SC

03 mai09:22

Fenômeno responsável pela estiagem em Santa Catarina, La Niña chega ao fim

Agora, é definitivo. O boletim divulgado na segunda-feira, dia 30, pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), a repartição do governo dos EUA para estudos meteorológicos e climáticos, jogou a pá de cal sobre a mais recente ocorrência do La Niña. O fenômeno provoca o resfriamento das águas do Pacífico Central e responde por uma série de distúrbios no clima de todo o planeta — incluindo a estiagem que atinge Santa Catarina.

— Apesar de o fenômeno ter terminado, a chuva deve chegar gradativamente a Santa Catarina nos próximos meses — explica o meteorologista do Grupo RBS Leandro Puchalski.

O La Niña (faixa em azul) em ação no Pacífico Central numa imagem de satélite do fim do ano passado: fenômeno provoca estiagem em SC.

Embora a temperatura das águas oceânicas esteja dentro da normalidade, a atmosfera não reage instantaneamente e ainda pode apresentar um “comportamento de La Niña” durante as próximas semanas. Isso porque, explica Puchalski, ainda há ventos fortes na região equatorial do Oceano Pacífico.

Segundo o Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometereologia de Santa Catarina (Ciram/Epagri), desde novembro de 2011 a mal distribuição das chuvas pelo Estado gerou o cenário de estiagem, que provocou mais de R$ 777 milhões de prejuízos à agricultura. A região mais atingida é o Oeste do Estado, mas ao longo dos meses o fenômeno chegou ao Litoral Sul catarinense e Alto Vale do Itajaí. Já são 135 munícipios em situação de emergência no estado.

O Ciram calcula que entre março e os primeiros dias de abril choveu entre 25% a 80% abaixo da média prevista para estes meses. A previsão, de acordo com o Centro, é de que até junho as chuvas não alcancem a média nas regiões Oeste e Meio Oeste.

Mesmo que o La Niña tenha terminado, a cada boletim do NOAA, parece crescer a possibilidade do ressurgimento, já no segundo semestre deste ano, de outro vilão climático: o El Niño.

Primo-irmão do La Niña, esse evento provoca um efeito inverso no Pacífico Equatorial, aquecendo suas águas. O resultado também é um grave dessarranjo no clima planetário. Em algumas regiões do Brasil pode chover acima do normal, causando enchentes.

Por enquanto, das quatro regiões monitoradas no Oceano Pacífico (chamadas de Niño 1+2, Niño 3, Niño 3+4 e Niño4 ), apenas uma, a Niño 1+2, que fica na costa da América do Sul, tem apresentado aquecimento de 1,6°C acima do padrão normal. Segundo Estael, para que se configure um El Niño, é necessário que as quatro áreas estejam com temperatura pelo menos 0,5°C acima do normal, além da atmosfera apresentar comportamento correspondente a esse aquecimento. O processo pode iniciar entre o fim do inverno e começo da primavera de 2012.


DIÁRIO CATARINENSE



1 comentário
02 mai09:12

Quarta-feira deve ser de sol entre nuvens e temperaturas baixas em SC

O deslocamento da massa de ar polar em direção ao oceano começa a provocar uma leve alta nas temperaturas em todas as regiões de SC nesta quarta-feira. A previsão é de que o sol predomine sobre as nuvens durante boa parte do dia.

Mais detalhes no Blog do Puchalski

Segundo o órgão que monitora as condições climáticas, há condição de chuva isolada nas regiões litorâneas em função da umidade que chega do mar. Ao amanhecer, há formação de nevoeiros principalmente no Meio Oeste, Vale do Itajaí e Planalto.

O amanhecer continua sendo frio na Região Serrana. Por volta de 6h desta quarta, a mínima registrada pelas estações meteorológicas da Epagri era de 2,1ºC em Urupema, na Serra, e 5ºC em Monte Castelo, no Planalto Norte. Na região Oeste, em Chapecó os termômetros marcavam 6,9ºC no início da manhã.

Durante o dia, as temperaturas não devem passar de 20ºC em todas as regiões, com exceção da Grande Florianópolis, onde pode chegar a 23ºC, e no Litoral Norte, onde há possibilidade de chegar a 26ºC.

A partir desta quarta, as primeiras horas da manhã começam a ter elevação nas temperaturas, mas já não há previsão de registros negativos.

