Santa Catarina

03 ago18:48

Policias federais de Santa Catarina entram em greve na terça-feira

Guilherme Lira | guilherme.lira@diario.com.br

Os policiais federais que atuam em Santa Catarina aderiam à mobilização nacional e irão entrar em greve a partir da próxima terça-feira. Com isso, serviços como a emissão de passaporte, atendimento a estrangeiros e registro de armas, por exemplo, devem ser afetados diretamente.

Segundo o presidente o presidente do sindicato dos policiais federais no Estado, Luiz Carlos Mayora Aita, 30% do efetivo será mantido para garantir o atendimento mínimo, além a atuação em situações de emergência. O sindicato exige que o governo defina em lei a readequação dos cargos e remunerações da categoria.

— É exigido nível superior para os cargos de agente, escrivão e papiloscoposta, mas as atribuições e remunerações continuam equivalentes ao ensino médio — explicou Aita.

De acordo com os dados do Sinpofesc, há 510 policiais na função e inativos sindicalizados. As sete delegacias da Polícia Federal no Estado ficam em Dionísio Cerqueira, Chapecó, Lages, Criciúma, Itajaí e Joinville, além de Florianópolis, que também concentra a Superintendência estadual.



DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
03 ago14:25

Rumo à fronteira Oeste de Santa Catarina

Sâmia Frantz | samia.frantz@diario.com.br

Na região mais distante da Capital, lá onde o mapa fica mais estreito e o Brasil termina para dar lugar à Argentina, existem grandes riquezas turísticas que não ficam à vista. Estão escondidas. Não há divulgação, não há guias e nem placas de sinalização que indiquem o caminho. Mas se você é daqueles com espírito desbravador, vai gostar de encarar o desafio pelas entranhas dos Caminhos da Fronteira.

Há o óbvio, claro: aquilo que está nos mapas turísticos e não se pode deixar de visitar. Um dos maiores museus rurais do país, o Professor Edvino Carlos Hölscher, em Guaraciaba, é um deles. Os parques de águas termais de São João do Oeste, é outro. E há ainda os cânions de São José do Cedro e Dionísio Cerqueira e os famosos mirantes de Itapiranga, com vista para o Rio Uruguai, de onde se avista a Argentina.

A região é marcante também pela fronteira: é a única de Santa Catarina que está colada em outro país. Mas nos 130 quilômetros que separam uma ponta do Estado (ao norte) da outra (ao sul), apenas duas cidades fazem ligação direta com a Argentina: Dionísio Cerqueira, com a aduana e os famosos freeshops castelhanos, e Paraíso, com a isolada Ponte Internacional Peperiguaçú que liga apenas estradas – a brasileira BR-282 e a argentina Rota Nacional Nº 14.


>> Acompanhe o especial REVISTA DE INVERNO


São Miguel do Oeste

A quatro quilômetros do Centro, lá onde termina a rua pavimentada do Hospital Regional, há o acesso de barro a uma história incrível. No coração da Linha Nereu Ramos, por onde só se chega em estrada de chão, a Gruta Nossa Senhora Aparecida tem virado, cada vez mais, ponto de visitação dos fiéis da cidade que seguem até lá para fazer promessas e agradecer.

É o milagre que foi creditado à gruta, construída há 50 anos pelo agricultor Venturino Poletto, 78 anos, como forma de agradecer a cura dos graves ataques sofridos pela mulher Josefina. Os dois, até hoje, vivem ali em frente, em uma casa de madeira azul, simples e cercada das obras de arte que Venturino aprendeu a esculpir em pedras e troncos de árvore. Se estiver com tempo, aproveite para ouvir as histórias deles.

No mais, não deixe de visitar o clássico. A Igreja Matriz São Miguel Arcanjo, que se agiganta bem no meio da cidade e pode ser vista de qualquer lugar, é a maior em estrutura física de Santa Catarina – vitrais coloridos e iluminados pela luz do sol compõem suas paredes. E há também a gruta – mais uma – mais famosa da cidade, a Nossa Senhora de Lourdes, onde está o jazigo do padre Aurélio Canzi, idealizador do local e primeiro pároco de São Miguel. De mais novo, há o casal de colonos esculpidos em tamanho real, o Monumento aos Pioneiros, instalado em um cruzamento da cidade há cerca de três meses.


