SC

01 mar09:37

Temporais devem se repetir em SC nesta quinta-feira, segundo a previsão

A quinta-feira deve começar com tempo aberto e presença de nuvens na maior parte do Estado, aponta a previsão da Epagri. No entanto, o dia deve terminar com chuva e até temporal em todas as regiões, mas com destaque para as cidades que fazem divisa com o Rio Grande do Sul.

>> Confira mais detalhes no Blog do Puchalski

Entre o Sul e o Extremo-Oeste, a chegada da frente fria pode provocar ainda rajadas de ventos com até 60 Km/h, e até 55 Km/h nas demais regiões. O órgão que monitora as condições climáticas aponta que a explicação está na chegada de uma frente fria vinda do Sul do Brasil.

As fortes chuvas registradas na última quarta-feira provocaram destelhamentos de casas e deixaram cerca de 50 mil unidades sem energia na Grande Florianópolis.

A previsão aponta ainda que há risco de temporal em todas as regiões de Santa Catarina ao longo do dia, sendo que o aumento de nebulosidade e formação de pancadas de chuva é maior entre a tarde e a noite.

As temperaturas permanecem altas e podem chegar a 35ºC no Sul e 34ºC no Oeste do Estado. Para as demais regiões, a previsão é de que as máximas fiquem entre 28ºC e 31ºC.

Comente aqui
29 fev16:15

Prefeitura de Xanxerê oficializa doação de terreno à Inspetoria Regional do CREA-SC

Foi assinada na manhã desta quarta-feira, 28, a doação de um imóvel, pertencente ao município de Xanxerê, para a Inspetoria Regional do CREA-SC – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina.

O Projeto de Lei BLB 079/2011, que prevê a doação do imóvel, foi aprovado na Câmara de Vereadores em 2011. O imóvel, que tem dois lotes, um com 1.789,20 m² e o outro com 2.112,30 m², está localizado no bairro Tonial.

No local será construída a sede da Inspetoria Regional do CREA-SC, que vai atender aos 14 municípios da AMAI (Associação dos Municípios do Alto Irani) e uma praça sensorial.

A praça sensorial é um projeto inovador que tem por finalidade principal, atender pessoas portadoras de necessidades especiais. No local haverá um playground com brinquedos adaptados, plantas aromáticas e táteis, placas em braile e ampla acessibilidade.

Para o presidente do CREA-SC, Carlos Alberto Xavier, a construção da sede e da praça sensorial irá beneficiar a população xanxerense e da região da Amai.

O prefeito Bruno Linhares Bortoluzzi destacou que este é um projeto que foi desenvolvido em conjunto com o Ministério Público de Xanxerê e Poder Legislativo. – Hoje estamos formalizando a assinatura da escritura para que o CREA possa, a partir de agora, desenvolver a construção da sede própria e também de uma praça sensorial, que será uma inovação – disse.

Conforme salientou o prefeito, a sede do CREA-SC é muito importante para consolidar Xanxerê como um pólo regional, um pólo de desenvolvimento e um pólo de serviços. – Este é mais um momento importante desta semana em comemoração ao aniversário de 58 anos de Xanxerê – finalizou o prefeito Bruno Linhares Bortoluzzi.

Também estiveram presentes na assinatura da doação do imóvel o Diretor Regional do CREA-SC, Edilson Palavro, e o presidente da Sociedade de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Alto Irani, Juliano Tonial, engenheiros civis e arquitetos.


Comente aqui
29 fev09:35

Espetáculo Julia circula pelo Oeste

Vencedor de nova prêmios no Festival Nacional de Teatro, em São Paulo, o espetáculo Julia circula por Santa Catarina no mês de março. O circuito faz parte do projeto EmCenaCatarina, promovido anualmente pelo Serviço Social do Comércio de Santa Catarina (SESC-SC). O espetáculo percorrerá 12 cidades do Sul, Planalto Serrano e Oeste de Santa Catarina entre os dias 03 e 19 de março com apresentações gratuitas em ruas, praças e auditórios.

