Rodovias

26 nov17:06

Duas mortes nas rodovias estaduais do Oeste

Em São Lourenço do Oeste, Juliano Grutka, 22 anos, morreu após o veículo que ele estava capotar. O acidente foi por volta das 20h25 do domingo, dia 25, no Km 11 da SCT 480 em São Lourenço do Oeste. Outros quatro ocupantes do veículo tiveram apenas ferimentos leves.

O “Alemão”, como era chamado pelos amigos e colegas de trabalho, era solteiro e trabalhava há 10 meses em uma funerária da cidade. O enterro acontece no final da tarde desta segunda no cemitério da Linha Sete de Setembro, interior da cidade de Irati.

>> Dois jovens morrem após veículo sair da pista e cair em barranco na BR-282 em Xanxerê

Também na noite do domingo, dia 25, por volta das 21h15, Evandro Matias de Oliveira, 24 anos, morreu após o veículo que ele estava colidir frontalmente com um caminhão. O acidente foi no Km 23 da SC 467, em Abelardo Luz.

Evandro fazia curso supletivo e trabalhava no setor de cortes de uma agroindústria de Abelardo Luz. O enterro será no cemitério da Linha Formigas, interior da cidade de Ouro Verde. O motorista do caminhão não se feriu.


1 comentário
13 nov09:41

Governo divulga vencedoras da licitação da primeira etapa do Pacto por Santa Catarina em rodovias

Roberta Kremer | roberta.kremer@diario.com.br

O governo do Estado divulgou quais são as empresas que venceram a licitação para o primeira etapa do Pacto por Santa Catarina para estradas com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). As vencedoras foram Ivaí, Setep, CBEMI e Enpo/ Fortunato.

Nessa fase, houve a concorrência pública para 10 obras de construção e recuperação em nove rodovias, com investimento de R$ 333,6 milhões. A ideia é dar a ordem de serviço entre dezembro deste ano e janeiro de 2013.

A concorrência pública para os 10 projetos estava orçada em R$ 393 milhões e, na concorrência, houve o desconto de 15,13%. Estão contempladas obras reivindicadas há anos pela população, como o anel viário e o acesso secundário que ligarão Criciúma, no Sul do Estado, à BR-101, e devem ser construídas pelas empresas Ivaí e Setep. A restauração de 55 quilômetros da SC-114, entre Painel e São Joaquim, na Serra, ficará a cargo da empresa CBEMI e a concorrência para construir o Contorno de Garuva foi vencida pelo consórcio Enpo/ Fortunato.

Conforme o presidente do Departamento de Infraestrutura (Deinfra), Paulo Meller, o sexto financiamento do BID com o governo de Santa Catarina é negociado há mais de dois anos. O contrato deve ser assinado ainda em dezembro.

— São obras de restauração e implantação de rodovias que vão encurtar distância entre municípios. Interferem na segurança viária, e no desenvolvimento do Estado, já que no Brasil a economia é transportada basicamente por meio terrestre — afirma Meller.

De acordo com o Deinfra, a segunda etapa de licitação de obras rodoviárias com financiamento do BID VI está previsto para o segundo semestre de 2013. Os trechos a serem recuperados e novos projetos estão em avaliação. As duas fases juntas devem construir, pavimentar e restaurar 222 quilômetros de rodovias estaduais. No total, serão investidos R$ 678 milhões, com 70% do valor financiado pelo BID. É o maior crédito concedido para SC em 30 anos de parceria.


DIÁRIO CATARINENSE


Comente aqui
31 jul20:33

Caminhoneiros encerram paralisação nacional

Joana Colussi | joana.colussi@zerohora.com.br

Após quase cinco horas de reunião no Ministério dos Transportes, em Brasília, o Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC) comprometeu-se em encerrar por completo e de imediato a paralisação nacional iniciada há sete dias. O acordo foi feito após o ministro dos Transportes, Paulo Passos, abrir negociação para rever os pontos reivindicados pelos caminhoneiros.

O governo federal pediu prazo até 8 de agosto para instalar a mesa de negociação e mais 30 dias para concluir os trabalhos de revisão. O movimento pede, entre outros pontos, maior prazo para a implementação da Lei n° 12.619, que determina que haja descanso diário ininterrupto de 11 horas e parada de 30 minutos a cada quatro horas no volante.

Os caminhoneiros argumentam que as rodovias brasileiras não têm infraestrutura adequada para que os caminhoneiros cumpram a norma. Na ocasião da aprovação da lei, a presidenta Dilma Rousseff vetou o artigo que previa a construção de postos de descanso.