Dionísio Cerqueira

A cidade que se consagrou pelo inusitado estar em três lugares ao mesmo tempo – na própria Dionísio, na paranaense Barracão e ainda na argentina Bernardo de Irigoyen -, também é reduto de muita natureza selvagem e pouco explorada. Um desses exemplos fica a dez quilômetros do Centro, em estrada de chão. Para chegar até lá, em Linha Campinho, e deslumbrar a queda de quase 30 metros da Cachoeira do Puca, onde os bombeiros costumam praticar rapel, é preciso muito fôlego, já que ela está oculta em meio ao mato e vegetação alta, de difícil acesso. O cenário, porém, compensa toda a dificuldade de chegada.

Para os amantes de história, há também o pouco conhecido Cemitério dos Tombados, em Linha Separação. O local, sem estrutura alguma, vale só pela preservação dos fatos: ali, há 87 anos, foram mortos mais de 200 soldados das tropas da Coluna Prestes, que se confrontaram sem saber que eram companheiros de causa. Até hoje é possível encontrar no local centenas de cápsulas de fuzis e fragmentos de armas.

Depois, retorne ao Centro para aproveitar as cerca de 30 lojinhas de freeshops, já em território argentino. E não deixe de conhecer os vários marcos que dividem os dois países: há estruturas de pedras, obras de arte e até um santuário com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, e da Virgem de Luján, padroeira da Argentina, cada uma delas voltada a seu país de origem. E para não perder a localização, fique de olho nos postes de luz: os pintados em amarelo e verde indicam que você está em Dionísio, já os azuis e verdes são de Barracão.



Paraíso

Uma das menores cidades da região, é também uma das mais visitadas. E não por acaso. Junto com Dionísio Cerqueira, Paraíso faz o único acesso terrestre do Estado com a Argentina: é lá que fica a Ponte Internacional Peperiguaçú, que dá nome ao rio que faz a divisa. O local, por si só, não conserva nenhum atrativo turístico, porém serve como valor imaterial – e é isso que atrai muitos visitantes até lá.

Mas não se iluda. Não há nada para fazer ali além de fotos – os únicos pontos de freeshops argentinos estão mesmo em Dionísio. A não ser que você esteja inspirado em atravessá-la e percorrer os cerca de 54 quilômetros de estrada de chão da Rota Nacional Nº 14 – agora em obras de pavimentação – que levam à primeira cidade, San Pedro.

O caminho até chegar à ponte – cerca de seis quilômetros do trevo de acesso a Paraíso, pela BR-282 – também vale pelas paisagens: enormes paredões de pedra, como cânions, enfeitam os dois lados da pista. No mais, a cidade sossegada que respeita o nome que tem, também reserva outra agradável surpresa. A Cachoeira do Salto do Rio das Flores, vale a visita e todo o esforço que exige para se chegar até lá – há uma trilha curta, de alta dificuldade, com descidas íngremes e pedras escorregadias. O acesso é por estrada de chão, em Linha Salto das Flores, a cerca de nove quilômetros do Centro.


ONDE IR

Guaraciaba

Museu Histórico Professor Edvino Carlos Hölcher – um dos maiores do Brasil em área rural com acervo de mais de sete mil peças. A dez quilômetros do Centro, em Linha Olímpio. (49) 3645-0159, ramal 20.


Descanso

Cristo Redentor – com nove metros de altura e inaugurado em 1949, no Centro.


Dionísio Cerqueira

Cânion do Assentamento – com trilha ecológica e quatro cachoeiras, a última delas com 62 metros de altura. Na comunidade de Assentamento, a 25 quilômetros do trevo de acesso à cidade.


São José do Cedro

Cânion São Vendelino – com trilha e cachoeira de 18 metros de altura. Na comunidade de São Vendelinom, a 18 quilômetro do Centro.


Viagem: de São Miguel do Oeste para Dionísio Cerqueira, passando por Paraíso. Total: 61,9 quilômetros. Tempo ideal: dois dias, no mínimo.


Distâncias até São Miguel do Oeste

Chapecó: 128 km

Florianópolis: 655 km

Joinville: 619 km


Secretaria de Turismo de São Miguel do Oeste: (49) 3622-6208.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
31 jul12:30

Eleições 2012: Campanha em Santa Catarina já tem 336 candidaturas rejeitadas

Natália Viana | natalia.viana@diario.com.br

Mais da metade dos pedidos de registro de candidatos a prefeito e vereador já foi julgada em Santa Catarina. Faltando cinco dias para terminar o prazo legal para os julgamentos, 9.157 registros (57,8%) foram analisados pelos juízes eleitorais. Deste total, 336 candidaturas não foram consideradas aptas a concorrer nas eleições. os 15.828 pedidos de registro apresentados por candidatos a prefeito e vereador no Estado, 9.157 já foram avaliados pelos juízes eleitorais.

