada pela Divisão de Investigação Criminal de Fronteira (Dicfron) de Chapecó, Policiais Civis das Delegacias de Chapecó, Pinhalzinho, São Lourenço do Oeste, Blumenau, Canoinhas, Coronel Freitas e Canis (K9) da Polícia Civil da região de São Lourenço do Oeste e Canoinhas.


Comente aqui
28 jun16:56

Homem é preso suspeito de chefiar quadrilha de desmanche de peças de veículos em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Após um ano de investigação a Divisão de Investigação Criminal (DIC), da Polícia Civil de Chapecó prendeu preventivamente na tarde desta quinta-feira, Adenilson Fermiano dos Santos, 40 anos. Ele é suspeito de chefiar uma quadrilha de desmanche de peças de veículos em quatros estados. Em 2011 ele foi condenado por lesão corporal, seguida de morte.

Segundo o delegado Ronaldo Neckel Moretto, Adenilson, conhecido como o “Rei das Peças”, foi preso na frente de casa no centro de Chapecó. Com ele os policiais encontraram R$ 15 mil em dinheiro e cheques e uma caminhonete Hilux, no valor aproximado de R$ 100 mil.

Durante a investigação, os Policiais encontraram indícios da participação de Adenilson em um grande esquema criminoso que iniciava com o furto/roubo de veículos, passando pelo desmanche das peças e terminava na comercialização nas lojas

De acordo com a DIC, das quatro lojas de propriedade de Adenilson na cidade, duas foram fechadas pela polícia. Ele, que atua no ramo há 20 anos, é suspeito de revender peças oriundas de furtos e roubos em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.

Em buscas foram apreendidos peças de veículos e houve flagrante de um veículo sendo desmanchado durante o dia em uma das lojas do investigado. No total, foram apreendidos sete veículos desmanchados.

O delegado Moretto disse que o suspeito teria angariado patrimônio superior a R$ 20 milhões. Moretto comentou ainda que mais sete pessoas estão sendo investigadas.

Adenilson tem envolvimento em outros delitos e já foi levado à Júri Popular. Ele foi condenado a quatro anos de prisão em regime aberto, por lesão corporal, seguida de morte, pena que vinha cumprindo desde o ano passado.

Após a prisão foi encaminhado para o Presídio Regional de Chapecó onde permanece a disposição da justiça.


Contraponto

Segundo o advogado Luis Antonio Agne, Adenilson não fazia mais parte da empresa desde novembro de 2011. Ele disse ainda que irá solicitar a revogação da prisão nesta sexta-feira.


Comente aqui
24 abr20:10

Seis pessoas foram presas na Operação Bolicho

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Federal de Chapecó, com apoio de policiais federais gaúchos e do litoral do estado deflagrou nesta terça-feira a Operação Bolicho. Segundo o delegado da Polícia Federal de Chapecó e responsável pelo caso, Oscar Biffi, a intenção foi coibir o crime de falsificação de dinheiro, estelionato e comércio ilegal de arma de fogo em Santa Catarina. Seis pessoas de uma quadrilha especializada foram presas.

Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão. Três em Chapecó, no Oeste, três no litoral catarinense e três no Rio Grande do Sul.

A investigação iniciou em novembro de 2011, quando duas pessoas foram presas em Faxinal do Oeste, após usar dinheiro falso para abastecer em um posto de combustível da cidade.

Nas investigações os policiais constataram que além do crime de moeda falsa, a quadrilha praticava outros delitos como a falsificação de documentos, uso de documento falso, estelionato e comércio ilegal de armas de fogo.

O chefe da quadrilha, de 49 anos, e a companheira de 38 anos, foram presos nesta terça-feira, na cidade gaúcha de Pontão. Além de usar documentos falsos eles possuem diversos registros por delitos, como estelionato, falsidade ideológica e uso de cheque clonado.

De acordo com o delegado, eles mudavam constantemente de lugar, principalmente em cidades do norte do Rio Grande do Sul e oeste catarinense. – Os dois se utilizavam de várias identidades falsas e praticaram inúmeros crimes de estelionato em todo o estado de Santa Catarina – disse o delegado.

Com eles, os policiais apreenderam dinheiro falso, várias carteiras de identidade e um revólver. Segundo a Polícia os documentos falsos eram produzidos por outros dois membros da quadrilha, residentes em Camboriú, no litoral catarinense.

Outro membro da quadrilha foi preso em Porto Belo. Com ele foram encontradas cédulas falsas remetidas pelo chefe da quadrilha.

Em Chapecó, foram procedidas buscas em três locais. Uma pessoa foi presa em flagrante com posse irregular de munições calibre 38. Ele foi liberado após o pagamento da fiança e responderá o processo em liberdade.

Os detidos responderão por vários crimes, como os de formação de quadrilha, moeda falsa, posse irregular de arma de fogo, uso de documento falso, falsificação de documentos e falsa identidade.

Na operação a Polícia Federal apreendeu: 41 cédulas falsas, sendo: 23 de R$ 100, 18 de R$ 50; seis cédulas de identidade, uma carteira de motorista e folhas de cheque falsas, um revólver, calibre 32 com seis munições e 10 munições calibre 38.


