Raimundo Colombo

26 jan14:50

Relatório sobre a estiagem será entregue ao Governo Federal

O relatório completo com os dados da estiagem que afetou Santa Catarina nos últimos meses, elaborado pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – Epagri, será entregue pelo governador Raimundo Colombo ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, nesta quinta-feira.

Santa Catarina será o primeiro Estado atingido a entregar o documento. O governador também cumpre agenda no Ministério de Minas e Energia (MME), onde será apresentado programa para substituição de redes elétricas rurais no Estado.

Os dados da Epagri a serem expostos em Brasília apontam 85 municípios catarinense, que abrigam o total de 498.444 mil habitantes, afetados pela estiagem. Na região, estão localizadas 36% dos 193 mil estabelecimentos agropecuários existentes no Estado e estima-se que os prejuízos no setor ultrapassem os R$ 510,6 milhões. Milho, soja, feijão e leite concentram as maiores perdas.

Mais de 700 mil toneladas de milho já foram perdidas, o que corresponde a cerca de R$ 275 milhões em prejuízos. No caso da soja, as 169 mil toneladas perdidas correspondem a um débito de R$ 115 milhões. De feijão, o estudo aponta perda de 4,2 mil toneladas, o que equivale a R$ 5,6 milhões de prejuízo. Por fim, a produção leiteira também foi comprometida, uma vez que a região oeste responde por 73% da produção estadual. Até o momento, os produtores deixaram de entregar à indústria volume de aproximadamente 29,2 milhões de litros de leite, representando prejuízo aproximado de R$ 22,5 milhões.

Integram a comitiva os secretários de Articulação Nacional, Acélio Casagrande; de Defesa Civil, Geraldo Althoff; os presidentes da Celesc, Antônio Gavazzoni; e do Badesc, Nelson Santiago; o senador Luiz Henrique da Silveira e o prefeito de Blumenau, João Paulo Kleinübing.


Comente aqui
20 jan13:40

Raimundo Colombo defende desenvolvimento do Oeste

Participando do lançamento da pedra fundamental da Corti/Avioeste, em Cunha Porã, o governador Raimundo Colombo afirmou que o Governo do Estado vai investir no Oeste catarinense para desenvolver economicamente e socialmente a região. – Quando você instala uma grande indústria num pequeno município, traz recursos, empregos e minimiza a migração da população para grandes cidades – afirma Colombo.

O governador deu como exemplo a própria liberação de R$ 436 mil, por meio da Secretaria Regional de Palmitos, para terraplanagem do terreno de 20,5 mil m² da empresa. O investimento possibilitou que a fábrica se instalasse na cidade, gerando cerca de 500 empregos diretos e indiretos aos municípios da região. A Corti/Avioeste será a maior e mais moderna indústria da América Latina no ramo de fabricação de equipamentos agrícolas.

- Esse é um investimento determinante para a empresa. Estamos no coração da produção do agronegócio brasileiro – disse o diretor de investimentos na América Latina da Corti/Avioeste, Luigi Zubiani. O diretor entende que a instalação da fábrica na região abrirá as portas da empresa para a América Latina.

Com os investimentos na região, como atração de empresas, o governador Raimundo Colombo quer colocar o Oeste em melhores patamares socioeconômicos. Ao lado de Cunha Porã, a cidade de Maravilha é a primeira a receber a Indústria de Laticínios Bela Vista, originalmente instalada em Goiás. O Governo do Estado investiu R$ 750 mil na terraplanagem e pavimentação asfáltica de acesso à empresa, inaugurada em setembro de 2011.

A fábrica, que é uma das maiores marcas do segmento lácteo brasileiro, investiu mais de R$ 35 milhões no município de Maravilha e gera 100 empregos diretos e milhares de indiretos. São produzidos 450 mil litros/dia de leite e a previsão é de que, até 2015, esse número chegue a 1,2 milhão de litros, o que deve desenvolver ainda mais a região.