O levantamento é parcial e foi feito pelo Diário Catarinense com base nas informações do sistema informatizado da Justiça Eleitoral até às 18 horas de ontem. Na pesquisa, não foram contabilizados os 690 registros de candidatura de vice-prefeitos. Deste total, 8.821 registros foram considerados aptos para a eleição, sendo 335 para candidatos a prefeito e 8.486 para vereadores. Já os outros 336 foram considerados inaptos, ou seja, não poderão concorrer. Destes, seis são candidatos a prefeito e 330 a vereador.

>> Acesse o site Eleições 2012 do Diário Catarinense

Entre os candidatos a prefeito com registro negado, quatro renunciaram a candidatura (Abelardo Luz, Angelina, Meleiro e Monte Carlo) e dois foram indeferidos (Criciúma e São José do Cedro). Entre as candidaturas indeferidas estão aquelas barradas pela Lei da Ficha Limpa. Até agora, o caso de maior repercussão foi a candidatura do atual prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), que foi indeferida pela acusação de abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

Dos candidatos a vereador com registro negado, 170 renunciaram à candidatura, 138 foram indeferidos pelos juízes e um morreu. Além disso, 17 registros “não foram conhecidos” pela Justiça Eleitoral, ou seja, nem foram analisados pelo juiz eleitoral. Na prática, significa que nem chegaram a ser analisados, seja por terem sido apresentados fora do prazo legal ou por se referir a candidaturas não homologadas em convenções feitas pelos partidos. E quatro registros foram cancelados pelos partidos.

As decisões ainda não são definitivas e cabe recurso ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC). No caso das candidaturas proporcionais, para vereadores, os partidos têm até o dia 8 de agosto para preencher as vagas ainda em aberto na coligação, desde que se respeite os percentuais por sexo. Já na majoritária, para prefeitos e vices, as siglas têm até um dia antes da eleição para fazer a substituição de um candidato.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
31 jul12:13

Acumulado de chuva está acima da média em quase todas as regiões de SC

A chuva que cai de forma persistente sobre todas as regiões de SC desde o início da semana faz com que os registros de precipitação ultrapassem a média esperada para todo o mês. Os números mais impressionantes ficam para o Alto Vale, Litoral e Grande Florianópolis.

Conforme os dados da Epagri/Ciram, até as 12h de segunda-feira, Indaial tinha registrado 83% a mais do que o esperado. Enquanto a média para julho é de 113 mm, mais de 208mm de chuva caíram na cidade. A situação é semelhante em Itajaí e toda a Grande Florianópolis, onde choveu 78% acima do previsto.

Estes dados levam em conta apenas as medições convencionais, feitas pelos técnicos, o que descarta os dados coletados pelas estações automatizadas. Uma atualização destes números deve ser feita na tarde desta terça-feira.

— Com exceção do Planalto Sul e do Litoral Sul, todas as regiões já passaram da média para o mês. Nossa previsão é de que os números atualizados indiquem que todo o Estado teve mais chuva do que a média histórica para um mês de julho — explica o meteorologista Marcelo Martins.

Apenas nos três últimos dias, Xanxerê teve 77,4 mm de chuva, enquanto Novo Horizonte registrou 69,4mm. De domingo até esta terça, Campos Novos e Água Doce, ambas no Meio Oeste, tiveram respectivamente 68,9mm e 67,7mm. Em todo o Vale do Itajaí, Rio do Campo recebeu 50,2mm e Ituporanga marcou 42 mm acumulados em três dias.

Confira o acumulado de chuva (em mm) segundo a Epagri Ciram durante as 72 horas encerradas às 7h desta terça-feira:


Região Cidade 24 h(mm) 48h (mm) 72h (mm)
Alto Vale do  Itajaí Aurora 17,1 32,4 32,6