Além de maior prazo para cumprir a lei, os caminhoneiros querem a revisão de resoluções da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) que, segundo eles, prejudicam a categoria.

ZERO HORA



Comente aqui
31 jul12:10

Reunião em Brasília tenta acabar com impasse entre ANTT e movimento nacional de caminhoneiros

O protesto nacional de caminhoneiros, com bloqueios em rodovias de pelo menos 10 estados, pode ter solução encaminhada nesta terça-feira. Em Brasília, representantes do Ministério dos Transportes, Casa Civil, presidência da República e Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) se reúnem com integrantes do Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC). Além do presidente da entidade, Nélio Botelho, devem participar representantes estaduais do movimento. Uma posição sobre o rumo dos protestos deve sair por volta das 16h.

Em Santa Catarina, os protestos nesta terça-feira provocam interdição parcial em pelo menos seis trechos de rodovias. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, manifestantes impedem a passagem de veículos de carga em Maravilha (BR-282), Catanduvas (BR-282) e São Miguel do Oeste (BR-282). A BR-158 sofreu interdição parcial em Cunha Porã. Em Dionísio Cerqueira o protesto foi registrado na BR-163.

Outros trechos de rodovias federais também tiveram protestos em SC, mas já foram liberados. São os casos de Chapecó (BR-480), Xanxerê (BR-282) e Concórdia (BR-153).

Já em estradas estaduais, houve manifestação na SC-454 em Água Doce. Já em Abelardo Luz, houve manifestação na SC-467, mas foi encerrada, conforme a Polícia Militar Rodoviária (PMRv).

Segundo as polícias rodoviárias, não há registro de incidentes nas manifestações em Santa Catarina. Veículos que transportam cargas são orientados a parar em determinados trechos e seguir para dentro de cidades, onde ficam parados aguardando posição do movimento nacional. Ainda não há uma estimativa de número de caminhões retidos. Segundo a PRF, no entanto, mais de 100 veículos de carga foram parados desde o início da semana somente na BR-282 (trechos de Maravilha, Catanduvas e São Miguel).

No último sábado, dia 28, a Justiça Federal proibiu os caminhoneiros de bloquearem as rodovias federais em Santa Catarina. A multa para o descumprimento foi estipulada de R$ 100 mil. A justificativa é que as manifestações propostas pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC) impedem o trânsito livre e seguro nas BRs, ou seja, interfere no direito do cidadão de ir e vir.

Na manhã desta terça-feira, o MUCB informou que não há uma posição da entidade sobre a decisão judicial em SC e nem sobre a possibilidade de multa no caso de descumprimento da determinação.


Além de Santa Catarina, protestos de caminhoneiros são registrados em outros nove estados:

— Rio Grande do Sul

— Paraná

— Rio de Janeiro

— Ceará

— Minas Gerais

— Espírito Santo

— Bahia

— Tocantins

— Goiás


Posicionamentos sobre os protestos

Para o procurador Pablo Douglas Almeida de Moraes, que atua no Ministério Público do Trabalho (MPT) no Mato Grosso do Sul, a lei que entrou em vigor beneficia os caminhoneiros.

— É de se estranhar que trabalhadores lutem contra a implementação de um direito que lhes beneficia — disse ele em entrevista à Agência Brasil — O locaute (greve patronal) é uma conduta ilícita, viola a lei — concluiu.

O governo afirma que está atento às paralisações dos caminhoneiros. No entanto, o ministro do Trabalho, Brizola Neto, disse não há espaço para retroceder à legislação que garante melhores condições de trabalho para a categoria e também mais segurança.

— A lei da jornada de trabalho dos caminhoneiros tem sofrido resistência, mas é inegável que a lei é um avanço — disse Brizola Neto.

Enquanto isso, a NTC&Logística, que reúne empresas e sindicatos patronais do transporte de cargas, emitiu nota posicionando-se contra a greve de caminhoneiros. O presidente da entidade, Flávio Benatti, pede “firmeza no cumprimento da lei” por parte da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).


No comunicado, a entidade contesta a representatividade do movimento grevista.

“As manifestações contrárias à legislação têm sido de uma minoria oportunista”, informou a nota. O texto afirma ainda que a paralisação é “lockout”, ou seja, um movimento organizado por empresários e não por empregados.

“Não temos dúvidas de que a ANTT seguirá atuando na defesa da regulamentação e modernização do transporte rodoviário de cargas no Brasil”, concluiu a nota da NTC&Logística.