Para os próximos dias, a tendência é que o frio diminua, o que será mais perceptível durante as tardes, quando as temperaturas devem subir um pouco a cada dia.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
01 mai12:55

Concursos públicos em Santa Catarina têm 607 vagas abertas

Roberta Ávila

Seis concursos públicos estão com inscrições abertas para vagas em Santa Catarina. Os salários chegam a cerca de 7 mil reais para vagas na Prefeitura de Irani, Jaraguá do Sul e Lauro Muller. São 607 vagas, mais um número não definido de vagas no concurso da Força Aérea Brasileira, que tem vagas para Florianópolis.


Concursos:

Prefeitura de Irani

26 vagas

Salários de até R$ 3.059,86

Vagas para todos os níveis de escolaridade

Veja o edital


Prefeitura de Jaraguá do Sul

49 vagas

Salários de até R$ 6.995,30

Vagas para todos os níveis de escolaridade

Veja o edital


Prefeitura de Lauro Muller

44 vagas

Salários de até R$ 6.938,02

Vagas para todos os níveis de escolaridade

Veja o edital


Prefeitura de Palhoça

282 vagas

Salários de até R$ 5.023,15

Vagas para todos os níveis de escolaridade

Veja o edital


Companhia Melhoramentos da Capital – Florianópolis

206 vagas

Salários de até R$ 4.531,32

Vagas para todos os níveis de escolaridade

Veja o edital


Força Aérea Brasileira

140 vagas para todo o Brasil (inclui Florianópolis)

Salários de até R$ 6.000

Vagas para nível superior

Veja o edital


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
01 mai09:25

Estado briga pelo maior importador de carne suína

Gabrielle Bittelbrun | gabrielle.bittelbrun@diario.com.br

A Ucrânia pretende aumentar a importação de carne brasileira para 20 mil toneladas mensais, 80% suína e 20% bovina, e a preferência é de Santa Catarina, anunciou ontem a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, depois de uma reunião com representantes do setor.

Mas Santa Catarina pode não ter produção suficiente para abastecer o mercado ucraniano e os outros importadores de carne suína, segundo o representante do Sindicarne/SC no encontro, Ronaldo Müller.

A Ucrânia é o segundo maior importador mundial de carne suína e já é o principal comprador de Santa Catarina. E 20 mil toneladas a mais significa quase a metade de tudo que o Estado exportou no primeiro trimestre de 2012.

A Ucrânia comprava o produto pela Rússia, líder mundial de importação de suínos. Com o fechamento do mercado russo, que hoje importa apenas de dois frigoríficos catarinenses (Seara e Pamplona), o governo ucraniano busca novas alternativas, além de reduzir a dependência aos EUA nas importações.

O país do Leste Europeu está em fase de aproximação com o Brasil. O interesse é exportar tecnologia aeroespacial, combustíveis, medicamentos e até instalar uma fábrica de insulina em terras brasileiras.

O representante do Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados do Estado de Santa Catarina (Sindicarne-SC) e da empresa Seara e do Marfrig Group, Ronaldo Müller, destaca que, atualmente, o Estado exporta cerca de 8 mil toneladas de carne suína por mês. Aumentar essa demanda para 16 mil toneladas (80% das 20 mil toneladas) solicitadas pelo mercado ucraniano pode significar comprometer os outros fornecimentos.

— Não adianta exportar só para a Ucrânia. Temos um consumo interno grande, para o restante do país, e exportamos para vários países. Temos outros compromissos — ressaltou.

O Estado também não conseguiria atender, sozinho, os 20% de carne bovina, o equivalente a 4 mil toneladas mensais. A fim de atender às demandas imediatas, os outros dois estados do Sul podem complementar o fornecimento para a Ucrânia. Santa Catarina já tem fábricas habilitadas para fornecer as carnes para a Ucrânia.

Para Müller, o início das importações seria possível nos próximos 30 dias, dependendo apenas de negociações. O país do Leste Europeu tem pressa porque precisa abastecer o estoque para a Eurocopa, evento que sediará em junho, e a próxima reunião com os representantes catarinenses deverá ser feita no final desta semana, em Brasília.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
01 mai09:16

Programe-se: Quarenta festas para curtir o outono e o inverno em Santa Catarina

Nem só de verão vive Santa Catarina. O outono e o inverno também são propícios para a diversão em todo o Estado. Confira 40 festas e eventos marcados para ocorrer durante as estações de frio. Tire o casaco do guarda-roupa, prepare o cachecol e faça a sua programação:


Em Xanxerê segue até o domingo, dia 6, a 16ª Festa Estadual do Milho – Femi 2012. Confira a programação de shows.


