clicRBS
Nova busca - outros

SC

05 dez08:55

Máxima pode chegar a 36ºC no Oeste

Santa Catarina tem mais uma manhã de temperaturas elevadas. Assim como na terça-feira antes mesmo das 7h os termômetros já marcam mais de 20ºC. Durante o dia, a máxima pode chegar a 36ºC.


Confira as temperaturas por volta das 7h*

Florianópolis: 24,5ºC

Criciúma: 21,8ºC

Blumenau: 24,4ºC

Joinville: 24,3ºC

Lages: 21,1ºC

Chapecó: 20,3ºC

*Dados das estações meteorológicas do Grupo RBS


A previsão para o restante do dia é de tempo seco e quente em Santa Catarina. O sol, porém, aparece entre nuvens na maioria das regiões.


>> Acompanhe mais informações no Blog do Puchalski


De acordo com a Epagri/Ciram — órgão que monitora as condições meteorológicas no Estado —, pode haver pancadas de chuva, entre a tarde e a noite, típicas de verão.

A temperatura muito elevada varia entre 34ºC e 36ºC no Oeste, Vale do Itajaí e Litoral.

De acordo com nota meteorológica da Epagri/Ciram, este forte calor que tem atingido Santa Catarina neste primeira semana de dezembro se deve a uma massa de ar seco e quente que atua sobre o Estado. As temperaturas devem se elevar ainda mais nos próximos dias, podendo chegar a 40ºC na quinta e sexta-feira.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
03 dez08:54

SC já calcula prejuízos com nova estiagem no Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A agricultura de Santa Catarina encerra o ano da mesma forma que iniciou: enfrentando problemas de estiagem. Quatro municípios já decretaram emergência: Irani, Jaborá, Ipira e Herval do Oeste. Em algumas cidades, como Videira, choveu menos de 10% da média histórica.

A hidrelétrica de Machadinho, em Piratuba, suspendeu a geração de energia. A perda no milho já chega a 10%, segundo o presidente da Companhia Integrada para o Desenvolvimento Agrícola (Cidasc), Enori Barbieri, vice-presidente da Faesc.

Ele destaca que, além da quebra, o milho está quase um mês atrasado, em virtude de problemas no plantio, o que agrava a crise no Estado. O grão está cotado em R$ 35 em Chapecó, o dobro do valor de dois anos atrás.

Barbieri afirma que SC precisa implementar uma política de estímulo ao plantio do milho. Os pedidos do Estado junto ao governo federal também surtiram pouco efeito, já que veio apenas 140 mil toneladas para uma demanda de 1,8 milhão.

O analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri, Francisco Heiden, estima as perdas do milho entre 8% e 10%. Além disso, ele projeta um quebra de 8% a 12% na produção de leite, parte em virtude da fase de transição das pastagens, mas, principalmente, devido à falta de chuva.

A técnica em meteorologia do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de SC (Ciram), Laís Fernandes, diz que há uma previsão de chuva próxima da média histórica.

— Não dá para dizer que vai ser uma estiagem — avalia Laís.

Na estiagem passada, que durou entre novembro de 2011 e junho de 2012, foram afetadas 800 mil pessoas em 152 municípios, com prejuízo de R$ 770 milhões. Muita coisa foi prometida, mas nem tudo foi cumprido.

O secretário de Agricultura, João Rodrigues, destaca que, em dezembro, será licitada a compra de 117 tratores e cem distribuidores de adubo líquido. E os municípios devem entregar a documentação para a perfuração de poços até o final do mês.


O que veio

- R$ 5,3 milhões, R$ 456,8 mil do Fundo Estadual da Defesa Civil e o restante do governo federal para compra de tanques, água mineral, purificadores e motobombas

- R$ 2,7 milhões do governo estadual para auxiliar nos serviços contra a estiagem, principalmente transporte de água.

