São Miguel do Oeste

13 jan15:13

Passageira do acidente na BR 282 em Paraíso recebe alta

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Bruna Rodrigues Meireles, de 14 anos, que estava internada no Hospital Regional Terezinha Gaio Basso, em São Miguel do Oeste, recebeu alta no início da tarde. Ela estava no veículo envolvido em acidente na noite desta quinta-feira na BR 282, em Paraíso.

Erci Antonio Terres, 48 anos, motorista perdeu o controle do veículo e bateu na ponte do Rio das Flores. Segundo o inspetor da Polícia Rodoviária Federal de Maravilha, Adelar Campos, foi constatado que o Erci estava embriagado. – O resultado do bafômetro foi de 1,06, ou seja, 10% a mais do limite permitido – disse Campos.

Ele foi preso em flagrante pela Polícia Civil e segundo o Delegado Rudinei Charão Teixeira, o homem foi encaminhado para Presídio de São Miguel do Oeste.


Comente aqui
13 jan11:08

Motorista embriagado é preso após acidente na BR 282, em Paraíso

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Erci Antonio Terres, 48 anos, motorista perdeu o controle do veículo e bateu na ponte do Rio das Flores, no Km 653, da BR 282 em Paraíso. O acidente foi por volta das 22h desta quinta-feira.

Segundo o inspetor da Polícia Rodoviária Federal de Maravilha, Adelar Campos, foi constatado que o Erci estava embriagado. – O resultado do bafômetro foi de 1,06, ou seja, 10% a mais do limite permitido – disse Campos.

Ele foi preso em flagrante pela Polícia Civil e segundo o Delegado Rudinei Charão Teixeira, o homem foi encaminhado para Presídio de São Miguel do Oeste.

Outras três pessoas que estavam no veículo foram encaminhadas para o Hospital Regional Terezinha Gaio Basso. Edinei Amauri Grzegrcik Werlang, 19 anos e Grazieli Kaiser Veiga, 12 anos, que tiveram lesões leves, receberam alta no início da manhã. Já Bruna Rodrigues Meireles, de 14 anos, permanece internada.




Comente aqui
13 jan08:43

Rios estão secos no Extremo Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O prolongamento da estiagem no Oeste vai consumindo a água até dos rios, agravando a situação de milhares de agricultores. Em Belmonte um dos principais rios, o Lajeado Tabajara, já não tem mais água correndo no seu leito. Até parece uma estrada cheia de pedras. O agricultor José Luís Borges dos Santos caminha pelo local e mostra onde normalmente ficava o leito. –Tinha mais de meio metro de água- explicou.

O rio servia para abastecer as quatro vacas, que agora recebem água da rede de um poço artesiano, que é servida num bebedouro. –Nossa rotina é tratar os bichinhos e esperar a chuva- disse Dair dos Santos, mulher de José.



Rio tabajara, que corta três comunidades em Belmonte, está seco. O agricultor José Luis Borges dos Santos tem que dar água para o gado em bebedouros.



Até o peixes morreram. Sobraram apenas algumas poças Dair utiliza para lavar algumas roupas. É uma forma de economizar o precioso líquido. –Nunca vi o rio tão seco- diz. A família Santos teme ficar sem alimento para o gado, já que a lavoura de milho foi perdida e a pastagem do campo está secando. –O sol está matando tudo- lamentou José.

O extensionista da Epagri em Belmonte, Evandro Carlos Decol, disse que outro rio importante do município, o Belmonte, também está ficando sem água. E os afluentes já secaram. Cerca de 50 famílias dependem do transporte de água da Prefeitura.

>> Santa Catarina vai receber R$ 10 milhões para combater a seca

>> 75 municípios em situação de emergência

As maiores perdas são na lavoura de milho, que em média oscilam entre 70 e 75% segundo Decol. O agricultor Carlinhos Godóe teve perdas que superam 90%. Ele pretendia colher 1,5 mil sacas de milho em 10 hectares. –Não vai dar 100 sacas- lamenta. Ele até está tentando fazer silagem para o gado e assim aproveitar o que sobrou das espigas e da palha. A junta de bois tenta aproveitar para comer as plantas secas. Godóe tem R$ 7,9 mil em financiamento e espera ser isentado pois não tem como pagar. Ele aguarda o laudo da Epagri para encaminhar o pedido do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro). –Vamos ver se a gente ganha alguma coisa- explicou.

Na residência da família, a água da fonte só chega à noite. Sua mulher, Judite Godóe, armazena o que pode num reservatório, para utilizar no dia seguinte. E economiza ao máximo. Ela primeiro lava as roupas mais limpas e reutiliza a água para lavar as mais sujas.