Julia conta a história de uma mulher das ruas, interpretada por Yonara Marques, e de seu fiel escudeiro, Palheta, vivido por Reveraldo Joaquim, componentes do grupo Cirquinho do Revirado, de Criciúma. Em 2011, o espetáculo recebeu diversas premiações, entre elas melhor espetáculo, melhor atriz, melhor ator, melhor cenário e melhor figurino, no Festival Nacional de Teatro de Pindamonhangaba (SP).

Sinopse: Júlia, uma mulher das ruas, vem chegando. Palheta, seu fiel escudeiro, é quem a conduz. Na bagagem, coisas do mundo, coisas da vida, tantas coisas. Entre realidade e ilusão há uma linha muito tênue, onde uma mulher sem pernas seria capaz de rodopiar. Esta dupla errante gira o mundo ou é o mundo quem os gira? Excluídos pelos excluídos, dizendo-se donos dos restos de um circo incendiado, Júlia e Palheta “se viram”. Não é fácil ter pernas!


Cronograma de apresentações no Oeste:

14/03 – quarta-feira

10h

Local: UNC – Concórdia/SC

Entrada Gratuita


15/03 – quinta-feira

Horário: 20h30

Local: Auditório Costa e Silva – Xanxerê/SC

Entrada Gratuita



16/03 – sexta-feira

Horário: 17h30

Local: Praça Coronel Bertaso – Chapecó/SC

Entrada Gratuita



18/03 – domingo

Horário: 9h e 17h

Local: Teatro do Sesc – São Miguel do Oeste/SC

Entrada Gratuita



19/03 – segunda-feira

Horário: 20h

Local: IFSC – São Miguel do Oeste

Entrada Gratuita


Comente aqui
29 fev09:11

Quarta-feira será de nuvens e chuva na maior parte de SC, aponta previsão

A Epagri, órgão que monitora as condições climáticas no Estado, aponta que a quarta-feira será marcada pela forte presença de nuvens e a possibilidade alta de pancadas de chuvas isoladas a partir da tarde. A temperatura começa a diminuir, mas ainda deve ser registrada máxima de 30ºC no Extremo-Oeste de SC.

>> Confira mais detalhes no Blog do Puchalski

A previsão indica que a presença de nuvens deve variar durante o dia em todas as regiões de Santa Catarina, mas as temperaturas máximas ainda se mantêm entre 23ºC e 30ºC. Na Grande Florianópolis, os termômetros devem oscilar entre 19ºC e 27ºC, segundo a Epagri.

Esta condição climática se deve a um cavado, isto é, uma área alongada de baixa pressão, atuando no Sul do Brasil e que deve permanecer nesta região nos próximos dias.

Os ventos sopram de nordeste a noroeste, com intensidade fraca a moderada, com rajadas principalmente nos momentos que antecedem as pancadas de chuva. A velocidade pode chegar a 55 Km/h, em especial entre o Sul e a Serra catarinense.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
27 fev10:11

Só 6% dos produtores de SC pediram seguro contra seca

Alessandra Ogeda | alessandra.ogeda@diario.com.br

Quase metade de Santa Catarina sofre, de forma recorrente, com o problema das estiagens. Dos 293 municípios do Estado, 132 registram a escassez de chuvas com frequência. O maior prejuízo é registrado na lavoura. Desde dezembro, a quebra na produção de diferentes culturas provocou perdas de R$ 549,6 milhões. O seguro da lavoura, que poderia remediar o problema, cobre uma parte pequena da produção.

Mesmo a estiagem sendo um problema recorrente, poucos agricultores cobrem as possíveis perdas com seguro. O secretário adjunto da Agricultura de SC, Airton Spies, calcula que cerca de 75 mil produtores rurais foram prejudicados pela estiagem que começou a castigar as lavouras de 96 municípios do Estado em novembro.

Na safra 2011-2012, 59,6 mil agricultores tiveram a lavoura segurada pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro). Deste total, 4.640 solicitaram a cobertura dos prejuízos até o dia 17 deste mês. Pouco mais de 6% do total de produtores atingidos pela estiagem.

