Repórter

26 nov08:49

Luis Lopes é o repórter doceiro

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Quando ele chega na redação da RBS TV em Chapecó com uma sacola ou um pote todo mundo já abre um sorriso e pensa: – Oba, o Luis trouxe doce.

Todos param o que estão fazendo para conferir qual a guloseima que o editor do RBS Notícias, Luis Lopes, preparou desta vez. Tem aqueles que ficam ansiosos para experimentar, outros querem repetir. Funcionários de outros setores vão até a redação para fazer “integração”.

Há cinco meses em Chapecó, ele causou surpresa ao revelar talento na cozinha e generosidade com os colegas. No começo alguns até ficaram desconfiados. Será que ele estava fazendo algum experimento?

O certo é que a iniciativa de Luis Lopes criou um clima de descontração na redação e serviu para integrar mais outras editorias. Ele recebeu encomendas e até chantagem de colegas, que só passam informações e imagens para ele em troca de algum doce.

Para Luis, fazer doces é um hobby. Sua paixão mesmo, que surgiu na infância, é o jornalismo. Formado pela Universidade de Cruz Alta, em 2006, foi contratado pela RBS de Blumenau em 2008. Na época ele até pensava em seguir carreira acadêmica. Para alegria de seus colegas em Blumenau, Caxias do Sul e agora Chapecó, ele seguiu no grupo RBS.

Assim, enquanto o público em geral degusta suas matérias na televisão, seus colegas têm versões ainda mais saborosas da notícia.


Entrevista

Quando você começou a fazer doces?

Luis Lopes: Quando eu tinha nove anos, meu pai cozinhava e a gente brincava de cada dia fazer um prato diferente. Ele fazia uma batata com sardinha e dizia que era um prato português. Eu gostava mais de doce. Ele me incentivava a descobrir sabores diferentes. Ele dizia: mistura pra ver o que da e la ia eu inventar alguma coisa….


Você contou uma vez que começou a carreira profissional como vendedor de paçoquinhas, é verdade?

Luis Lopes: Com 10, 11 anos eu já vendia rapadurinha, pastel e era o melhor vendedor de uma mulher que fazia cocada. Mas aí ela parou de fazer e eu comecei a comprar paçoca e revender. Só que teve uma época que a paçoca sumiu do mercado. Aí tive que aprender a fazer paçoquinha para continuar com a renda.


Como surgiu essa iniciativa de levar doces para o trabalho?

Luis Lopes: Aos 14 anos fui contratado como menor aprendiz na Prefeitura de Cruz Alta. Na secretaria de Educação tinha uma colega, chamada Elizabeth, que tinha costume de levar lanches. Achei aquilo muito legal pois todo mundo se reunia. Acabava sendo um happy hour, um momento de integração. Quando saí da prefeitura fui aprender a cortar cabelo, no mesmo local onde mais tarde me tornei instrutor.Duarnte as aulas já era costume levar doces para os alunos. Continuei o costume, agora, na RBS. Acredito que a comida integra e para mim é um hobby.


Tem algum segredo nos teus doces?

Luis Lopes: De tanto experimentar aprendi que mistura chocolate com leite condensado é melhor que usar Nescau. O chocolate tem que ser meio amargo.


Como são as tuas receitas, você tem anotado ou faz tudo de cabeça?

Luis Lopes: A base do brigadeiro serve para muitas receitas. A partir disso vou inventando, colocando creme de leite, mousse de limão…misturando sabores doces com acidos O que vem depois crio na hora. Não anoto nada. Tenho tudo na cabeça. Minhas medidas também são a olho.


Quando que você cozinha?

Luis Lopes: Geralmente faço à noite, em casa. Às vezes é uma hora da manhã e estou cozinhando. É um hobby mesmo.


Como faz para não engordar?

Luis Lopes: Minha dica e a seguinte: Doce engorda…então raramente como, às vezes pego uma colher, duas.


Como é a reação das pessoas quando você chega com os doces?

Luis Lopes: É muito legal ver a reação das pessoas. Desde pequeno aprendi com o pai a observar os comportamentos. É como um “teste de qualidade” do produto. Gosto de saber se ficou bom, se ficou muito doce ou não. Normalmente o retorno e sempre muito bom.


E o jornalismo, como surgiu?

Luis Lopes: Era um sonho de infância.Aos 21 anos eu não tinha nem o ensino fundamental completo (parei de estudar porque optei pelo curso técnico) e retomei quando decidi fazer faculdade. Fiz supletivo e aos 22 consegui juntar dinheiro cortando cabelo para pagar a matricula no curso de Jornalismo. Comecei na RBS em 2008 com freelancer, seis meses depois fui contratado e enfreitei meu primeiro grande desafio como repórter: A cobertura da primeira grande tragédia climatica do pais.Foi uma experiência muito siguinificativa para a carreira. Na época, a equipe conquistou o prêmio “Você surpreendeu” do Jornal Hoje. Em 2010 fui promovido e tranferido para Caxias do Sul onde atuei como editor do RBS Noticias. Há 5 meses estou em Chapecó.



1 comentário
23 nov21:53

Social: Vanessa Nora é a nova repórter da RBS TV

Vanessa Nora, 22 anos, formada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), de São Miguel do Oeste é a nova repórter da RBS TV. Ela assume a sucursal da emissora em Concórdia.

Vanessa iniciou a carreira em rádio, passou pelo jornalismo impresso e teve experiência em televisão.

- Estou muito feliz e será um grande desafio – disse Vanessa.

 


Comente aqui
13 ago11:21

Social: Juliana Giongo é a nova repórter do Jornal do Almoço

Nesta segunda-feira, a jornalista Juliana Giongo assume o cargo de repórter do Jornal do Almoço da RBSTV Chapecó. Juli, que atuava como comunidadora da Rádio Atlântida de Chapecó, já é conhecida dos telespectadores do JA e do Patrola. Além das reportagens de rua ela será responsável pelo quadro Sexta Básica, apresentado todas as sextas no Jornal do Almoço.

Juliana, natural de Águas de Chapecó, é formada em Comunicação Social – Jornalismo, pela Unochapecó.


2 comentários
05 jan17:25

Equipe do Jornal Nacional em Chapecó

A equipe do JN no Ar está em Chapecó. Eles chegaram na noite desta quarta-feira e durante o dia percorreram o interior de Chapecó e cidades da região para produzir uma reportagem sobre a estiagem que assola a região Oeste. O resultado será apresentado nesta quinta-feira no Jornal Nacional da Rede Globo.

No final da tarde a equipe se reuniu na RBS TV Chapecó para fazer a edição da reportagem que será apresentada no JN no Ar.


Cesar David (técnico), André Maciel (repórter cinematográfico), Lilia Teles (repórter) e Paulinho Coutinho (editor).


Essa é a primeira vez que a repórter Lilia Teles vem para o Oeste Catarinense. A equipe é formada por seis integrantes da Rede Globo, mais  piloto, co-piloto e comissário.

1 comentário