O gerente regional da Epagri em São Miguel do Oeste, João Carlos Biasibetti, disse que as perdas maiores são na agricultura familiar, onde a quebra é de 60% no milho e 30% no leite. O laticínio Terra Viva teve uma redução de 20% na captação de leite.


Pastagens estão morrendo

A falta de chuva pode ser observada nas pastagens do Extremo Oeste, que estão morrendo. O gado tenta encontrar algum broto verde no meio das folhas de grama que já estão brancas. A costelas dos animais já começam a aparecer.



A costelas dos animais já começam a aparecer.



–Eles perderam 30% do peso- lamenta o agricultor José Mayer.

A fonte modelo Caxambu já secou. E no rio Lajeado Tabajara, que serve para os animais beberem, restam só poças. Se não chover nos próximos dias ele vai ter que tirar água do consumo humano, que vem por uma rede comunitária, para dar aos animais.

Mayer tem 19 bovinos, quatro cavalos e duas ovelhas. Como não tem mais pasto ele está cortando o milho que não serve mais para a produção de grãos.-A lavoura se foi, não vai mais produzir- sentenciou. O problema é que ele perdeu os R$ 2.780 que investiu na lavoura e não tem cobertura de seguro. Além disso está devendo R$ 1,3 mil. Para piorar, a renda com a produção de leite caiu cerca de 20%. Ele tirava 1,2 mil litros por mês e agora estão em mil litros, o que garante um ganho de apenas R$ 780, sem contar as despesas.

–Não sei como vamos passar o ano- refletiu. Ele investiu todas suas economias na lavoura e perdeu tudo. Mayer espera algum auxílio, nem que seja divino. –Nem que seja Deus que dê uma mão pra gente- concluiu.


Dois meses sem chuva

-A última chuva boa foi no dia 21 de novembro- lembra o agricultor Egídio Volpato, de Belmonte.

O poço que abastecia a casa já secou e ele depende agora do transporte de caminhão pipa da prefeitura. Sua mulher, Inês, não lava mais a louça com a torneira aberta.

–Lavo tudo dentro de uma bacia para economizar- disse.



Dair dos Santos lava roupa no rio por falta de água.



O açude da propriedade, lembra o nordeste brasileiro. –Sobrou só 5% da água- calculou Volpato. Na borda do reservatório, o solo está todo rachado. E a pastagem em volta, está morrendo. –Não tem mais pasto- mostra o agricultor. Ele teme ficar sem alimentação e sem água para as 26 cabeças de gado que tem na propriedade. A lavoura de milho, nem sabe se vale a pena colher. –Não sei se vai cobrir o custo- explicou.

Em São Miguel do Oeste choveu um pouco mais, mas não muito. Em dezembro a Epagri registrou 53 milímetros. De acordo com o gerente regional da Epagri, João Carlos Biasibetti, isso representa 1/3 do normal. Em janeiro, a situação é ainda pior. Foram apenas 16,4 milímetros até ontem. As nuvens rondavam a região ontem mas até o final da tarde haviam caído apenas alguns pingos em pontos isolados. A previsão era de 5 milímetros de chuva.

–Isso não dá pra nada, é chuva para um dia- calculou Biasibetti. Volpato disse que seriam necessários 50 milímetros para recuperar os pastos. E com chuvas regulares a cada semana. Caso contrário a estiagem vai ficando cada vez pior.



1 comentário
12 jan11:08

PM de São Miguel do Oeste faz operação

A Polícia Militar realizou na tarde desta quarta-feira uma operação de caráter preventivo nos bairros São Luiz e Salete em São Miguel do Oeste. O objetivo foi de identificar pessoas em circulação e veículos em atitude suspeita, e principalmente garantir a segurança dos moradores destes bairros.

Segundo os policiais a operação foi desencadeada nestes locais após a realização de um levantamento estatístico que indica os bairros como locais de maior incidência de ocorrências policiais da cidade.

Foram realizadas patrulhas a pé no interior das favelas que existem nestes bairros, montadas

barreiras para abordagem de veículos em trânsito e vistorias em bares, onde além dos frequentadores serem revistados os alvarás de funcionamento também foram verificados.

Foram abordadas 22 pessoas nas patrulhas, vistoriados nove veículos nas barreiras e dois bares. Não foi encontrada nenhuma irregularidade durante a operação.


