Rio

21 mai11:18

Ponte sobre Rio Chapecozinho é inaugurada

A ponte sobre o Rio Chapecozinho, entre os municípios de Entre Rios e Marema, foi recuperada e entregue à população no sábado, dia 19 de maio. O local estava sem ligação há seis anos, desde quando foi destruída após uma cheia. A obra vai beneficiar diretamente cerca de 300 famílias.

A inauguração reuniu mais de 300 pessoas, entre eles trabalhadores que usavam a ponte para encurtar em quase 100 quilômetros a distância entre Entre Rios e Xaxim. A comunidade indígena também prestigiou a solenidade, já que a ponte está na área da Sede Xapecozinho, uma das maiores aldeias de Santa Catarina.

A ponte de quase 100 metros foi reconstruída com madeira doada pelos índios. O deputado estadual Marcos Vieira foi o responsável pela articulação política para a liberação das licenças com o IBAMA e com a Funai. – Foram investidos R$ 300 mil para que a ponte fosse construída e mais R$ 100 mil para Entre Rios e Marema pudessem recuperar as estradas que fazem a ligação, recursos do Governo do Estado – disse o deputado.


Comente aqui
08 jan09:58

Família guarda granada dentro de casa em Chapecó

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Uma família do Oeste guardou por uma semana uma artefato curioso e perigoso dentro de casa: uma granada antiga. –Foi meu neto que achou- disse o dono da casa, Arlindo Siemer. Eduardo Siemer, de 14 anos, estava com o pai pescando, no Rio Uruguai, no distrito de Goio-Ên, em Chapecó a Nonoai/RS. –O rio tava baixo e achei perto da ponte- disse Eduardo. Ele falou que não ficou com medo e resolveu levar o artefato para casa.

A família nem se deu conta do risco que corria e até lavou o objeto, para ficar bonito. –Guardei na gaveta do meu quarto- disse Arlindo. Ele até pretendia iniciar um museu com objetos antigos. Alguns vizinhos brincaram com a situação. –Você queria dar de presente pra sogra- disse um. Outra vizinha já ficou preocupada. –Que cabeça trazer isso pra cá- reclamou.

Arlindo disse que até chegou a derrubar o objeto no chão duas vezes. Ele afirmou que o seu genro achou perigoso e resolveu ligar para a Polícia Militar. O Pelotão de Patrulhamento Tático foi até o local e isolou a bomba com sacos de terra. Eles informaram que, apesar de ser uma bomba antiga, há risco de explosão em caso de pancada ou calor intenso. O BOPE de Florianópolis foi chamado para inutilizar o objeto. Mas não haviam chegado até o final da tarde de sexta-feira.


Comente aqui
06 jan18:37

Granada é encontrada no Rio Uruguai em Chapecó

RBSTV CHAPECÓ

Um adolescente de 14 anos encontrou uma granada no rio Uruguai no último final de semana em Chapecó. Eduardo Siemer pescava com o pai quando encontrou o objeto. Curioso ele foi pesquisar o que poderia ser o objeto e levou para casa.

A granada ficou guardada na casa da família por uma semana, até que na tarde desta sexta-feira a família decidiu informar a Polícia.

A movimentação despertou a curiosidade dos moradores da Rua Lions Club no bairro Seminário. O pelotão de Patrulhamento Tático da Polícia Militar isolou o local e agora aguarda a chegada de policiais do Bope de Florianópolis que vão fazer a avaliação do artefato e dizer o que deverá ser feito.


Comente aqui
05 jan10:55

Mulher que morreu em acidente náutico será enterrada nesta tarde em Chapecó

[atualizada 14h43]

Graciela Dal´Acqua, 23 anos, que estava na carona de um Jet-Ski que colidiu contra uma lancha no Rio Uruguai está sendo velada no Salão Comunitário São José Operário no Bairro Passo dos Fortes. O enterro está marcado para as 18h no cemitério de Nonoai-RS.

O acidente náutico envolvendo uma lancha e um Jet-Ski foi no final da tarde de quarta-feira no Porto Goio-Ên em Chapecó. Graciela era caroneira do Jet-Ski que acabou colidindo contra uma lancha.

Ela chegou a ser socorrida e levada pelos Bombeiros até o Hospital Regional do Oeste, mas não resistiu aos ferimentos. O condutor do Jet-Ski e os ocupantes da lancha não se feriram.