- R$ 5 milhões do programa Juro Zero investidos na construção de 248 cisternas. Tem mais R$ 5 milhões disponíveis

- R$ 400 para 64 mil famílias beneficiadas pelo bolsa estiagem do governo federal. Ficaram de fora entre 10 mil e 15 mil famílias

- R$ 10 mil por família de crédito do governo federal, com juro de 1% ao ano e bônus de 20% para quem pagar em dia

- R$ 800 milhões do Proagro para o Sul

- Dívidas prorrogadas


O que falta chegar

- R$ 10,9 milhões para aquisição de 117 tratores e 100 distribuidores de adubo líquido para transporta água para os interior dos municípios de um convênio com Ministério da Agricultura e Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca (R$ 9,7 milhões) e contrapartida do governo do Estado (R$ 1,15 milhão)

- R$ 9,9 milhões do Ministério da Integração Nacional e Secretaria de Estado da Defesa Civil com R$ R$ 1,1 milhão de contrapartida do governo do Estado para perfuração de 336 poços com bombas d´água e reservatórios de 20 mil litros para 99 municípios

- R$ 60 milhões do Programa Caminhos do Desenvolvimento anunciado pelo governo do Estado (parte de um empréstimo de R$ 611 milhões com o BNDES) para minimizar os efeitos da estiagem.


O que não veio

- Anistia de dívidas

- Seguro que garantisse renda ao agricultor em caso de perdas e não somente cobrisse o financiamento

- Milho suficiente. Veio apenas 10 mil toneladas para uma demanda de 1,8 milhão de toneladas.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
28 nov08:41

Quarta-feira é de sol e temperaturas passam dos 30°C em SC

A quarta-feira é de sol e calor em Santa Catarina. Com poucas nuvens no céu, os termômetros variam entre 28°C e 30°C em cidades do Sul e Oeste. Segundo a Epagri/Ciram, o Litoral Sul pode ter 33°C. E mesmo nos municípios mais altos da Serra, as temperaturas ficam elevadas à tarde, na casa dos 26°C. Ao final do dia o tempo deve fechar em algumas regiões.

— Entre a tarde e noite há chance de pancadas bem isoladas de chuva entre a Serra e o Litoral devido ao aquecimento e deslocamento de uma frente fria pelo oceano — explica o meteorologista da RBS Leandro Puchalski.


Veja a previsão por regiões:

Grande Florianópolis - céu com poucas nuvens e temperatura de 30°C à tarde. À noite há chance de chuva.

Extremo Oeste - calor pode chegar aos 32ºC. Predomínio do sol.

Oeste - termômetros marcam 30ºC à tarde. Dia de sol com poucas nuvens.

Meio Oeste - máxima deve alcançar os 30ºC. Dia de sol.

Planalto Sul - temperatura de 26ºC à tarde e predomínio de sol.

Litoral Sul - região mais quente do Estado nesta quarta. Calor chega aos 33ºC. Dia de sol com poucas nuvens.

Vale do Itajaí - temperatura chega aos 30ºC. Dia de céu limpo e com poucas nuvens.

Planalto Norte - termômetros marcam 30ºC à tarde. Predomínio de sol. Chance de chuva à noite.

Litoral Norte - chance de chuva no fim do dia. Termômetros à tarde chegam aos 30ºC.


No amanhecer desta quarta-feira as temperaturas foram baixas em cidades na região de Lages (em torno de 15°C). No Norte, Joinville marcou 20°C às 8h. Municípios na região de Criciúma e Florianópolis começaram o dia com temperatura na casa dos 21°C. Blumenau e Chapecó amanheceram com termômetros marcando 19°C.


Restante da semana

A previsão para quinta-feira indica sol entre nuvens em SC. Ao longo do dia a nebulosidade aumenta em todas as regiões. As temperaturas seguem elevadas.

Já na sexta-feira a nebulosidade predomina e o sol menos. As temperaturas não sobem tanto, mas SC ainda terá aquecimento à tarde. Chance de chuva em cidades do Sul, próximas à divisa com RS, e também na faixa entre o Oeste e a Serra.