Ituporanga * 40,8 42

Vidal Ramos 17,5 35,3 35,5

Rio do Campo * 50,2 50,2





Grande Florianópolis Alfredo Wagner 21,5 35,9 38,1

Florianópolis 16,9 29 29

São José * 17,6 17,6

Rancho Queimado 33,1 49,2 49,5





Litoral Norte e Vale Itajaí * 20,2 21,4

Indaial * 29,4 31,4

Itapoá * 7,8 9,8





Litoral Sul Urussanga * 4,8 *

Criciúma 0,4 2,6 3,2

Laguna * 7 7,2

Forquilhinha 0,4 0,6 0,6

Timbé do Sul 6,8 31,6 31,6

Turvo 1,2 2 3,2





Meio Oeste e Vale Joaçaba * 48,2 51,2

Campos Novos 20,4 68,1 68,9

Água Doce 26,5 67,4 67,7

Caçador * 39,8 39,8

Curitibanos * 28,8 28,8

Tangará * * *





Oeste São Miguel D’Oeste * 58,4 58,6

Novo Horizonte * 69,2 69,4

Dionísio Cerqueira * 63,8 65,2

Xanxerê * 76,2 77,4





Planalto Norte Papanduva 5 24 25

Canoinhas 3,8 24,8 25,4

Major Vieira 10,8 31 36,2

Rio Negrinho 10 27,4 27,6

São Bento do Sul 19,4 32,8 33





Planalto Sul Urupema 3,6 28,6 28,8

São Joaquim 3,1 25,4 29,2

Bom Jardim da Serra 3,8 8,4 8,6

Morro da Igreja 1,2 13 21,6


DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
27 jul11:22

Lotéricas de Santa Catarina podem receber somente apostas de jogos neste sábado

Danilo Duarte | danilo.duarte@diario.com.br

Neste sábado, as casas lotéricas de SC vão se recusar a realizar outras operações além de apostas em jogos. O protesto, que deve se repetir na semana seguinte, é uma forma de mostrar a indignação das empresas do setor com as constantes quedas na comunicação com a Caixa Econômica Federal. Em Chapecó o atendimento será normal.

A suspensão inclui a movimentação de contas da Caixa Econômica, o saque de benefícios sociais e pagamento de contas bancárias.

Há uma mobilização em todo o país e o sindicato dos empresários lotéricos de Santa Catarina divulgou um comunicado em apoio ao movimento nacional, além de orientar os sindicalizados a não cobrar contas de espécie alguma, nem fazer saques.

No anúncio, o Sindicato dos Empresários Lotéricos de Santa Catarina (Sindel/SC) explica que o movimento ocorre como forma de protestar pelos problemas de estrutura de comunicação, além da falta de segurança e a baixa rentabilidade do negócio lotérico.

DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
27 jul08:56

Novo relatório aponta 72 mortes por Gripe A em Santa Catarina

O novo relatório da Gripe A em Santa Catarina aponta 72 mortes pela doença e 741 casos registrados. Os dados foram divulgados ontem pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive). São 10 mortes a mais em relação ao documento da semana passada. Morreram cinco mulheres com idades entre 27 e 82 anos e cinco homens entre 31 e 88 anos. Todas as vítimas apresentavam problemas crônicos ou fumavam.

São Bento do Sul registrou o primeiro caso de morte, uma mulher de 82 anos. Um homem de 67 anos também foi a primeira vítima em Cunha Porã. Com os dois casos—um homem de 39 anos e um de 31—, o número de mortes em Lages chegou a três. Videira já registra a quinta morte, um homem de 88 anos.

Uma mulher de 58 anos é a terceira vítima em Fraiburgo, e um homem de 38, a primeira de Orleans. Indaial registrou seu primeiro caso de morte pelo vírus H1N1, uma mulher de 59 anos, assim como Forquilhinha, uma mulher de 27 anos. Em São José, na Grande Florianópolis, uma mulher de 58 anos foi a segunda vítima.

DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
24 jul14:46

Santa Catarina ganha Núcleo Estadual de Integração da Faixa de Fronteira

O Núcleo Estadual de Integração da Faixa de Fronteira de Santa Catarina (NFSC) foi instituído na manhã desta terça-feira, dia 24 de julho na Câmara de Vereadores de Dionísio Cerqueira. O Núcleo é composto por 11 Secretarias de Desenvolvimento Regional e abrange 82 municípios. A assinatura do Decreto contou com a presença do secretário de Estado do Planejamento, Filipe Mello, que representou o governador Raimundo Colombo e os secretários de Desenvolvimento Regional envolvidos no processo.

O NFSC inclui as Regionais situadas na faixa de fronteira, sendo: São Miguel do Oeste, Dionísio Cerqueira, Itapiranga, Palmitos, Xanxerê, São Lourenço do Oeste, Chapecó, Seara, Quilombo, Maravilha e Concórdia tem por finalidade propor e coordenar ações para desenvolver iniciativas que possibilitem a adequada atuação do governo estadual na região de fronteira do estado de Santa Catarina. Participam, ainda, secretarias setoriais, autarquias e fundações, assim como poderão participar, como membros convidados, representantes dos municípios, da União e de outras instituições públicas e privadas.