O lançamento da pedra fundamental da Corti/Avioeste foi realizado na BR-158, km 103, em Cunha Porã, e contou também com a presença do diretor da SDR Palmitos, Ademar Henchem; secretário regional de Maravilha, Sandro Donati; prefeita de Cunha Porã, Luiza Vacarin, deputados estaduais Marcos Vieira, Maurício Eskudlark e Mauro de Nadal; além dos deputados federais Celso Maldaner e Jorginho Mello.


Programa Juro Zero

Mas não é apenas com atração de grandes empresas que o Governo do Estado pretende desenvolver a região. Lançado em novembro de 2011, o programa Juro Zero já liberou R$ 1,29 milhão em empréstimos para os Microempreendedores Individuais (MEI) locais sem a cobrança de juros. – O Juro Zero é uma ação para fomentar e desenvolver os pequenos negócios dos catarinenses, daqueles que não recebem muita importância, mas que são fundamentais para o crescimento de Santa Catarina – analisa o governador Raimundo Colombo.

Por meio das Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público – Oscips, os MEIs, com receita bruta anual de, no máximo, R$ 36 mil, poderão fazer empréstimo de até R$ 3 mil. Esse valor poderá ser utilizado pelo microempreendedor para melhorar o seu negócio e, futuramente, expandir sua empresa, de forma a gerar mais empregos e aumentar a renda familiar. Inclusive, a Oscip que obteve o melhor desempenho até dezembro de 2011 foi a Extracredi, de São Miguel do Oeste, com R$ 434,4 mil emprestados em 151 operações efetuadas.


Comente aqui
17 jan10:46

Prefeito de Chapecó entrega reivindicações ao governador de SC

O prefeito em exercício Américo do Nascimento Júnior, aproveitou a visita do governador de Santa Catarina Raimundo Colombo, nesta segunda-feira e entregou um extenso e detalhado relatório sobre os prejuízos provocados pela estiagem em Chapecó.

Américo aproveitou o ato de anúncio de recursos dos governos estadual e federal, ao qual estiveram presentes além do governador do Estado, o vice, três ministros de Estado, o secretário de Estado da Agricultura e Pesca João Rodrigues e o presidente da Assembléia Legislativa de SC deputado Gelson Merísio. O documento finaliza com a reivindicação de recursos públicos do Governo do Estado para que o Município de Chapecó possa garantir a execução das ações necessárias ao atendimento das comunidades afetadas com a estiagem, bem como prevenir-se para futuras ocorrências de seca.

Américo do Nascimento, prefeito em exercício, quando entregou documento com as reivindicações ao governador Raimundo Colombo.

Foi relatado ao governador que Chapecó encontra-se em Situação de Emergência desde 30 de dezembro. A seca atinge direta e indiretamente cerca de 180 mil habitantes no meio urbano e outras 18 mil no meio rural. Além disso, o Município destaca-se na produção de alimentos – um dos maiores produtores do estado -, fato que movimenta a economia, em especial com a produção de milho, soja, feijão, fumo, trigo, pecuária de leite, piscicultura, avicultura e suinocultura.

O prefeito recorre aos números apurados pela Secretaria de Agricultura e Serviços Rurais e da EPAGRI para acentuar o volume de prejuízos, na casa dos R$ 21 milhões. Os prejuízos econômicos se caracterizam pelas perdas de 40% no milho safra = 11.880 ton. (plantio de agosto a dezembro), 30% na cultura da soja = 6.120 ton., 30% na cultura do feijão da safra = 800 ton. perdas de 30% na produção de carne bovina (equivalendo a 250 unidades animais (UA), 20% na produção de citrus (laranja = 795 ton), redução de 30% na produção de hortaliças (1.980 ton), 40 ton na produção de leite (novembro e dezembro) equivalentes a 9 milhões de litros.

Para Américo do Nascimento Júnior os prejuízos sociais podem ser caracterizados pela necessidade de abastecimento público através de caminhões-pipas contratados pela municipalidade. Isso gera instabilidade comportamental nas famílias, obrigadas a reduzir e/ou deixar de cultivar alguns produtos destinados à subsistência.