O que fazer e onde ir até o fim do inverno:

* 1º Rally Serramar de Santa Catarina, de 2 a 5 de maio, em Laguna e Garopaba

* 19ª Festa Nacional da Maçã, de 3 a 7 de maio, em São Joaquim

* 22ª Expocentro, de 10 a 13 de maio, em Curitibanos

* 13ª Gemüse Fest, de 10 a 13 de maio, em Santa Rosa de Lima

* 24ª Winterfest (Festa do Inverno), de 11 a 13 de maio, em Jaraguá do Sul

* Festa do Divino Espírito Santo, de 17 a 28 de maio, em Penha, Florianópolis e Santo Amaro da Imperatriz

* 2ª Semana do Ecoturismo, de 18 a 27 de maio, em Urubici

* 20º Gemellaggio Urussanga/Longarone (Itália), de 25 a 27 de maio, em Urussanga

* Festa em Honra a Nossa Senhora do Caravaggio, de 26 a 27 de maio, em Nova Veneza

* 23º aniversário de Urupema, dia 1º de junho, em Urupema, cidade mais fria do Brasil

* 24ª Festa Nacional do Pinhão, de 1º a 10 de junho, em Lages

* Festa de Santo Antônio dos Anjos, de 1º a 14 de junho, em Laguna

* Semana das Manifestações Culturais e Artesanais, de 7 a 10 de junho, em Treze Tílias

* 14ª Festa do Vinho, de 7 a 10 de junho, em Urussanga

* 8ª Festa da Gastronomia Típica Italiana e Carnevale di Venezia, de 15 a 17 de junho, em Nova Veneza

* 9º Desafrio (Corrida de Montanha), dia 23 de junho, em Urubici

* Baile de São João, dias 23 e 24 de junho, em Urupema

* Rota Gastronômica, de 2 a 31 de julho, em Bombinhas, Itapema e Porto Belo

* 9º Festival de Inverno, de 2 a 8 de julho, em Campo Alegre

* 17º Festival de Inverno, de 4 a 22 de julho, em Gaspar

* 27ª Festa da Tainha, de 6 a 8 de julho, em Porto Belo

* 77ª Festa da Fogueira de São Pedro e São Paulo, de 7 a 15 de julho, em Porto União

* 5º Festival de Inverno (Pomeroder Winterfest), de 7 a 15 de julho, em Pomerode

* 19ª Festitalia, de 13 a 22 de julho, em Blumenau

* Carnaval de Inverno, 14 e 15 de julho, em Urussanga

* 8º Festival Gastronômico, de 17 a 22 de julho, em Pomerode

* 30º Festival de Dança, de 18 a 28 de julho, em Joinville

* Festival Gastronômico, de 21 a 29 de julho, em Treze Tílias

* 42ª Festa do Colono, 21 e 22 de julho, em Lontras

* 28ª Noite Italiana, 21 de julho, em Capinzal

* Deutsche Woche (Semana Alemã), de 22 a 28 de julho, em São João do Oeste

* 30ª Festa Nacional do Colono, de 25 a 29 de julho, em Itajaí

* Festa de Santa Ana, de 26 a 29 de julho, em Urupema, cidade mais fria do Brasil

* Festa da Tainha, de 28 a 30 de julho, em Imbituba

* Semana Cultural e Termalismo, de 7 a 12 de agosto, em Gravatal

* 15ª Festa do Pescador e 14ª Festa do Marisco, de 7 a 9 de setembro, em Bombinhas

* 16ª Festa Nacional do Pirão, dia 7 de setembro, em Barra Velha

* Semana Farroupilha, de 9 a 16 de setembro, em Praia Grande

* Semana Nacional da Baleia Franca, de 10 a 15 de setembro, em Imbituba

* Semana Farroupilha, de 14 a 20 de setembro, em Curitibanos


Fonte: Santur


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
30 abr12:05

Epagri alerta para possibilidade de geada na terça-feira em Santa Catarina

A manhã de terça-feira pode ser ainda mais fria em Santa Catarina do que a registrada nesta segunda. De acordo com a Epagri, órgão que monitora as condições climáticas, há possibilidade de geada e temperaturas de até -1ºC, principalmente entre o Oeste e o Norte.