A Polícia Ambiental registrou a ocorrência. A causa do acidente vai ser investigado pela Polícia Civil.


Comente aqui
04 jan20:17

Mulher morre em acidente entre lancha e Jet-Ski no Rio Uruguai em Chapecó

Um acidente náutico ocorrido no final da tarde de quarta-feira, no Porto Goio-Ên, em Chapecó, causou a morte de Graziela Dal’Acqua, 23 anos. Ela era caroneira de um Jet-Ski que acabou colidindo contra uma lancha, no Rio Uruguai.

Graziela chegou a ser socorrida e levada pelos Bombeiros até o Hospital Regional do Oeste, mas não resistiu aos ferimentos. O condutor do Jet-Ski e os ocupantes da lancha não saíram feridos.

-Eu ouvi a gritaria e como estava com um barco na água fui ajudar a socorrer- disse Rogério Faé, dono do centro náutico que fica em frente ao local do acidente. Faé disse que a vítima estava desacordada, com um ferimento grave no braço. Ele chegou a colocar a mulher no barco e a resgatou até a chegada dos bombeiros. –Ela chegou a ficar consciente num momento, mas depois desmaiou novamente- lembrou Faé.

A Polícia Ambiental registrou a ocorrência. A causa do acidente vai ser investigado pela Polícia Civil.


Comente aqui
13 out19:16

Um rio, peixes e pedras típicas

A palavra “Goio-En” é derivada da língua indígena tupi-guarani e significa “muita água” ou “o que vem do fundo do rio”. Nessa perspectiva, o Instituto Goio-En trouxe para a Exposição-Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Chapecó o Piso Interativo Midas Touch 3D.

O piso recria o fundo de um rio, com peixes e pedras típicas. Equipado com sensores que captam movimentos e processam imagens tridimensionais em tempo real, ao caminhar sobre a projeção formam-se ondas como quando atiramos uma pedra na água.

A ideia inicial era atrair crianças para fazer um trabalho de educação ambiental e conscientização, como crítica à matança de peixes e incentivo à preservação do meio ambiente. Não demorou e os adultos que passavam pelo estande se encantaram com a brincadeira. Segundo a assessora de comunicação do instituto, Daniela Zancanaro, cerca de 5 mil pessoas visitam o espaço Goio-En por noite.

Desde 2003, o Goio-En realiza estudo sobre os peixes do Rio Uruguai, educação ambiental e planejamento, através de projetos, ações e parcerias com entidades e com a comunidade. Entre os peixes estudados estão o Dourado, Surubim, Curimbatá, Pintado amarelo, Piracanjuba. Neste mês o instituto iniciou um trabalho em parceria com pescadores que moram na área de abrangência da Usina Foz de Chapecó. – São oito pontos de coleta de larvas e ovos de peixes, que posteriormente são repassados para o Goio-En – explica a técnica ambiental do instituto, Michele Cavalheiro.

O Instituto Goio-En trouxe o piso interativo para a feira com apoio da Usina Foz de Chapecó, Ministério da Pesca e Aquicultura e da Fundação Universitária de Desenvolvimento do Oeste (Fundeste).


Comente aqui
26 set11:39

Bombeiros retomam as buscas ao jovem desaparecido em lago de represa

O Corpo de Bombeiro retomou as buscas ao jovem desaparecido no lago da represa pela Usina Hidrelétrica Foz do Chapecó, no Oeste de Santa Catarina. No local, há áreas de 40 metros de profundidade, segundo informações repassadas aos bombeiros.

>> Barco vira e jovem desaparece no rio Uruguai

Isso dificulta os trabalhos de procura na água. Uma guarnição dos bombeiros está na lagoa desde o início da manhã. Roberto M. Tressoldi, 20 anos, estava com mais três pessoas de barco na represa próximo à localidade de Sanga Rosa, em Caxambu do Sul. A embarcação teria virado e os outros três ocupantes teriam conseguido nadar até a margem.

DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
25 set22:02

Barco vira e jovem desaparece no rio Uruguai

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br


Um jovem desapareceu nas águas do rio Uruguai no sábado e não foi localizado até o fim da tarde deste domingo.

Roberto M. Tressoldi, 20 anos, estava com mais três pessoas de barco na represa formada pela Usina Hidrelétrica Foz do Chapecó, próximo à localidade de Sanga Rosa, em Caxambu do Sul.

A embarcação teria virado e os outros três ocupantes teriam conseguido nadar até a margem.