DIÁRIO CATARINENSE




Comente aqui
19 nov09:22

Semana começa com sol entre nuvens e temperatura elevada em Santa Catarina

A semana começa com sol em Santa Catarina. Durante o dia, porém, o aumento de nuvens pode provocar pancadas isoladas de chuva entre a tarde e a noite.


::: Confira mais informações no Blog do Puchalski


Nas primeiras horas desta segunda-feira a temperatura na Grande Florianópolis já chega a 22ºC, e a previsão indica que a máxima no decorrer do dia é de que chegue a 26ºC.


Confira outras temperaturas por volta das 7h*

Criciúma: 17,7ºC

Blumenau: 19,1ºC

Joinville: 18,7ºC

Lages: 14,4ºC

Chapecó: 18,8ºC

(*Dados das estações meteorológicas do Grupo RBS)


Nas demais regiões o dia também deve ser quente podendo chegar aos 30ºC no Oeste e Extremo-Oeste. No Meio-Oeste a máxima pode chegar a 29ºC e a 27ºC no litoral Sul, Vale do Itajaí e Litoral Norte.

Na terça-feira deve haver um aumento de nebulosidade, principalmente durante a tarde. Isso porque uma frente fria se desloca pelo oceano influênciando o tempo no Estado. No Litoral, pode ocorrer chuva durante a noite.

DIÁRIO CATARINENSE


Comente aqui
15 nov09:34

SC terá quatro novas malhas ferroviárias

Alessandra Ogeda | alessandra.ogeda@diario.com.br

O governo federal confirmou que Santa Catarina terá quatro novas ferrovias percorrendo o Estado por meio do Programa de Concessões de Ferrovias e Rodovias. Duas delas confirmadas para passar por Mafra, com projetos que haviam sido divulgados em agosto. Outras duas, que vão partir ou passar por Chapecó, estão em fase de estudo pela Valec, empresa pública vinculada ao Ministério do Transporte.

A ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti, esclareceu nesta quarta-feira, através de nota, que as duas novas malhas ferroviárias do programa previstas para passar por Mafra estão confirmadas. E informou a novidade sobre a decisão de ser feita a Ferrovia do Frango.

Por telefone, o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, confirmou que está em fase de estudo, pela Valec, a execução da Ferrovia do Frango e uma nova malha ferroviária Norte-Sul através do Oeste — informação divulgada pelo DC em reportagem no último dia 7. Esta última obra sairia de Panorama (SP), passaria por Cascavel (PR), Chapecó, Erechim (RS) e finalizaria no porto de Rio Grande (RS).

— Todos estes projetos são de bitola larga. Prevemos ferrovias modernas, diferente das que existem hoje em Santa Catarina — explicou Figueiredo.

De acordo com o presidente da EPL, já existe uma decisão do governo de que os dois projetos que incluem Chapecó serão feitos. A dúvida está sobre o traçado para a Ferrovia do Frango.

— Teremos uma ferrovia ligando Chapecó aos portos de São Francisco do Sul e Itajaí. O que estamos discutindo é se esta ligação será feita pelo Vale do Itajaí ou por Mafra. A ideia preliminar é a segunda opção, porque utilizaríamos a ferrovia atual entre Mafra e São Francisco, mas modernizando-a — contou.

Segundo Figueiredo, a escolha sobre um trajeto ou outro será determinada pelo estudo técnico que será contratado pela Valec em dezembro. O assunto será debatido com o governo catarinense. As duas ferrovias previstas para passar por Chapecó seriam feitas através do novo modelo de concessão lançado pelo governo, por intermédio da iniciativa privada, nos mesmos moldes dos dois novos projetos previstos para Mafra.

— O presidente da EPL me confirmou esta boa notícia. Esta será a quinta malha ferroviária em Santa Catarina, que passará a ser um dos estados brasileiros com melhor infraestrutura instalada de transporte de carga por trilhos — declarou, através de nota da assessoria de imprensa, Ideli Salvatti, ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República.

O deputado Pedro Uczai esteve, nesta quarta-feira, em uma reunião com Paulo Sérgio Passos, ministro dos Transportes, para tratar sobre o tema. De acordo com o deputado, a audiência foi positiva, porque deu a segurança de que os projetos previstos pelo governo vão atender aos estados com ramais pelo litoral e pelo interior.