Mais detalhes no Blog do Puchalski

A explicação é a presença de uma massa de ar frio e seco de origem polar sobre o Estado e que mantém o tempo seco e com temperaturas baixas, mesmo com algumas aberturas de sol ao longo dos dias.

As temperaturas mínimas devem variar entre -1 e 4°C nas áreas altas do Oeste, Meio-Oeste, Serra e Norte, com previsão de geada. No Litoral também há possibilidade de frio, com temperaturas mínimas variando entre 8 e 12°C.

Nos próximos dias, de acordo com a Epagri, somente o Litoral deve sofrer mudanças no tempo, com aumento de nuvens e condições de chuva isolada, especialmente no período noturno, por causa da circulação marítima.

Nesta segunda-feira, o amanhecer foi de 0,2ºC em Urubici, na Serra. Florianópolis teve 10,9ºC, o dia mais frio deste ano. Em todo o Estado, as temperaturas não passaram de 13,7ºC, valor registrado em Laguna, por volta de 6h desta segunda.

>> Confira as fotos do amanhecer com frio em SC

A primeira geada de 2012 em Santa Catarina foi registrada em 29 de março. O fenômeno climático aconteceu em Urubici.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
29 abr11:44

Domingo de semifinais no Campeonato Catarinense será de tempo seco e baixas temperaturas em Santa Catarina

O domingo de semifinais no Catarinense será marcado por baixas temperaturas em Santa Catarina. A previsão é de tempo seco em todas as regiões, com os termômetros variando entre 16°C e 23°C.

Mais detalhes no Blog do Puchalski

Pela manhã a temperatura mais baixa foi registrada no Oeste do Estado, com média de 10°C por volta das 8h em Chapecó. Em Florianópolis o domingo amanheceu com sol entre nuvens e temperatura de 16°C.


Veja como será o tempo nas regiões dos jogos:

Chapecoense x Avaí — Índio Condá às 16h

O domingo em Chapecó terá predomínio de tempo seco. O dia terá muitas nuvens, com apenas algumas aberturas de sol.

Faz frio desde o amanhecer. À tarde o termômetro não deverá passar muito dos 16ºC.


— Figueirense x Joinville — Orlando Scarpelli às 18h30min

A Capital terá predomínio de tempo seco, com sol aparecendo ao longo do dia. Não faz tanto frio, até porque no período da tarde teremos temperatura entre 21°C a 23ºC. Porém, como o jogo é no início da noite, os termômetros irão marcar temperaturas mais baixas. Atenção ao final do jogo, quando o frio será um pouco mais forte na região.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
27 abr10:10

Tempo permanece instável nesta sexta-feira em SC

A previsão é de mais chuva no final de semana em Santa Catarina. De acordo com o gerente de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil, Frederico Rudorff, a expectativa é de uma boa chuva, principalmente no Litoral Sul, onde as nuvens não foram generosas na quarta e quinta-feira.

Rudorff disse que está prevista uma reunião a partir das 14 horas de hoje com meteorologistas no Centro de Informações de Recursos Ambientais e Hidrometeorologia da Epagri, para avaliar a previsão de chuva nos próximos meses.

A previsão inicial é de pouca chuva ainda em mais o junho. A partir dessa reunião a Defesa Civil do Estado vai reavaliar as estratégias de combate à estiagem. A tendência é de redução das demandas. No entanto o órgão vai trabalhar em medidas permanentes de combate à falta de água.

O meteorologista Leandro Puchalski, da Central RBS de Meteorologia, também informa que maio deve começar com tempo seco. Mas depois a tendência é de ir normalizando.


Previsão do Tempo para o Estado

O tempo deve permanecer instável em SC nesta sexta-feira, apesar da possibilidade de menos chuva, segundo previsão da Epagri. O órgão que monitora as condições climáticas ainda aponta que as temperaturas podem chegar a 22ºC entre o Extremo-Oeste e o Oeste e 21ºC na Grande Florianópolis.

Para esta sexta, a previsão é de que seja grande a presença de nuvens em todas as regiões, com maior possibilidade de chuva nas cidades litorâneas. Esta condição climática ocorre em função da passagem de uma frente fria que provocou instabilidade e está se afastando do sul do Brasil.


>> Mais detalhes no Blog do Puchalski


Com isso, há chance de chuva em pontos no Leste e Norte do Estado, mas com baixos volumes. Nas demais regiões o dia será de tempo seco, com sol entre nuvens.