Comente aqui
11 jan15:41

Vagas para técnico em enfermagem no Hospital Regional de São Miguel do Oeste

O Hospital Regional do Extremo Oeste Terezinha Gaio Basso, em São Miguel do Oeste, possui vagas abertas para técnico em enfermagem.

Interessados devem deixar o currículo, na recepção da administração do Hospital, até o dia 20 de janeiro ou encaminhar para o e-mail: juliana@hospitalregionalsaocamilo.org.


Comente aqui
10 jan14:48

São Miguel do Oeste inaugura terceira torre de Internet

O governo de São Miguel do Oeste, por meio da secretaria de agricultura, pecuária e meio ambiente, inaugura nesta quarta-feira, dia 11 de janeiro, às 20h, no salão comunitário da Linha Barra do Guamirim, a terceira torre do programa O Futuro ao Alcance de Todos.

De acordo com o prefeito Nelson Foss da Silva, através deste programa a administração tem oportunizado acesso à internet para as famílias que residem no interior do município.

Até o momento foram beneficiadas com este programa 118 famílias das Linhas Canela Gaúcha, Três Barras, Lajeado Direito, Fátima, Campo Salles, Santana, Caxias, Pérola, Emboaba, Alto Guamirim, Santa Catarina, Barra do Guamirim e Cruzinhas.

O investimento do município chega a R$ 26 mil.


Comente aqui
09 jan09:26

Três pessoas morrem em acidente na BR 282 em Iraceminha

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O acidente foi por volta das 6h da manhã desta segunda-feira, no Km 625 da BR 282 em Iraceminha. Segundo a Polícia Rodoviária Federal de Maravilha, o veículo, com placas de Estrela/RS, fazia sentido Maravilha-São Miguel do Oeste quando saiu da pista, capotou e colidiu em uma árvore. Três pessoas morreram.

O condutor Marcio do Nascimento Martins, 29 anos, e as passageiras Marili Isabel do Nascimento Borges, 24 anos e Jessica Carolina do Nascimento Borges, 16 anos, morreram no local.

O passageiro Matheus do Nascimento Martins, 16 anos, teve lesões graves, foi socorrido e encaminhado para o Hospital São José de Maravilha.


Comente aqui
06 jan09:03

Torneiras secas em Seara

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Os efeitos da estiagem no Oeste já começam a ser sentidos também nas torneiras dos moradores da zona urbana. Quatro municípios estão fazendo rodízio no abastecimento de água: Seara, Anchieta, Guaraciaba e São Miguel do Oeste.

Seara ontem decretou situação de emergência aumentando para 56 o número no Estado. A cidade foi dividida em duas partes e cada uma recebe água apenas 12 horas por dia. De acordo com o chefe da agência local da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), Marcelo Cozer, o rio Caçador, que abastece a cidade, diminuiu a vazão em 70%. Com isso a produção de água tratada está em apenas metade da demanda de 120 litros por hora.

>> Governador anuncia R$ 1,25 milhão para municípios atingidos com a estiagem

Com isso a água acaba não chegando nas partes mais altas da cidade. A Casan está abastecendo cerca de 50 famílias com caminhão-pipa. O problema se agravou em virtude de um problema no poço profundo que tem vazão suficiente para atender toda a cidade. Em dezembro uma bomba queimou e, quando foram trocá-la, a tubulação e a bomba caíram a uma profundidade de 103 metros.

O superintendente regional de negócios da Casan no Oeste, Écio Bordignon, disse que uma empresa deve ser contratada hoje para fazer a retirada do material para poder colocar o poço novamente em funcionamento.

Em São Miguel do Oeste o Rio Cambuim secou e a cidade está sendo abastecida apenas com um poço profundo do Aqüífero Guarani, que produz 130 mil litros por hora, pouco mais da metade da demanda da cidade. O fornecimento foi dividido em 12 horas para a parte alta da cidade e 12 horas para a parte baixa.

O esquema é o mesmo em Anchieta, onde também secaram os mananciais que abastecem a cidade. Em Guaraciaba o problema é a vazão dos poços artesianos que diminuem o fornecimento de água nesse período. A Casan aumentou a perfuração de dois poços, de 150 para 300 metros, e conseguiu aumentar um pouco a vazão. Mesmo assim são efetuadas manobras de registro em que os moradores ficam de seis a oito horas sem água por dia

-Nossa avaliação é que a cada dia a situação preocupa mais- disse Bordignon. Ele informou que a Casan está adotando algumas medidas emergenciais que são a perfuração de poços em Iporã do Oeste, Modelo, Anchieta, Guaraciaba, Videira, Palmitos, São Domingos e Descanso.