Novas ferrovias em SC

Já incluídas no Programa de Concessões de Ferrovias e Rodovias:

— Saindo de São Paulo, passando por Ponta Grossa (PR), Mafra, Porto Alegre (RS) e chegando no Rio Grande (RS);

— Saindo de Maracaju (MS), passando por Cascavel (PR) e chegando até Mafra.

Que serão incluídas no programa de concessões após finalizados os estudos de viabilidade pela Valec:

— Chapecó até os portos de São Francisco do Sul e Itajaí — neste caso, o traçado ainda será definido pelo estudo, podendo passar pelo Vale do Itajaí ou por Mafra;

— Panorama (SP), Cascavel (PR), Chapecó, Erechim (RS) e chegando a Rio Grande (RS).


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
08 out10:08

Semana começa com tempo estável e temperatura pode chegar a 34ºC em Santa Catarina

Diferente da condição que predominou em Santa Catarina na semana passada, a segunda-feira amanhece com o tempo estável. Isso porque uma massa de ar quente e úmido favorece o predomínio do sol entre algumas nuvens.


Temperatura em algumas localidades por volta das 7h30min*

Florianópolis: 21,2ºC

Criciúma: 20,1ºC

Blumenau: 21,4ºC

Joinville: 22ºC

Chapecó: 21,3ºC

*Dados das estações meteorológicas do Grupo RBS

De acordo com a Epagri/Ciram — órgão que monitora as condições meteorológicas em Santa Catarina — a semana começa com temperatura elevada e sensação de ar abafado podendo chegar a 34°C no Litoral Sul.

Na Grande Florianópolis a máxima deve ser de 28ºC e no Estremo-Oeste pode chegar a 32°C. Já no Vale do Itajaí os termômetros podem indicar 29ºC.

::: Leia mais no blog do Leandro Puchalski

A terça-feira deve ter o predomínio de sol. Entre a tarde e noite, porém, deve pode haver um aumento de nuvens com pancadas isoladas de chuva e trovoadas, devido ao forte aquecimento e aproximação de uma frente fria.

A Epagri/Ciram alerta para o risco de temporal especialmente nas áreas mais próximas ao Rio Grande do Sul. A temperatura segue elevada, com sensação de ar abafado.

DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
03 out17:54

Governo autoriza compra de milho para abastecer SC

O governo federal decidiu na terça-feira, no final da tarde, editar uma portaria interministerial, envolvendo os ministérios da Fazenda, Planejamento e Agricultura, para garantir o abastecimento de 150 mil toneladas de milho para produtores de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e dos estados do Nordeste. A medida ainda não tem data definida para entrar em vigor, mas é vista como insuficiente por lideranças do setor do agronegócio em SC.

A decisão foi tomada em uma reunião no Ministério da Fazenda, em Brasília. Participaram do encontro, que durou cerca de uma hora e meia e que terminou no final da tarde, o titular da pasta, Guido Mantega, e o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, além de técnicos da União.

Para garantir o abastecimento, o governo federal optou por realizar leilões, nos quais vai estipular o valor do milho, embutindo o custo do transporte. Quem arrematar o lote terá de se comprometer a entregar o grão em locais determinados, onde o pequeno produtor poderá comprar o milho por um valor mais baixo. Com isso, a União tenta subsidiar, indiretamente, o frete e conter a crise que assola as economias catarinense, gaúcha e nordestina.

Segundo o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Caio Rocha, a intenção é normalizar o abastecimento até dezembro. As 150 mil toneladas do grão deverão sair do Mato Grosso e do Paraná. Segundo a assessoria de imprensa do ministério da Agricultura, a compra do milho será feita por meio de contratos de opção de venda público (COV). Esse tipo de modalidade dá a garantia para produtores de milho de que eles receberão um preço fixo do governo.