Motivo dos protestos

Os caminhoneiros reivindicam a revisão das normas e regras estabelecidas pela Agência Nacional do Transporte Terrestre (ANTT). Elas incluem o cumprimento de intervalo de 30 minutos a cada quatro horas ao volante.

A categoria também quer reduções no preço do óleo diesel e aumento da segurança nas estradas. A falta de pontos seguros para descanso nas estradas, o que facilitaria o roubo de cargas e a violência contra os motoristas é outra justificativa para o protesto.

As manifestações em SC fazem parte de movimento nacional dos caminhoneiros. A categoria quer revisar a a Lei 12.619/2012, que entrou vigor na sexta-feira, dia 27, e regulamenta a profissão dos motoristas de transporte rodoviário interestadual.

De acordo com proposta, depois de quatro horas de trabalho, os motoristas têm direito a 30 minutos de descanso. Eles ainda podem fazer uma hora de intervalo para as refeições e a cada 24h de trabalho devem descansar outras onze horas.

No sábado, dia 28, a Justiça Federal proibiu os caminhoneiros de bloquearem as rodovias federais em Santa Catarina. A multa para o descumprimento foi estipulada de R$ 100 mil. A justificativa é que as manifestações propostas pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro impedem o trânsito livre e seguro nas BRs, ou seja, interferindo no direito do cidadão de ir e vir.

O Movimento União Brasil Caminhoneiro alega que algumas normas são impossíveis de cumprir. A ANTT mantém a negociação.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
29 mai11:00

Indígenas bloqueiam três rodovias na divisa entre SC e RS

Marielise Ferreira | marielise.ferreira@zerohora.com.br

Três rodovias no norte gaúcho e que fazem divisa com Santa Catarina foram bloqueadas por indígenas em quatro pontos na manhã desta terça-feira. Eles reivindicam melhorias no atendimento à saúde nas reservas em que vivem. As interrupções acontecem em Iraí, São Valentim, Ronda Alta e Planalto.  Policiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Chapecó ajudam na orientação do trânsito no local.

Os bloqueios começaram por volta às 9h. Mais de 300 indígenas trancaram o trânsito na rodovia Iraí — Palmitos (SC), a dois quilômetros da ponte que liga Iraí ao estado vizinho. Troncos e pedras impedem a passagem de carros. Longas filas se formaram nos dois lados da ponte.

A PRF  de Seberi monitora o protesto e orienta os motoristas a aguardarem em postos de gasolina para evitar confrontos. Há três desvios possíveis, todos por balsa. O mais próximo tem 28 quilômetros até Vicente Dutra, onde uma balsa dá passagem somente para carros de até 9 toneladas, com pequeno porte.

Passar por ali pode chegar a uma espera de quatro horas segundo a PRF, já que a balsa é pequena e passam dois veículos por travessia. O desvio com condições de travessia para caminhões tem distância de 60 quilômetros e fica em Barra do Guarita, na divisa com Itapiranga (SC). Os indígenas em Iraí devem permanecer com a rodovia trancada até as 16h.

Na rodovia Ronda Alta – Nonoai (ERS-324) há dois pontos de bloqueio feitos por indígenas. Um deles no km 46, em Ronda Alta, na localidade Alto Recreio e outro em Planalto, no km 91 na localidade Linha Bananeiras. No primeiro ponto, em Ronda Alta, onde o fluxo de veículos é maior, cerca de 100 a cada hora, os indígenas prometem desbloquear a rodovia em intervalos de duas horas. Já em Planalto, prometem liberar a passagem de carros a cada seis horas.

A Polícia Rodoviária de Nonoai, que está monitorando os bloqueios, não orienta os motoristas a buscarem desvios. É que todas as formas de desviar o protesto passam por estradas vicinais dentro das reservas indígenas e os motoristas poderiam ser retidos por indígenas também ali.

Na rodovia São Valentim – Erval Grande (RSC-480) cerca de 100 indígenas bloqueiam a rodovia que leva a Chapecó (SC) e impedem também a entrada em Benjamin Constant do Sul, no km 30, que possibilitaria o único desvio, por dentro da Reserva Indígena do Votouro. Neste ponto, os caingangues estão irredutíveis e prometem não retirar o bloqueio enquanto não forem atendidos em suas reivindicações. Mais de 50 veículos passam por hora na rodovia e há engarrafamento nos dois lados da via. Os indígenas querem melhorias no atendimento à saúde nas reservas indígenas, com distribuição de medicamentos e atendimento ampliado.