Os ventos sopram de sudeste a leste, com intensidade fraca a moderada com rajadas que podem chegar a 40 Km/h.

A previsão da Epagri ainda indica risco de chuvas fortes em Santa Catarina neste fim de semana para várias regiões.


DIÁRIO CATARINENSE


Comente aqui
27 abr09:48

Chuva começa a diminuir efeitos da estiagem

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A estiagem começa a dar sinais de que está indo embora. A chuva que ocorreu entre quarta-feira e ontem já trouxe alívio para grande parte de Santa Catarina. Em algumas cidades como Chapecó e São Miguel do Oeste choveu mais de 100 milímetros, o que representa o volume de quase um mês inteiro.

De acordo com o meteorologista Leandro Puchalski, da Central de Meteorologia da RBS, há 10 meses não chovia tanto em São Miguel do Oeste. O volume foi tão bom que resolveu momentaneamente o abastecimento de água nas áreas urbanas.

-O nível dos rios aumentou e o abastecimento está normal- informou o superintendente regional da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) no Oeste, Écio Bordignon. A Casan parou de puxar água de caminhão-pipa em Xaxim e Caxambu do Sul. Além disso outras cidades que estavam em risco, como Pinhalzinho, Dionísio Cerqueira e São Miguel do Oeste, a situação foi normalizada.

Até em Chapecó, onde a situação começava a preocupar, a barragem do Engenho Braunn, no Lajeado São José, recuperou cerca de dois metros e transbordava ontem à tarde. O mesmo ocorreu com a barragem do rio Caçador, em Seara.

O secretário de Defesa do Cidadão de Chapecó, Sérgio Wallner, disse que os 122 milímetros registrados na cidade praticamente normalizaram a situação. A chuva encheu as cisternas de cinco mil litros e 10 mil litros instaladas em sete comunidades do interior. O número de caminhões pipa, que eram oito, transportando 300 mil litros de água por dia, baixou para três, que devem transportar de 20 a 30 mil litros.

Para o gerente de Monitoramento e Alerta da Secretaria da Defesa Civil do Estado, Frederico Rudorff, o impacto da chuva no Estado foi bem positivo, pois foi acima do esperado. –Já começa a reverter o quadro- avaliou. Apenas no Litoral Sul a chuva foi insuficiente, ficando em menos de cinco milímetros em vários municípios.

No campo, apesar das prejuízos que já atingem R$ 777 milhões, a situação começa a melhorar. O agricultor Ivaldino Zarpelon, morador da Colônia Cella, em Chapecó, disse que o açude que chegou a ficar 60 centímetros abaixo do normal, acabou recuperando o nível com as duas últimas chuvas. –Só ontem acho que subiu uns 30 centímetros- calculou.

Zarpelon disse que a chuva foi boa e vai permitir o replantio da pastagem. No entanto a produção de leite, que caiu 25 a 30%, vai levar pelo menos dois meses para recuperar.


Hidrelétrica segue sem gerar energia

Mesmo em boa quantidade a chuva ainda não interrompe os efeitos da estiagem, como os prejuízos na lavoura e a interrupção de geração de energia. Em Machadinho o nível da barragem que estava 14 metros abaixo do nível máximo tinha recuperado apenas 15 centímetros até o início da tarde de ontem, segundo o gerente de operações das hidrelétricas de Machadinho e Itá, Elinton Chiaradia. –Precisa chover muito ainda para normalizar- disse Chiaradia. A hidrelétrica tem potencial de geração de 1140 megawatts, o suficiente para atender 45% da demanda de energia de Santa Catarina. Mas está parada desde o dia cinco de abril.

No entanto a chuva afastou o risco de paralisação da hidrelétrica de Itá, que é a maior de Santa Catarina, com 1450 megawatts. Itá foi inaugurada em 2000 e nunca tinha parado de gerar energia. Mas a falta de chuva já estava ameaçando seu funcionamento.

O número de municípios com decreto de situação de emergência subiu para 134. O último município a entrar na lista da Defesa Civil foi Vargem Bonita. Esse era o número que a Defesa Civil do Estado trabalhava no início da estiagem como o quadro mais grave, pois é a região onde historicamente há problemas com falta de chuva.

De acordo com o gerente de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil do Estado, Frederico Rodorff, a situação deve melhorar mesmo nos munícipios que decretaram situação de emergência recentemente, mas não estão descartados novos decretos, já que maio também é um mês de pouca chuva.