Das 150 mil toneladas previstas para serem compradas e distribuídas este ano, 75 mil serão adquiridas no Paraná e as outras 75 mil na Bahia, segundo a assessoria. A operação no Paraná servirá para abastecer Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e a na Bahia, aos estados nordestinos. A estimativa do governo é que sejam gastos R$ 98 milhões no programa.

Lideranças do setor em Santa Catarina não aprovaram o novo anúncio do governo federal. Para o presidente da Câmara da Agroindústria da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), Mário Lanznaster, a medida é “ineficiente e insuficiente”:

— As agroindústrias estão esperando esse milho para ontem. O que o setor precisa é de subsídio, seja reduzindo alguma tributação, seja o governo custeando R$ 5 para o transporte dos grãos do Brasil central. Medidas de socorro que seriam muito mais rápidas do que este novo anúncio.

O presidente da Cidasc, Enori Barbieri, lamentou a nova resolução vinda de Brasília. Para ele, o setor não pode ser contemplado com uma medida de apoio, mas deveria receber uma alternativa de socorro.

— Cada definição do governo tem um prazo de carência. Até estes leilões acontecerem, até toda a burocracia ser resolvida, o processo vai levar mais de 30 dias. E os produtores não vivem apenas uma crise do milho, mas financeira. Estão descapitalizados, sem acesso a linhas de crédito. Essas medidas são insuficientes para resolver o cenário de caos que vivemos em SC — avalia.

O resultado do cenário atual, segundo Barbieri, será o desaparecimento de muitas empresas de pequeno e médio porte que estavam se consolidando no Estado com o mercado favorável para as exportações. A tendência é que mais pessoas sejam demitidas e que o mercado fique mais concentrado. De acordo com Lanznaster, muitas empresas estão reduzindo o número de frangos abatidos.

— Com isso, vai faltar carne de frango no mercado. Consequentemente, os preços vão subir. E depois o governo, que não toma uma atitude para resolver o problema, vai querer nos culpar pelo aumento da inflação — critica o diretor da Fiesc.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
01 out14:15

Apesar da falta de especialistas, SUS atende mais rápido que planos de saúde em SC

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Na rede pública de Chapecó há opiniões divergentes sobre o atendimento. Alguns pacientes dizem que são atendidos rapidamente. Outros reclamam da demora. O que dá para perceber é que normalmente o atendimento é satisfatório para os procedimentos mais simples. O que complica é quando o paciente depende de especialistas ou alguns exames.


Em Chapecó, Silvana disse que conseguiu consulta para diabetes em 20 dias.



A corretora de imóveis Silvana Finger, é uma das que elogia o atendimento da rede pública de Chapecó.

– Não tenho do que reclamar – explicou.

Tanto que ela não tem nem plano de saúde. Silvana disse que conseguiu consulta para diabetes em 20 dias. Na quinta-feira ela foi consultar na unidade de Saúde do Centro, marcou exames para o dia 4 de outubro e retorno da consulta para o início de novembro.

Ela afirmou que teve outro problema de saúde, que necessitou de cirurgia, e fez tudo em dois meses, na rede pública. Outra vez que torceu o tornozelo, as enfermeiras iam até sua casa fazer os curativos.

A cabeleireira Salete Ernetti disse que abandonou o plano de saúde que tinha pois preferia o pediatra do Hospital Regional do Oeste, que atende pelo Sistema Único de Saúde. Mas reclama da falta de médicos que façam visita em casa, pois sua mãe tem 80 anos e fica só na cama. No posto de saúde da Colônia Cella, comunidade onde mora, não tem nem cadeira de rodas.

>> Faltam médicos para atendimento de especialidades pelo SUS

A funcionária pública Marilene Moura levou quatro meses para conseguir uma consulta com nutricionista. E com neurologista levou um ano.

– É muito demorado – reclama.

Outra paciente que buscou dermatologista, conseguiu consulta só para dezembro.

A encarregada administrativa Edite Pereira, que mora no bairro Santa Maria, disse que consultou no posto de saúde com um clínico geral no dia 16 de julho. Como teve trombose na virilha, necessitava de consulta com um especialista, o que não conseguiu até esta semana.