ZERO HORA



1 comentário
09 abr15:24

Celesc promove ação de combate à violência sexual nas rodovias

Nessa terça-feira, dia 10, às 14h, a Celesc promove o programa “Na mão certa” e realiza a aplicação dos adesivos da campanha de combate à exploração sexual infanto-juvenil nas rodovias nos mais de mil veículos que compõem a frota. A Regional de Chapecó, que atua em 32 municípios deve adesivar os 50 veículos. – Vamos iniciar nesta terça-feira o trabalho de adesivar os veículos da regional – disse o superintendente Valentin Guisi.

A adesivagem acontece em todas as Agências Regionais distribuídas pelo Estado. Durante a tarde será realizada também uma palestra com o inspetor da Polícia Rodoviária, Luiz Graziano, que será transmitida por videoconferência.

A iniciativa faz parte das ações de responsabilidade social alinhadas com o Programa que visa conscientizar a população para o enfrentamento mais eficaz de um problema que aflige, cada vez mais, a sociedade brasileira.

A violência sexual contra crianças e adolescentes é uma das mais graves violações de direitos e se caracteriza pelo abuso e/ou exploração do corpo e da sexualidade, seja pela força ou outra forma de coação, que prejudica o seu desenvolvimento físico, psicológico e social.

No último levantamento realizado pelo Departamento da Polícia Rodoviária Federal, em conjunto com a Childhood Brasil e a Organização Internacional do Trabalho, sobre os pontos vulneráveis à exploração sexual em rodovias brasileiras, concluiu-se que na região Sul existam, no biênio 2009 – 2010, 399 pontos. Destes, 216 foram considerados críticos. A BR 101, ligação litorânea Sul – Sudeste – Nordeste, abrigava 187 pontos. Em Santa Catarina, há 28 pontos considerados críticos.


Comente aqui
09 abr11:26

SOS Rodovias inicia ataque a 17 trechos apontados como os mais perigosos em SC

Aline Rebequi | aline.rebequi@diario.com.br

As primeiras ordens de serviço do SOS Rodovias serão assinadas nesta segunda-feira pelo governador Raimundo Colombo na sede da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), na Capital. O programa vai atacar os principais pontos de acidentes com mortes em trechos estaduais. As obras devem iniciar este mês e a entrega está prevista para setembro.

Leia mais: SC-401 receberá R$ 1,1 milhão, maior investimento do 1º lote

Lançado em novembro do ano passado, o programa pretende recuperar, até 2014, os 127 trechos apontados pela PMRv como os mais perigosos no Estado. Cerca de 70% dos acidentes com vítimas acontecem nesses locais. As obras vão desde as mais simples, como correção de pequenas curvas, até as mais complexas como cortes em rochas.

Para a escolha dos pontos, também foi considerado o grau de risco de acidentes e o valor de cada obra. A identificação dos pontos críticos foi feita com base na taxa de acidentes de trânsito, índice que calcula a periculosidade de um trecho da rodovia, levando em conta o número de acidentes com e sem feridos.


Primeiro lote do programa

Nesta segunda-feira, serão liberadas as ordens de serviço de nove, dos 17 pontos do primeiro lote do programa. Serão investidos R$ 2,5 milhões, do total de R$ 3,3 milhões desta etapa. O maior investimento do primeiro lote serão as obras da SC-401, na Capital, onde será liberado R$ 1,1 milhão para a recuperação da curva da morte.

Outro trecho que terá grande investimento é o da SC-283, entre São Carlos e Palmitos, no Extremo-Oeste, onde serão injetados R$ 395,9 mil para diminuir os acidentes em uma curva acentuada. Além da sinalização, será modificada uma entrada de acesso a uma comunidade.

As oito ordens de serviço restantes devem ser assinadas nos próximos dias. Nesta etapa, passarão por obras a SC-411, entre Gaspar e Brusque, e a SC-422, em Taió. Na Capital, outro ponto crítico que será melhorado é o Km 17 da SC-406, no acesso ao Projeto Tamar, na Barra da Lagoa.

O governo aguarda a liberação de R$ 40 milhões de um convênio, ainda não assinado, com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para liberar as obras dos outros 110 trechos.


Melhorias na SC-283 esperadas há três anos

Na região do Oeste e Extremo Oeste do Estado, a assinatura da ordem de serviço para a Rodovia SC-283 era esperada há mais de três anos em Chapecó, Planalto Alegre, São Carlos e Palmitos. O investimento ultrapassa R$ 430 mil para dois trechos, um no Km 153 e outro no Km 103.