Chapecó já desembolsou mais de R$ 150 mil com equipe própria para transportar água e atender o consumo doméstico e animal do meio rural e urbano, com o propósito de amenizar o problema enfrentado pela população. Também foram adotadas medidas preventivas para enfrentar o problema da estiagem em anos anteriores. Entre elas, estão a implantação de 42 km de redes de água para consumo humano e abertura de 12 poços artesianos na área rural. Desta forma, das 26 comunidades do interior, 12 já foram atendidas, mas outras 14 ainda dependem de atenção.

Para fazer frente a essa realidade o prefeito em exercício Américo do Nascimento detalhou ao governador Raimundo Colombo a necessidade de materiais e equipamentos. São: dois caminhões-pipa; uma retro-escavadeira; um caminhão-caçamba; um veículo médio para Defesa Civil Municipal; 12 poços artesianos; 52 caixas d´água de 10 mil litros; 15 mil metros de mangueira de 1 polegada, além de canos, lona preta, telha de amianto, abertura de reservatórios de água (tanques ou açudes) e equipamentos para irrigação.


Comente aqui
14 nov17:51

Professores tem faltas abonadas em SC

O governador Raimundo Colombo atendeu um dos pedidos dos professores catarinenses. Por meio do decreto de número 644, de 14 de novembro de 2011, que vai ser publicado nesta quarta-feira, 16, no Diário Oficial do Estado de Santa Catarina, Colombo abonou faltas dos professores do Magistério estadual durante as greves de 2008 e 2010. O benefício também abrange o ano de 2011, desde que seja comprovada a reposição das aulas. Com a medida, os professores não terão problemas na progressão da carreira.

A discussão da proposta foi feita durante as negociações entre a Secretaria de Estado da Educação e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte/SC), logo após o término da greve deste ano. A decisão beneficia a categoria. O professor que tivesse apenas uma falta decorrente da paralisação estaria impedido de progredir na carreira durante três anos. – Esse abono também permite o pagamento dos dias de greve, além de limpar a ficha funcional -  informou o secretário-adjunto da Educação, Eduardo Deschamps.

Além do governador, os secretários da Educação, Marco Tebaldi; da Administração, Milton Martini; e o secretário em exercício da Casa Civil, Luciano Veloso Lima, também assinaram o decreto.


Fonte: Secretaria de Estado de Comunicação

Comente aqui
04 ago17:12

Governador fala sobre prioridades e investimentos para o oeste

Pela primeira vez, desde que assumiu o cargo, o governador do Estado de Santa Catarina,  Raimundo Colombo, falará exclusivamente para o setor empresarial de Chapecó.

Nesta sexta-feira (5), às 12 horas, no Clube Recreativo Chapecoense, o primeiro mandatário do Estado palestrará sobre “Os compromissos e as prioridades da Administração Estadual para o grande oeste catarinense”. A atividade faz parte do programa Almoço Empresarial da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) e reunirá cerca de 300 empresários oestinos.

O chefe do Poder Executivo catarinense fará uma avaliação dos desafios do governo estadual, detalhará o plano de ação para a região e anunciará investimentos imediatos da ordem de 22 milhões de reais em obras e serviços. Esses investimentos são objeto de convênios que serão assinados logo após a palestra.

O presidente da ACIC, João Carlos Stakonski, destacou que o encontro do governador com os empresários será essencial para aumentar o grau de compreensão mútua – do setor produtivo em relação ao governo e do principal administrador público catarinense em relação às dificuldades das classes produtoras.

O programa iniciará às 12 horas com almoço; às 12h30 começa a preleção do governador e o encerramento está previsto para as 13h30. Interessados em participar do Almoço Empresarial devem adquirir ingresso na Secretaria da ACIC (telefone 49-3323-4100) ao custo de 30 reais. As vagas são limitadas.

Comente aqui