Seu atestado médico está terminando e, como não tem condições de voltar a trabalhar, vai tentar novamente um clínico geral.

Edite disse que as consultas com clínico geral não demoram. Quem acorda cedo e enfrenta fila consegue até atender na hora. Mas são apenas quatro a cinco fichas por dia no posto, segundo ela. Quem não consegue no dia tem consulta marcada na semana seguinte.



Comente aqui
01 out09:55

Previsão indica chuva em Santa Catarina

Um sistema de baixa pressão influencia Santa Catarina neste início de semana, mantendo o tempo instável com previsão de chuva e trovoadas no decorrer do dia na maioria das regiões.


Chapecó amanheceu com o céu nublado e temperatura alta.


 

Veja os dados registrados por volta das 7h:

Florianópolis: 15,1ºC

Criciúma: 14,8ºC

Blumenau: 16,8ºC

Joinville: 15,7ºC

Chapecó: 20,6ºC


De acordo com a Epagri/Ciram — órgão que monitora as condições meteorológicas no Estado —, há risco de temporal e granizo isolado especialmente no Oeste e Sul de Santa Catarina. A temperatura fica estável, com pequena variação durante o dia.

A máxima do Estado deve ser registrada no Extremo-Oeste: 25ºC. Na Grande Florianópolis os termômetros podem indicar 23ºC, assim como no Litoral Sul. No Vale do Itajaí, a temperatura pode chegar a 21ºC.


Sem grandes mudanças

Esta condição deve se manter na terça-feira. A instabilidade, porém, pode resultar em pancadas isoladas de chuva com trovoadas na maioria das regiões, especialmente entre a tarde e a noite.


>> Confira o Blog do Puchalski


De acordo com a previsão, a temperatura fica mais elevada com sensação de ar abafado devido a umidade alta do ar.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
29 set08:22

Governo Federal libera R$ 10 milhões em equipamentos para 100 municípios atingidos pela estiagem

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O Governo Federal anunciou a liberação de R$ 10 milhões para a compra de tratores e distribuidor de adubo líquido para 100 municípios catarinenses atingidos pela estiagem. A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse que o dinheiro já está na conta do Governo de Santa Catarina. Os equipamentos servirão para o transporte de água nos municípios, em caso de nova estiagem. Os tratores tem potência de 75 cavalos e o distribuidor tem capacidade para seis mil litros. O Governo do Estado dará uma contrapartida de R$ 1,15 milhão nesse projeto.

De acordo com o secretário de Agricultura, João Rodrigues, o edital de licitação será lançado nos próximos dias e os equipamentos devem ser adquiridos em 60 dias.

Os municípios foram escolhidos pelo número de decretos de emergência, entre cinco e sete nos últimos dez anos. Alguns municípios como Chapecó, Abelardo Luz e Concórdia vão receber dois tratores, por terem maior extensão territorial e maior número de produtores.

>> Confira a lista dos municípios beneficiados

Ideli afirmou que outros R$ 10 milhões do Ministério da Integração Nacional devem ser disponibilizados nos próximos dias, para a perfuração de 336 poços artesianos. O edital de licitação já está pronto e deve ser lançado em outubro.

Além disso o Governo de Santa Catarina tem um empréstimo de R$ 60 milhões já aprovado no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. De acordo com João Rodrigues falta só a autorização para Santa Catarina lançar a licitação. Com este recurso serão adquiridos mais 162 distribuidores de adubo líquido, construídas quatro mil cisternas de 10 mil litros e perfurados outros 200 poços artesianos.

Metade dos recursos serão utilizados para subsidiar 30% dos custos de irrigação de até dois hectares, ou construção de cisternas grandes ou açudes. Neste caso os agricultores farão financiamento e o governo bancará parte dos projetos.

Os beneficiados serão os municípios que nos últimos anos tiveram decreto de emergência em virtude da estiagem.

Na estiagem do verão passado, foram 152 municípios em situação de emergência e perdas de mais de R$ 700 milhões na agropecuária.




Comente aqui