Comente aqui
16 mar11:47

Quadrilha foi presa em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Uma quadrilha foi presa na noite desta quinta-feira pelas Polícia Militar e Civil depois de furtar um veículo em Chapecó e assaltar e sequestar uma mulher em Xaxim.

Mailson Ferri, de 18 anos, Anderson Junior Rodrigues da Costa da Fonseca, 19 anos, Joel Fernando Goulart, de 23 anos e dois adolescentes teriam furtado um veículo Gol próximo ao camelódromo de Chapecó. Depois eles seguiram para Xaxim onde assaltaram uma mulher e roubaram celular, relógio e aproximadamente R$ 2 mil em dinheiro. Ela foi trazida como refém dentro do Sandero para Chapecó. Próximo a cidade de Cordilheira Alta foi abandonada na BR 282. Os ocupantes do Gol que seguiam atrás mandaram a mulher entrar no veículo.

No Bairro Belvedere, entrada de Chapecó os sequestradores pararam o veículo para arrumar dois pneus que estavam furados em uma borracharia. Eles abandonaram a mulher e o veículo no local e tentaram fugir de táxi.

Com a quadrilha a polícia encontrou cerca de R$ 1.630 em dinheiro, duas folhas de cheques com valores de R$ 150 e R$ 250 e dois pen-drive.

Os adolescentes foram apreendidos e os três presos em flagrante foram encaminhados para o Presídio Regional de Chapecó.


Comente aqui
13 fev19:25

Operação prende integrantes de quadrilha em São Miguel do Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Civil de São Miguel do Oeste prendeu na manhã desta segunda-feira integrantes de uma quadrilha que realizava roubos a automóveis e caminhões na BR 282 em São Miguel do Oeste e depois trocava por drogas. A Operação Cambucica prendeu, até o final da tarde, oito pessoas e apreendeu cerca de 30 quilos de drogas. Participam da operação 22 policiais civis e 11 policiais militares.

Cinco pessoas estão presas em Riqueza, duas em São Miguel do Oeste e uma em Chapecó. Dois integrantes da quadrilha ficaram feridos durante uma troca de tiros, na BR 163, entre os municípios de Guaraciaba e São Miguel do Oeste. Um deles, Eloi Lagni de Oliveira, considerado líder do bando, que era foragido da Penitenciária Agrícola de Chapecó morreu. Outro homem segue internado no Hospital Regional de São Miguel do Oeste.

Segundo o Delegado Albert Silveira, além das drogas os policiais apreenderam, quatro veículos roubados e 10 armas e munições de calibre 45, 12, 380 e de fuzil. O fuzil apreendido era de uso restrito das Forças Armadas.

A operação foi denominada Cambucica, pois, a comunidade de Linha Cambucica, localizada no interior de Riqueza era o principal esconderijo da quadrilha. A Polícia Civil segue as investigações.


Comente aqui
05 jan11:22

Polícia Civil prende comandante de quadrilha especializada em furtos e roubos de caminhões em Chapecó

Na noite desta quarta-feira, dia 04, a Divisão de Investigação Criminal – DIC, da Polícia Civil de Chapecó prendeu em uma empresa no trevo próximo a BR 282, Ivandro Luiz Paulo do Nascimento, 29 anos, considerado comandante da quadrilha especializada em roubos e furtos de caminhões na região Sul do país. Nascimento, que tinha prisão preventiva, foi encaminhado ao Presídio Regional de Chapecó, onde está à disposição da Justiça. Ele vai responder também por receptação.

A operação Mandrake começou há cerca de um ano, quando agentes da Polícia Civil de Chapecó e de Sombrio realizaram buscas na região Oeste, extremo Oeste de Santa Catarina, Paraná e em cidades vizinhas do Rio Grande do Sul.


Dez pessoas já haviam sido presas

Durante a investigação os policiais prenderam dez integrantes da quadrilha, que residiam em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Estados onde ocorriam os crimes. Foram presos: Adílio de Oliveira; Ademir Modler; Leandro Gomes, vulgo “Pato”; Valcir de Lima, vulgo “Bugre”; Fabio Caetano de Azevedo, vulgo “Fabinho”; Marcelo Caetano de Azevedo, vulgo “Celinho”; Nilton Antonio Wohlmeister, vulgo “Dieco”; Marcia Fernandes Nunes; Marcio Jose Cardoso e Sidnei Silveira Reus.

Além da prisão dos investigados, várias apreensões foram realizadas. Foram recuperados caminhões, carretas, e muncks (possui sistema hidráulico para movimentação, içamento, remoção de equipamentos e máquinas industriais e de construção civil), todos furtados na região Sul e encaminhados à perícia para depois devolver aos proprietários.

- A desarticulação da quadrilha contou com as Polícias Civis do Estado de Santa Catarina (Araranguá, Chapecó, Criciúma e Joaçaba), do Estado do Rio Grande do Sul (Carazinho e Ijuí) e da Polícia Rodoviária Federal – disse o delegado Ronaldo Moretto.

Segundo o Delegado Ronaldo Moretto com esta investigação houve uma diminuição das ocorrências de roubos/furtos de caminhões, carretas e cargas na região. As investigações continuam.


Comente aqui