Uma das razões para este acesso baixo ao seguro é que o Proagro, capitaneado pelo governo federal e o mais barato do mercado, serve apenas para cobrir a dívida do agricultor que financiou o custeio de plantio da lavoura. Essa modalidade de seguro não garante a produção, e custa 2% do financiamento para os agricultores familiares. Apenas a modalidade Proagro Mais prevê o pagamento de até 65% do lucro estimado pelo agricultor. Mas quem não pede financiamento ou o agricultor que quer ter uma cobertura total não busca o Proagro.

Na safra atual, o Banco do Brasil, que concentra grande parte das operações de crédito rural no país, assinou 76,5 mil contratos de financiamento no Estado. Destes, 59,6 mil aderiram ao Proagro. Outros 1,55 mil produtores aderiram ao seguro agrícola. O número de produtores que procuraram esta cobertura no BB, uma das cinco instituições que oferecem a modalidade, não chega a 1% do total do Estado.

— Este é um número ínfimo e que mostra como o seguro não vai resolver o problema que enfrentamos neste momento. O seguro agrícola é algo novo e que ainda não está popularizado, por desconhecimento e pelo custo — analisa Spies.

Nos moldes atuais, o seguro agrícola só funciona se tiver o estímulo de subvenções do governo. Entre 2006 e 2010, elas representaram 51,7% dos recursos arrecadados para os prêmios dos seguros — como é chamado o custo para fazer a cobertura.

— O crescimento do seguro agrícola no país foi diretamente proporcional à subvenção. O problema é que, nos últimos três anos, os valores orçados para essa subvenção foram inferiores às necessidades dos agricultores — argumenta Luiz Roberto Foz, presidente da Comissão de Seguro Rural da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg).

Sem a garantia de uma subvenção, reduz a oferta de produtos para cobrir os prejuízos. Fora do Proagro, o custo do seguro acaba ficando caro para o produtor, avalia Carlos Bestetti, gerente de Levantamento e Avaliação de Safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Esse custo flutuaria entre 3% e 12% do valor segurado.

Além do subsídio do governo federal, um incentivo para os produtores, segundo Bestetti, são programas estaduais que pagam parte da parcela do custo do agricultor. Mesmo com atraso, SC começa a trilhar este caminho. Será assinado nesta segunda, dia 27, um convênio com o BB para subsidiar em 50% o prêmio devido pelo agricultor que plante milho, soja, trigo e arroz.

Comente aqui
27 fev09:58

Semana começa com presença do sol em quase todas as regiões de SC

A passagem de uma massa de ar frio pelo Estado vai terminando e o sol volta a predominar em boa parte de Santa Catarina nesta segunda-feira. De acordo com a Epagri, que monitora as condições climáticas, ainda há chance de haver muitas nuvens entre a Serra e o Litoral Norte, acompanhadas de pancadas de chuva isoladas no fim do dia.

No Extremo-Oeste, os termômetros podem chegar a 31ºC nesta segunda-feira, mas não deve passar de 28ºC no Litoral do Estado, inclusive na Grande Florianópolis.

Mesmo assim, a forte presença de nuvens deve provocar nevoeiros ao amanhecer dos próximos dias. Os ventos sopram de sul a sudeste e com baixa velocidade, com rajadas que não devem passar de 45 Km/h.

Estas condições do tempo devem mudar na terça-feira, quando está prevista a volta das chuva em praticamente todo o Estado, principalmente nas cidades próximas ao Paraná. Por conta da elevada umidade do ar, a temperatura também deve voltar a subir, deixando a sensação de ar abafado.

Comente aqui
24 fev17:58

Fetraf-Sul e Via Campesina querem audiência com o Governo do Estado

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Na tarde desta sexta-feira, dia 24, durante o terceiro anúncio de ações emergenciais para conter a estiagem no Oeste, integrantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar – Fetraf-Sul e Via Campesina realizaram manifestação na entrada do Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, em Chapecó.

No ato eles entregaram para o Secretário da Agricultura e Pesca, João Rodrigues, uma pauta de reivindicações. – Já havíamos encaminhado uma solicitação de audiência no dia 12 de janeiro, mas não tivemos retorno – disse o coordenador adjunto da Fetraf-Sul Alexandre Bergamin.