De acordo com o prefeito de Chapecó, José Claudio Caramori, com a construção da hidrelétrica Foz do Chapecó, a estrada que liga os munícipios ficou prejudicada devido à grande movimentação de caminhões com carga pesada. A construção terminou, mas os danos ficaram, segundo ele.

— É a melhor hora para iniciar as obras de recuperação, estávamos esperando por este momento. Vai contribuir com toda a região e com o turismo, pois esta rodovia é também o caminho das águas termais de Chapecó —explica Caramori.


Veja mapa com mais detalhes


DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
04 abr14:31

Fiscalização nas rodovias federais em SC começa à 0h desta quinta-feira

A fiscalização especial da Polícia Rodoviária Federal para o feriado de Páscoa começa à 0h desta quinta-feira. Até o próximo domingo, o fluxo de veículos especiais estará impedido em alguns momentos. O objetivo é garantir que haja espaço para veículos de passeio poderem circular, já que a expectativa é de que o movimento cresça 50% durante os três dias.

O objetivo do trabalho é prevenir acidentes, proporcionar segurança e garantir a circulação de trânsito. A ação será realizada até a meia noite do próximo domingo.

Em Santa Catarina, os números divulgados pela PRF mostram que é preciso mais fiscalização para diminuir o número de acidentes, que cresceu 23,32% entre 2011 e o ano anterior. Foram 312 acidentes contra 253 em 2010. A quantidade de mortes subiu de cinco para oito no mesmo período.

Outra ação da PRF será a restrição para os caminhões do tipo cegonheiras, bitrens e rodotrens nas rodovias de pista simples. Na quinta-feira e domingo, estarão proibidos de circular entre 16h e 24h, na sexta-feira, o impedimento será entre 6h e 12h.

Comente aqui
15 fev14:45

Fundação pioneira em educação no transporte completa 15 anos

A Fundação Adolpho Bósio de Educação no Transporte, a Fabet leva o nome de Santa Catarina para além das fronteiras. Com a missão de educar para salvar vidas, a fundação desempenha há 15 anos, projetos com foco no trabalho consciente, na família e na responsabilidade ao volante.

Programas como, Caminhão Escola Básico, preparam jovens e adultos para uma profissão repleta de surpresas. Através do conhecimento, a Fabet oferece aos profissionais, a capacitação necessária para que a viagem seja guiada por gestores de unidades móveis conscientes.

Para a Fabet, completar 15 anos de história é uma grande satisfação. – É mais do que ensinar, preparar ou gerar renda, a missão é salvar vidas, dentro e fora das rodovias. Por estes e outros motivos, a Fabet torna-se cada vez mais importante para o desenvolvimento do país – disse o diretor geral da fundação, Luiz Carlos Schaurich.


Comente aqui
09 fev17:33

Acidentes provocaram a morte de 55 pessoas neste ano em rodovias federais de Santa Catarina

Júlia Antunes Lourenço | julia.antunes@diario.com.br

Até a última terça-feira, já foram registradas 55 mortes, em 44 acidentes, neste ano, nas rodovias federais de Santa Catarina. É esperado que o número aumente ainda mais no feriado de Carnaval.

No último, foram 36 mortes nas BRs, sendo 26 no acidente em Descanso. Em 2010, morreram 11 pessoas no feriadão.

Em todo o ano passado, o total de mortes nos trechos catarinenses das rodovias federais chegou a 626 registros.

— O Carnaval tem um estímulo acentuado ao consumo do álcool. A gente reforça para que as pessoas optem pela carona. Além disso, há o excesso de velocidade, a ultrapassagem em local proibido e o não uso do cinto de segurança – alerta o inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Leandro Andrade.

A operação da PRF começou a ser traçada, nesta semana, em uma reunião com as delegacias regionais. As ações devem ser divulgadas nos próximos dias. Elas começam dia 17, uma sexta-feira, e vão até o dia 22, que é quarta-feira de cinzas.

Com o aumento do fluxo de carros e caminhões nas rodovias federais de Santa Catarina nos períodos de feriados, os policiais rodoviários federais sempre recomendam aos motoristas que antes de pegar a estrada sigam regras básicas de segurança como fazer revisão dos veículos, observar se a documentação do motorista e do carro estão em dia.

Outra recomendação é que todas as pessoas que estão nos veículos sempre utilizem o cinto de segurança. E os motoristas devem observar os limites de velocidade das rodovias.


Comente aqui