SC

01 fev09:14

Quarta-feira feira é de sol e calor em SC

O tempo continua firme com sol em Santa Catarina nesta quarta-feira. As temperaturas ficam elevadas, segundo a Epagri/Ciram, órgão estadual que monitora as condições climáticas.

As máximas chegam entre 29ºC e 31ºC na Grande Florianópolis, no Sul, no Vale do Itajaí e no Litoral Norte. No Planalto Norte e na Serra, os termômetros ficam entre 27ºC e 28ºC. No Oeste, ficam por volta dos 31ºC.

Na quinta-feira, o sol continua predominando no Estado. Porém, há a possibilidade de formação de nuvens e chuva isolada entre a tarde e a noite na maior parte de SC. As temperatura seguem altas.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
31 jan12:25

Temperaturas podem chegar a 35ºC nesta terça-feira em Santa Catarina

O tempo segue firme e com temperaturas elevadas em Santa Catarina nesta terça-feira. Não há previsão de chuva, segundo a Epagri/Ciram, órgão estadual que monitora as condições climáticas.

As máximas chegam entre 30ºC e 31ºC Grande Florianópolis, no Litoral Norte e no Vale do Itajaí. No Sul, os termômetros atingem 35ºC. No Litoral Norte e na Serra, ficam entre 26ºC e 28ºC. Oeste deve registrar máxima por volta de 32ºC.

Na quarta-feira, a manhã mantém a tendência dos últimos dias. À tarde, o calor favorece para a formação de áreas de instabilidade. Por isso, podem ocorrer pancadas isoladas de chuva no Oeste, no Meio-Oeste e no Litoral Norte.

DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
30 jan09:32

Segunda-feira é de sol e temperaturas elevadas em Santa Catarina

O sol predomina e as temperaturas ficam elevadas em Santa Catarina nesta segunda-feira. Não há previsão de chuva para o Estado, segundo a Epagri/Ciram, órgão estadual que monitora as condições climáticas.

As máximas chegam entre 29ºC e 30ºC na Grande Florianópolis, no Litoral Norte, no Vale do Itajaí e no Sul. No Oeste, os termômetros atingem 31ºC. Na Serra e no Planalto Norte, ficam entre 25ºC e 26ºC.

Na terça-feira, as condições do tempo mantêm a tendência. O dia deve ser de tempo seco e temperaturas elevadas em todas as região, aponta previsão da Epagri.


DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
27 jan08:56

Passagem de frente fria por Santa Catarina derruba temperaturas em pleno verão

A manhã desta sexta-feira começou com temperaturas baixas em Santa Catarina, criando uma sensação estranha para quem associa verão a termômetros com temperaturas elevadas. A passagem de uma frente fria por Santa Catarina nesta semana está provocando instabilidade, com ocorrências de chuva e muitas nuvens.

De acordo com o meteorologista do Grupo RBS Leandro Puchalski, as temperaturas na Serra catarinense ficaram entre 8ºC e 10ºC no início da manhã.

Apesar disso, a previsão é que a elevação seja rápida durante o dia. No Oeste, pode até se aproximar dos 30ºC, enquanto a Serra deve registrar até 21ºC.

Segundo a Epagri, órgão estadual que monitora as condições climáticas, a condição adversa do tempo em Santa Catarina começa a mudar a partir deste fim de semana.

A previsão é que, entre esta sexta-feira e sábado, ventos fortes em altos níveis levem a massa de ar seco que está sobre o Estado. Isto fará com que as temperaturas comecem a subir no sábado e haja mais abertura de sol ao longo dos próximos dias.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
26 jan14:50

Relatório sobre a estiagem será entregue ao Governo Federal

O relatório completo com os dados da estiagem que afetou Santa Catarina nos últimos meses, elaborado pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – Epagri, será entregue pelo governador Raimundo Colombo ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, nesta quinta-feira.