CHUVA ACUMULADA DE QUARTA-FEIRA E ONTEM

Porto União: 122 mm (mais que o normal do mês que é 90 a 100 mm)

São Miguel do Oeste: 117 mm (normal 160 a 180 mm)

Rio do Campo: 115 mm (mais que o normal do mês que é 90 a 100 mm)

Irineópolis: 103 mm (mais que o normal do mês que é 90 a 100 mm)

Novo Horizonte: 102 mm (normal 160 a 180 mm)

Rio Negrinho: 101 mm

Água Doce: 96 mm

Major Vieira: 90 mm

Blumenau: 63 mm

Florianópolis: 28,9 mm

Criciúma: 1,8 mm

Itajaí: 65,2 mm

Porto União: 126 mm


Fontes: Ciram/Epagri e Central de Meteorologia da RBS



Comente aqui
26 abr17:38

Vargem Bonita também decreta situação de emergência devido a estiagem em SC

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Com o decreto de Vargem Bonita no Meio-Oeste subiu para 134 o número de municípios em situação de emergência devido a estiagem em Santa Catarina. O estado sofre com a seca desde novembro do ano passado.

De acordo com a Defesa Civil do Estado já são 703.523 mil pessoas afetadas. Os prejuízos na agricultura e pecuária, conforme avaliação de danos de 124 municípios, dos 134 em situação de emergência, chega a R$ 668.231 milhões.

Nesta quinta-feira, a Epagri, que monitora as condições climáticas, registrou 117 milímetros de chuva entre 7h de quarta e 7h desta quinta-feira em São Miguel do Oeste. O volume representa aproximadamente 68% da média para o mês de março na cidade, que é de 170 mm. Segundo o órgão a chuva deve amenizar a estiagem na região.

134 municípios em situação de emergência

Abelardo Luz

Agrolândia

Água Doce

Águas de Chapecó

Águas Frias

Alto Bela Vista

Anchieta

Atalanta

Arabutã

Arroio Trinta

Arvoredo

Balneário Gaivota

Bandeirante

Barra Bonita

Belmonte

Bocaina do Sul

Bom Jesus

Bom Jesus do Oeste

Brunópolis

Caibi

Campo Erê

Campos Novos

Capinzal

Catanduvas

Caxambu do Sul

Celso Ramos

Chapecó

Concórdia

Cordilheira Alta

Coronel Freitas

Coronel Martins

Criciúma

Cunha Porã

Cunhataí

Descanso

Dionísio Cerqueira

Entre Rios

Erval Velho

Faxinal dos Guedes

Flor do Sertão

Formosa do Sul

Frei Rogério

Galvão

Guaraciaba

Guarujá do Sul

Guatambu

Herval d´Oeste

Ibicaré

Içara

Imbuia

Iomerê

Ipira

Iporã do Oeste

Ipuaçu

Ipumirim

Iraceminha

Irani

Irati

Itá

Itapiranga

Ituporanga

Jaborá

Jardinópolis

Joaçaba

Jupiá

Lacerdópolis

Lajeado Grande

Lindóia do Sul

Luzerna

Macieira

Maracajá

Maravilha

Marema

Meleiro

Modelo

Mondaí

Nova Erechim

Nova Itaberaba

Novo Horizonte

Ouro

Ouro Verde

Paial

Palma Sola

Palmitos

Paraíso

Passos Maia

Peritiba

Pinhalzinho

Pinheiro Preto

Piratuba

Planalto Alegre

Ponte Alta

Ponte Serrada

Presidente Castello Branco

Princesa

Quilombo

Rio das Antas

Rio do Campo

Riqueza

Romelândia

Saltinho

Salto Veloso

Santa Helena

Santa Rosa do Sul

Santa Terezinha

Santa Terezinha do Progresso

Santiago do Sul

São Bernardino

São Carlos

São Domingos

São João do Oeste

São João do Sul

São José do Cedro

São José do Cerrito

São Lourenço do Oeste

São Miguel da Boa Vista

São Miguel do Oeste

Saudades

Seara

Serra Alta

Sombrio

Sul Brasil

Tangará

Tigrinhos

Treze Tílias

Tunápolis

União do Oeste

Vargeão

Vargem

Vargem Bonita

Videira

Xanxerê

Xavantina

Xaxim


Lista atualizada às 17h do dia 26 de abril de 2012, pela Defesa Civil.


Comente aqui