O Núcleo Estadual de Integração da Faixa de Fronteira de Santa Catarina contará com uma Secretaria Executiva, exercida pela Secretaria de Estado do Planejamento, responsável pela coordenação do núcleo, com a tarefa de criar um regimento interno que defina as competências, o funcionamento e demais atribuições do Núcleo.


Comente aqui
24 jul14:10

Colombo destaca queda na arrecadação

O governador Raimundo Colombo afirmou na segunda-feira em entrevista ao repórter Marcelo Lula, da Rádio Tropical, de São Carlos, afirmou que terá que fazer mais ajustes caso a arrecadação não melhore. Ele citou que a arrecadação aumentou 8% no primeiro trimestre e 5% no segundo semestre, enquanto que a média de crescimento nos últimos anos foi de 15%.

Também falou dos problemas que o Oeste enfrenta, como a crise na suinocultura e estiagem. O governador disse que serão investidos cerca de R$ 100 milhões em parceria com o governo federal em ações de prevenção da seca e também está auxiliando os suinocultores com isenção do ICMS e incentivo ao consumo da carne suína.

Colombo também sugeriu a criação de uma parceria público privada para ligações ferroviárias do Estado.


Comente aqui
24 jul11:03

Associação dos Artistas Visuais da Região Oeste de Santa Catarina traz curador de Florianópolis

A Associação dos Artistas Visuais da Região Oeste de Santa Catarina (Adentro) mais uma vez inova e traz para Chapecó o renomado curador e historiador Fernando Boppré.

Em 2011 o coletivo convidou o artista plástico de Florianópolis, Fernando Lindote, o único artista do sul que participou da última Bienal realizada em São Paulo. O resultado foi a exposição Uma Cor Atravessada que foi apresentada no Museu de Artes de Blumenau.

Para este ano a Adentro convidou outro Fernando. Ele chega de Florianópolis nesta sexta-feira, dia 27 de julho, e passará três dias com os 13 integrantes da Associação. Essa será a primeira etapa da curadoria. A segunda está marcada para o mês de novembro. O resultado dos encontros será uma nova exposição que deve ser apresentada em 2013.

A Adentro é composta por Cristina Luviza Battiston, Gina Zanini, Janaina Picolli, Juçara Baldissera, Juliano Zanotelli, Leonice Araldi, Luciano Guralski, Marcia Moreno, Nícia Costella, Sid Geremia, Sonia Loren, Tania Stempkowski e Viviane Becker.


Comente aqui
23 jul15:52

Anatel mantém suspensão das vendas da Claro em SC

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) recebeu nesta segunda-feira o plano de ação da operadora Claro, exigido pela decisão que suspendeu as vendas da companhia em São Paulo, Sergipe e Santa Catarina. A operadora foi punida na semana passada, juntamente com as concorrentes TIM e Oi, por deficiência de serviço.

De acordo com o plano, a Claro promete investir até o final do ano R$ 3,5 bilhões no aumento da capacidade de sua rede em todo o país. Além disso, a Claro promete instalar um cabo submarino ligando o Brasil — saindo do Rio Janeiro e passando por Fortaleza — aos Estados Unidos – até Miami.

Segundo a Claro, esse investimento vai permitir aumentar a velocidade das transmissões e comportar crescimento de usuários dos serviços de voz e de dados. A companhia também informou que contratou três novas empresas prestadoras de serviço para operarem seus serviços de Atendimento ao Consumidor (SAC), a principal reclamação contra a companhia.

Na semana passada, as operadoras Claro, TIM e OI foram suspensas para a comercialização de novas linhas de celular e de serviço de internet. A liberação da venda foi condicionada pela Anatel à apresentação de um plano de investimentos em até 30 dias.

Segundo o superintendente de Serviços Privados da Anatel, Bruno Ramos, a reunião com a Claro “foi muito boa”, mas a empresa ainda necessita detalhar como ajustará a rede ao crescimento de usuários.

Bruno Ramos não soube informar quando a Claro terá autorização para voltar a vender chip e modem nos três estados onde teve os serviços suspensos pela Anatel:

— Não temos prazo para suspender a medida cautelar. É muito cedo para falar disso.

Para evitar que a proibição seja burlada, a Anatel está fazendo fiscalização das habilitações nas centrais das empresas. No entanto, outros serviços da operadora continuam funcionando. Clientes da empresa também podem realizar alteração nos serviços já contratados.


AGÊNCIA BRASIL



Comente aqui