Santa Catarina será o primeiro Estado atingido a entregar o documento. O governador também cumpre agenda no Ministério de Minas e Energia (MME), onde será apresentado programa para substituição de redes elétricas rurais no Estado.

Os dados da Epagri a serem expostos em Brasília apontam 85 municípios catarinense, que abrigam o total de 498.444 mil habitantes, afetados pela estiagem. Na região, estão localizadas 36% dos 193 mil estabelecimentos agropecuários existentes no Estado e estima-se que os prejuízos no setor ultrapassem os R$ 510,6 milhões. Milho, soja, feijão e leite concentram as maiores perdas.

Mais de 700 mil toneladas de milho já foram perdidas, o que corresponde a cerca de R$ 275 milhões em prejuízos. No caso da soja, as 169 mil toneladas perdidas correspondem a um débito de R$ 115 milhões. De feijão, o estudo aponta perda de 4,2 mil toneladas, o que equivale a R$ 5,6 milhões de prejuízo. Por fim, a produção leiteira também foi comprometida, uma vez que a região oeste responde por 73% da produção estadual. Até o momento, os produtores deixaram de entregar à indústria volume de aproximadamente 29,2 milhões de litros de leite, representando prejuízo aproximado de R$ 22,5 milhões.

Integram a comitiva os secretários de Articulação Nacional, Acélio Casagrande; de Defesa Civil, Geraldo Althoff; os presidentes da Celesc, Antônio Gavazzoni; e do Badesc, Nelson Santiago; o senador Luiz Henrique da Silveira e o prefeito de Blumenau, João Paulo Kleinübing.


Comente aqui
26 jan14:09

Diagnóstico tardio dificulta tratamento de pacientes com hanseníase

O Brasil é o segundo país do mundo em detecção de casos da doença, com 37.610 novos casos diagnosticados no ano de 2010, cuja taxa de detecção é de 18,2 por 100 mil habitantes. Santa Catarina apresenta um dos menores índices de contaminação pela hanseníase, que, popularmente, é conhecida como lepra. Dia 29 de janeiro, é o Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase.

Em 2011, o estado diagnosticou 214 novos casos, apresentando taxa de detecção de 3,4 por 100 mil habitantes. Mesmo assim, ela continua sendo um grave problema de saúde pública, principalmente pelo fato de as pessoas buscarem auxílio médico tardiamente.

De acordo com a coordenadora estadual da Hanseníase da Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde, Jeanine Varela, o grupo que merece maior atenção é o familiar, pois sete crianças menores de 15 anos apresentaram a doença. – Assim que os pacientes apresentarem sintomas ou sinais suspeitos, devem recorrer às unidades de saúde, já que o diagnóstico precoce aumenta as chances de sucesso do tratamento – explica.

A hanseníase não é hereditária e tem cura, mas, se não for tratada, pode provocar incapacidades físicas e deformidades, responsáveis pelo preconceito e discriminação aos portadores. É uma doença infecciosa, de longa evolução. A transmissão ocorre pelo contato com pessoas doentes que não receberam o tratamento, através das vias aéreas superiores – nariz e boca.


Sintomas

Os principais são perda da sensibilidade ao calor, ao frio e à dor, dormência, formigamento, caroços, inchaços e manchas esbranquiçadas e avermelhadas pelo corpo. O tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas pode variar de dois a sete anos.

- A doença é uma enfermidade que passa despercebida porque se acredita que não exista mais ou se tem informação equivocadas de como é na realidade – observa Jeanine Varela.

A Hanseníase está inserida nas ações de atenção básica, sendo as unidades de saúde municipais, locais importantes para o desenvolvimento das atividades de prevenção e controle da doença. Além de estarem qualificadas para diagnosticar e tratar os casos confirmados, realizam atividades de vigilância, busca e monitoramento de seus contatos.