Aproveitando a água da chuva

Sem receber água da rede, muitos moradores de Seara aproveitaram para guardar um pouco de água da chuva de ontem em baldes e bacias. Lourdes Antunes, moradora do bairro Bela Vista, colocou o balde na goteira e começou a esfregar a calçada. Afinal, ela tem que aproveitar cada gota. Ela ficou três dias sem água e ontem recebeu um pouco do caminhão pipa da Casan. Seu marido, Domingo Antunes, disse que chegou a ficar sem banho em alguns dias. O filho, Gilmar Antunes, foi nos vizinhos. Para lavar a louça e beber a família vai no centro da cidade e enche litros usados de refrigerante.

O vizinho Décio Gasperin chegou a comprar uma caixa de água nova para tentar construir a cisterna. Mas ele não tinha montado o sistema até a chuva de ontem e conseguiu armazenar muito pouco. A torneira da rede da Casan geralmente está sem água. Desde segunda-feira passada ela jorrou o líquido só no sábado e no domingo. –Chegamos a tomar banho com regador- disse Janice Gasperin. E a água do banho ainda é captada numa bacia, para ser utilizada no vaso sanitário. A família não recebeu água nem do caminhão-pipa. –A gente paga só o vento- reclama Janice. A roupa suja ela leva para a casa dos pais, que moram distante 10 quilômetros, no interior de Seara.

O agricultor Ernesto Tochetto também recolheu um pouco de água com um balde. Para ele a chuva até que foi boa. É que ele tem uma fonte na propriedade e, com a chuva, deve melhorar a vazão. –Vai resolver por uns três a quatro dias- explicou. Mas, na lavoura de milho, a chuva não recupera as perdas de 30 a 40%.





Comente aqui
04 jan17:21

Inscrições para programa Adubação Verde iniciam dia 10 de janeiro

Inicia no dia 10 de janeiro as inscrições para o programa Adubação Verde, da secretaria de agricultura, pecuária e meio ambiente de São Miguel do Oeste.

Os interessados em receber este benefício devem retirar na secretaria a autorização para recebimento das sementes de aveia preta e branca, azevém, ervilhaca e nabo, nos meses de março e início de abril.

Conforme o secretário Atílio Stolarski, o programa tem por objetivo oportunizar cobertura de solo (proteção), adubação verde e pastejo animal nas propriedades rurais do município.

Podem fazer a inscrição e retirar autorização os produtores rurais que possuem Inscrição Estadual, e sem dívida ativa ou pendências na fazenda municipal.


Comente aqui
04 jan11:31

Acessibilidade nas escolas estaduais de São Miguel do Oeste

As 17 unidades escolares que foram beneficiadas com o projeto de adequação nos itens acessibilidade e preventivo contra incêndio estão com cerca de 30% das obras estão concluídas. Na terça-feira, dia 03, o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de São Miguel do Oeste, Wilson Trevisan, visitou algumas escolas para ver o andamento das obras. O gerente de Infraestrutura, engenheiro civil Fernando Roberto Vidor, acompanhou a visita.

Segundo o secretário regional, ao todo, o Governo do Estado investiu cerca de R$ 1,8 milhão. – O período de férias escolares é adequado para as obras. Desta forma, as aulas não são prejudicadas e vamos iniciar o ano letivo de 2012 com a maioria das escolas tendo acessibilidade e preventivo contra incêndio – desta Trevisan.

A previsão da SDR é de iniciar o ano letivo com mais de 50% das obras concluídas.

As unidades de ensino que receberam os projetos são: de São Miguel do Oeste: a EEB Alberico Azevedo, a EEB Jaldyr Bhering da Silva, a EEB Santa Rita, o Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja), a EEB São João Batista, a EEB São Sebastião e o Centro de Educação Profissional Getúlio Vargas; de Paraíso: a EEB Adolfo Silveira; de Bandeirante: a EEB Hélio Wassum; de Barra Bonita: a EEB Professora Cecília Lotin; de Guaraciaba: a EEB Julio Vicente de Pelegrin, a EEB Ouro Verde, a EEB Nereu de Oliveira Ramos e a EEB Sara Castelhano Kleinkauf; de Descanso: a EEB Everardo Backheuser e a EEB Itajubá e de Belmonte: a EEB Francisco Brasinha Dias.

Trevisan esclarece ainda que as EEB São Miguel e Guilherme Missen de São Miguel do Oeste, não foram contempladas com os itens de acessibilidade e preventivo, pois estão com os projetos de reforma geral encaminhados.



Comente aqui