O Corpo de Bombeiros de Chapecó fez buscas durante todo o dia, mas não encontraram o jovem. O trabalho deve ser retomado na segunda-feira.

Comente aqui
29 ago13:34

Projeto Rios Voadores chega a Chapecó

Há três décadas cientistas brasileiros estudam os rios voadores, aprofundam o conhecimento sobre esse fenômeno e provam que é possível a água da Amazônia chegar a Chapecó.

Entre os dias 29 de agosto e dois de setembro, o Projeto Rios Voadores fará sua exposição no Mezanino do Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes em Chapecó. A exposição ficará disponível para visitação de estudantes e toda a população que queira conhecer um pouco mais sobre a influência da Amazônia em nossa região.

O projeto, idealizado pelo aviador Gérard Moss e patrocinado através

"Uma cena que deve sempre provocar alegria. A água doce caindo do céu, literalmente. Um presente dos deuses", Gérard.

do Programa Petrobras Ambiental, une pesquisa científica à educação ambiental. A exposição trará para o público fotografias, textos sobre a pesquisa, animações digitais que serão transmitidas no local em telas de TV, para explicar como acontece a formação do fenômeno meteorológico. Além disso, será apresentado um vídeo com depoimentos de especialistas em hidrologia, meteorologia, geofísica e ciências atmosféricas.

Para chamar a atenção do público visitante, a equipe do projeto pretende inflar um balão usado para as pesquisas na Amazônia, se as condições climáticas permitirem, no estacionamento do Centro de Eventos. O balão subirá amarrado por cordas, o chamado voo cativo.

Rios Voadores

O termo é usado para descrever um fenômeno real. Refere-se as massas de ar úmido trazidas da Amazônia pelos ventos que sopram em direção às regiões sul, sudeste e centro-oeste do Brasil.

São cursos de água atmosféricos, invisíveis, que transportam umidade e vapor de água da bacia Amazônica. O fenômeno envolve muitos fatores como a chuva sobre a floresta tropical, a evapotranspiração das árvores que lança a umidade de volta para a atmosfera, e um acidente geográfico na forma da cordilheira dos Andes que desvia os ventos rumo ao sul.

Esses rios voadores, carregados de vapor de água, passam em cima de nossas cabeças e podem ser responsáveis pelo transporte de mais água, na forma de vapor, do que a vazão do maior rio do mundo, o Amazonas, com 200 mil m3 de água por segundo.

Além de colaborar com a pesquisa científica, o projeto tem forte cunho educativo. Para isso, foram selecionadas seis cidades que sofrem o impacto dos rios voadores, sendo Chapecó a escolhida para representar Santa Catarina.

Segundo o pesquisador, a ocorrência mais recente de um rio voador em Chapecó foi no dia 9 de agosto.

O projeto

Rios Voadores é idealizado por Gérard Moss, em colaboração com o professor Enéas Salati. A pesquisa está na sua segunda fase. Na primeira, realizada entre 2007 e 2009, foram coletadas 500 amostras de vapor de água de várias regiões do Brasil, principalmente da Amazônia. As amostras foram analisadas pelo Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA) da USP de Piracicaba, em São Paulo.

Gérard Moss, idealizador do projeto, pilota o avião monomotor para coletar as amostras de vapor de água.

Gérard Moss

Piloto privado com cerca de 5 mil horas de voo, ficou conhecido em

todo o Brasil ao acumular a experiência rara de ter pilotado um pequeno avião duas vezes ao redor do mundo, nas condições mais diversas e adversas – feitos que receberam ampla cobertura do programa Fantástico, da Rede Globo.

Apaixonado pela aviação, ele concilia seus voos com a curiosidade técnica de engenheiro, para idealizar projetos ambientais, nos quais, considera um avião muito mais eficaz para realizar certos trabalhos do que uma pessoa em terra. Uma vantagem a mais num país do tamanho do Brasil.

Programação em Chapecó:

>> 29 de Agosto às 19 horas – Abertura da Exposição Rios Voadores

Local: Mezanino do Centro de Eventos Plínio Arlindo De Nes.

A exposição segue com entrada franca até o dia 2 de setembro.

>> 31 de Agosto às 19 horas – Palestra com Gérard Moss, idealizador do projeto

Tema: Fenômeno Rios Voadores

Local:  Sala Welcy Canals no Centro de Eventos Plínio Arlindo De Nes.

Comente aqui