- A expectativa de alcançarmos o controle definitivo da Hanseníase depende de todos nós. Do poder público, gestores, profissionais de saúde e sociedade em geral envolvidos na busca ativa de portadores e seus contatos; com a garantia de acesso ao diagnóstico e tratamento adequado, priorizando ações de monitoramento, capacitação e divulgação de informações apropriadas à população. Em 2012, continua o trabalho para o controle e a eliminação da doença – finaliza Jeanine Varela.


Comente aqui
23 jan09:29

Previsão de chuva para SC não deve reverter a estiagem

A previsão para o início desta semana é de sol, calor e pancadas de chuva em todo o Estado, segundo a Epagri, órgão que monitora as condições climáticas em Santa Catarina. No entanto, os meteorologistas alertam que a precipitação prevista não é suficiente para reverter a estiagem que assola pelo menos 84 cidades.



Em Belmonte, no Extremo-Oeste, rios, açudes e pastagens estão secando. Cerca de 50 famílias dependem da água vinda de caminhões-pipas.




Entre terça e quarta-feira, o deslocamento de uma frente fria por Santa Catarina em direção ao Litoral do Paraná deve facilitar a ocorrência de pancadas de chuva, inclusive com a possibilidade de queda de granizo.

A chuva prevista para os próximos dias, segundo a Epagri, ocorrerá de forma muito isolada e com curta duração. Mesmo a mais significativa chuva prevista para quarta-feira, que deve ficar entre 30mm a 50mm, pode não atingir todos os municípios do Estado, por isso não reverte a situação da estiagem no Oeste de Santa Catarina.

Comente aqui
21 jan14:25

Consumo cai, mas preço do leite continua bom para criador em SC

O Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite (Conseleite) projetou em 64 centavos o valor de referência para pagamento aos produtores rurais pelo litro de leite-padrão produzido em Santa Catarina, mas, na prática, o mercado continua pagando bem mais. O preço pago aos criadores na compra de leite cru pelas indústrias continua na faixa de R$ 0,86 por litro e mantém a escalada de recuperação iniciada em 2011.

Reunido nesta semana em Campos Novos, o Conseleite projetou em R$ 0,7454 o leite acima do padrão, em R$ 0,5893 o leite abaixo do padrão e em R$ 0,6482 o leite padrão. Essas projeções são inferiores em 1 centavo ao mês de dezembro e serão confirmadas ou reajustadas na próxima reunião mensal do Conseleite, ocasião em que serão anunciados os números definitivos de janeiro e a projeção dos valores para fevereiro.

O vice-presidente do Conseleite e vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC (Faesc), Nelton Rogério de Souza, explicou que os números definidos pelo conselho refletem uma situação mercadológica: o consumo cai em janeiro e fevereiro em razão das férias escolares e da paralisação do serviço de merenda escolar. O mercado se retrai em razão do calor e do alto consumo de outras bebidas.

O diretor de agropecuária da Coopercentral Aurora e presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Marcos Antonio Zordan, confirma que as condições do mercado recomendariam uma redução nos preços. Os laticínios, porém, estão pagando valores acima dos preços de referência para manter a cadeia produtiva organizada e a produtividade elevada da pecuária leiteira.

Desde o início da entressafra, em abril do ano passado, os produtores melhoraram o nível de remuneração. Em alguns momentos o preço esteve em 1 real o litro. A entressafra acabou e os preços continuaram em alta. Os bons produtores – aqueles que têm qualidade e volume elevado – estão recebendo bons preços.

- Essa escalada de recuperação de preços devolveu a lucratividade à atividade leiteira na hora certa, porque os custos de produção em 2011 cresceram, especialmente os preços do milho e da soja, principais insumos da ração animal – explica Nelton.

Quadro

O leite é uma riqueza econômica e nutricional em Santa Catarina. Sexto produtor nacional, o Estado gera 1,9 bilhão de litros/ano. Praticamente todos os 190 mil estabelecimentos agropecuários produzem leite que gera renda mensal às famílias rurais e contribui para o controle do êxodo rural. O oeste catarinense responde por 60% da produção com cerca de 50 mil estabelecimentos rurais.