>> Governo libera R$ 6 milhões para conter a estiagem no Oeste

O Secretário confirmou, após breve conversa com os integrantes, que vai receber a diretoria da entidade às 17h da segunda-feira, dia 27 em Florianópolis.

Entre os assuntos da pauta está a anistia do programa “Troca-troca” da safra 2010/2011, 50% de subsídio para a safra 2012/2013 e ainda uma ajuda de 50% na construção de cisternas. Bergamin disse ainda que se o agricultor quiser mesmo acessar o Juro Zero será necessário esse subsídio de 50%. – Alguns produtores estão cogitando procurar trabalhos alternativos, fora da propriedade para sustentar a família até a próxima safra – disse.


Comente aqui
24 fev17:50

Governo libera R$ 6 milhões para conter a estiagem no Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O governador Raimundo Colombo fez na tarde desta sexta-feira o terceiro anúncio de ações emergenciais para combater os efeitos da estiagem que assola a região Oeste desde o mês de novembro do ano passado. O governo vai disponibilizar R$ 6 milhões para as prefeituras em forma de convênios e para a distribuição de sementes de milho para os agricultores. A finalidade é para a contratação de serviços, transporte de água, produção de silagem e abertura de poços e bebedouros.

Esse auxílio deve beneficiar 20 mil famílias, que não foram atendidas por políticas de crédito rural ou seguro agrícola. Até a tarde desta sexta-feira, a Defesa Civil do Estado havia recebido o decreto de 96 municípios. As perdas agrícolas passam de R$ 600 milhões e mais de 595 mil pessoas foram afetadas.

O secretário de agricultura e pesca, João Rodrigues, disse que cada agricultor vai receber um kit composto de um saco de 20 Kg de milho, um saco de 25 Kg de azevém e dois sacos de 40 Kg de aveia. – Com esse kit, os agricultores poderão plantar o milho na próxima safra e usar o azevém e a aveia para pastagens de inverno. Atendendo tanto os produtores de leite como os agricultores familiares atingidos pela estiagem – destacou Rodrigues.

O agricultor Ivo Tobin que mora no interior de Ipumirim, perdeu 70% da lavoura de milho e os prejuízos na propriedade já chegam a R$ 5 mil. A preocupação do agricultor está em como se manter no período da entre safra. – Não tenho como sobreviver nesse período. A situação está complicada e penso em desistir da atividade – disse.


Outras medidas da Defesa Civil Estadual

A Defesa Civil Estadual apresentou o Plano de Trabalho para o Ministério da Integração Nacional e aguarda o repasse de R$ 3 milhões. O diretor de prevenção da Defesa Civil, Emerson Emerim, disse que o recurso será usado para a compra de 400 tanques de 5 mil litros, mil tanques de 10 mil litros, 20 mil peças de Clorín (purificador de água) e 200 mil vasilhames de 5 litros de água mineral.

Os produtos serão destinados aos municípios em Situação de Emergência por estiagem, para atendimento das famílias atingidas.


Comente aqui
24 fev11:30

Polícia Federal de SC busca pedido de extradição de ex-torturador argentino

Danilo Duarte | danilo.duarte@diario.com.br

A Polícia Federal de Santa Catarina está em busca de informações sobre pedido de extradição de Claudio Vallejos, 53 anos, acusado de ser ex-torturador durante o regime militar da Argentina, na década de 1970.

Mesmo preso desde 4 de janeiro, a fama sobre um dos 230 presos do Presídio de Xanxerê, no Oeste de Santa Catarina, só chegou nos últimos dias. Assassino confesso, Claudio Vallejos, de 53 anos, conhecido como El Gordo, foi preso por estelionato ao tentar aplicar um golpe na região, conforme divulgou o jornalista Rafael Martini no Blog Visor. No entanto, é a ficha criminal vinda da Argentina que chama mais atenção das autoridades policiais.

Integrante do temido Serviço de Informação Naval da Marinha Argentina nos anos de chumbo, na década de 1970, vallejos está em uma cela comum, aguardando ser citado para uma audiência que vai julgar o crime de estelionato pelo qual é acusado.

O clima não mudou desde que a notícia chegou na direção do presídio. Pelo menos é o que garante o gerente Luiz Brandielli. A única diferença que ele notou foi a procura por agências de notícias nacionais de informações sobre a prisão.

— Ele ainda não sabe que a informação de que se trata de um homem procurado por polícias internacionais e com longa ficha criminal chegou até a direção — revela o gerente.

O delegado da Polícia Federal Ildo Rosa explica que está sendo feito um levantamento no banco de dados para saber se há um pedido de extradição por parte da Argentina. Se houver, a ficha de Vallejos estará com a cor vermelha no sistema da Interpol, a polícia internacional.

Caso este pedido exista, o procedimento administrativo pode ser demorado por conta do rito a ser seguido. A PF precisa informar o Supremo Tribunal Federal (STF), que pedirá para que El Gordo permaneça preso de forma administrativa e à disposição da justiça brasileira.

Neste período, o governo argentino é notificado da prisão para que formalize o pedido de extradição. Rosa estima que este processo dure aproximadamente um mês em função da notoriedade do caso. Enquanto isso, Vallejos permanece cumprindo a detenção no presídio apenas pelo crime de estelionato.

De acordo com Brandielli, o argentino apresentou uma carteira de identidade brasileira. Ele foi preso porque se apresentava como jornalista e vendia anúncios para revistas que nunca eram publicados.

Nos registros policiais, constam três endereços diferentes: Chapecó, Bom Jesus e São Miguel do Oeste, todas cidades no Oeste e Extremo-Oeste de Santa Catarina. Vallejos já foi preso outras vezes pelo mesmo crime, a mais recente foi em 2010, em Campo Erê.

Demora sem explicação

Ainda não há explicação sobre a demora para que toda a rede policial soubesse que o preso é Vallejos. O delegado da Polícia Federal Ildo Rosa explica que está sendo feito um esforço de todas as partes para agilizar essa conexão.

— Também temos dificuldades para agilizar o processo em casos de estrangeiros, muito mais pelo lado argentino. Para facilitar isto, estamos nos esforçando para termos a presença de policiais da Argentina por aqui, durante a temporada — pontua.


Quem é Vallejos

Em 1986, durante entrevista à revista Senhor (nº 270), Vallejos, admitiu ter participado como motorista da prisão do pianista brasileiro Francisco Tenório Cerqueira Junior.

Conhecido como “Tenorinho”, o músico tocava com Vinícius de Moraes em Buenos Aires, na Argentina, em 1976, quando desaparceu misteriosamente quando saiu para comprar cigarros. Seu corpo nunca foi encontrado.

Ele ainda é acusado de ter participado da morte e tortura de civis durante a ditadura militar argentina.


DIÁRIO CATARINENSE



2 comentários
24 fev11:11

Governo faz terceiro anúncio de ações emergenciais para conter a estiagem no Oeste

Nesta sexta-feira o governador Raimundo Colombo estará em Chapecó para anunciar novas medidas para combater os efeitos da estiagem no Oeste. Este será o terceiro anúncio do governo. O evento está programado para as 13h, na sala Agostinho Duarte, do Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes. Acompanham o ato os secretários de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, da Defesa Civil, Geraldo Althoff, regional de Chapecó, Eldimar Jagnow, além dos prefeitos dos municípios em Situação de Emergência, dos secretários de Desenvolvimento Regional da região Oeste e lideranças locais.

De acordo com o secretário João Rodrigues, as medidas anunciadas incluirão recursos financeiros para as prefeituras,  destinados à contratação de serviços, transporte de água e produção de silagem. Também será anunciada na ocasião a liberação de sementes de milho para a próxima safra aos agricultores atingidos pela estiagem, e que não foram atendidos por políticas de crédito rural ou seguro agrícola.

- Nosso trabalho é para que nenhum agricultor fique sem o apoio do Governo do Estado. Em Santa Catarina, cerca de 10% das propriedades que tinham financiamento de custeio acionaram o seguro agrícola, e aquelas que não foram beneficiadas receberão sementes para a próxima safra – destaca.

>> Pacote de Combate à estiagem em SC é anunciado em Chapecó

>> Governo de Santa Catarina destina R$ 1,370 milhão para municípios atingidos pela estiagem

>> Santa Catarina vai receber R$ 10 milhões para combater a seca

>> Governo do Estado define estratégias contra estiagem no Oeste

Para atender aos agricultores da Fetaesc, o Governo disponibilizará R$ 3 milhões para aquisição de sementes de milho, azevém e aveia que beneficiarão 20 mil famílias rurais da região Oeste, que não foram atendidas por políticas de crédito rural ou seguro agrícola. O secretário João Rodrigues explica que cada agricultor receberá um kit composto de um saco de 20kg de milho, um saco de 25kg de azevém e dois sacos de 40kg de aveia.

- Com esse kit, os agricultores poderão plantar o milho na próxima safra e usar o azevém e a aveia para pastagens de inverno. Atendendo tanto os produtores de leite como os agricultores familiares atingidos pela estiagem – destaca Rodrigues.

De acordo com o presidente da Fetaesc, José Walter Dresh, a medida é em caráter emergencial e não descarta ações que deverão ser tomadas a longo prazo, como investimentos em captação e armazenagem de água da chuva para utilização múltipla pelos agricultores familiares, seja pra uso humano, animal, irrigação ou piscicultura. – Com a aquisição das sementes, o Governo do Estado estará beneficiando os agricultores familiares que não tiveram acesso ao crédito do rural safra 2011/2012 -ressalta Dresh.

O secretário-adjunto da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, disse que estaestiagem está deixando lições importantes para agropecuária catarinense, e que confirmam a necessidade de investimentos em irrigação.

- Isso permitirá uma agricultura baseada no uso de tecnologias de ponta, resultando em alta produtividade com a necessária segurança ao agricultores – disse.

Até o momento, 96 municípios decretaram Situação de Emergência em SantaCatarina, resultando em aproximadamente R$ 600 milhões em perdas de produção agrícola e afetando diretamente 595 mil pessoas. Algumas ações já foram desencadeadas entre o Estado e os municípios, com destaque para o Programa Juro Zero, onde foram disponibilizados R$ 80 milhões. Destes recursos, 40% devem prioritariamente ser investidos em água. Para a SDR Chapecó, por meio do programa, foram disponibilizados R$ 3,1 milhões.


Na região de Chapecó

O secretário regional de Chapecó, Eldimar Jagnow, destaca que a presença do governador Raimundo Colombo na região é muito importante, pois além de anunciar novas ações contra a estiagem, facilita uma maior integração entre órgãos governamentais junto aos municípios.

- Isso possibilita a construção de políticas e programas de maior eficácia para minimizar os efeitos de futuras estiagens e outras calamidades que possam assolar nossa região – explica.

No mês de janeiro, os nove municípios de abrangência da Secretaria de Desenvolvimento Regional de Chapecó foram contemplados com recursos do Estado, no valor de R$ 183,5 mil, para serem investidos observando a prioridade de cada município.

A Secretaria de Estado da Defesa Civil, por meio da SDR Chapecó, distribui kits emergenciais contra a estiagem para transporte de água potável nas comunidades rurais bem como no perímetro urbano. Atualmente, está em processo de licitação a perfuração de poços artesianos, por meio da Secretaria de Agricultura e Pesca, nos nove municípios da Regional de Chapecó.


Outras medidas da Defesa Civil Estadual

Após apresentar o Plano de Trabalho ao Ministério da Integração Nacional, a Defesa Civil Estadual aguarda o repasse do recurso, no valor de R$ 3 milhões, para a compra de 400 tanques de 5 mil litros; 1.000 tanques de 10 mil litros; 20 mil peças de Clorín (purificador de água) e 200 mil vasilhames de 5 litros de água mineral. Os produtos serão destinados aos municipios em Situação de Emergência por estiagem, para atendimento das famílias atingidas.


Comente aqui