Comente aqui
21 jan09:59

Caso Marcelino Chiarello

Natália Viana | natalia.viana@diario.com.br

O secretário de Segurança Pública, César Grubba, garantiu que pedirá agilidade na conclusão dos laudos técnicos do inquérito que investiga a morte do vereador de Chapecó Marcelino Chiarello.

Marcelino Chiarello.

O anúncio foi feito durante uma reunião, ontem à tarde, com lideranças do PT e o advogado criminalista Luiz Eduardo Greenhalgh, que por enquanto descarta a hipótese de solicitar a federalização do caso.

A audiência foi solicitada por Greenhalgh com o argumento de que a morte do vereador completou 50 dias sem qualquer informação concreta sobre o crime.

Segundo o advogado, ele decidiu procurar o secretário após conversar com os delegados responsáveis pelo caso, Ronaldo Moretto e Augusto Brandão, que afirmaram depender dos resultados das perícias técnicas para continuar trabalhando no inquérito.

Greenhalgh explica que são necessários três laudos: o do local da morte, o da quebra do sigilo telefônico e o laudo da autopsia.

— O legista diz que assinou o laudo em 22 de dezembro e estranhamente este ainda não foi incluído no inquérito. O telefone celular do vereador foi entregue à Polícia no dia da morte, mas até agora não veio nada sobre a quebra do sigilo telefônico para saber para quem Marcelino Chiarello ligou e de quem recebeu ligações. E o laudo do local da morte também não apareceu ainda — diz o advogado.

>>> PT acusa Estado de não priorizar caso Chiarello

De acordo com o presidente estadual do PT, José Fritsch, como o secretário afirmou que solicitará ao Instituto Geral de Perícia (IGP) que agilize os laudos e apresente as conclusões em uma semana, os dirigentes do partido aguardarão este prazo.

Ele assinala que a principal reivindicação do PT é que a Polícia Civil considere a gravidade do caso e priorize o inquérito.

— O que nos parece é que foi um crime elaborado e que a Polícia precisa ter o mesmo nível de elaboração para conseguir descobrir o que ocorreu — completa a vereadora de Chapecó, Angela Vitória.

Greenhalgh afirma que saiu satisfeito da reunião e que, por enquanto, descarta a hipótese de pedir a federalização das investigações. Para o criminalista, o secretário César Grubba, sabe que pode contar com o apoio da Polícia Federal se necessário.

O delegado-geral, Aldo Pinheiro D’Ávila, destacou que a Polícia Civil está trabalhando no inquérito e que acredita que a demora na conclusão dos laudos se deve à complexidade envolvida.

Ele confirmou que será pedido ao IGP a agilização dos laudos e rebateu as críticas sobre a demora nas investigações afirmando que a Polícia Civil “confia” na competência dos dois delegados que estão trabalhando no caso.

Comente aqui
20 jan08:36

Fim de semana será de sol e calor em SC

O sol predomina em Santa Catarina nesta sexta-feira. Porém, entre a tarde e a noite, podem acontecer pancadas isoladas de chuva, típicas de verão, na maioria das regiões. Não se descarta o risco de temporais e granizo isolado.

As máximas chegam entre 30ºC e 31ºC na Grande Florianópolis, no Litoral Norte, no Vale do Itajaí, no Sul e no Oeste. No Planalto Norte, os termômetros atingem 29ºC. Na Serra, ficam por volta dos 27ºC, segundo a Epagri/Ciram, órgão estadual que monitora as condições climáticas.

No sábado e no domingo, as condições continuam parecidas no Estado. Persiste o sol e as pancadas isoladas de chuva com trovoadas típicas de verão, na maioria das regiões, com menor possibilidade no Extremo Oeste.

Há risco de temporal, rajadas fortes de vento e granizo isolado. Apesar da previsão de chuva, esta deve ocorrer de forma isolada e com curta duração, por isso não reverte a situação da estiagem. As temperaturas permanecem elevadas.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui